Coleção pessoal de mathiasportugues

81 - 100 do total de 220 pensamentos na coleção de mathiasportugues

Vaiar a dilma é o maior programa social que existe. Você vaia hoje e amanhã já vira elite!!! Nunca foi tão fácil melhorar de vida no Brasil...

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Concedei-nos Senhor, serenidade necessária, para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguirmos umas das outras.

Reinhold Niebuhr
9.6 mil compartilhamentos

Vamos celebrar a estupidez humana
A estupidez de todas as nações
O meu país e sua corja de assassinos
Covardes, estupradores e ladrões
Vamos celebrar a estupidez do povo
Nossa polícia e televisão
Vamos celebrar nosso governo
E nosso Estado, que não é nação
Celebrar a juventude sem escola
As crianças mortas
Celebrar nossa desunião

Vamos comemorar como idiotas
A cada fevereiro e feriado
Todos os mortos nas estradas
Os mortos por falta de hospitais
Vamos celebrar nossa justiça
A ganância e a difamação
Vamos celebrar os preconceitos
O voto dos analfabetos
Comemorar a água podre
E todos os impostos
Queimadas, mentiras e sequestros
Nosso castelo de cartas marcadas
O trabalho escravo

Legião Urbana
2 compartilhamentos

São Paulo cresceu nos últimos trinta anos sem planejamento algum, áreas de preservação invadidas por troca de votos, pessoas incompetentes administrando setores essências, crescimento desordenado, abandono total da administração pública e super população são só alguns dos fatores que levaram São Paulo ao caos hídrico....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Eu gostava de chamar os meus amigos negros de negão, black, zé black, tição, azul, dentre muitos outros nomes que expressavam muito bem a liberdade de nossa intimidade despretensiosa e carinhosa, sem que algum chato pseudo-conciente-social fizesse os seus julgamentos, levantando acusações sobre racismo.

Eles eram meus amigos de verdade.

Eu gostava de chamar os meus amigos de cabeção, orelhudo, chupa-cabra, rolha de poço, chorão, dentre outros apelidos que expressavam muito bem a nossa intimidade despretensiosa, sem que algum chato pseudo-conciente-social fizesse os seus julgamentos, levantando acusações sobre bullying.

Eles eram meus amigos de verdade.

Eu gostava de chamar os meus amigos homossexuais de boiola, viadinho, pederastra, gazela, cabeleira do zezé, coisa fofa, dentre muitos outros adjetivos que expressavam muito bem a liberdade de nossa intimidade despretensiosa, sem que algum chato pseudo-conciente-social fizesse os seus julgamentos, levantando acusações sobre eu ser homofóbico.

Eles eram meus amigos de verdade.

Eu gostava muito de dizer a esses amigos que eu estava estudando bastante para passar no vestibular das melhores faculdades do Brasil, porque eu queria vencer na vida e ser alguém relevante na sociedade, sem que algum chato pseudo-conciente-social fizesse os seus julgamentos, levantando acusações sobre o fato de eu querer me tornar um burguês.

O fato é que o mundo ficou mais chato e nem por isso ficou melhor. Ou eu sou o único que está achando que ele piorou?

Eu gostava mesmo era de andar nas ruas da cidade sem ser assaltado, de admirar os líderes do meu país, de acreditar que éramos o país do futuro e de ter muito bem definido o que era o certo e o errado. Isso tudo se perdeu há alguns anos.

Além de chatos, estamos perdendo aquela intimidade espontânea e despretensiosa que foi trocada pelo discurso hipócrita do politicamente correto. Estamos nos enganando que estamos ficando mais civilizados, mas a cada dia nos afastamos de amizades mais profundas e nos tornando o melhor amigo do celular e do laptop, orgulhosos da mudança que achamos que está sendo implantada no país.

Somos mais desconfiados, machucados e cheios de razão e com discursos que repetimos como papagaios desde que começamos a ser catequizados pela TV, internet, pela propaganda governamental, em especial nas Universidades, onde muita gente de boa intenção foi contaminada com a chatura do pensamento, considerado moderno, reformador que deixou pelo caminho valores essenciais da boa convivência, impondo os seus ideais ambiciosos e que sempre fracassaram.

