Dia Maçante, Enfadonho e Cansativo... Arcise Câmara

Dia Maçante, Enfadonho e Cansativo

Atrapalha um bocado quando estamos tão cansadas ao ponto de tudo ser entediante.
Que ele fizesse o que bem entendesse, ora bolas!
Exatamente esse tema tinha sido motivo de todas as desavenças e exasperações do fim de semana, ele já não fazia tudo mesmo do seu jeito, sem consultas prévias, sem interesses comuns, sem vontade de me agradar ou ao menos me respeitar.
Resmungando que não estava de mau humor e que não precisava que eu cuidasse dele como se fosse sua mãe, aliás adorava me comparar com a mãe dele, acho até que tinha um devoção pela “madrecita” e me via como uma “mãe melhorada” aquela que lava, passa e cozinha e ainda o satisfaz sexualmente. Reclamava sempre, mas exigia a mesma dedicação exclusiva e serviçal.
Quando as oportunidades se transformam em ameaças os minutos não passam, o dia se torna chato, cansativo e enfadonho, além de todo o tédio pré e pós-existente. A respiração ajuda e muito a manter o controle mesmo que nada estivesse controlado.
O coração pulsa por um desconhecido, um ser que um dia foi apaixonante e que hoje nem sei mais, as crenças insistem em martelar na sua cabeça de que aquele relacionamento é coisa séria e que os votos perpétuos mesmo que o pacto firmado seja mais unilateral que a própria solidão.
Eu não sabia o que era casar, mas acreditava que sabia, aliás me achava a PHD no assunto, tipo: fórmula de amor perfeito = amor, hoje acho tudo diferente, acho até que as relações viraram um troca, uma moeda, um escambo que vale sim o sentimento mas que ele sozinho não sustenta a casa toda, (não é só uma viga que deixa a casa de pé). Então o cansaço + tédio + sentimentos estremecidos geram interesses próprios e egoístas, a gente não se suporta, não se entende, não se ama, mas estamos juntos, fazer o quê.

1 compartilhamento
Inserida por Arcise