Sonetos

Cerca de 318 frases e pensamentos: Sonetos

SONETO LXXXVIII

Quando me tratas mau e, desprezado,
Sinto que o meu valor vês com desdém,
Lutando contra mim, fico a teu lado
E, inda perjuro, provo que és um bem.
Conhecendo melhor meus próprios erros,
A te apoiar te ponho a par da história
De ocultas faltas, onde estou enfermo;
Então, ao me perder, tens toda a glória.
Mas lucro também tiro desse ofício:
Curvando sobre ti amor tamanho,
Mal que me faço me traz benefício,
Pois o que ganhas duas vezes ganho.
Assim é o meu amor e a ti o reporto:
Por ti todas as culpas eu suporto.

William Shakespeare
3.3 mil compartilhamentos

SONETO CV

Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.
É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.
'Beleza, Bem, Verdade', eis o que exprimo;
'Beleza, Bem, Verdade', todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,
Em um, três temas, de amplo movimento.
'Beleza, Bem, Verdade' sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.

William Shakespeare
8.5 mil compartilhamentos

SONETO LXV
Se a morte predomina na bravura
Do bronze, pedra, terra e imenso mar,
Pode sobreviver a formosura,
Tendo da flor a força a devastar?
Como pode o aroma do verão
Deter o forte assédio destes dias,
Se portas de aço e duras rochas não
Podem vencer do Tempo a tirania?
Onde ocultar - meditação atroz -
O ouro que o Tempo quer em sua arca?
Que mão pode deter seu pé veloz,
Ou que beleza o Tempo não demarca?
Nenhuma! A menos que este meu amor
Em negra tinta guarde o seu fulgor.

William Shakespeare
536 compartilhamentos

~ Soneto 18 ~

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

William Shakespeare
2.4 mil compartilhamentos

SONETO LXX
Se te censuram, não é teu defeito,
Porque a injúria os mais belos pretende;
Da graça o ornamento é vão, suspeito,
Corvo a sujar o céu que mais esplende.
Enquanto fores bom, a injúria prova
Que tens valor, que o tempo te venera,
Pois o Verme na flor gozo renova,
E em ti irrompe a mais pura primavera.
Da infância os maus tempos pular soubeste,
Vencendo o assalto ou do assalto distante;
Mas não penses achar vantagem neste
Fado, que a inveja alarga, é incessante.
Se a ti nada demanda de suspeita,
És reino a que o coração se sujeita.

William Shakespeare
540 compartilhamentos

~ Soneto 30 ~

Quando à corte silente do pensar
Eu convoco as lembranças do passado,
Suspiro pelo que ontem fui buscar,
Chorando o tempo já desperdiçado,

Afogo olhar em lágrima, tão rara,
Por amigos que a morte anoiteceu;
Pranteio dor que o amor já superara,
Deplorando o que desapareceu.

Posso então lastimar o erro esquecido,
E de tais penas recontar as sagas,
Chorando o já chorado e já sofrido,

Tornando a pagar contas todas pagas.
Mas, amigo, se em ti penso um momento,
Vão-se as perdas e acaba o sofrimento

William Shakespeare
813 compartilhamentos

Altas e baixos no amor


Era um tempo de máscaras nos olhos,
de palavras tristes e sonetos escuros.
De sonhos abalados,
mais de um amor tão puro.

Como era bom poder amar,
assim eu ocultava um pouco a dor
e deixava o amor me tocar,
era como se eu pudesse voar.

Dei espaço em meu coração,
onde só cabia dor. Tirei a faca
que um dia "voce" me enfiou.

E agora, começo á te olhar diferente,
não mais com mágoas, e dor.
Porque sei que voce mudou.
Agora começo a te olhar com amor,
porque foi assim que voce me conquistou.

Pâmella Ferracini
4 compartilhamentos

Eu queria ser Vinícius

Com a inspiração do haver,
Poemas, sonetos e baladas
E sem nunca perder o tom
Falando sobre idílios e exegeses,
Fazendo samba, falando de amor
Com toda a antologia poética
Pela luz dos olhos teus
Me entrego ao amor total
E de te amar assim, muito e amiúde
Vivo a conjugação da ausente.
Ah, se todas fossem iguais a você...
Te busco sempre e tanto,
Para viver sob os teus auspícios,
E, de repente, não mais que de repente,
Eu queria ser Vinícius

Vinícius veloso
3 compartilhamentos

Escolhas?

Soweto?
Sonetos?
Só netos?

Francismar Prestes Leal
2 compartilhamentos

Sonetos

I

A meu pai doente

Para onde fores, Pai, para onde fores,
Irei também, trilhando as mesmas ruas...
Tu, para amenizar as dores tuas,
Eu, para amenizar as minhas dores!

Que coisa triste! O campo tão sem flores,
E eu tão sem crença e as árvores tão nuas
E tu, gemendo, e o horror de nossas duas
Mágoas crescendo e se fazendo horrores!

