Coleção pessoal de AndreZanarella

101 - 120 do total de 161 pensamentos na coleção de AndreZanarella

NA LINHA DO CÉU

Cores na linha do céu,
Formatos na linha do céu,
Cerveja gelada...
Toalha na cintura...
Incenso queimando...
Você no pensamento...
Vejo o horizonte.
O sol partindo...
Cores de saudades...
Cadê você?
Estou aqui...
Estou sozinho.
A lua nascera...
Estrelas brilharão...
Luzes acenderão...
Cadê você?
Por onde anda?
Saudades de você.
Do seu corpo...
Boca na boca...
Corpo no corpo...
Do seu ser...
Cadê você?

André Zanarella 14-11-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4669248

AMOR SEM FIM...

Meu amor queria ser irracional,
Ver você nas asas de gato,
Mas gatos não têm asas?
Você me questionaria.
O amor não tem lógica de existir...
Quero dançar um balé inventado,
Sem nomes complicados,
Sem pontas de pés e sapatilhas.
Quero unhas em minhas costas,
Palavrões num sussurrar de prazer,
Suores emanados pelo ar
E tendo você a tremer por ter me amado.
Quero amar você...
Sei que ai é o seu lugar,
Mas sei que meu coração fica vazio sem você,
Venha sentada num gato alado
O seu lugar ocupar...

André Zanarella 13-11-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4601904

SERRA

A serra sempre ao longe,
A procissão puxada pelo monge.
Sempre morei nos vales,
Admirei os dançarinos nos bailes.
Tive meu ritmo apressado,
Queimei etapas mesmo estando cansado.
Perdi-me nos meus sonhos da juventude
Seria esse o motivo de minha inquietude?
Não sei mais quem eu fui quem eu sou,
Sei apenas onde estive e onde estou.
Quando de mim foi arrancado as minhas asas?
Quando que eu passei a usar tantas couraças?
Hoje eu olho no espelho,
Não me reconheço no espelho.
Vejo algo:
Plebeu ou fidalgo?
Como pude ser tão mudado pela vida?
A mudança ocorreu em qual avenida?
A serra me persegue aonde vou.
Vejo-a em todo lugar que estou.
Mudei de morada
Mudei de namorada
E sempre estou em outro vale
Esperando a Dama de Negro para um Baile
Montanhas ao longe
A procissão puxada por um monge
Querer voar
Cansei de andar
Sem asas apenas aterrisso no solo fértil
Não sou semente estéril
Devia brotar e renascer
O que pode acontecer?
Fico estático.
Sou simpático
Mesmo assim viro humo
Acabo-me em auto-consumo
Viro fertilizante
De ideias e não de uma gestante.
O apodrecimento pode ter nome romântico,
Posso até transformá-lo num cântico.
A serra sempre está longe
A montanha me lembra dum monge.
O antigo dono do castelo amputou minhas asas,
Queimou minhas feridas com brasas,
Sou um sonhador e perdi meu objetivo
Hoje sem asas e caducando tudo é relativo,
Virei cego num mundo de gatunos,
Os anos me são inoportunos.
Agora quero chegar às montanhas
Para isso terei que fazer inúmeras façanhas
Mas como?

André Zanarella 12-11-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4536334

Tags: serra

SONHO DARDEJANTE

Das nuvens cinza linhas dardejantes,
Iluminando o caminho dos amantes.
O destino os persegue sem compaixão,
Dardejante farejando todo chão.
A chuva cai dardejante na mata,
O destino os caça, pois ele mata.
Como mata a diferença de idade
E do mais velho a tosca ingenuidade.
A juventude crê na aliança dardejante,
O maduro acha o tal símbolo degradante.
Oposto num sonho para o futuro,
Caminhando a pé para o escuro...

André Zanarella 08-11-2012


Dardejante = Que irradia fortemente: Brilho dardejante.
= Colérico raivoso.

