Textos Reflexivos para o Professor

Cerca de 5492 textos Reflexivos para o Professor

E agora, Professor?
E agora, Professora?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que você se deparou
Com tanta gente opressora?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que te fazem salvador
De uma triste realidade?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que esperam de você
Muito mais que capacidade?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Ensinará o conteúdo
A quem não quer aprender?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Já soube que o mundo todo
Depende muito de você?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que descobriu a utopia
Que é a pedagogia?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que aprendeu que a teoria
não serve para a prática?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que precisar educar mentes
E barrigas extremamente vazias?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que descobriu que outros
seu trabalho, melhor, faria?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que você não tem valor
E nem tão pouco o respeito?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que fará com tanta dor
E com tanta decepção?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que o ano não acabou
Mas, você se esgotou?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que mataram os seus sonhos
E te fizeram de vilão?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que descobriu que seus méritos
Não são mais que obrigação?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que colocaram na sua conta
Toda a deseducação?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Como ensinará o amor
Em meio ao caos e opressão?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que diminuíram o seu valor
E te juntaram com pá e vassoura?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que te culparam por toda
Falta de vontade e querer?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Que escancararam para todos
O quanto errado tu és?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
Vais apelar para o Senhor
Para a mamãe ou para o doutor?

E agora, Professor?
E agora, Professora?
E agora, Professor?
E agora, Professora?

PROFESSOR, eu desejo a você o salário de um deputado e o prestígio de um jogador de futebol!
Autor Desconhecido (Movimento Belém/PA Livre)

Já foi bem próximo disto, vivi esta época... se a população quiser voltará a ser!
No Japão o único profissional que não precisa abaixar-se para reverenciar o Imperador é o PROFESSOR, lá, eles entendem que sem PROFESSOR não haveria Imperador!
Aqui, um mecânico que se aposentou porque não tinha dedo vem a público dizer que se tornou Presidente SEM ESTUDO...
O gigantesco abismo que separa Japão e Brasil está nos ESTÍMULOS, nos EXEMPLOS, nas REFERÊNCIAS, daí, todo pilantra quer ser político e todo menino quer ser jogador de futebol!

FATO: a verdadeira REVOLUÇÃO de um povo começa com EDUCAÇÃO e ESTUDO/ENSINO, que são bem diferentes, uma aprendemos EM CASA com nossos familiares, com as pessoas próximas; a outra, aprendemos a todo momento e em qualquer lugar, inclusive numa ESCOLA!

PROFESSORES SEMPRE SERÃO AMEAÇAS PARA MAUS POLÍTICOS, por isto são DESVALORIZADOS, RELEGADOS AO LIMBO SOCIAL, podemos afirmar que toda sociedade que NÃO VALORIZA O PROFESSOR é CÚMPLICE dos POLÍTICOS MAL INTENCIONADOS que a administra!

É bem verdade que esta INVERSÃO DE VALORES não começou agora, tampouco com este senhor acima citado, perde-se no tempo este descaso com o País, é fruto de uma meticulosa articulação de "valorizar o que não tem valor" enquanto o que realmente vale é surrupiado ante os olhos desatentos da população (tal qual os mágicos procedem ao realizarem suas apresentações, chamando atenção do público para um lado/uma mão enquanto o truque é feito do outro lado/na outra mão), verdadeiros donos do PATRIMÔNIO chamado BRASIL!

