Os filmes brasileiros de comédia são preferência da população. Os que mais geram bilheteria e se espalham no boca a boca entre amigos e família. Apesar de ainda sofrer algum preconceito frente às produções hollywoodianas, o cinema nacional já produziu excelentes filmes. 

Listamos os 30 melhores filmes brasileiros de comédia que vão acabar com o seu preconceito com o cinema nacional (ou ajudar a gostar ainda mais das nossas produções hilariantes).

Os filmes brasileiros de comédia bons de verdade

Nesta lista não vale pastelão, nem as produções chamadas “globochanchadas” (humor escrachado produzido pela Globo Filmes). Selecionamos abaixo alguns filmes que, apesar de não tão populares, são excelentes exemplos de comédias nacionais para você que busca algo fora da caixinha, com um humor mais inteligente.

1. O Cheiro do Ralo (2006)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Heitor Dhalia
Estrelando: Selton Mello, Paula Braun, Paulo Alves

Este filme nacional foi indicado a mais de dezoito prêmios, nacionais e internacionais, e ganhou sete, incluindo dois do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro (o nosso “Oscar brasileiro”).  

O filme conta a história de Lourenço, dono de uma loja de objetos usados que acaba por explorar seus clientes desesperados por vender objetos, e sentir prazer nisso. Em dado momento, ele começa a ser incomodado pelo cheiro do ralo que fica em sua loja e isso afeta a história de um jeito surpreendente. É uma película cheia de um humor cínico que vai marcar o seu repertório de cinema, com certeza.

- Isso aqui cheira merda.

- É, é do ralo ali.

- Num é não.

- É, o cheiro vem do ralo ali.

- O cheiro vem de você.

- Não. Não amigo, to com problema no banheirinho aqui oh. No ralo aqui.

- E quem usa esse banheiro?

- Eu

- Quem mais?

- Só eu

- Então. De onde vem o cheiro?

O Cheiro do Ralo

2. O Palhaço (2011)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Selton Mello
Estrelando: Selton Mello, Paulo José, Larissa Manoela,Tonico Pereira

Eleito pela ABRACCINE como um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos, nesta história acompanhamos uma família do circo. Benjamin trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar, mas está no meio de uma crise existencial e pensa em abandonar a trupe e deixar seu ofício de palhaço. Drama e comédia misturam-se de forma genial: é um desses filmes que você não sabe se chora ou se ri, mas com certeza vai amar.

Benjamin: Outro dia eu botei quatro homens para correr!

Valdemar: Correr de você?

Benjamin: Não, pra correr atrás de mim!

O Palhaço

Eu faço o povo rir, mas ai quem é que vai me fazer rir?

Benjamin (O Palhaço)

3. Saneamento Básico, o Filme (2007)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Jorge Furtado
Estrelando: Fernanda Torres, Wagner Moura, Camila Pitanga, Bruno Garcia, Lázaro Ramos, Tonico Pereira, Paulo José

Parece que Jorge Furtado é mesmo um dos melhores diretores nacionais de comédia. Foi ele que dirigiu “ O Homem que Copiava” e a fórmula inteligente funciona de novo nesse filme dentro o filme. Os moradores de uma vila precisam se obras de saneamento e a prefeitura alega não ter dinheiro para isso. A forma que eles encontram de resolver a questão é usar o dinheiro público que seria destinado a um filme, fazendo eles próprios as filmagens da construção de uma fossa, onde vive um monstro.

O elenco de peso e a premissa inusitada garante as boas risadas e o posto de uma comédia fora da caixa.

O cabelo faz do homem um ser misterioso que carrega na cabeça, na parte do corpo que é mais nítida e mais marcada, uma coisa rebelde como um mar e confusa como uma floresta. Está quase fora do corpo, é uma espécie de jardim privado, onde o dono exerce à vontade sua fantasia e sua desordem. É qualquer coisa que cresce e que transborda como se estivesse livre do domínio da alma.