Tags: sonho dardejante

CRIANÇAS DA NOITE MORCEGOS

Morcegos na noite são medos tolos,
São mamíferos que aprenderam a voar,
Esqueceram que a terra é o limite,
Que a prisão das pernas é uma tolice.
O morcego da noite são vampiros,
Que esvaziam o sangue de suas vitimas,
Deixando um buraco na alma da criança,
Vem da boca o veneno que mata,
Não tem volta como a flecha lançada.
O morcego da noite é um pesadelo real,
De mamíferos maldosos que sugam a criança,
Matam a suas fantasias de um dia crescer
E deixa para trás um rastro de sangue.
A criança vampirizada quer aprender voar,
De aquela caverna fugir rapidamente,
Deixando tudo para trás fora de sua mente,
Mas esquece de que há o maldito inconsciente,
Que quando a criança relaxa e dorme,
Abre as portas das cavernas mais profundas
E deixa o morcego fugir sendo medo tolo real.

André Zanarella 05-11-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4614800

Tags: crianças

BANALIDADES DO AMOR

Letras soltas formando uma promessa,
PSVCTA é assim que o amor começa.
Um apelido sussurrado em meu ouvido,
E meu gemido que até parece um rugido.
Tesouros que para muitos são sem valor,
Que para mim prova o seu grande amor.
Coração recortado da vermelha cartolina,
Encontros marcados em uma esquina.
A primeira vez em um restaurante japonês,
Eu tão perdido que me sentia um camponês
No primeiro encontro eu dei cravinas,
Que ela iria seca-las como fazem as meninas.
Abri a porta de meu carro velho para ela,
E minha alma se abriu como uma janela.
Hoje continuo amando-a de maneira extrema
Será que essas banalidades cabem num poema?
O amor é algo que nasceu com a humanidade,
Tão comum que é uma mera banalidade.
Que ao lado da pessoa amada é uma raridade
É diamante, é joia, é a maior preciosidade.
PSVCTA...

Tags: banalidades

IDAS E VINDAS

Hoje sai com a gata perdido na madrugada,
Dentro dos labirintos com minha amada.
A procura de onde comer e não saciar,
Pois a lado dela quero apenas amar.

Cada restaurante uma negação,
Talvez quisesse viver apenas a ilusão.
Eu e a gata negra perdidos na cidade,
Esquecemos a diferença de idade.

Tivemos momentos em nossa tarde,
Galanteio o tempo todo, pois não sou covarde.
Idas e vindas nessa noite escura,
Apesar de tudo vejo em sua alma a candura.

Acabamos a noite cada qual em sua cama,
Desculpa besta dada no fim do programa.
A tristeza invade meu velho coração,
Pois ficar longe dela me faz perder a razão.

André Zanarella 03-11-2012
Jacarei a noite é um lugar péssimo para se comer
Uma Opção Cachaçaria Água Doce
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4578536

CRIANÇAS DA NOITE CURUPIRA

Curupira na noite é um medo tolo,
Anãozinho ruivo com uma deformidade,
Ele é o demônio que vive nas matas,
Quem profana as matas leva dele um açoite.
Ele esta escondido nos cantos da mente,
De quem teve sua mata invadida,
A dor da carne dilacerada e perdida,
De se sentir culpada e não a vitima.
Mas o Curupira que é gênio e demônio,
É mesmo assim um medo de algo sem fim.
Atrapalha o estudo da criança infantil,
E leva ao alcoolismo a criança adulta.
Quando o Curupira entra em ação,
Ele nem sabe se é anti-herói ou vilão,
Pois mata o caçador e arranca o coração.
Nesse dia a criança adulta ou infantil,
Acorda assustada talvez gritando,
Ele pode respirar aliviado,
Pois o Curupira matou o vilão.
Curupira demônio ou herói?
É apenas uma criança da noite um medo tolo.

André Zanarella 02-11-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4572822

Tags: crianças

O DARDEJAMENTO D’ALMA

São Sebastião com suas setas, morto!
Mesmo amando estou sem conforto.
Maldito cupido que uso só um dardo,
Deixando o amor para mim como fardo.
Em Jesus na cruz usaram nele uma lança.
O amor tem que ser provado numa aliança?
Se for por que vale toda a atitude,
E na cama os momentos de plenitude?
Minha alma esta tão ferida agora,
Que queria para lugar ir embora.
Seria um problema entre gerações,
Ou seria algo de nossas criações?
Venha para o meu lado negra menina
Dissipa de minha alma toda a neblina,
Tira os dardos que feriu o meu coração
E vamos viver juntos para sempre nossa canção.