AO PROFESSOR QUE NASCEU PARA SER PROFESSOR

Agradeço todos os dias ao destino, pela graça de ser educador. Arte-educador. Inserir-me nesse contexto como profissão me fez mais do que um profissional: alguém que se reconhece como quem nasceu para isso. Tenho, evidentemente, minhas angústias relacionadas a proventos, condições ideais de trabalho e as grandes dificuldades externas que acompanham nossos alunos até os espaços formais de aulas, oficinas e projetos educativos, tanto no conceito pedagógico, especificamente, quanto nos conceitos da arte e da cidadania.
Sou um professor que não dá nota. Que pode mudar, todos os dias, as estratégias para vender suas ideias e seduzir os alunos. Atraí-los para contextos mais prazerosos do que a obrigação de alcançar notas e pontos para passar de ano. Às vezes, adulá-los. Talvez por isso, eu não tenha nem condições de alcançar a grandeza dos esforços diários dos professores em disciplinas obrigatórias, que têm a dura missão de preparar pessoas para o mercado de trabalho. Para disputas mercadológicas e a sobrevivência em uma sociedade competitiva e cruel, devido à falta de espaço confortável para conquistas.
Não tenho a mínima condição de avaliar precisamente a realidade total das salas de aula, mas sempre que vejo um professor de pelo menos alguns anos de profissão, admiro-o profundamente por ter atravessado esses anos, diante do que vejo. São muitos e muitos os professores que portam condições plenas de abraçar profissões muito mais rentáveis, e o fariam competentemente, mas não fogem do que escolheram, porque seriam somente profissionais. E como nasceram para ser professores, não seriam felizes se não fossem profissionais e seres humanos, como tem que ser, mais do que ninguém, quem nasceu para ser professor.
Reitero, portanto, meu profundo respeito e minha admiração aos que trabalham com amor e sofrimento; com revolta e dedicação; com sorrisos muitas vezes salobros, porque se misturam ao pranto, mas logo se sobressaem, porque o amor ao que fazem tem sempre reserva de otimismo.
Ao mesmo tempo, meu desprezo profundo e a não admiração aos patrões da educação tanto particular quanto pública e aos cidadãos de má vontade responsáveis pelo sofrimento, a revolta e as lágrimas do professor que nasceu para ser professor.

⁠Professor semeador

A semente é lançada
Jogada
Cultivada
Rompe a terra da escuridão
Com mansidão no seu tempo
Trazendo flores e os frutos
Do conhecimento
Da paz e justiça social
Que pensa
Critica
Tranforna
É a liberdade da mente
Que percebe, quebra as correntes
e sente um novo amanhecer
Onde cada ser
Tem voz e vez
Valorize o professor
Precursor de um mundo possivel

Simples mortais...quem te disse, professor, que fostes tu a escolher sua "profissão"? Quem te disse que poderias, a partir de então, ter um dia sequer de sono tranquilo? Que serias invisível no meio da multidão... que te esquivarias, quando o peso da responsabilidade implorasse por ti? Que diante de uma multidão de vozes carentes e ouvidos moucos, teria que engolir o orgulho atravessado e estender a mão... Quem disse que tu escolheste isso, irmão? Alguém infinitamente maior olhaste do alto, com olhos marejados, e te deste o dom da entrega...da paternidade...do pastoril....da psicologia...e, principalmente (num país que te despreza tanto e, por isso mesmo, se torna também desprezível), o dom de economista.
Isso digo eu: Claudio Nunes...orgulhoso de ser professor de tantos, aluno de outros tantos, e uma criança brincalhona na matéria VIDA.

Diferença do professor e do mestre!
A conclusão que cheguei é que o mestre é um grande professor!
Porém aquele que transforma as suas dificuldades diárias em portas abertas para possibilidades, e ainda é capaz de mostrar como se faz ao seus seguidores, aquele que esta sempre buscando conhecimentos e aperfeiçoamentos,
podemos dizer que
isto é ( ÓMestre
o grande Professor ).
E se hoje seus alunos e seus colegas de profissão Ó seguem é porque foram colocados ao ensino de um: Gigantesco Mestre Professor, tatuado e amado por Deus !
Parabéns pelo seu dia!

Pelo Dia do Professor, desejo consignar
esta homenagem para uma professora
que foi marco importante em minha vida.
Profª Rosina Pastore, receba este meu preito de gratidão.
Osculos e amplexos,
Marcial
Reprisando, pois esta homenagem faço questão
de prestá-la todos os anos no Dia do Professor.