A sociedade está muito chata e cada vez mais medíocre. O pensamento pequeno tomou conta e o coitadismo cominou a agenda. O pobre, com esta tendência, vai ficar ainda mais pobre, enquanto o rico a cada dia perde a paciência e muda de país. No meio dessa dança de cadeiras, quem está no poder, em vez de trabalhar, trabalha apenas para continuar lá, deitado em berço esplêndido.

Mergulhamos na corrupção sem limites e a da pior espécie. Daquela que acredita que os fins justificam os meios e que tratam marginais como heróis. Mergulhamos na falta de credibilidade, onde a mentira dá as cartas e o que se promete num dia, no dia seguinte depois do pleito pratica-se o contrário, deixando faltar a água e energia prometidas anteriormente com abundância.

Onde foram parar os militantes e seguidores fervorosos? O que vai acontecer com a confiança incondicional desses brasileiros idealistas que se iludiram que estavam construindo um país realmente justo? O resultado tem sido decepção e mais descrença. Parece que estamos amaldiçoados e fadados ao terceiro mundo, na terceira divisão do planeta e colegas de quarto da Bolívia e Venezuela.

Um país como Brasil, que merecia viajar na primeira classe da história, está se conformando em ocupar o espaço apertado, escuro e mofado do bagageiro.

Tragam o Brasil de volta. Quem pode fazer isso?

Não estou falando de partidos políticos, pois quase todos, se não todos, se enquadram neste texto. Estou falando de nossa identidade, de nossa liberdade, de nossa espontaneidade e acima de tudo, da segurança de ir e vir nas grandes cidades sem que sejamos assaltados, assassinados ou estuprados por marginais com mais ou menos de 18 anos. Que diferença faz? Tanto faz.

Se um dia você passar pelo infortúnio que passam as famílias de quase 60 mil brasileiros que são assassinados todos os anos, que diferença faria se o marginal que tirou a vida de seu ente querido tivesse 50 ou 15 anos de idade? Certamente, a sua dor não seria nem maior ou menor.

Por isso, hoje, a regra é ser superficial, chato e hipócrita, mas com pose de bacana e nariz empinado de intelectual com consciência social e camisa com estampa do Chê Guevara, sob pena de ser linchado nas redes sociais ou em roda de amigos chatos, sustentados pelas mesadas do papai.

Nessa epidemia de chatura, o barato é ser descolado e atacar o primeiro que se atreva a sair do quadrado, da lavagem cerebral reformadora que invadiu o país e roubou não apenas a Petrobras, mas principalmente a nossa identidade verde amarela e a trocou por um martelo e uma foice.

Por que um martelo e uma foice? Por que não um caderno e um livro? Um estetoscópio e um bisturi? Uma chuteira e uma bola? Quem sabe, um mouse e um teclado? Uma bateria e uma guitarra? Ou até uma gravata e um terno?

Não quero um país proletário. Quero o pobre prosperando.
Não quero menos ricos. Quero mais ricos.
Não quero discurso bonitinho. Quero atitudes honestas.
Não quero mais gente chata. Quero gente guerreira, batalhadora e com vontade de transformar a sua realidade de vida e promovendo uma vida melhor para os seus filhos.

Como isso pode ser possível?
Há muito o que se debater a este respeito, mas certamente não será com um martelo e nem muito menos com uma foice.

BOA NOITE

Desconhecido
1 compartilhamento

Um país que não preserva seu passado e sua história não tem futuro....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Isso é a merda que virou o Brasil graças a essa Democracia corrupta, não se tem um pingo de respeito pelas Autoridades Militares....Até quando vocês vão aguentar isso???

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Vigie somente aquilo que lhe diz respeito. Aquilo que não te compete, use o bom senso e respeite.

Sérgio Lumas
2 compartilhamentos

Vivemos num País em que o vagabundo é a vitima da sociedade e o cidadão honesto e trabalhador é o culpado por ter valores morais e querer ter bens materiais com o suor do seu próprio trabalho....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

A MORTE NÃO É NADA

A morte não é nada.
Apenas passei ao outro lado do mundo.
Eu sou eu. Você é você.
O que fomos um para o outro, ainda o somos.
Dá-me o nome que sempre me deste.
Fala-me como sempre me falaste.
Não mudes o tom a um triste ou solene.
Continua rindo com aquilo que nos fazia rir juntos.
Reza, sorri, pensa em mim, reza comigo.
Que o meu nome se pronuncie em casa
como sempre se pronunciou,
sem nenhuma ênfase, sem rosto de sombra.
A vida continua significando o que significou: continua sendo o que era.
O cordão de união não se quebrou.
Por que eu estaria fora dos teus pensamentos,
apenas porque estou fora da tua vista?
Não estou longe, somente estou do outro lado do caminho.

