Coleção pessoal de Negreiros

61 - 80 do total de 113 pensamentos na coleção de Negreiros

Raio que todos seduz
Rosto angelical
Olhar que a paz reluz
Presença do divino amor
Alma gêmea de Jesus.

Pequena caminhada
Que o anjo conduz
Na terra eternizada
Nessa passagem da luz
Giovana, Giovana, Giovana.

Negreiros Neto
1 compartilhamento

NO MEU SERTÃO

Hoje no meu sertão o Bode tem que estar cercado, amarrado, vigiado, caba armado, acordado e com os olhos arregalados e ainda assim o Bode é roubado.

Negreiros Neto

ENSINA-ME

Mãe! Passa-me a mão na cabeça!
Mãe! Puxa-me as orelhas!
Mãe! Fala-me a oração “Deus te guarde e proteja”!
Mãe! Dai-me chineladas nas canelas secas!
Mãe! Beija-me a face com tua pureza!
Mãe! Repreende-me com aquele olhar de cara braba e feia!
Mãe! Abraça-me com toda delicadeza!
Mãe! Chama-me atenção com teu beliscão!
Mãe! Ajuda-me, preciso disso para as incertezas!
Mãe! Aconselha-me com tua pura razão!
Mãe! Dai-me palmadas nas mãos, mesmo que doa em teu coração!
Mãe! Ensina-me.

Negreiros Neto

ABRAÇO DE PAI

Acolhedor e divino
Sentimento paternal
Proteção e abrigo
Dádiva Celestial
Gesto de puro amor
Abrasador, colossal
Fenômeno da Natureza
Aurora Boreal
Das forças da natureza
Não há outra igual
De Urso-Pardo é forte
De Pai é descomunal
Único e verdadeiro
Força sobrenatural
Áurea de amor
Mágico, fenomenal.

Negreiros Neto

BANHO DE NEBLINA

Compostas gotículas
Bruma, Névoa, Neblina
Jato maravilhoso
Alimenta minha adrenalina
Protejendo-me
Como uma capa divina

Banho protetor
Aos Bombeiros se destina
És, rejuvenescedor
Desta batalha contínua
Recém-promovidos
Vida, trabalho e sina.

Imensas Gotículas
Que o ar padroniza
Formando esse manto
Proteção divina
Refrigeração, acalanto
Banho que eterniza

Vapor de água
Condensando vida
Recém-nascidos
Fumaça líquida
São Bem-sucedidos
Neste Banho de Neblina

Neblina! Viatura ABT
O Poeta assim a batiza
Homenageando aquela
Que entre tantas se eterniza
Guardada na memória
Por toda nossa vida.

Negreiros Neto

Marte! A Terra do amanhã.
Marte! A Terra amanhã.
Qual das frases iremos escrever no futuro da humanidade?

Negreiros Neto

CACHAÇA PIRIRI

Tomei uma cachaça
Chamada Piriri
Quatro dedos de medida
Saie do mundo daqui
Virei Extraterrestre
Nocauteei Morram Dali
Empurrei Maik Tayson
Provoquei Bruce Lee
Cantei e dancei
Melhor que Elvis Presley
Discursei na Praça
Abafando Net King Cole
Falei das Sagradas Palavras
Emocionando o Rei Davi
Depois de minutos
Voltei em si
Todos estavam a sorrir
Logo percebi
Tomei outra lapada
Pra tudo se repetir.

Negreiros Neto

ITÁ E KINGA

Itá é duro rochedo
Que pra tudo se destina
E quando bem aguçado
Corta de grossa a fina.

Kinga melaço doce
Candura de menina
A Irmã Companheira
Encanto de alma feminina.

O corte de cana
Vida, trabalho e sina.
Fortes e valentes
Cumprem o que o destino determina.

A Missa, Futebol e Forró.
As coisas que os anima
Mas se provocados
Nego vai pra lazarina.

Como muito carisma
Vivem em plena união
Logo todos cometam
Que belo exemplo de irmão.

Pelos arredores e região
Muito comentário se formulou
A Popularidade dos irmãos
Feito vendaval se espalhou.

Políticos sem prestígios
Uma oportunidade vislumbrou
Enviando relatos dos fatos
Ao gabinete do Governador.

Sabido e aproveitador
Logo uma comissão
Com boas e más intenções
O dito cujo nomeou.

O povoado que nem nome tinha
Foi feito umas contas
Com poucas e muitas mentirinhas
Agregando povoados que lhe circunvizinha.

Foi criado um Decreto
Homenageando os irmãos Itá e Kinga
No dia 20 de dezembro do 1963
Fundando o Município de Itaquitinga.

Negreiros Neto

QUARTO DIA DE JANEIRO

Fatos históricos
Na terra aconteceria
Não se sabe século e ano
Apenas o mês e o dia
Sonhos e presságios
Milagres e profecias

Martin Luther King
Neste dia nasceria
Sputnik a nave das respostas
A terra voltaria
A pintura Guerra e Paz
Portinari a ONU doaria

A pequena queda d’água
Uma enorme cachoeira transformaria
A Lua minguante
Pra sempre Cheia ficaria
O Rio seco e perene
Permanente e corrente tornaria

A terra seca e infértil
Num chão fértil onde tudo brotaria
A vida que findava
Eternizava e renasceria
A Fé desfalecida
Numa fortaleza de alegria

Um poema de amor
O poeta inspirado faria
O sorriso e o olhar
A bela mostraria
Negreiros Neto ao mundo
A vinda de Elayne anunciaria.