Silene (Saneamento Básico, o Filme)

4. Memórias Póstumas (2001)

filmes brasileiros de comédia

Direção: André Klotzel
Estrelando: Reginaldo Faria, Petrônio Gontijo, Marcos Caruso, Stepan Nercessian

Um filme adaptado de um dos melhores livros da literatura nacional dificilmente seria ruim, não é? A ironia e inteligência de Machado de Assis estão presentes nessa película onde o defunto Brás Cubas conta as mais relevantes passagens de sua vida. Foi indicado a três categorias do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e ganhou cinco prêmios no Festival de Gramado de 2001.

Eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor.

Brás Cubas (Memórias Póstumas)

5. Meu Tio Matou um Cara (2004)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Jorge Furtado
Estrelando: Lázaro Ramos, Deborah Secco, Darlan Cunha, Sophia Reis, Dira Paes, Aílton Graça

Indicado quatro vezes ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, esse filme conta a trama de Éder, que confessa ter matado um cara, e seu sobrinho, Éder, de apenas quinze anos, que com a ajuda de amigos quer provar a inocência do tio. Um pouco de aventura aqui, de romance ali e de ótimas atuações fazem desse um filme marcante da comédia nacional.

O problema das histórias que não aconteceram, não é o que a gente inventa, são as partes que a gente esqueceu de inventar.

Meu Tio Matou Um Cara

Minha mãe vai me olhar com uma cara de preocupada misturada com uma cara de fique calmo, seu tio é da família mas é só seu tio, nós não temos muito a ver com isso de verdade e, no fim, vai dar tudo certo.

Meu Tio Matou Um Cara

6. Pequenas Histórias (2007)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Helvécio Ratton
Estrelando: Marieta Severo, Patrícia Pillar, Paulo José, Gero Camilo

Um filme excelente para rir com toda a família, vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2008 na categoria Melhor Filme Infantil. Maria, a contadora de histórias, corta e costura retalhos de um pano na varanda de uma fazenda enquanto narra “causos” de humor e fantasia. Um filme que, além de engraçado, é muito bonito.

Tem gente que diz que contar uma história é dar mais uma volta no parafuso. Para mim quem conta um conto dá mais um tonto.

Maria (Pequenas Histórias)

Um convite à imaginação onde a diferença entre o sonho e a realidade pode ser muito pequena.

Pequenas Histórias

7. Bingo: O Rei das Manhãs (2017)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Daniel Rezende
Estrelando: Vladimir Brichta, Leandra Leal, Emanuelle Araújo, Tainá Müller, Domingos Montagner, Pedro Bial

Selecionado pela Academia Brasileira de Cinema como representante brasileiro na tentativa de uma indicação ao Oscar de melhor filme estrangeiro na edição de 2018, esse filme conta a uma parte da história de um dos homens por trás do palhaço Bozo. Arlindo Barreto ganhou fama graças ao personagem infantil, mas a frustração de estar sempre fantasiado teve consequências sérias na vida do ator.

Palhaço não obedece. Se mandarem você abaixar, você levanta. Se mandarem você se curvar, chuta a bunda dele. E não importa quantos tapas o palhaço vai levar. Ele sempre levanta e tenta de novo.

Aparício (Bingo: O Rei das Manhãs)

8. Confissões de Adolescente (2014)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Daniel Filho
Estrelando: Deborah Secco, Maria Mariana, Georgiana Góes, Daniele Valente, Sophia Abrahão

A série que fez muito sucesso nos anos noventa volta em forma de um filme engraçado, sincero e encantador. As irmãs Tina, Bianca, Alice e Karina têm personalidades, intrigas e problemas diferentes, e uma coisa em comum: a adolescência. para ajudar o pai que está passando por dificuldades financeiras, as irmãs precisam se unir e ultrapassar algumas barreiras típicas dessa época da vida.

(Sobre o Facebook) Essa pergunta está errada, né? Não devia ser “O que você está pensando”?, devia ser “O que você gostaria que as pessoas vejam que você está pensando?”

