Arcise Câmara: Eu sem você Você tenta me controlar de...

Eu sem você

Você tenta me controlar de alguma maneira. Seu lado excessivamente romântico, sonhador e confiável parecem as três melhores maravilhas do mundo. Mas depois de certo tempo você me faz me sentir mais mal que bem. Suas críticas esmurram minha autoestima, eu começo a ter ciúmes, a imaginar coisas, a fuçar seu celular (eu sei que não devo). Então você diz que precisa de espaço e que seu sonho é poder trabalhar viajando bastante. Choro muito, minha natureza chorona me faz chorar em casamentos, funerais e noites de domingo a domingo. Você sempre me aparece com mais uma novidade que indica que você, apesar de todo o controle que tenta e muitas vezes exerce sobre mim, está indo embora, está de passagem, está logo ali dizendo adeus. Você me parece a melhor pessoa do mundo quando estamos bem e a mais cruel quando estamos mal. Tento rejeitar você em meu coração, tento me preparar para o fim, mas sinto atração pelo pra sempre. Eu não quero viver de problemas, não quero ter minha vida aprisionada, não quero me sentir sozinha estando acompanhada. Mais controle, por traz consegui perceber que ele só se importava com as próprias necessidades, o nosso relacionamento só funcionava quando eu fazia tudo que ele queria sem reclamar. Era muito mais fácil me derrubar, me magoar, me ferir, me colocar abaixo do chão do que se elevar ao meu patamar. Eu sei que você é um homem bom, não o bastante para mim, sei que seu defeito é a sua insegurança, para isso é movido à críticas, eu não sei me vestir, estou gorda, minha comida não presta, falo alto demais e reclamava que eu nunca prestava atenção ao que você dizia, mas você não dizia, mandava, obrigava. Teve uma vez que fiquei com medo de ser agredida, sei que você não teria coragem, mas ter medo de ser agredida é a pior coisa que poderia ter me acontecido. Foram muitos abusos emocionais, você me queria dependente de você, mas não precisava tudo isso, eu já era emocionalmente dependente. O seu controle estava disfarçado como ser útil e prestativo. Você me controlava matando meu ego, tentado me isolar de amigos e família, ameaçando ir embora. Cuidado com o controle, você pode sim dizer não, você também pode dizer que está ocupada, alguém que te ama, não vai desaparecer por causa disso. Com o tempo eu comecei a me perguntar o que eu tinha visto nele, pelo menos minha consciência não ficou adormecida. Não via mais futuro no relacionamento, desacreditei totalmente, mas eu queria consertar o inconsertável, no fundo eu queria meu relacionamento de volta, aquele dos primeiros dias, do primeiro mês, sem atentar que aquele relacionamento nunca existiu de verdade. Eu sobrevivi a separação e me tornei uma pessoa mais forte, sábia e madura, quando ainda tinha dúvidas se o queria ou não de volta você estava orgulhoso demais para pedir desculpa ou ter um lapso de consciência, mas quando decidi que não o queria mais, você reaparece na minha vida, mas ficou tarde demais não consigo conviver com suas chatices, sua carência, seus resmungos, seu controle, sua insegurança, sua insensibilidade e principalmente seu mundo egocêntrico.

1 compartilhamento
Inserida por Arcise