Outono

Cerca de 764 frases e pensamentos: Outono

Enquanto meus dias sopram gelados e minha vida segue como uma folha no outono, não sinto nem mesmo a fome de meu estômago, apenas a necessidade do sono.

Pedro Gonçalves
Inserida por pedrogoncalves

A idéia da folha voltar para o galho,
Onde no real outono,
Elas são sufocadas para o chão,
É simplesmente a idéia mais linda do amor existente!

Júlia Demétrio
Inserida por Juliademetrio

" Amor de Outono"


Já tive amores
De todas as maneiras
Amores de Verão...
Quentes, impulsivos
Amores de Primavera...
Doces, romanticos, floridos
Amores de Inverno...
Aconchegantes, mas frios, racionais
Hoje quero um novo amor
Hoje quero um amor
Companheiro, calmo...
Que caminhe ao meu lado
Que contemple ,
O pôr do sol comigo
Que me dê a mão,
Para seguirmos na mesma direção
Que me faça segura,
E não me deixe escapar
Que me faça sentir amada
Que me faça rir
Que me faça chorar
Que me faça acreditar,
Em anjos, novamente
Que me faça duvidar,
Que tudo tem um fim...
Hoje eu quero um amor
De Outono
Quero um amor que
Junte todas as estações
Ou todos os amores...

Autora: Noemia

Noemia Peixoto
Inserida por NoemiaPeixoto

Algures na vida e no tempo,
encontramos e desenhamos Outono,
o “Nosso Jardim”… só nosso e do mundo...
- É o princípio de tudo! O mar e a serra,
num abraço, o vislumbrar da voz do vento,
o brilho da noite, os sons e o cheiro da alegria…
- O encanto da imagem, a cidade!
- A Lua está agora comigo, bem perto,
ela me conduz de um lado ao outro,
me fascina quando fala, me faz sonhar…
- Meu Deus, é hora! Porquê agora…
- Tenho de novo regressar ao oceano,
ele me chama… Eu quero, eu devo!
- A estrada que percorro, sempre…

afonso jarmin
Inserida por ivamix

Nós - pobres bichos indefesos

Era uma linda noite chuvosa
Outono...
Iniciou mais um ciclo
Noite de raios e trovões
Em meio ao mato
No campo
Sentados em redor da mesa...
Do centro
Estão dois grandes amigos
Os maiores vamos assim dizer
Tamanha é a compreensão
Tamanho é o conhecimento
Tamanha consideração
Entre um gole e outro
Uma tragada e outra
Olhares confundidos
Pensamentos desviados
Batalham por uma conclusão
Mas a vida não terá nunca uma conclusão
Será sempre um ciclo
Nasce, cresce, reproduz e morre
E morre tudo
E esse é o sentido de tudo também
Aí, param a pensar e pensar
Descobrem a chave de tantos mistérios
Tantos questionamentos
Meu santo bendito Jesus deus, deuses (seria bem mais interessante)
Seja lá qual for a crença
Quanto tempo falta para a unificação?
O centro de tudo mesmo
Acreditam profundamente
É o momento da união total
Homem, animal, crença, etnia
A união é igualdade
É amar independente do todo ou do resto
É trocar
É romper as barreiras
É pensar que os católicos querem a salvação
Nada que os ateus também não queiram
Salvação no sentido da libertação
Então não venham com o discurso da maçã que fulano comeu
O ser humano sempre se deturpou
E também sempre culpou um alguém
Com o fulano foi a serpente, a Eva... ??????
E com a gente é a sociedade, o governo, os políticos, o vizinho, o amigo, a família
E nós?
Pobres bichos indefesos e sempre iludidos inocentes!

Particularmente fiquei admirada quando escrevi Jesus com letra minúscula no Word e ele grifou... senhor(ele não grifou)... rsrsrsrsrs
Renata - 28/3/2007

renunes
Inserida por renunes
1 compartilhamento

domingo
início de outono
folhas ainda não caem
frio ainda não faz

mesmo assim o calor não altera o ânimo
escassez de carros
poucas pessoas caminhando
ruas tornam-se vãos

por parte era de se esperar
horário de almoço
dia da família
temperatura agradável

no entanto e esses poucos que circulam?
estariam indo para suas casas?
não possuiriam familiares?
por que circulam se a maioria se faz ausente?

passo pela praça
ambiente normalmente movimentado
fotógrafos, formandos, vendedores
onde foram parar todos?

bancos vazios
no playground somente uma criança
balançando-se
num lento e melancólico vaivém

por que hoje o homem só vivencia a sua natureza?

uns tentam justificar
pela criminalidade
pelo instinto familiar
pelo descanso

porém e toda a natureza?
fica pra quem?
para as fábricas lucrarem?
não estaríamos perdendo algo?

será
que esse complexo de superioridade humana
pode ter êxito?
ou na realidade não passa de uma perturbação

num ambiente tão espaçoso
por que o homem se prende?
mais de 50 pessoas em um grande poliedro
sem interagir, por quê?

quanto por cento do mundo não é aproveitado?
quantos lugares interessantes as pessoas morrem sem conhecer?
quando vamos crescer?

