César Romero Bandeira: ⁠ Manuel ou Mané? Certa vez, lá pras...

⁠ Manuel ou Mané? Certa vez, lá pras bandas de Sairé Alguém perguntou meu nome Indagou se era Mané? Eu ainda perguntei Mané? Mané de Onde? Devia ser algum Manue... Frase de César Romero Bandeira.

⁠ Manuel ou Mané?
Certa vez, lá pras bandas de Sairé
Alguém perguntou meu nome
Indagou se era Mané?
Eu ainda perguntei Mané? Mané de Onde?
Devia ser algum Manuel
Como era de fato pra ser chamado
O nome Manoel ou Manuel como costumam ser grafados,
Sempre foram nomes comuns
Na descendência do meu lado,
A minha família muito grande
Gente pra danado
Não faltaram os Manés
Com são apelidados
Forma até carinhosa
Usada pelos mais chegados
Como o nome tornou-se muito usado
Na nossa região era boia
Sempre tinha um Mané
Falando meio arrastado
O nome cheio de influências
Dos nossos patrícios
Também se via muitos Manuéis
De língua enroladas, parecia até vícios
Mas um detalhe engraçado
Que aqui fez-se costume
Era uma junta de dois nomes
Agarrados que nem grude
Ainda se vêem em algumas cidades do interior
O uso da derivação
Ou a junção do nome
De parentes para identificar melhor
Aquele Mané, como alguém mais conhecido
Pra exemplificar melhor: o Mané de Nido
Ou Mané de Zumira,
Que era primo de Mané Zito.
Na minha árvore genealógica,
O mais ilustre desses Manés,
É o nosso poeta
O mais esclarecido
Manuel Carneiro de Souza Bandeira,
Ou somente Manuel Bandeira
Como era mais conhecido
Eu me chamo César Romero,
Não nasci um Manuel, nem queria tê-lo sido
Tampouco ser chamado de Mané
Como seria meu apelido.

Inserida por UmCabocloSonhador