Confissões de Adolescente

Filmes brasileiros de comédia romântica

Misturar comédia com romance costuma ser uma boa pedida para aquele dia que você está afim de uma história mais melosa para ver sozinha, com o amor, com uma amiga. Na lista abaixo, selecionamos os filmes que, além de fazer rir, tem uma boa história de amor de fundo. E, ah: são todos bem recebidos pela crítica especializada. Pode escolher de olhos fechados!

9. O Homem do Futuro (2011)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Cláudio Torres
Estrelando: Wagner Moura, Alinne Moraes, Gabriel Braga Nunes, Maria Luisa Mendonça, Fernando Ceylão

Não é muito comum filmes de ficção científica nacionais, mas temos aqui um bom exemplo. Zero é um cientista brilhante, mas seu passado, especialmente a noite em que foi traído e humilhado pelo “amor da sua vida”, Helena, o perturba. Ele consegue fazer uma invenção que o permite viajar no tempo e alterar a noite mais traumática da sua vida, mas as coisas não correm bem como ele esperava. Da excelente de Wagner Moura à trilha sonora, esse é um filme que vale a pena incluir na sua lista.

O amor, o ódio, eles são concretos, eles precisam fazer parte da equação geral do universo.

O Homem do Futuro

Desejar uma vida sem problemas é desejar estar morto.

O Homem do Futuro

10. Desenrola (2011)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Rosane Svartman
Estrelando: Olívia Torres, Lucas Salles, Kayky Brito, Vitor Thiré, Daniel Passi, Juliana Paiva

Priscila é uma adolescente “normal demais” de apenas dezesseis anos. Quando a mãe viaja por vinte dias, ela que é super preocupada com a sua virgindade, vê uma chance de fazer as coisas acontecerem. E muita coisa acontece mesmo nesse tempo, mas tudo de forma encadeada e divertida.

Segundo o meu professor de biologia, 70% do nosso corpo é água. Será que dá para se afogar na gente?

Priscila (Desenrola)

Será que daqui a vinte anos eu vou lembrar dele?
Claro que vou.
Mas será que vai ser tão importante?

Priscila (Desenrola)

11. Os Normais - O Filme (2003)

filmes brasileiros de comédia

Direção: José Alvarenga Jr.
Estrelando: Luiz Fernando Guimarães, Fernanda Torres, Marisa Orth, Evandro Mesquita

Um filme que já foi visto por mais de três milhões de brasileiros, e traz de volta os personagens da famosa série dos anos 2000. O filme conta como Rui e Vani se conheceram, prestes a se casar com pessoas diferentes. Como não poderia deixar de ser, eles se metem em confusões para lá de hilárias e os diálogos são de fazer chorar de rir.

A segunda coisa mais importante de um relacionamento é saber perdoar. A primeira é saber se vingar.

Vani (Os Normais - O Filme)

Eu odeio o verão! Essa obrigação das pessoas serem felizes, irem à praia, ficarem saudáveis.

Vani (Os Normais - O Filme)

Vani: Eu pensei em uma coisa capaz de preencher o nosso tempo e ao mesmo aliviar as nossas tensões, entendeu?
Rui: Preenche e alivia? Já gostei.

Os Normais - O Filme

12. As Melhores Coisas do Mundo (2010)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Laís Bodanzky
Estrelando: Caio Blat, Paulo Vilhena, Denise Fraga, Zé Carlos Machado, Gustavo Machado, Fiuk

Com várias indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, este filme poderia ser só mais um romance adolescente comum. Um adolescente paulistano vive seus medos, dúvidas e problemas de relacionamento típicos da sua idade. Mas toda a história é construída de forma muito original e divertida. Vale muito a pena conferir como o roteiro consegue se destacar dos típicas comédias românticas juvenis.

Para acertar, primeiro a gente precisa saber o que estamos fazendo de errado.