MINHA PROFESSORA INESQUECÍVEL
Marcial Salaverry


Durante toda nossa existência sempre encontramos pessoas que de uma maneira ou de outra marcaram nossa vida.
Algumas por terem sido aquele alguém que julgávamos ser quem amaríamos até o fim, mas que foram apenas breves episódios, e mesmo assim, deixaram marcas realmente marcantes. Outras, que por nos terem prestado alguma ajuda decisiva em certos momentos de nossa vida, ficaram para sempre registradas em nossa memória naquela cantinho das boas recordações.
Certamente houve algumas que nos fizeram algum mal, prejudicando nossa vida de uma forma qualquer. Quanto a essas, melhor esquece-las, porque não vale a pena rememorar certas personagens desagradáveis. Más lembranças, com certeza melhor olvidá-las ...
Obviamente cruzei com todo tipo de pessoas em minha vida. De muitas, sequer recordo. Para que? Talvez para lembrar de algo a nunca ser repetido, ou sequer recordado...
Contudo, de muitas outras, guardo lembranças muito agradáveis. São o que se pode chamar de "Tipos Inesquecíveis". Dentre essas, quero destacar uma figura, que posso dizer sem ferir quaisquer suscetibilidades, ter sido a grande responsável por eu ser hoje quem sou, e desejo prestar-lhe esta homenagem. Peço que me entendam.
Seu nome é Rosina Pastore.
Foi minha professora no então "Quarto Ano Primário", e depois no "Curso de Admissão ao Ginásio". Anos de 1950 e 1951. Uma fase muito turbulenta de minha vida.
Por razões que não vale a pena lembrar, minha família estava desagregada. Cada qual estava por um lado. Morava com minha mãe e uma irmã 2 anos mais velha, num quarto de pensão na Rua Martim Francisco, em São Paulo, e estudava no Grupo Escolar Arthur Guimarães, na Rua Jaguaribe. Eu fazia parte de uma turminha "da pesada", com tudo encaminhado para cair na marginalidade. Como sempre fui grande e bom de briga, era o líder de uma turminha de micromarginais. Entre outras façanhas, costumávamos praticar pequenos roubos nas lojas do Largo do Arouche e adjacências.
Numa dessas incursões, Dna. Rosina nos viu e, usando de sua autoridade, convenceu-nos a devolver as coisas para o lojista, e resolveu iniciar um longo trabalho comigo, por ter acreditado que meu futuro poderia ser bem melhor do que aquele que se estava delineando.
Jamais poderei esquecer as conversas que ela fazia questão de manter comigo após as aulas...
Foi essa a condição para não me expulsar da escola pelo que eu vinha fazendo. Nessas conversas, ela me mostrava a diferença entre ser uma pessoa de bem, e ser um malandro otário.
Fez-me entender que as possibilidades que se abririam com minha mudança de atitude, poderiam me proporcionar um futuro melhor.
Teve, enfim, toda a paciência e discernimento para me explicar uma série de coisas, dando-me lições de vida que jamais esqueci, cumprindo com sabedoria enorme o que ela resolveu se propor, ou seja, transformar-me em alguém na vida.
Aproveitei todos os seus ensinamentos. Devo a ela ser o que sou, pois naquela época, não poderia contar com minha família. Praticamente vivia por minha conta. Já estava pensando em parar com os estudos para ficar apenas "com a turminha". Num ligeiro preâmbulo, apenas acrescento que nenhum daqueles rapazes escapou. Todos viraram bandidos. Possivelmente esse seria meu caminho, não fosse a paciência e pertinácia de Dna. Rosina Pastore.
Jamais esquecerei sua figura, seu rosto doce e severo ao mesmo tempo, e nem tampouco de seus ensinamentos, e aproveito esta oportunidade para aqui render meu preito de homenagem a ela, e através dela a todos os professores e professoras que sempre procuram suprir junto aos alunos em que percebem algum potencial, as carências familiares, que por uma razão ou outra quase todas as crianças sentem, e que a sensibilidade e o carinho com que forem orientadas poderá traçar novos rumos em sua vida.
E se, por acaso, algum descendente da mestra Rosina Pastore, ler este artigo, apenas digo que sinta muito orgulho dessa figura para mim INESQUECÍVEL. Obrigado, querida Professora Dna. Rosina Pastore.
Aos abnegados professores, meu desejo de UM LINDO DIA.