André Zanarella 31-10-2012

Dardejamento = Ação ou efeito de dardejar.
Arremessar ou ferir com dardos.

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4577011

Tags: dardejamento

CRIANÇAS DA NOITE FANTASMAS

Os Fantasmas da noite são medos tolos.
São danças embaixo dos lençóis,
Colocados em nossas almas pela gestante.
Alguns fantasmas, nascemos com eles,
Outros são colocados na gente.
Os fantasmas da noite nos mata aos pouco,
Cria doenças em nosso corpo,
Causa aleijão onde nunca existiu,
Não deixa a gente nunca ser feliz
E sempre seremos o patinho feio da historia,
Com um pequeno detalhe:
Jamais viraremos um belo cisne negro.
Os Fantasmas da noite são brancos,
Para disfarçar o tanto que são encardidos,
Eles vêm macular nossas almas,
Roubar do adulto sua criança guardada.

André Zanarella 30-10-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4585501

Tags: crianças

CRIANÇAS DA NOITE LOBOS

Os lobos da noite são apenas medos tolos.
Tem coragem por são matilhas e dentes,
Perseguem os coelhos e pequenos na noite.
Os lobos solitários são agressivos por medo,
Pois foram pequenos um dia na matilha.
Os lobos uivam pela sua dor para a lua,
Urinam para marcam o teu território.
O lobo é belo e sedutor que comeu a avó,
Quase matou a chapeuzinho vermelho,
Foi morto por um caçador que apareceu do nada.
Onde foi parar a infância da chapeuzinho?
Por que o caçador estava próximo à casa da avó?
Por que o lobo atacou aos humanos?
Os lobos são assim tira o sossego das crianças,
São medos tolos da infância da criança bela.
Talvez seja o consolo de uma vovozinha.

André Zanarella 28-10-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4595264

Tags: crianças

SONHO DANTESCO

A gata preta fugiu para o telhado.
Largou-me por ver velho curvado.
A maldita influencia vem e contamina
Aos poucos ela vai vem e me elimina.
A gata preta no telhado ira me abandonar.
Pois a maldita influencia vai me eliminar.
É uma questão de tempo para o sofrimento,
Talvez seja após festa o exato momento.
No sonho dantesco a cabelos voando,
E muita bebida transbordando.
Na premunição que um sonho dantesco,
Minha alma sem ter nenhum refresco.
Sou trocado por um plebeu anão
E gata vai para ele sem ter razão.
Todos riem de mim no sonho dantesco
Num desfile de carnaval gigantesco.
Acordo chorando com um aperto na alma
E faço uma oração para não perde a calma.
Seria esse sonho dantesco uma premonição
Se for tenho dó da gata que cairá pelo chão.
Há tantas coisas invisíveis neste nosso mundo,
Talvez a dor da perda seja algo mais fecundo
Como o feto que rompe a fina placenta
E vem ao mundo sem nenhuma vestimenta.
Agora a ele resta caminhar e viver...

André Zanarella 26-10-2012

Dantesco Relativo a Dante, poeta italiano.
Que tem o caráter da obra de Dante: estilo dantesco.
De um horror grandioso: espetáculo dantesco.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4533098

Tags: sonho dantesco

MAIS UM DIA

Frango na panela
Para ele acabou o tempo
Salve aqueles que comemoram
Salve a manifestação de quem é amado
Tem aqueles que nada comemoram no dia
Vagam pelas ruas caindo na sarjeta imunda da vida
Mas há que tem no seu dia que lhe muito ama
Que transforma um dia em festividade
Um bom dia em algo tão especial
Que brinda pela sua vida
Agradece o seu dia
E se serve do frango na panela
Não importando a tal da comemoração
O importante é estar cercados de quem amamos
E de quem nos ama.
Parabéns para quem vive um amor a cada dia,
Na mesma pessoa descobrindo uma faceta diferente
Um sorriso,
Uma brincadeira nem que seja no ossinho da sorte da galinha.

O BAMBINAR DO PELO DA GATA

Você me faz tão bem,
Com não ser alguém,
Porque sou ninguém,
Assim então me vem.