As Melhores Coisas Do Mundo

A decisão que estou tomando é consciente. Decidi na plenitude de meu livre-arbítrio. Sei que isso é duro, porque sendo assim, ninguém tem direito à culpa e a culpa é o alívio dos fracos. Lamento, mas concordo com Camus que o suicídio é a única questão filosófica verdadeira. Meu desejo comanda meu destino e a morte é a única liberdade.

As Melhores Coisas Do Mundo

13. Seja o que Deus Quiser! (2002)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Murilo Salles
Estrelando: Rocco Pitanga, Caio Junqueira, Ludmila Rosa, Débora Lamm, Marília Pêra, Marcelo Serrado, Bárbara Paz, Nicete Bruno

Premiado como melhor filme de ficção do júri popular no Festival do Rio BR 2002, o filme aposta na graça da confusão que se torna a vida PQD (Rocco) quando uma VJ da MTV vai para o Morro do Alemão, onde mora, fazer uma reportagem sobre sua banda. Os dois têm um caso, ela é sequestrada, ele acusado de participar do crime e, na tentativa de se livrar da acusação, as coisas complicam ainda mais.

14. Separações (2002)  

filmes brasileiros de comédia

Direção: Domingos de Oliveira
Estrelando: Domingos de Oliveira, Priscilla Rozenbaum, Maria Ribeiro, Fábio Junqueira, Ricardo Kosovski, Dedina Bernardelli

Uma casamento está um tédio e o protagonista, Cabral, um dramaturgo de sessenta anos, decide com a esposa que eles precisam dar um tempo. O problema começa quando ela se apaixona por outro homem. Uma tragicomédia brasileira que se aproxima dos roteiros cheios de diálogos profundos de Woody Allen, capazes de fazer o espectador rir (ao mesmo tempo que questiona a si próprio).

Se queixar da vida é um pecado, é o oitavo pecado capital.  

Separações

Fidelidade é uma utopia.

Separações  

15. Mato Sem Cachorro (2013)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Pedro Amorim
Estrelando: Bruno Gagliasso, Leandra Leal, Danilo Gentili, Gabriela Duarte, Rafinha Bastos, Simone Mazzer

Deco é um homem solteiro e carente de trinta anos que se apaixona por Zoé quando quase atropela seu cachorro. Eles vivem um romance maravilhoso até que ela se desinteressa. Uma comédia romântica com cara de stand up e risadas garantidas do começo ao fim.

Zoé: Cê tá olhando pros meus peitos?

Deco: Não, tava olhando pro Sidney Magal.

Zoé: Ta dizendo que o Sidney Magal é melhor que os meus peitos?

Mato sem Cachorro

Zoé: Eu tô começando a achar que as pessoas desligam na minha cara e depois inventam que a ligação caiu.
Deco: Você também liga num sábado, né?

Mato Sem Cachorro

Filmes nacionais que vão fazer você chorar de rir

Então o seu objetivo é rir, mas RIR MUITO mesmo? Temos certeza que os títulos abaixo cumprirão essa missão. São filmes que tem características regionalistas, outros com crises de identidade para várias idades e um tanto de outros temas que faz qualquer um se identificar e achar graça. Esperamos que goste!

16. O Shaolin do Sertão (2016)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Halder Gomes
Estrelando: Edmilson Filho, Fabio Goulart, Bruna Hamú, Dedé Santana, Marcos Veras, Igor Jansen

Neste filme, lutadores de vale-tudo estão em crise por falta de lutas nos anos 80 resolvem viajar pôr cidades interioranas enfrentando gente desconhecida. É então que entra em cena Aluísio, um rapaz fascinado po cultura chinesa, especialmente Kung-Fu. Ele quer se tornar um mestre das lutas e ser um Shaolin, como seu ídolo.

A comédia foi indicada a cinco categorias do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, incluindo melhor filme. É para rir até doer a barriga.

A partir da meia noite a tendência é anoitecer.

Samurai (O Shaolin do Sertão)

A pedra trinca o ferro amassa e homem que é homem tem que quebrar cabaça. Machado de Assis.

