Antonio Montes

1 - 25 do total de 876 pensamentos de Antonio Montes

A morte é vida...
Quando a vida é sofrida

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

SEMÁFORO

Era sol e piscava
Quando o vermelho aflorou
passos contados passava.

Assovio da guarda
aroma do frenar na pista
gaiola, pássaros alpinistas

A rua parou no congestionamento
buraco de ozônio, sol de veneno.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

CATÁSTROFE

Uh... Que vento!
Desabou, pétalas e roupas
... Abriu cratera no matagal.

Tsunami?! Ai de mim...
passou por aqui assoviando, arame
e fez danuras no Haiti.

Derrubou casas, derribou famílias
semeou tristeza n'aquela ilha.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

DESEJO

São seu lábios, boca sua...
Que para mim, tanto quero!
Ah se eu pudesse...
sapecaria o beijo de desejo
que há muito anseio e venero.

Seu pudesse...
Mergulharia, n'essa fantasia
e nadaria nas águas desse sonho,
então... Eu sanava essa sede
essa vontade toda verde...
Plainaria nas asas desse sentimento
e desses desejos medonhos.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

SEM ANCORA

Na beira do cais...
Um olhar sem distancia
um navio sem ancora
... Atracam sob as asas da saudade
e voam sobre o ar,
da infinita esperança.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

FLECHA DO VENTO
O vento que por aqui passou
... Flechou saudades de ti
no alvo do meu amor.
Antonio montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

CHAVE MINHA
Minha chave, em minha mão
não cabe...
Mas a porta minha, ela abre
... Trincando e projetando,
os sonhos meus.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

MANOBRA DE FILA

Lá na fila de espera
uma senha, uma hera
a hora ali, sim impera
ao mando fiel da Era.

O tempo ali demora
e o soar do marcador
o esperado, apavora
com lagrimas, e suor.

Cara feias estão ao ar
do esquema poluído
ali acontece um piscar
do paixão desconhecido.

O desrespeito do esquema
que com grana, faz festa
contas do povo é tema
e flores em suas florestas.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

A ANCIÃ
Ah!
Esse abraço breve
tece me aquece.

Sentimentos leve
esfria esquenta
n'essa paixão que inventa.

A ânsia e a saudade
de um coração que arrebenta.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

OBLITERAR

Escorregou a taça da feição
o chão forrou-se de cacos do nosso amor
agora, é lagrimas, choro... E solidão.

Meu olhar?! há! Meu olhar...
o prisma esta difuso a sua imagem
nada! Nada sobrou d'aquele amar.

A noite sonho, e choro ao amanhecer
Não! Não sei quando vou esquecer você.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

VARIEGADO

Piui! Piui! Apito do trem
Pelos morros e as saudades...
Trazendo, felicidades de alguém.

Com braseiro e sua fumaça
nos sertões com seus vagões
e os corações cheios de graças.

O trem vêm, pelas serras, pelos túneis
trazendo a bela, e os sarcasmos dos imunes.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

NÃO CHORE POR MIM

Não chore por que morri!
Pois não poderei te ouvir
Nem tão pouco te conforta
Não chore porque já morto
Não poderei lhe abraçar
Nem nunca mais te dar conforto
Nem você me visualizar.


Fique também sabendo
Que perdera seu tempo
Se comigo vim sonhar.

Não chore porque teu choro
Não vai mais me comover
Não poderei ter dor, nem dó.
Nem sentir pena de você.

Não chore porque já morto
Não terei mais sentimento
Não posso enxugar tua lágrima
Nem ser mais o teu alento.

Não chore, pois em teu choro.
Não poderei te acompanhar
Também não sentirei mais pena
Nem nunca mais poderei Chorar.

Não chore nem tenha dó
De quem morreu te lembrando
Passe o tempo que passar
Saiba que morri te amando.

Não chore, pois nem toda lágrima.
Fará um dia eu voltar
Me, tenha apenas em lembranças.
E me guarde em teu sonhar.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

ABORTO

Sou filho de seus anseios
Que com beijos e afagos
Afegante de respiração
Colocou-me intenso
Bem perto do teu coração.

Tive a chance de uma vida
De ver a luz tão querida
Sem direito e sem sopro
E sem chance de nascer
Transformou-me em aborto.

Sem mãe e sem futuro abrigo
Tive a chance de ser filho
Quem sabe ser professor
Que sem me deixar viver
Tirou-me mesmo sem dor.

Poderia também ser doutor
E viver para salvar
Mas sem direito de vir ao mundo
Com um antídoto qualquer
O que fez, foi me tirar.

Se todas as mães do mundo
Pensassem assim por segundo
O que seria do criador
Hoje não existia vida
E nem Cristo redentor

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

SOU POEMA

Sou poema, sou amor...
Sou rascunho interno da alma
Expressão integra do sentimental
Lagrimas de puro fervor
Sou deserto comunidade, capital.