Desce de seu muro,
Vivo num chão duro,
Meu querer é puro,
Confie sou seguro.

Vejo seu pelo bambinar,
No miado quer me amar,
Você está a sazonar,
Cresce e vem para o lar.

Deixa de ser sem juízo,
Pois ambos temos prejuízo,
De você é tudo o que preciso,
Venha me aceite sem aviso.

Bambinarei o seu ser,
Você terá todo o meu ter,
No bambinar nada terá a temer,
A não ser o nosso envelhecer.

André Zanarella 28-09-2012

Bambinar Agitar-se como bambinela.
Agitar-se com a aragem ou com o andar; esvoaçar.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4501492

E (E)

O “E” como toda vogal é sem igual
O “E” é um fonema que é sensacional
As maiorias das letras precisam dele
“B”, “C”, e outros não haveria sem ele.
Quem era o “E” no seu aprendizado?
“E” de elefante isso era bem ensinado
O livro era a cartilha “Caminho Suave”
Assim transformei o livro numa astronave
Depois vieram muitos outros “E”
Aprendi outros significados para o “E”
O “E” une coisas com mesma função
Também o “E” pode ser a oposição
O “E” pode ser a consequência
Podemos usar o “E” em qualquer tendência
“E” é símbolo de alguma coisa ou de algo?
Nome de pais, elemento ou titulo de fidalgo?
“E” de Este que sinônimo de Leste.
Amigos queridos, Ercy, Edson e Emanuel.
Teria passados outros, mas ficam no coração e não no papel.

André Zanarella 26-09-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4491255

VOO PARA O DECLÍNIO

O anjo caído está com artrose,
No cérebro um vaso com estenose
Na esquina o crack é a maçã,
Que tira dos lares o amanhã.
Não há Evas peladas do paraíso,
Como ninguém mais tem juízo.
Penas sem brilho na sarjeta,
Para o céu vou de lambreta,
Pois alcoolizados avançam o sinal
Para a família não faz mal.
O anjo caído hoje é um santo
Assando churrasco no seu canto.
“Cachorras” sem calcinha na dança
Daqui a pouco estarão com pança;
Coitado desse novo rebento
Que cairá na vida a qualquer momento.
O bonito mesmo está na novela,
Ou na fofoca feita de uma janela.
E o anjo caído perdeu a vez para o humano
Ser mesquinho talvez louco e insano
O anjo caído quer cuidar da sua casa
Antes que o humano invada lá destruído a ultima brasa.

André Zanarella 23-09-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4483618

O DIA

O dia que passa não arranca nada,
Entro apenas com a minha bagagem.
Às vezes penso nela ainda tão bela,
Nas promessas de amor em dias frios.
O dia amanhece acordo tão sozinho,
Lembro-me de corpos e bocas que tive,
De pernas e braços que me enlaçaram,
Mas o meu sentimento real foi enterrado,
Está tatuado nas costas do vento frio.
O vento corre pelos cantos da Terra,
Procura a dona de meu sentimento.
Hoje todo o sentimento está lá,
Restou um amor doente, fraco.
Que caminha apoiado em lembranças,
Que tem a vaga silueta do encantado,
Que lutou em nome do amor,
Mas mesmo faltando um pedaço
E tento um jeito calmo e sorriso no rosto,
Ainda sabe que achara o amor,
Mesmo que o amor seja eterno
E o eterno dure apenas um segundo
E este segundo me de uma ruga na face.
Mesmo assim sempre serei feliz, pois amei um dia.

André Zanarella 22-09-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4476593

AB AETERNO

Meu tempo é tão curto que o agora não existe,
Existe uma onda eterna de passado e futuro.
É cadê o nosso presente o nosso agora?
Assim é o mundo “ab aeterno” e o já se foi.
O tal do minutinho que não existe então,
Para a criança o minutinho é uma hora, duas talvez.
Para o adolescente é até o fim de semana
E para o maduro é na aposentadoria.
O tempo agora não existe mais no presente,
A fração de segundo que ela existe, eu não sei.
Mas ela com certeza já passaram lá tão atrás.
E assim é o tempo “ab aeterno” e já passou.
Então vivemos a formar uma biblioteca pessoal,
Acessada um agora virtual atemporal,
Gerando ondas para o futuro inconstante
E isso é uma verdade universal “ab aeterno”.
Então faça seu melhor durante a onda do tempo,
Surfe com felicidade e com amor,
Caiu da prancha levante e pegue outra onda,
Pois que fica parado vira comida de tubarão.
E assim é a vida “ab aeterno”...
Por que usei o latim?
Porque lá atrás na minha biblioteca pessoal
Palavra estava esquecida num fichário amarelado
E resolvi reciclar.
Somos destinados à felicidade “ab aeterno”.