Henrique Xavier
Inserida por henriquexav
1 compartilhamento

A paisagem do inverno também tem sua magia...


... mas os encantos do outono são únicos...







Arquitetura Divina...

desc.
Inserida por zacum

Trilhas da Vida

Trilha de folhas caídas,

Pelo outono vencidas,

Que acolhem meus pensamentos,

São os caminhos de agora,

Sem as delícias de outrora,

Onde sigo a passos lentos...



Na trilha das folhas mortas

Minha alma bate às portas

Da crença e da esperança...

Agarra-se, agonizante,

Ao desejo de um instante

Deter o fim que avança...



Na trilha das ilusões

Despedacei corações,

Mas perdi muitos também...

Ficou a melancolia

Que invade e inebria

Esse fatal vai-e-vem...



Ilusões, folhas caídas,

Chances válidas, perdidas,

Apelos da mocidade...

As lembranças andarilhas

Vão pisando pelas trilhas

Da inevitável saudade

DESCONHHECIDO
Inserida por zacum

Flores no outono
Gorete Salvador

No outono não tem tantas flores...
Mas da janela do 1º andar
Vejo flores...
O céu azul...o sol brilhando
Não importa se o inverno esta chegando...

Vejo flores...


Folhas no chão a rolar...
Pássaros a cantar... é outono...
Mas vejo flores...

Recanto das letras

Lembranças do banco da praça

O banco da praça quando se é criança
É de madeira tipo lápis de cor...

Quando crescemos um pouco
O banco da praça é branco
Escrevemos nele nomes, corações, flores

Quando adolescentes...
O banco da praça e em forma de coração...
Nele beijamos a pessoa mais importante...
No momento...(o namoradinho)...
Que eternamente será lembrado como:
“Primeiro amor”

Quando adultos...
Não temos tempo de ir ao banco da praça...

Mas se tiver um tempo olhe um banco da praça
Verás que ele não mudou...
Continua da forma que sua idade...”olhar”....

25/04/08

gorete salvador
Inserida por goretesalvador

Flores no outono
Gorete Salvador

No outono não tem tantas flores...
Mas da janela do 1º andar
Vejo flores...
O céu azul...o sol brilhando
Não importa se o inverno esta chegando...

Vejo flores...


Folhas no chão a rolar...
Pássaros a cantar... é outono...
Mas vejo flores...

04/05/08

gorete salvador
Inserida por goretesalvador

Pintando meu OuTOno
Gorete Salvador

Meu outono não é da cor dos outonos que todos pintam
...ele não cinza...

OuTOno pra mim...

É recomeço...
É esperança...
É um pouco do verão (vermelho)
Um pouco da primavera (amarela)
Um pouco do inverno (branco)

Coisas boas para serem lembradas...
Pensamentos para serem escritos...
Outros esquecidos....

Amizades pra serem fortalecidas...
Amores que ainda não conheci...
Dos que passaram...fico a saudades!!!

Outono é período para nisso pensar...
Abra a pagina do livro da vida...leia, sonhe
Viva!!!

Meu OuTOno é DOUrado e o seu?


22/05/08

gorete salvador
Inserida por goretesalvador

Outono!!!
(Gorete Salvador)

Como vento de outono
Chegam às palavras da poetisa

...É Outono!!!

Sim é outono...

Outono é o meio...
Outono é estação suave
Outono chama “atenção”...
Depois de mim virá o Inverno!!

“Atenção”... mas ninguém ouve?...

...Porque o Outono é suave...

Poetisa então escreve maior
É OUTONO!!!

Escreve maior para que prestem atenção...
Antes que as folhas que têm esses
Versos fiquem amarelas...

07/06/08

gorete salvador
Inserida por goretesalvador

Sai pela rua
não eram
ruas de outono
Apenas ruas
não solitarias
e nem cheias de
casinhas de vovós
com cheiro de
bolinho de chuva
e café saindo
pelas janelas e portas
e nem com aquelas fumacinhas
ficticias ..
Porém
esgoto,bichos e animais
crianças e homens
mulheres e roupas
nos varais,não em
suas casas mais sim ..
sai pela rua.

michele ferraz
Inserida por micheleferraz

FOLHAS SECAS DE OUTONO



Caiam folhas secas de outono

Sobre a terra avermelhada,

E no mais repousante sono,

Num mundo livre, sem dono,

Suspirava a moça apaixonada.



Ela viu chegar um lindo cavaleiro

Montado num cavalo branco,

Ele a arrebatou por inteiro

E sobre o animal faceiro

Saíram a passear pelo campo.