O Shaolin do Sertão

17. Cine Holliúdy (2013)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Halder Gomes
Estrelando: Edmilson Filho, Miriam Freeland, Roberto Bomtempo, Falcão

O diretor já tinha alguma experiência com comédias e conseguiu fazer outro excelente filme. Com o regionalismo característico do Ceará, o filme conta a história de um produtor de cinema que, com a chegada da televisão na casa das famílias na década de 70, começa a perder público. Ele faz de tudo para manter a paixão pela sétima arte viva e o seu “Cine Holliúdy” de pé.

- Tem pelo menos bife de olhão?
- O nome disso é ovo, homi!

Cine Holliúdy

Talvez a gente fale rápido porque, como o Ceará é muito quente, tem que terminar o papo logo, antes que o sol lhe derreta.

Cine Holliúdy

18. Divã (2009)

filmes brasileiros de comédia

Direção: José Alvarenga Jr.
Estrelando: Lília Cabral, José Mayer, Alexandra Richter, Cauã Reymond, Reynaldo Gianecchini, Paulo Gustavo

Mercedes tem quarenta anos e está em crise. Casa, mãe de dois filhos, ela decide procurar um psicanalista e isso acaba gerando um monte de mudanças, no seu casamento, no trabalho, na forma como ela se enxerga. Um filme muito divertido que traz à tona as questões de mulheres mais velhas, coisa que não é muito comum no cinema.

O filme foi um sucesso total, ganhando vários prêmios, incluindo melhor filme no Grande Prêmio Cinema Brasil.

E agora Mercedes? Separados, quem somos? Somos um programa de televisão que saiu do ar e como ninguém desliga o aparelho o aparelho de TV fica aquele chiado incomodando no escuro. Somos a lembrança de um beijo que não foi dado. Se vc não queria ser infeliz comigo, saberá ser infeliz sozinha?

Divã

A gente procura um analista em busca de definições. E depois de quase três anos juntos você descobre, que não há definição. Vida é falta de definição. É transitória mesmo.

Divã

19. O Homem Que Desafiou o Diabo (2007)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Moacyr Góes
Estrelando: Marcos Palmeira, Fernanda Paes Leme, Lívia Falcão, Sérgio Mamberti, Flávia Alessandra

O filme é baseado no livro “As Pelejas de Ojuara” do escritor Nei Leandro de Castro. A história ronda em torno de Zé Araújo, um mulherengo que se vê obrigado a casar com uma mulher e torna-se escravo dos sogros. Para se livrar da humilhação, ele se transforma em um caboclo que vive a base de bebida, só se mete em confusão e enfrenta satanás.

É um filme que mistura religião, tradições nordestinas e regionalismos de forma hilária e muito bem estruturada.

O meu nome é Ojuara eu vim de longe e vou em frente, e o senhor nao é mais feio que certo tipo de gente. Feio é a herança do homem, a herança de Cain. Praga de mão ofendida, tentação do coisa ruim. Feio é aquela sombra escura que vai levando consigo o covarde que traiu a confiança do amigo. A beleza e a feiura tao junta em toda parte, a beleza inté na morte, e feiura inté na arte. Olhe seu rosto no espelho e nao perca a esperança, porque foi Deus que lhe fez, à sua imagem e semelhança.

Ojuara (O Homem Que Desafiou o Diabo)

20. Zoom (2015)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Pedro Morelli
Estrelando: Gael García Bernal, Alison Pill, Mariana Ximenes, Jason Priestley, Claudia Ohana

Um filme com produção brasileira e canadense e que mistura a técnica de live-action com animação. Só por aí já se vê que é diferente, né? Vencedor da categoria melhor filme no Ithaca International Fantastic Film Festival, a produção interliga três personagens que vivem suas vidas em contextos diferentes, mas acabam se encontrando em suas histórias.

Definitivamente é uma produção muito diferente do que estamos acostumados no cinema nacional. Vale muito a pena pelo formato, pelo roteiro e pela ousadia!  

