Poesias Antigas

Cerca de 31 poesias Antigas

Não, Tempo, não zombarás de minhas mudanças!
As pirâmides que novamente construíste
Não me parecem novas, nem estranhas;
Apenas as mesmas com novas vestimentas.

William Shakespeare
1.3 mil compartilhamentos

SONETO LXV
Se a morte predomina na bravura
Do bronze, pedra, terra e imenso mar,
Pode sobreviver a formosura,
Tendo da flor a força a devastar?
Como pode o aroma do verão
Deter o forte assédio destes dias,
Se portas de aço e duras rochas não
Podem vencer do Tempo a tirania?
Onde ocultar - meditação atroz -
O ouro que o Tempo quer em sua arca?
Que mão pode deter seu pé veloz,
Ou que beleza o Tempo não demarca?
Nenhuma! A menos que este meu amor
Em negra tinta guarde o seu fulgor.

William Shakespeare
588 compartilhamentos

Em tempo de paz convém ao homem serenidade e humildade; mas quando estoura a guerra deve agir como um tigre!

William Shakespeare
6.6 mil compartilhamentos

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

William Shakespeare
93 compartilhamentos

No mundo quis um tempo que se achasse
o bem que por acerto ou sorte vinha;
e, por experimentar que dita tinha,
quis que a Fortuna em mim se experimentasse.

Mas por que meu destino me mostrasse
que nem ter esperanças me convinha,
nunca nesta tão longa vida minha
cousa me deixou ver que desejasse.

Mudando andei costume, terra e estado,
por ver se se mudava a sorte dura;
a vida pus nas mãos de um leve lenho.

Mas (segundo o que o Céu me tem mostrado)
já sei que deste meu buscar ventura,
achado tenho já, que não a tenho.

Luís de Camões
28 compartilhamentos

"A premência do tempo ajeita muitas coisas a seus desígnios, decidindo, por vezes, no momento mais grave, o que um processo interminável não pudera fazê-lo."

William Shakespeare
10 compartilhamentos

"(...) Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. (...)"

William Shakespeare
37 compartilhamentos

SONETO 3

Mira no espelho e descreve o rosto que vês;
Agora é o tempo em que a face deve mudar,
Cujos reparos não tenhas logo renovado,
Terás enganado o mundo, à revelia de tua mãe.
Onde está a bela, cujo ventre não semeado
Desdenha o cultivo de teus cuidados?
Ou de quem será a tumba de um ser tão cioso
De seu amor-próprio para negar a posteridade?
És o espelho de tua mãe, e tua semelhança
Recorda os adoráveis dias de sua primavera;
Então, pela tua idade, poderás ver,
Apesar das rugas, o teu tempo áureo;
Mas se vives para não seres lembrado,
Jamais te cases, e tua imagem fenecerá contigo.

William Shakespeare
Inserida por DavidFrancisco

Descrevo que era Realmente Naquele Tempo a Cidade da Bahia

A cada canto um grande conselheiro,
que nos quer governar cabana, e vinha,
não sabem governar sua cozinha,
e podem governar o mundo inteiro.

Em cada porta um freqüentado olheiro,
que a vida do vizinho, e da vizinha
pesquisa, escuta, espreita, e esquadrinha,
para a levar à Praça, e ao Terreiro.

Muitos mulatos desavergonhados,
trazidos pelos pés os homens nobres,
posta nas palmas toda a picardia.

Estupendas usuras nos mercados,
todos, os que não furtam, muito pobres,
e eis aqui a cidade da Bahia.

Gregório de Matos
117 compartilhamentos

Amor que é amor não se transforma
porem durante o tempo se dilata!
Se isso for um erro ou meu engano
for provado, eu jamais terei escrito
ou alguem terá amado !

William Shakespeare
24 compartilhamentos

Que Amor Fez sem Remédio, o Tempo, os Fados?

Depois de tantos dias mal gastados,
Depois de tantas noites mal dormidas,
Depois de tantas lágrimas vertidas,
Tantos suspiros vãos vãmente dados,

Como não sois vós já desenganados,
Desejos, que de cousas esquecidas
Quereis remediar mortais feridas,
Que amor fez sem remédio, o tempo, os Fados?