Sou poema, sou amor...
Sou a lagrimar no rosto inocente
O pólen da flor o pulsar do coração
O gesto do lábio o tic, tác do momento
O chilrear do vento sobre o tempo
O chorar da solidão... A paixão.

Sou poema, sou amor...
Sou o semear da harmonia
O romper e o entardecer do dia
As ondas ao morrer na praia
O peixe a rabanar no ar
Sou o falar a expressão o gargalhar.

Sou poema, sou amor...
Sou partículas da natureza
Expressão real do momento
Um grito que sai do intimo
Notas brotadas sobre um tempo
Sorriso a plainar sobre o vento
Cifras do som do arpoador.

Sou poema, sou amor...
Eu sou o carreiro com a poeira
O berrante do boiadeiro
O menino, moeda, chuva a lama
O grito a porteira, moça a janela
A tranquilidade um repousar na cama
O segredo guardado na algibeira.

Sou poema, sou amor...
Sou musica que acalenta os anjos
As rugas que demarcam o rosto
Timbre da paz sobre o mundo
Os sentidos de todos os gostos
Eco da expansão da alegria
Esperança de um vagabundo
Sou astral que eleva os dias.

Sou poema, sou amor...
Sou a beleza da natureza
A serenidade de um olhar
A discrição esbouçada da pétala
O farfalhar de um sonho na noite
O açoite da mimica no jardim
A algazarra alada dos pássaros
As dores do principio ao fim.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes
1 compartilhamento

A PÁLIDA CANOA

Com vento em popa
lá vai à canoa
maré na calmaria
ondas sobre a proa.

O bico, vai às águas
sem sede pra encher
canoa, alguém paga...
Pra andar com você?

Quando criança; andei
com medo no ar
de não cair nas águas
para não se afogar.

A canoa esta pálida
de tanto navegar
já levou saudades
para o lado de lá.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

CACOS

Em meio a cacos de vidros
vejo sangrar nosso amor
que despencou com apelido
misturado-se, a tanta dor.

O sangue esta pelo chão
espalhado n'essa saudade
que invade meu coração
de tanta infelicidade.

Tento levantar, cortado
n' essa ingratidão sem fim
vejo rumos despedaçados
Deus! O que será de mim?

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

SUPRESSÃO

O dia se foi...
Se faz noite n'essa hora
e esse crepúsculo rosa, não demora.

Abraçaremos a esperança...
Na migalha do tempo, vamos sonhar?
Com a vinda do sol alvorecer, sorrir e amar.

O ontem, não roda mais moinho
e seus ventos perderam-se, em seu ninho.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

ANELAR

Era noite estrelada...
E a lua lá no céu, se fazia prata
a saudade em mim, era de ti e mais nada.

Eu? Eu caminhava pela orla desse amor
aplaudindo a esperança que nos carregava
feliz com seus abraços e seu sorriso em flor.

Sonhei alto e fiz piquenique nas nuvens
vaguei pelo espaço sideral o quanto pude.

Antonio montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

ÓBICE

O louco em passos tropos
sob paralelepípedos da avenida
arrastava pedaços da sua vida.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

VEXAR
Sede sem plano, anos
maltrato, danos em mão
seca infundada no sertão.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

SEMÁFORO
Era sol, vermelho aflorou
como pulsar de coração
deu a cor e parou.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

ADESÃO

Aquele pedaço do seu pão
o riso escondido no rosto
um simples aperto de mão
fazer? Então faça com gosto.

Divida aquilo que a ti sobra
com quem tem a precisão
olho grande, sim! Só engorda
as manobras árdua do cão.

Tem um peregrino na rua sua
que não pediu para ser pobre
e hoje... Só dorme no chão.

Não faça a ele vista grossa
nem míngüe esse seu coração
pois aquele pobre é seu irmão.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

DISCORRER

O que tem pra vida
assim toda ida...
A diva querida,
ou a época perdida?

A estrada do dia
aplicação do conceito
o viver na alegria
o sorrir com respeito.

o gargalhar do deboche
escorrego da rua
o fincar no enfoque
d'essa vida só sua.

O que tem para vida
que vai aonde quer
uma vida da vida
ou o feito que quer?

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

GALHOFA

Bola de meia
bate esta cheia
não póca com ar
nem pula na areia.

Tempo de outrora
com béti com taco
menino d'agora
não corre no saco.

Peteca de pena
voando no ar
em tarde serena
na rima a rimar.

Menina pequena
com cinco marias
pedras sem trena
na calma do dia.

Antonio Montes

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes

POPULAR

Uma lagrima no rosto
uma fome pede ajuda
o seu olhar de desgosto
é o mal gosto de Judá.

No lixo, mãos tremula
perambula o que comer
mal vistas em seu tema
odiadas por você.

uma lagrima pede alento
na mais cruel decepção
estenda sua mão ao tempo
tenha um pouco de paixão

Estique seus sentimento
que os santos, solidarão
não deixe, mal ventos
arrastar seu coração.

Antonio Montes
Inserida por Amontesfnunes