- Jamais imaginei que você fosse uma escritora. Está escrevendo o quê?
- Acho que ainda estou tentando descobrir.

(Zoom)

21. A Mulher Invisível (2009)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Cláudio Torres
Estrelando: Luana Piovani, Selton Mello, Maria Manoella, Vladimir Brichta, Fernanda Torres, Danni Carlos

Pedro acabou de ser traído pela esposa e milagrosamente encontra a mulher ideal, Amanda. O problema é que só ele a enxerga. Ao mesmo tempo, uma vizinha dele, Vitória, fica viúva e tenta conquistá-lo, mas depois de descobrir que Amanda supostamente só existe em sua imaginação, Pedro passa a achar que está louco e que Vitória também é invisível.

Mais de duas milhões de pessoas assistiram esse filme no cinema. A premissa parece simples e boba, mas o roteiro acaba desenvolvendo ideias complexas sobre relacionamento, expectativa e amizades.

- Nossa, porque todos os homens tem dificuldade de dizer “eu não te amo mais?”
- Porque essa é a frase mais triste de se falar e também a mais triste de se ouvir.

A Mulher Invisível

Eu arrumei um meio de continuar existindo mesmo sem você.

Amanda (A Mulher Invisível)

22. Houve uma Vez Dois Verões (2002)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Jorge Furtado
Estrelando: André Arteche, Ana Maria Mainieri, Pedro Furtado, Júlia Barth

Chico está de férias numa praia, quando encontra Roza em um fliperama e se apaixona. Eles têm uma noite de amor, mas depois ela desaparece. Ele só vai encontrá-la de novo quando volta às aulas. Roza está grávida e muita coisa acontece até que o próximo verão chegue novamente.

O filme foi o primeiro de vários sucessos de Jorge Furtado e conquistou a categoria de melhor roteiro original do Grande Prêmio Cinema Brasil, sendo também indicado a melhor figurino e filme.

No dia em que eu conheci a Roza o anjo da guarda do flíper não estava me dizendo nada sobre os patos (do fliperama). Sorte dos patos e também sorte minha. No game-over a luz da máquina se apagou e ela apareceu no reflexo.

Chico (Houve uma Vez Dois Verões)

O Juca sempre disse que tem três tipos de gurias. O primeiro tipo é aquele que tranforma a gente em um idiota. Os outros dois em não lembro.

Chico (Houve uma Vez Dois Verões)

23. Deus é Brasileiro (2003)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Cacá Diegues
Estrelando: Antônio Fagundes, Wagner Moura, Paloma Duarte, Castrinho, Stepan Nercessian

Baseado no conto "O Santo que não Acreditava em Deus", de João Ubaldo Ribeiro, neste filme Deus decide tirar umas férias no Brasil. À procura do seu substituto para os tempos de descanso, ele encontra um pescador, Taoca, que o ajuda na busca e vê nele uma oportunidade de se livrar dos seus problemas.

A película é repleta de belas paisagens do litoral nordestino, reflexões sobre religião e fé e um humor que faz a gente entender o título do filme.  

Todo mundo só quer moleza: é “Deus me dê saúde”, “Deus, me faça ganhar na loteria”, “Deus mais isso, Deus mais aquilo”... É só eu! eu! eu! eu! Chega uma hora a pessoa se estressa.

Deus (Deus é Brasileiro)

Os filmes brasileiros de comédia que são sucessos de bilheteria

Se o seu tipo de filme é aquele mais descontraído, sem tanta preocupação com a história, mas sim com a graça pura: pronto, a lista abaixo é sua. Milhares de brasileiros já viram esses filmes no cinema e, se fazem sucesso, algum mérito eles merecem, né? Vamos aos títulos:

24. Os Farofeiros (2018)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Roberto Santucci
Estrelando:  Antônio Fragoso, Maurício Manfrini, Cacau Protásio

Final de semana na praia com aquela galera maluca, quem nunca? Neste filme quatro colegas de trabalho alugam uma casa de praia para curtir o final de semana e tudo dá errado: a praia é lotada, a casa cai aos pedaços e várias situações hilárias acontecem.

