Friedrich Nietzsche

Friedrich Nietzsche

126 - 150 do total de 785 pensamentos de Friedrich Nietzsche

Quem só tem o espírito da história não compreendeu a lição da vida e tem sempre de retomá-la. É em ti mesmo que se coloca o enigma da existência: ninguém o pode resolver senão tu!

A vaidade dos outros só vai contra o nosso gosto quando vai contra a nossa vaidade.

É terrível morrer de sede no mar. Por que haveis então de salgar a vossa verdade de modo a que não mate já a sede?

Friedrich Nietzsche Além do bem e do mal. São Paulo: Companhia de Bolso, 2005.

Nos indivíduos, a loucura é algo raro – mas nos grupos, nos partidos, nos povos, nas épocas, é regra.

Friedrich Nietzsche Além do bem e do mal. São Paulo: Companhia de Bolso, 2005.

«O nosso próximo não é o nosso vizinho, mas o vizinho deste» - assim pensam todos os povos.

As próprias mulheres, no fundo de toda a sua vaidade pessoal, têm sempre um desprezo impessoal - pela mulher.

O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor.

Friedrich Nietzsche Assim Falou Zaratustra. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

Se não se tem um bom pai, é preciso arranjar um.

O amor por um só é uma barbaridade: porque se exerce à custa de todos os outros. O mesmo quanto ao amor por Deus.

Somos muito injustos com Deus. Nem sequer Lhe permitimos pecar.

A grandeza do homem consiste em que ele é uma ponte e não um fim; o que nos pode agradar no homem é ele ser transição e queda.

Friedrich Nietzsche Assim Falou Zaratustra. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

A ideia do suicídio é uma grande consolação: ajuda a suportar muitas noites más.

Friedrich Nietzsche Para Além do Bem e do Mal

Quem atinge o seu ideal, ultrapassa-o precisamente por isso.

Sem a música a vida seria um erro.

Friedrich Nietzsche Crepúsculo dos Ídolos. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

Em certas pessoas, o alegrar-se com um elogio é apenas uma delicadeza do coração - e precisamente o contrário de uma vaidade do espírito.

Há homens que nascem póstumos.

Friedrich Nietzsche O Anticristo. São Paulo: Editora Lafonte, 2019.

Nota: A citação também costuma ser erroneamente atribuída a Raul Seixas, que a escreveu no livro "O Baú do Raul" (2006) sem indicação da verdadeira autoria, que pertence a Nietzsche.

A sensualidade ultrapassa muitas vezes o crescimento do amor, de forma que a raiz permanece fraca e arranca-se facilmente.

Friedrich Nietzsche Para Além do Bem e do Mal

Os advogados de um criminoso só raras vezes são suficientemente artistas para aproveitar em favor do réu a terrível beleza do seu ato.

Onde amor e ódio não concorrem ao jogo, o jogo da mulher torna-se medíocre.

Apenas devia ser possuidor quem tem espírito: não sendo assim, a fortuna é um perigo público.

O sentido do trágico aumenta e diminui com a sensualidade.

O sucesso tem sido sempre um grande mentiroso.

Em homens duros a intimidade é questão de pudor - e algo de precioso.

Extingue-se o dia para todas as coisas, mesmo para as melhores; chega o crepúsculo.

E se um dia ou uma noite um demônio se esgueirasse em tua mais solitária solidão e te dissesse: "Esta vida, assim como tu a vives agora e como a viveste, terás de vivê-la ainda uma vez e ainda inúmeras vezes; e não haverá nela nada de novo, cada dor e cada prazer e cada pensamento e suspiro e tudo o que há de indizivelmente pequeno e de grande em tua vida há de retornar, e tudo na mesma ordem e seqüência - e do mesmo modo esta aranha e este luar entre as árvores, e do mesmo modo este instante e eu próprio.
A eterna ampulheta da existência será sempre virada outra vez - e tu com ela, poeirinha da poeira!" -

Não te lançarias ao chão e rangerias os dentes e amaldiçoarias o demônio que te falasse assim? Ou viveste alguma vez um instante descomunal, em que responderias: "Tu és um deus, e nunca ouvi nada mais divino!" Se esse pensamento adquirisse poder sobre ti, assim como tu és, ele te transformaria e talvez te triturasse; a pergunta, diante de tudo e de cada coisa:

"Quero isto ainda uma vez e ainda inúmeras vezes?"

Pesaria como o mais pesado dos pesos sobre teu agir! Ou então, como terias de ficar de bem contigo mesmo e com a vida, para não desejar nada mais do que essa última, eterna confirmação e chancela?