Certo dia,uma professor antigo fora ser tutor de um grupo de alunos.
Um profissional reconhecido temido por sua fama de exigente.
Mas um aluno inconformado e questionador percebeu que não era fama era fato. Pois havia constado que era falta de educação em sua fama de exigente.
Tal como cobrou que fosse tratado com respeito.
Mediante a isso surgiu a amabilidade do mestre com os demais e a rejeição do inconformado. Aquele mestre com o grupo passam a denegri lo repudia lo; canuliando,invertendo a situação.
Ressaltando que fora indisciplinado e desrespeitoso em sua conduta.
Indagou o aluno em si mesmo...
Pois é esta forma de ensino que saem os profissionais?
Se aliam ao mais forte por medo de punições.
Pense nisso...
O que você tem ensinado?
O que vem aprendendo?
Você pode ser o mestre de alguém!
É preciso remar contra maré.
Sempre!!!

O maior papel do professor talvez seja o de orientação; afinal, como dizia Sócrates, as pessoas são capazes de aprenderem por si mesmas...

Entretanto, por mais que o professor se dedique integralmente ao processo de ensino, nem sempre o aluno consegue alcançar resultados satisfatórios. O dedicado professor que assume parte da culpa, por resultados aquém do esperado, demonstra compreender que seu real compromisso é com o aprendizado do aluno. Assim, motivar, compreender as limitações e, muitas vezes, os traumas dos alunos são papéis igualmente importantes...

Feliz Dia do Professor!
Parabenizo os profissionais que formam nossos profissionais! Parabenizo essa profissão que se torna cada dia mais importante, mais difícil, mais escassa, e infelizmente menos valorizada.
Considero essa uma das mais importantes áreas de atuação que o ser humano pode ter o dom de exercer. Merecem nossos parabéns todos os dias e pra sempre! Vocês são insubstituíveis!

Professor,
Aquele profissional que dedica quase um tempo integral para sua formação e polivalência.
O mediador da sua arte para um ensino mais significativo e lúdico no processo de aprendizagem e desenvolvimento integral dos alunos.
O principal formador de todos os profissionais.
Despertador da paixão dos alunos pelos estudos e do amor pelo saber!

O Professor Inesquecível



Lembro perfeitamente quando sua presença foi notada na escola.
Um pouco depois lá estava, adentrando e comprimentando a nossa
turma.
Era alto e simpático...
Sua voz fazia eco no silêncio da sala. Isto ele logo conquistou, porque nas outras aulas existia um barulho incrível.
Os conteúdos que desenvolvia, com facilidade conseguiam a nossa assimilação e os resultados obtidos no final de cada teste, eram impressionantes.
Fazia jogos. A gente procurava não perder a sua aula, tal era a vibração.
De repente, lá não estava o professor, era amigo cooperador.
Permeava com alguma anedota ou um de seus comentários inteligentes e engraçados.
Foi assim que ele conseguiu marcar a sua trajetória em nossa caminhada.
E eu nunca mais o esqueci...

Hoje é o Dia do Professor


Homenagens na verdade,
o professor bem merece.
Jorrando criatividade
ele também se entristece.
É o drama do educador
onde a família se alheia.
Dando instruções e amor,
incentiva-o no que anseia:
A escola valorizada,
de fé e colaboradores,
o sucesso na empreitada,
por vencimentos melhores.
Resta ao mestre o brilhantismo,
o que o tem iluminado,
fazendo-o achar mecanismo,
equilíbrios desejados.
SALVE ESTE EDUCADOR!
Sua ação com maestria,
o espírito criador
resultando em harmonia.