A Claudia Raia pode ter um filme chamado Enzo, e eu não posso?

Os Farofeiros

25. Lisbela e o Prisioneiro (2003)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Guel Arraes
Estrelando: Selton Mello, Débora Falabella, Marco Nanini, Bruno Garcia, Virginia Cavendish

Um sucesso total de público, o filme foi indicado a dez categorias do Grande Prêmio Cinema Brasil, vencendo duas, melhor ator e trilha sonora. Conta a história de um viajante vigarista que se apaixona por uma jovem mocinha filha de um chefe de polícia. A história ainda envolve um matador, uma mulher sedutora, um carioca arrogante e outros personagens super engraçados.

Adaptação da peça de teatro homônima de Osman Lins, o filme é uma belíssima montagem e contribuição para o cinema nacional.

O amor me chamou pra um outro lado e eu fui atrás dele. Eu pensei que se eu não fosse, a minha vida inteira ia ser assim. Vida de tristeza, vida de quem quis de corpo e alma e mesmo assim não fez. Daí eu fui. Eu fui e vou, toda vez que o amor me chamar, vocês entendem? Como um cachorrinho, mas coroada como uma rainha.

Lisbela (Lisbela e o Prisioneiro)

Eu tenho medo também, mas não tenho medo de ter medo.

Lisbela (Lisbela e o Prisioneiro)

26. Minha Mãe É Uma Peça: O Filme (2013)

filmes brasileiros de comédia

Direção: André Pellenz
Estrelando: Paulo Gustavo, Mariana Xavier, Rodrigo Pandolfo, Herson Capri, Ingrid Guimarães, Alexandra Richter, Samantha Schmütz, Suely Franco

Dona Hermínia conquistou as telas nacionais com seu jeito espontâneo, agitado e sincero. Ela controla de perto a vida dos filhos Marcelina e Juliano e não faz questão de esconder seu ressentimento com o ex-marido, que a trocou por uma mulher mais jovem.

O filme arrecadou mais de cem milhões de reais no cinema e teve uma continuação lançada em 2016.

Marcelina está super chateada, porque ficou com um garoto na boate e ele não ligou de volta.

Eu disse: minha filha, seu pai não me liga há 15 anos!

Hermínia (Minha Mãe É Uma Peça: O Filme)

Novela é um ótimo exemplo: eles vão enrolando a novela inteira e só casam no final. Só casam no final porque se continuar a novela não dá certo.

Hermínia (Minha Mãe É Uma Peça: O Filme)

27. Ó Paí, Ó (2007)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Monique Gardenberg
Estrelando: Lázaro Ramos, Wagner Moura, Dira Paes

Com trilha sonora de Caetano Veloso, esse é um dos poucos filmes nacionais do gênero musical que fizeram sucesso. Se passa em um cortiço do Pelourinho, Salvador, onde os moradores compartilham tudo, estão curtindo último dia do carnaval e, de repente, se veem “cortados” pela antipática síndica do prédio. Incomodada pela bagunça, ela corta a água do povo e isso gera uma confusão danada.

Ainda sendo uma comédia, o filme toca em pontos delicados como racismo, diferenças sociais, violência e outros.

Onde come três, come quatro. Só depende do coração de quem põe no prato.

Ó Paí, Ó

No dia do amigo todo mundo é amigo. No dia dos namorados todo mundo quer um nego. Mas no dia dos finados ninguém quer morrer, né?