Se não tivéreis já longa exp'riência
Das sem-razões de Amor a quem servistes,
Fraqueza fora em vós a resistência.

Mas pois por vosso mal seus males vistes,
Que o tempo não curou, nem larga ausência,
Qual bem dele esperais, desejos tristes?

Luís de Camões
26 compartilhamentos

Coitado! que em um tempo choro e rio

Coitado! que em um tempo choro e rio;
Espero e temo, quero e aborreço;
Juntamente me alegro e entristeço;
Du~a cousa confio e desconfio.

Voo sem asas; estou cego e guio;
E no que valho mais menos mereço.
Calo e dou vozes, falo e emudeço,
Nada me contradiz, e eu aporfio.

Queria, se ser pudesse, o impossível;
Queria poder mudar-me e estar quedo;
Usar de liberdade e estar cativo;

Queria que visto fosse e invisível;
Queira desenredar-me e mais me enredo:
Tais os extremos em que triste vivo!

Luís de Camões
36 compartilhamentos

Aconteça o que acontecer, o tempo e as horas sempre chegam ao fim, mesmo do dia mais duro dentre todos os dias. (Macbeth)

William Shakespeare
47 compartilhamentos

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões
46 mil compartilhamentos

O tempo cobre o chão de verde manto, que já coberto de neve fria, e em mim converte em choro um doce canto. E afora este mudar-se a cada dia, outra mudança faz de mor espanto: Que não se muda já como soia.

Luís de Camões
25 compartilhamentos

Soneto 116

De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou.

William Shakespeare
7.5 mil compartilhamentos

~ Soneto 18 ~

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

William Shakespeare
2.8 mil compartilhamentos

É a certeza pouca que carrego comigo e sua temperança,
estão em cada dia depois da partida daquela terra esquecida.
Ele é a paisagem viva há 80 anos com sábia esperança,
das flores ocasionais de minha infância nunca enfraquecida.

Contra o perigo das íngremes escarpas nas curvas do tempo,
sempre com a determinação de fazer o bem até o fim dos dias,
impregnou-me nessa orquestração dos Deuses do firmamento.
Seus estilhaços agora repercutidos nesta insignificante poesia,

Não pretendo me aquilatar ao mais talentoso poeta que já viveu;
minha partitura é só essa vontade de afastar pranto e alegrar-me
à Brenno, está hoje decretado além do que Apolo já teve de Orpheu.

Quero ressaltar que é de sua natureza, irredutível doar-se tanto,
quando a inexperiência de minha jornada pôde impulsionar-me,
e que por todos os dias um pouco que seja, ele afastou todo pranto.

Virgílio Álvares da Silva

Foi assim. Te conheci e o caminho se bifurcou (sempre bifurca; a gente é que pouco nota). Fui seguindo caladão mas com meu sorriso largo, meio achando que não era, meio sem saber porque ia. Mas ia.....
Veio chuva, vento forte, subidas difíceis. Eu ia. O sol apareceu; o tempo se mostrou incrivelmente bom. Por muitos anos escutei essa gargalhada (parecia G. Rosa) da sorte me empurrando pro seu lado....
Sabendo hoje do que se trata (do amor e suas ambivalências...) e porque caminho no seu caminho, a estrada virou lugar, o seu chão, meu horizonte. E o que se bifurcava, agora é um só amor em nós...

Virgílio Álvares da Silva
Inserida por Virgilio_Silva

De uns anos pra cá aprendi que as coisas passam muito rápido, um dia esta tudo ótimo, no outro você não esta nada bem. Aprendi que quem quer ficar, fica. Sem desculpas, sem reticencias.
Aprendi também que as pessoas são muito rápidas em apontar nossos erros, sem lembrar todas as coisas boas que a gente já fez. Então aqui vai um conselho. Viva por você, fala por você. Não se preocupe se você não agradou alguém, quem realmente gosta de ti, vai estar do seu lado, não importa o que você esta passando, e são essas pessoas que você deve dar valor. Se a pessoa não sabe te valorizar e principalmente, valorizar o que sente, corte essa pessoa de sua vida e segue em frente. A vida não espera por ninguém.

Lucas Virgílio
Inserida por lucas_vergilio