Henry Scott Holland
14 mil compartilhamentos

Os seres humanos tem muito que aprender com os outros seres vivos do nosso planeta, pena que a nossa arrogância de acharmos que somos superiores não nos permite......

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

É mais fácil os animais, plantas e demais seres vivos com sua pureza irem para o céu do que um ser humano com sua maldade e ganância....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

O ser humano é o único ser vivo que não consegue viver em harmonia com outros seres vivos, onde o ser humano chega ele invade destrói e mata.....Ou seja é uma praga no planeta terra....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Corrupção pode ser cultural, mas não é por isso que o governo com o apoio da justiça tem que institucionalizar....Ou no português claro, tornar obrigatório....

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Estamos em guerra civil, de um lado bandidos fortemente armados prontos para tudo, no meio a policia desmotivada e criticada pela imprensa e do outro lado, os cidadães honestos e desarmados prontos para serem abatidos como cordeiros, somente em 2012, foram registrados 50.108 homicídios no Brasil, número equivalente a pouco mais dos 10% dos assassinatos cometidos em todo o mundo, que foram 437 mil.

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Desabafo...
Fui a uma loja hoje de manhã e estive lá por uns 5 minutos. Quando eu saí, vi um guarda municipal, com sua motocicleta, todo prepotente (eles se sentem 'otoridade') preenchendo uma multa. Corri até ele e soltei o famoso:
- Peraí, amigão, não faz isso não, dá uma chance!
Ele me ignorou e continuou escrevendo a multa.
Então eu o chamei de babaca metido a polícia!
Ele me olhou e, sem dizer nada, deu uma olhada em um dos pneus do carro e começou a fazer outra multa. Então eu falei:
- Que merdinha de profissão a sua, hein?
Ele começou a escrever uma terceira multa!
Foram mais uns 5 minutos ali fora, discutindo ou tentando discutir. E quanto mais eu xingava, mais multas ele preenchia. Depois que eu vi que aquilo não iria resolver, saí dali e fui pegar o meu carro no estacionamento, na outra quadra.
Mas tudo bem o importante mesmo é ter tentado ajudar o outro coitado que eu nem sei quem é! Sempre que possível, devemos tentar ajudar alguém que tem adesivos da Dilma e do PT no carro! A gente se sente com a alma lavada!
Vou sempre tentar ajudar vocês parceiros.

Desconhecido
1 compartilhamento

Só nos três anos completos de Dilma, ou seja, SEM CONTAR 2014, o sistema financeiro nacional lucrou R$ 115,75 bilhões. É quase o dobro dos R$ 63,63 bilhões somados em oito anos do governo Fernando Henrique, em valor atualizado pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) até dezembro de 2013. Com o Lula, a lucratividade total atingiu R$ 254,76 bilhões. Na média anual, Dilma (novamente, lembrando que é sem contar 2014) fica com R$ 38,58 bilhões; Lula com R$ 31,84 bilhões; e FHC com R$ 7,95 bilhões.

Desconhecido
1 compartilhamento

Se o PT fosse realmente o partido dos trabalhadores,deveria se envergonhar em dizer após 12 anos que beneficia 50 milhões de pessoa com o Bolsa Família.
Deveria se orgulhar se pudesse dizer que após 12 anos no poder, ninguém mais precisa de ajuda do governo, pois todos os Brasileiros tem trabalho para sustentar suas famílias.

Desconhecido
1 compartilhamento

Quer crescimento e investidores no Brasil, é só fazer três coisas básicas...Combater de verdade a corrupção, baixar impostos pela metade e realmente investir numa Educação séria...

Luiz Carlos Mathias
1 compartilhamento

Como eu posso votar na Dilma, se a Cerveja de garrafa no ano de 2000 custava em media R$ 1 e o salario mínimo era de R$ 151. Eu comprava 151 garrafas de cerveja. Hoje a cerveja é em média R$ 7 e o salario mínimo é de R$ 724, só compro hj 103 garrafas. Roubaram 48 garrafas de cerveja minhas nesses 12 anos. Fora PT

Desconhecido
1 compartilhamento