Ó Paí, Ó

28. De Pernas pro Ar (2010)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Roberto Santucci
Estrelando: Ingrid Guimarães, Maria Paula, Bruno Garcia, Denise Weinberg, Antonio Pedro, Cristina Pereira

Alice é uma workaholic que dá pouca atenção a sua vida social. Ela é abandonada pelo marido e demitida do emprego, é então que conhece Marcela, uma vizinha que tem a ideia de lançar uma loja de artigos eróticos. O negócio dá certo, mas ao mesmo tempo faz Alice repensar sua vida, seu casamento e a forma como se comporta. Tudo isso no meio de uma confusão absurda que só Ingrid Guimarães é capaz de interpretar com tanta graça.

O filme foi visto por mais de dez milhões de brasileiros e ganhou uma continuação em 2012.

Eu não quero ter razão, eu quero ser feliz.

De Pernas pro Ar

O que adianta todas as vitórias, se você não tem com quem dividir?

De Pernas pro Ar

29. Até que a Sorte nos Separe (2012)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Roberto Santucci
Elenco: Leandro Hassum, Danielle Winits, Kiko Mascarenhas, Rita Elmôr, Aílton Graça, Rodrigo Sant' Anna

Inspirado no famoso livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, de Gustavo Cerbasi, este filme conta a história de Tino que, depois de ganhar na loteria e gastar tudo em uma vida luxuosa, se vê obrigado a repensar sua vida.

O filme teve a melhor estreia de um filme brasileiro em 2012, com mais de trezentos mil espectadores no primeiro final de semana de exibição. Ganhou outras duas sequências, lançadas em 2013 e 2015.

Uma mulher perdoa um homem sem dinheiro, mas ela não perdoa um homem mentiroso

Olavo (Até que a Sorte nos Separe)

Faustino: Ninguém é capaz de gastar 100 milhões de reais, por favor.
Guilherme: Você conseguiu.

Até que a Sorte nos Separe  

30. Se Eu Fosse Você (2006)

filmes brasileiros de comédia

Direção: Daniel Filho
Estrelando: Glória Pires, Tony Ramos, Danielle Winitz, Lavínia Vlasak, Thiago Lacerda, Glória Menezes

Uma crise no casamento de Cláudio e Helena está acontecendo quando, de um dia pro outro, eles acordam em corpos trocados. Apavorados, eles têm que aprender a conviver e enfrentar os obstáculos próprios das vivências de cada um, pois não tem outra alternativa senão essa para lidar com o acontecimento estranho.

Com uma abordagem muito divertida, o filme fala sobre da importância da empatia,  discute questões de gênero e de relacionamentos maduros. Foi indicado a vários prêmios nacionais, entre eles a oito categorias de Grande Prêmio Cinema Brasil. Uma continuação foi lançada no ano de 2009.

Vai dar pra destrocar, ou eu vou ter que ficar menstruando todo mês?

Claudio (Se Eu Fosse Você)

Bônus: 

31. TOC: Transtornada Obsessiva Compulsiva (2017)
 

filmes brasileiros de comédia

Direção: Paulinho Caruso e Teo Poppovic
Estrelando: Tatá Werneck, Vera Holtz, Bruno Gagliasso, Luis Lobianco, Daniel Furlan, Ingrid Guimarães

Tatá Werneck, um dos nomes mais adorados da comédia brasileira contemporânea, vive Kika K., uma atriz de sucesso que tem um namorado galã sem noção, fãs obsessivos e uma doença, TOC. No lançamento de um livro de autoajuda que nem é de sua autoria, ela recebe a visita do verdadeiro autor, que a deixa com apenas um bilhete e um enigma que pode mudar sua vida.

O filme já estreou no Top 10 das melhores bilheterias nacionais de todos os tempos e conta com o  humor autodepreciativo de Tatá, que é de fazer chorar de tanto rir.

E a gente termina com essa citação que diz tudo sobre o filme e contradiz todas as boas dicas que demos neste artigo:

Vladimir: Você é atriz de cinema?
Kika: Sou!
Vladimir: O que você fez?
Kika: Eu faço comédia.
Vladimir: Pô, achei que você fosse atriz de cinema de verdade! Comédia nacional, quem que vê essa bo***?!

TOC: Transtornada Obsessiva Compulsiva