Negreiros Neto

GENTIL GENTILEZA

Comida farta em nossas mesas
O Profeta José Datrino
Servia pra saciar
A fome da indelicadeza.

Sem discriminação
Sentavam todos na mesma mesa
Banquete divino
Tendo a paz como sobremesa.

Homens e Mulheres vitimam incondicionais
Desta infame pobreza
Que devora e mata
A maravilhosa obra, criada pela mãe natureza.

Palavras e gestos
Seus bens, com certeza.
Rico tesouro, compartilhado com todos.
Numa gentil gentileza.

Profeta Poeta
Que ensinou com a sutileza
Anunciando aos quatros cantos
Que gentileza gera gentileza.

Negreiros Neto

MEU MUNDO

Um grão de areia perdido
Um coração recém-nascido

Um olhar despercebido
Um caminhar sem sentido

Um grito oprimido
Um amor divido

Um cristo vivo
Um dilema vivido:

De onde vim
Pra onde irei

Antes de
Teres-me

Consumido.
TERRA!!!!!!

TERRA!!!!!!
TERRA!!!!!!

Negreiros Neto

ESTRADAS PARALELAS

Nasci com o destino
Pronto e traçado.
Menino tonto e santo
Esperto e safado.

Cresci, não houve jeito.
Hoje, homem feito.
Trago essa sina comigo
Cravada dentro peito.

Amei, namorei e casei.
Num bom sujeito me transformei
Certo que tudo tinha passado
E meu destino sacramentado

Apareceu alguém que desde sempre
Paralelamente, caminhava ao meu lado.
Nossos rumos pelo destino foi traçado
Bem traçado!

Mesmo em estradas paralelas
O encontro estava predestinado.
As regras da matemática ficaram no passado
E nesse ponto ficamos juntos, deixamos de ficar lado a lado.

Minha filha e mulher me perdoem
Pai e mãe me abençoem
Se existe um culpado
Foi o destino que pelos caminhos é o responsável

Hesitei, tentei, busquei
Todas as formas do imaginário
Juntei todas as forças
Para sair desse traçado

Fui ao extremo
Mas o músculo fadigou
Corri em tangente
Mas a perna travou

Agora lançado à sorte
Se é pra vida ou pra morte
Apostar eu vou
Ah! Eu vou.

Negreiros Neto

BEIJO DE MÃE

Doçura sem igual
Canto de colibri
Puro, natural
Saboroso néctar
Da flor matinal
Dado ao homem
Prazer fenomenal
Indescritível momento
Sentimento universal
De pai é maravilhoso
De mãe é descomunal
Momento de deuses
Divino, celestial
Sereno e simples
Poema de Natal

Negreiros Neto

ADEUS AMIGO

Chame-me meu amigo
Quero ter uma prosa com ele
Amigo véi,
Tá chegando minha hora
Findou meu caminhar
Gostei da jornada, não tenho nada pra reclamar.
Fiz quase tudo que estava previsto
Fiz também alguns imprevistos
Mas nada que possa me envergonhar
Li o livro todinho, não deixei nenhuma página passar.
Umas eu conto, outras é melhor não contar.
Amigo véi,
Cabra valente, nunca me faltou com a palavra dada.
Ferro na casa de ferreiro, amigo de dores e festejos.
Comemore a minha ida com alegria e fale pra todos do amigo que tinha
Amigo véi!
As dores tão querendo atrapalhar
Os olhos teimando em fechar
Mas já tô no dia e no lugar.
Ora, O momento pode esperar.
Amigo véi
Quero me desculpar
Porque minha amizade nunca conseguiu, com a sua empatar.
Mas, fico feliz sabendo que a sua tá em primeiro lugar
Amigo véi!
A hora acabou de chegar
A ordem vêi lá de cima e eu não posso questionar
Faça-me o último favor
Chame todos pra cá
Mulher e filhos fiquem com Deus
Adeus amigo
Amigo adeus

Negreiros Neto

ME DANDO SOPA

Meu compadre Zé
Companheiro que é

Me convidou pra tomar uma sopinha
Com a melhor cachaça que tinha

Má cheguei e sua bichinha
Que não é, comadre minha

Veie logo me dando sopinha
Mas, prato e colher não tinha

Compadre falava das coisas
E ela me dando sopa

Compadre ia pegar uma cachacinha
E ela me dando sopa

Compadre mostrava as coisas que tinha
E a bichinha, me dando sopa

Compadre dava uma saidinha
E ela me dando sopa

A prosa foi melhorando
E ela me dando sopa

O tempo passando
E ela me dando sopa

Compadre se abestalhando
E ela me dando sopa

A noite foi chegando
E ela me dando sopa

Compadre se embriagando
E ela me dando sopa

Fui ficando de água na boca
Compadre deu uma toradinha

Peguei a danada da sopinha
Me fartei da bichinha

Negreiros Neto

O vício da leitura é o único que usa componentes químicos, criado pelo próprio organismo.

Negreiros Neto

"Não há mau que dure para sempre, quando nós o combatemos."

Negreiros Neto

"Os bastidores são outros cenários. O palco é apenas mais uma peça."

Negreiros Neto

Saudade de homem é pior que a de mulher, pois de mulher se sabe o porquê, mas a de homem não se sabe porquê é.

Negreiros Neto