Sêneca

251 - 275 do total de 353 pensamentos de Sêneca

Para Sêneca, viver sem usar a razão significa viver por impulso. Mas, para viver bem é
necessário viver virtuosamente, ou como disse, viver de acordo com o necessário. Exceder o
necessário significa cair na escravidão. Este texto propõe analisar as virtudes em Sêneca como
caminho e a própria felicidade.

Sêneca

Rir é correr risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.
Somente a pessoa que corre riscos é livre!

Sêneca
264 compartilhamentos

Não é porque as coisas são difíceis que a gente não arrisca, é por não arriscar que elas se tornam difíceis.

Sêneca

Não há vício que se não esconda atrás de boas razões; a princípio, todos são aparentemente modestos e aceitáveis, só que pouco a pouco vão-se expandindo. Não conseguirás pôr fim a um vício se deixares que ele se instale. Toda a paixão é ligeira de início; depois vai-se intensificando, e à medida que progride vai ganhando forças. É mais difícil libertarmo-nos de uma paixão do que impedir-lhe o acesso. Ninguém ignora que todas as paixões decorrem de uma tendência, por assim dizer, natural. A natureza confiou-nos a tarefa de cuidar de nós próprios, mas, se formos demasiado complacentes, o que era tendência torna-se vício.

Sêneca
12 compartilhamentos

Um homem que sofre antes do necessário, sofre mais que necessário.

Sêneca

Quem olha demais para as coisas dos outros não usufrui as próprias

Sêneca

Onde quer que haja um ser humano, haverá oportunidade para uma gentileza.

Sêneca

Todo espírito preocupado com o futuro é infeliz.

Sêneca

"Quem vive na tranquilidade, que seja mais ativo, quem vive na atividade, que encontre o equilíbrio. A Natureza te lembra todos os dias, que fez o dia e a noite".

Sêneca

O governo mais difícil é o governo de si mesmo.

Sêneca

Os olhos deixam de ver quando o coração deseja que sejam cegos.

Sêneca

Da mesma matéria

Passemos a outra questão: o modo de tratarmos com o nosso semelhante. Como devemos agir, que preceitos ministrar? Que não derramemos sangue humano? Ao nosso semelhante devemos fazer o bem: aconselhar a não lhe fazer mal, que ridículo! Até parece que encontrar algum homem que não seja uma fera para os outros já é coisa merecedora de encômios...
Vamos aconselhar a que se estenda a mão ao náufrago, se indique o caminho a quem anda perdido, se divida o pão com o esfomeado? Mas para que hei de eu enumerar todos os atos que devemos ou não devemos praticar quando posso numa só frase resumir todos os nossos deveres para com os outros? Tudo quanto vês, este espaço em que se contém o divino e o humano, é uno, e nós não somos senão os membros de um vasto corpo.
A natureza gerou-nos como uma só família, pois nos criou da mesma matéria e nos dará o mesmo destino; a natureza faz-nos sentir amor uns pelos outros, e aponta-nos a vida em sociedade. A natureza determinou tudo quanto é lícito e justo; pela própria lei da natureza, é mais terrível fazer o mal do que sofrê-lo; em obediência à natureza, as nossas mãos devem estar prontas a auxiliar quem delas necessite. Devemos ter gravado na alma, e sempre na ponta da língua, o verso famoso de Terêncio: “Sou homem, tudo quanto é humano me concerne!”.
Possuamos tudo em comunidade, uma vez que como comunidade fomos gerados. A sociedade humana assemelha-se em tudo a um arco abobadado: as pedras que, sozinhas, cairiam, sustentam-se mutuamente, e assim conseguem manter-se firmes!
(Sêneca, in Cartas a Lucílio)

Sêneca
1 compartilhamento

Nenhum homem é mais infeliz do aquele que nunca enfrentou a adversidade. Pois ele não está autorizado a provar a si mesmo.

Sêneca

Toda a vida é uma escravidão:
Estamos todos ligados à fortuna: para uns a cadeia é de ouro e frouxa, para outros é apertada e grosseira; mas que importa? Todos os homens participam do mesmo cativeiro, e aqueles que encadeiam os outros, não são menos algemados; pois tu não afirmarás, suponho eu, que os ferros são menos pesados quando levados no braço esquerdo. As honras prendem este, a riqueza aquele outro; este leva o peso de sua nobreza, aquele o de sua obscuridade; um curva a cabeça sob a tirania; a este sua permanência num lugar é imposta pelo exílio, àquele outro pelo sacerdócio. Toda a vida é uma escravidão. É preciso, pois, acostumar-se à sua condição, queixando-se o menos possível e não deixando escapar nenhuma das vantagens que ela possa oferecer: nenhum destino é tão insuportável que uma alma razoável não encontre qualquer coisa para consolo.”
(Da Tranquilidade da Alma)

Sêneca

Persuade-te, pois de que toda situação está sujeita a mudanças e de que tudo o que cai sobre os outros pode igualmente cair sobre ti.”

Sêneca

Tornamo-nos aquilo em que continuamente pensamos.

Sêneca

Virtude é domar aqueles diante dos quais os outros temem.

Sêneca

Quando penso em certas coisas que falei, tenho inveja dos mudos.

Sêneca
43 compartilhamentos

Dar conselhos a um homem culto é supérfluo; aconselhar um ignorante é inútil

Sêneca

Saber mais que os outros é fácil, difícil é saber melhor que os outros.

Sêneca
15 compartilhamentos

Perdemos o dia esperando a noite e perdemos a noite esperando o amanhecer.

Sêneca
13 compartilhamentos

Quando não sabemos a que porto estamos indo, qualquer vento é favorável.

Sêneca
Inserida por DavidFrancisco

Pobre não é quem tem pouco, mas quem muito deseja.

Sêneca

Quem é temido por muitos deve também temer a muitos.

Sêneca

A verdadeira felicidade é aproveitar o presente, sem dependência ansiosa sobre o futuro, não para nos divertimos com esperanças ou medos, mas para estarmos satisfeitos com o que temos, o que é suficiente para aquele que não quer nada. As maiores bênçãos da humanidade estão dentro de nós e ao nosso alcance. Um homem sábio está contente com sua sorte, seja ela qual for, sem desejar para o que ele não tem.

Sêneca