André Zanarella 21-09-2012

Ab aeterno = latim desde a eternidade, sem principio.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4472077

Tags: aeterno

CARTA AOS AMORES QUE IREI TER

Jacarei 20 de setembro de 2012.

Vejo o espelho de água e vejo o futuro. Vejo os amores que nunca terei. Vejo o vento a soprar em meus cabelos. Vejo os amores que eu tive e a marca que eu deixei em cada coração que um dia eu tive, ou melhor, um dia possuiu o meu coração.
Entra pedra bruta em minha vida sai pedra lapidada. Eu sempre coloquei todas em um pedestal chamei de princesa a plebeia, mas os anos pesam nas minhas costas e no espelho do futuro vejo os amores que ainda vou ter, vejo o percurso de tempo que eu terei que caminhar ao lado de cada amor que terei.
Eu terei ainda que aprender a respeitar o caminhar da pessoa amada, pois cada qual nessa vida vem com o seu ritmo e por um momento temos o mesmo ritmo na caminhada chamada vida. Quando estabelecemos o mesmo ritmo nesta estrada que se chama vida, caminhamos lado a lado, às vezes numa troca de olhar, uma batida mais forte de coração a vontade de sorrir para a pessoa ao seu lado é maior que tudo. O sorriso persiste e insiste nesse momento que pode ser uma fração de segundo ou décadas então, nossos corações será um e o amor se faz divino na Terra.
Talvez eu nunca ache um ser com o mesmo passo que o meu por uma eternidade, mas enquanto ao lado de minha amada eu andar estarei tentando transforma-la no centro do meu universo, pois durante este período de caminhada Deus se fará mais presente em meu ser. Eu amarei a pessoa ao meu lado e a cada sorriso que ela dar minha aura explodira em cores e vou querer compartilhar o amor com todos que por eu apenas triscar.
O amor divino é o segundo que se fez imortal ou a imortalidade que fez num segundo? Não importa o nome ou a definição, nos primatas ditos racionais, temos a mania de tudo nomear e de tudo definir, mesmo quando o importante é apenas sentir. No caso do amor é sentir que cada átomo meu perdeu-se numa explosão de felicidade por encontrar a mesma vibração em outro ser.
Minha futura amada, caminharemos para o sol, caminharemos para o universo. Às vezes se sua e a minha caminhada for eterna partiremos para outras lutas com encontros marcados, estaremos com outras faces, outros corpos, mas meus átomos reconhecerão os seus átomos, então sorrirei para você. Seu nome não importara, assim como o meu nome não importara e todas as definições cairão por Terra, pois o importante será apenas o amar.
Um dia eu te encontrarei.

André Zanarella
http://www.recantodasletras.com.br/cartas/4466860

Tags: carta

LUTE CONTRA SEU ESTRESSE

Estresse é um conjunto de pertupações,
Organicas ou psiquicas que nos gera agressões.
Se a bagunça de sua casa lhe estiver te assobrando
Não deixe que a bagunça vá aos poucos aumentando,
Isso serve para casa e tambem para o relacionamento,
Vá arrumando mesmo que não termine naquele momento.
Se voce não der conta do recado,
Procure ajuda isso não é pecado.
O simples fato do estresse voce combater,
Já fara voce ter algo a menos o que temer.
Lembre do grande ensinamento biblico
E isso não é algo nada mistico:
“Amai o proximo como a ti mesmo”.
Como amar o proximo se voce não ama ti mesmo?
Então lute contra o que te incomoda,
Vamos entrar juntos nessa grande moda.

André Zanarella 18-09-2012
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4458435

Tags: lute contra