Milhares de pássaros entoavam canções,

Os jardins estavam floridos e perfumados,

Não existiam as quatro estações,

E ela sentiu muitas palpitações

Quando percebeu que o cavalo era alado.



Lá do alto ela via as serras

E as nuvens que as cobriam,

Via também escorrendo pela terra,

Alimentando as plantas e as feras,

As águas que nos rios corriam.



E ao pousar sobre uma colina

Nos braços ele a tomou,

E olhando para cima

Viu-se refletida na retina

Do homem que a conquistou.



E ela não resistiu aos encantos

E se deixou beijar pelo amante tão hábil,

Mas acordou em prantos

Ao perceber que foi o vento brando

Que jogou folhas secas sobre os seus lábios.



EDUARDO DE PAULA BARRETO
www.opoetizador.com

Eduardo de Paula Barreto
Inserida por opoetizador
1 compartilhamento

Prata e ouro, e está ficando frio
Folhas de outono caem tão numerosas quanto ladrões
Arrepios descendo sua espinha, arrepiando você até os ossos
Porque o vento é a melodia que transforma seu coração em pedra
O calor da sua respiração esculpe sombras na névoa
Todo anjo tem o desejo de que ela nunca tivesse sido beijada
Um sonho destruido, assombrando seu sono
Escondido em seu sorriso, um segredo que você precisa guardar, o amor te cortou fundo

Amor quebra as asas de uma borboleta numa roda

Não há cor em você, isto é injusto para mim
Claro tem me dividido, você não pode envolver seus braços em uma memória
Tome calor de mim, ventos frios de outono cortam como uma faca
Mas na escuridão, você é a chama da vela que treme para a luz para mim

Amor quebra as asas de uma borboleta numa roda
Amor irá quebrar as asas de uma borboleta numa roda

Um homem sábio disse que tudo é justo no amor e na guerra
E não há certo ou errado no desenho do amor
E eu poderia somente assistir como o vento arranca suas asas
Quebrando e rasgando, esmagando como uma flor sob a neve
e como uma flor na primavera, o amor irá nascer novamente para curar suas asas

Amor cura as asas de uma borboleta numa roda
Amor curará as asas de uma borboleta numa roda

não sei
Inserida por Thel
1 compartilhamento

De acordo com os mapas, as folhas de outono seguem para o sul...

Marisa Queiroz
Inserida por Marisaqueiroz

passeio pelos campos
cerejas no outono?
bagas de espinheiro

Rogério Martins

Como folhas de Outono nossas ilusões vão caindo á medida que avançamos em direcção ao Inverno da Vida!

jotoxiep
Inserida por jotoxiep

Alegorias.

O outono adentrou as janelas do meu quarto, e eu ali fiquei, congelada. Havia esquecido o casaco no momento em que em sua cama, começou a despir-me em parcelas, peça por peça. Casaco, calças, blusa, calcinhas e sutiãs de cores ofuscantes e por último despiu-me os sorrisos – dizia que eu sorria demais e naquele momento, além de composta, eu deveria transluzir uma fórmula um pouco mais vulgar que a habitual. – Logo fizemos de nós dois, juntos, num só.
Senti um frêmito gélido subir no dorso e escutei o crepitar das folhas secas despedaçando-se por baixo da sola dos meus pés também frios. As folhas representando uma atração fatal entre dois cadáveres abrasadores desnudos num chão frio, revelaram-me o inevitável: os corpos agora se encontravam frígidos demais.

Carolina Pires
Inserida por carolinapires

**OUTONO A ESTAÇÃO DA ALMA**

Vania Staggemeier



O outono é minha estação...

É ele quem pinta cada sentido em mim...

Amo suas cores bordada de brisas...

Seus aromas com cheiro de amor...



E esta sensação de que se está...

Sempre partindo como o vento morno...

Que vem da montanha trazendo saudades...

Como as folhas que se arrastam ao chão...



Dispo a minha alma das ilusões...

Mergulho na dança dos sonhos...

Embarco na valsa dos sentimentos...



Despedindo-me das emoções...

Que um dia pousaram em mim...

Trazendo lagrimas e sensações...



Meu outono é saudade...

Onde se faz o momento mais bonito...

De fechar mais um ciclo vivido...

Virando a pagina de meu livro escrito...

Guardando na memória aquilo...

Que um dia poderia ter sido...



Assim encerro este livro em palavras...

Que se vestem de sentido...

E se fazem doce emoção...



Não procures descobrir meus segredos...

Não queira ver além do que te mostro...

Contenta-te com as pétalas desta rosa amarela...



Pedaços de minha alma que te dou...

E observe as palavras que escrevo...

Pois é assim que eu sou...

(*_*)

http://recantodasletras.uol.com.br/poesias/1507234

Por um mundo melhor respeite os direitos autorais!

Vania Staggemeier
Inserida por vania21
1 compartilhamento