Quando o professor diz: Vamos ter uma atividade avaliativa?
logo os alunos pensam: Vale ponto!
Mas nunca pensa dessa forma: É serei avaliado.
Será que os alunos de escolas e outras instituições estão frequentando-as para obter pontos ou conhecimento e bons resultados?
Há mais, se tirou uma boa nota, aprendeu. Nem sempre!!

Batatas!
Um professor pediu aos alunos que levassem batatas e uma bolsa plástica para a aula. Pediu então, que separassem uma batata para cada pessoa de quem sentiam mágoas e as colocassem dentro da bolsa.Algumas bolsas ficarm muito pesadas e, durante uma semana, eles teriam que carregá-las assim mesmo, o tempo todo. Naturalmente, as batatas foram se deteriorando com o tempo. O incômodo de carregar a bolsa mostrava-lhes o tamanho do peso espiritual causado pela mágoa.

Além disso, por terem que colocar a atenção na bolsa para não esquecê-la em nenhum lugar, os alunos deixavam de reparar em outras coisas importantes.
Este é o preço que se paga para manter a dor e a negatividade.

Quando damos importância aos problemas, ficamos cheios de mágoa e raiva. Perdoar é deixar os maus sentimentos irem embora, é a única forma de trazer de volta a paz e a calma. Portanto..
jogue fora suas batatas."

Um professor trouxe balões e deu um a cada aluno no salão. Ordenou que escrevessem seus nomes, deixou-os no chão e tirou os alunos. Depois disse-lhes: "Eles têm 5 minutos para encontrarem os balões com os seus próprios nomes". Os alunos entraram e enquanto cada um procurava o seu nome acabaram os 5 minutos. Ninguém conseguiu encontrar o seu.

Mais tarde disse-lhes: "Agora cada um pegue qualquer balão e entregue-o ao dono". Em um minuto todos os alunos tinham seus próprios balões!!

Disse o professor: " Os balões são a felicidade. Ninguém vai encontrá-la procurando a sua própria sem se importar com a de mais ninguém. Temos que dar aos outros para recebê-la!"

Aprenda a fazer o bem sem esperar nada em troca, porque outro vai te devolver em algum momento!

⁠Dia do Coordenador Pedagógico

Na escola ela veio pra somar,
Ao professor está sempre a ajudar,
Com o olhar cuidadoso e criterioso
Aos alunos está a observar,
Para que eles tenham
Boas notas sem desanimar.
Quando necessário ela chama atenção,
Pensando no bem de um futuro
Bom cidadão.

15 de outubro, o calendário sinaliza que é Dia do Professor! Essa missão tão nobre e tão digna (sem desmerecer tantas outras) mas tão espinhosa, difícil, e no atual contexto muito desvalorizada! Ao professor não lhe é concedido o devido Respeito nem os devidos Direitos. Hoje, mais do que nunca é muito fácil "cortar-se" direitos dos professores. Direitos adquiridos ao longo de mais de dez anos são extintos com um simples ato de governantes que se julgam "semideuses"! Os discursos utilizados em "Campanhas eleitorais" viram fumaça, evaporam quando determinadas autoridades assumem o poder.

Ao professor cabe as cobranças da família e da sociedade no tocante à educação dos filhos, e a culpa pela educação de baixa ou de má qualidade que é oferecida à maioria dos estudantes deste país...
Mas, e aos filhos-alunos que saciam ou pelo menos deveriam saciar sua fome e sede de saber, de conhecimento, nessa fonte que é e será sempre o professor, o orientador e facilitador da aprendizagem daqueles que querem realmente aprender. A eles não se cobra, não se exige que respeite os professores e a escola em sua totalidade ou se são cobrados, se acham no direito de não obedecer a seus pais e responsáveis. A esses, temos a impressão que não se cobra nada! Apenas lhes garantem direitos!!!...