Magoaram-te, meu Pai?! Que mão sombria,
Indiferente aos mil tormentos teus
De assim magoar-te sem pesar havia?!

— Seria a mão de Deus?! Mas Deus enfim
É bom, é justo, e sendo justo, Deus,
Deus não havia de magoar-te assim!

Augusto dos Anjos
2 compartilhamentos

"Quando meu corpo cala
E minha alma fala
Ah!Meu coração a ti declara
Entre poesias e sonetos dispara!
Ouça... sinta!
Por ti ele não para, pura emoção!"

Alessandra Monteiro
Inserida por AleS2Monteiro
1 compartilhamento

SONETOS PERVERSOS

Enquanto escrevo meus silêncios, mastigo
as angústias que esmoam os meus versos
desnudando cada face dos meus anversos
em espavento diversos e um tanto ambíguo

Traz paz e inquietação, e alguns reversos
camuflando a escuridão num manto amigo
criando uma solidão que conversa comigo
dos penares e ledices no viver dispersos

A poesia enflora e a ela o prazer bendigo
no ermo do âmago, dos sonhos submersos
e assim, vou metamorfoseado num abrigo

E nesta tal plenitude dos meus universos
a quietude em constância como castigo
feri a lira do poeta em sonetos perversos

Luciano Spagnol
Julho de 2016
Cerrado goiano

Poeta mineiro do cerrado - LUCIANO SPAGNOL
Inserida por LucianoSpagnol
1 compartilhamento

Que me levem as pedras.
Que em mim,
fiquem somente sonetos e sonhos.

Leônia Teixeira
Inserida por LeoniaTeixeira
1 compartilhamento

SEGREDO

Procuro-te nas sombras
Nos sonetos do teu corpo
Entre o mel da tua boca
Afago de beijos loucos
Enlouqueço no teu corpo
Onde padeço de desejo
Estremeço só de pensar
Adoeço a alma sem ver-te
No teu corpo onde deliro
Sem medo do meu pecado
Entrego-me aos impulsos
Os meus olhos revelam-te
Todo o desejo escondido
Sem sensatez entrego-me
A ti desta louca loucura
Nesta destemida aventura
Deste segredo tão só nosso.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
1 compartilhamento

Procuro-te nas sombras
Nos sonetos do teu corpo
Entre o mel da tua boca

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
1 compartilhamento

Que a melodia seja capaz de servir de inspiração para novos sonetos e outras belas composições.
Que a voz passe de pequenas balbucias e continue saindo da boca como música, cuja canção motiva e domina todas as feras.
Que os anos passe, passe pelas pequenas multidões e as saúdam com toda sinceridade.
Talvez adiante os pássaros voltem a bater suas asas e voltem a alçar novos voos.
Então ainda assim haverá glória, obstáculos e muitos campeões.
O tempo então se diz amigo da verdade, ouve a música e se faz sábio.
Passa mas detém da palavra, do conhecimento e de todo o talento .
Embora esse desejo fervescente seja apenas palavras que cintilam na mente.
Imagino algures, então o tempo se abre novamente lá fora, para que crie planos e viva mais trezentos anos.

Rinaldo José
Inserida por rinaldojose

Crimes passionais
Os verdadeiros crimes passionais são os sonetos de amor.

( in: Da Preguiça como Método de Trabalho, 1987.)

Mario Quintana
Inserida por portalraizes

Sonetos

passaste como a estrela matutina
Da vida so viveste aquela hora
Em que a existencia em flor luz sem neblina.

Ver-te e Perder-te!De tão triste sina
Não passa a magoa em mim,antes piora
Sem ver-te ja, minha'alma ainda te adora
Em trste culto que a saudade ensina

Não vivo aqui,a vida em ti so ponho,
Na fé,de cristo filha,a dor abrigo
Futuro em ti no céu vejo risonho!

Neste mundo,meu mundo é teu jazigo;
Dizem que a vida é triste e falaz sonho;
se é sonho a vida,sonharei contigo

José maria amaral
Inserida por taynaguedes
1 compartilhamento

Tinha um silêncio que gritava sonetos mudos e ecoava pelos varais da noite.
Banalizou a voz, mas falava desesperadamente com os olhos que, lacrimejavam sonhos e aquele sorriso que a boca entorpeceu fazendo carinho na alma até que, não tinha mais o que dizer...
Só sentir o que vinha de encontro com a nudez de suas amarras!

Simone Resende
Inserida por SiResende
1 compartilhamento

Tentei ser poeta de finas palavras e sonetos
Ouvir inspirações da alma,
Projetadas em alegrias e tristezas
Rimas frustradas e rabiscos insólidos
Poesias cantadas com soar de paixão
Porém, só consegui provocar o amor
Quando fui realmente simples e direto ao dizer-te:
Amo você!

Eduardo Aques
Inserida por EduardoAques
1 compartilhamento