Penso que diante das atuais circunstâncias, cabe a toda sociedade direcionar um novo olhar, um novo jeito de ver, de enxergar além de nossas retinas cansadas e habituadas a olhar sempre as mesmas coisas. Talvez, esta seja a hora de examinarmos nossos discursos repetitivos, e as nossas práticas (também repetitivas), o nosso papel como profissionais, como família, Autoridades, enfim toda sociedade. Quem sabe, incorporando novas atitudes e demonstrando nosso compromisso com a educação teremos a educação que queremos para nossos filhos, nossos netos e todos os filhos do Brasil que dependem das escolas públicas para poder sonhar e buscar um futuro diferente daquele que seu pais tiveram!

Foi-se o tempo em que o professor ou diretor repreendia ou chamava atenção do aluno sem se preocupar com a questão da segurança. Pedir com educação, com delicadeza para o aluno entrar na sala de aula ou pedir que ele não atrapalhe as aulas, muitas vezes é entendido de forma equivocada, errada, é como se o professor ou diretor estivesse ali "cometendo um crime" contra tais alunos. Isso é muito grave, e tem gerado muitas discussões desagradáveis entre escola, aluno e familiares, e até ameaças à integridade física desses profissionais. Temos mesmo que lamentar que as coisas tenham chegado a esse ponto ou nível absurdo!

Ser professor na atual sociedade onde muitos papéis estão invertidos, é ser "sofressor" como fala um colega de profissão. Significa pagar um preço bastante alto no que diz respeito à saúde, à integridade física e à própria qualidade de vida. Longe de nós pensarmos que estamos vivendo a era da decadência na educação! Ou será que estamos???... Uma verdade vista por todos nós é que há dias vivemos a chamada inversão de valores. As famílias já não conseguem mais repassar para seus filhos os valores morais, sociais e, espirituais (nesses nem se fala) para seus filhos. O que mais me entristece é saber que pais e mães tem medo de falar com os filhos, de repreendê-los, de dá um conselho. Nesses casos, os pais agem ou melhor não agem, eles se "refugiam" na pele de "filhos"! Que tristeza e que vergonha!!!

Hoje, é muito difícil um aluno agradecer ao professor. Nas relações frias de hoje, o aluno pensa que o professor está ali apenas por ser seu ofício... uma obrigação.

O verdadeiro professor está lá porque tem vocação e, no mínimo, acredita que pode mudar a formação de seus alunos para melhor. Transforma sua experiência em aulas e as associa à teoria para que o aluno tenha as ferramentas necessárias para o mercado.
É lógico que o professor espera uma contrapartida dos alunos. Essa não se traduz apenas na atenção, na frequência as aulas e na participação ativa (isso é BÁSICO). O aluno deve evoluir nas teses, pescar no seu conhecimento anterior, correlacionar, investigar mais e inferir suas próprias conclusões, antes, durante e após as aulas.
Não quero ser e não serei um aprovador, quero contribuir com o crescimento e a evolução. Quem deve demonstrar se está pronto para o próximo passo é o aluno.
Quero ser um incentivador, quero me orgulhar, quero parabenizar o aluno que vence suas batalhas pessoais e vencem na vida. Acredite. Se este caminho é o que você quer, se aplique, estude e, quando você menos esperar, vencerá. E eu verei você lá e vou me orgulhar, me agradeça ou não.
O professor verdadeiro sabe e dorme com a cabeça tranquila pois faz seu papel com muita honra.
Aos meus ex-professores, muito obrigado. Enquanto aluno sempre externei meu respeito, admiração e meu agradecimento aos mestres.

Aos meus ex-alunos, obrigado. Cresci junto com vocês. Aos atuais, vamos à luta e saibam que o beneficio maior é para sua vida, para segurança da sociedade, pelo bem de todos, pela ética e pela responsabilidade social e ambiental.

Quando um professor olha para uma sala de aula cheia, ele enxerga um universo de possibilidades.
São vários planetas que giram de forma diferente, com seu jeito ÚNICO.
Para entender sobre esse matéria exige muito amor, empatia e persistência.
Parabéns a todos professores que enxergam as diferenças como desafios e não obstácuos.