Coleção pessoal de LucianoSpagnol

121 - 140 do total de 2388 pensamentos na coleção de LucianoSpagnol

⁠REMINISCÊNCIAS

O amor que amei francamente
e que francamente me estimou
ainda, cá no peito eternamente
murmura, suspira e não acabou
Sei que muito me transformou
sinto forte e na alma reluzente
hoje, evidente, tal antigamente
amor que sinceramente amou

E, sei que é o que me faz vivo
sempre com um fim, o motivo
o amor de amante, uma jura!
E nessa história de sentimento
as reminiscências, o momento
de reviver a imutável ternura!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
21 de maio, 2022, 15’15” – Araguari, MG

Tags: reminiscências poeta

⁠TIRANIA

E, queres que te deslembre subitamente
e que apague os versos para te inspirados
os que aos bocadinhos foram enamorados
desde quando o querer ainda era pendente
Deixe que cada verso dissolva lentamente
no evocar do passado e, então, pingados
na lembrança, assim, do peito arrancados.

Deixe-me, cá, com meu silêncio audiente
Dá-me um momento, menos, a cada dia
que assim possa esvaziar a minha poesia
de uma maneira que eu saiba sem saber
Esquecer-te tão de repente, inteiramente
eu nem sei se um raiar pode ser suficiente
pois, é malvadeza, e faz tirano o alvorecer

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
19 de maio, 2022, 16’42” – Araguari, MG

Tags: tirania amor

⁠ETERNA SEDUÇÃO

Ah, o amor, em sua eterna sedução
deixou-me a felicidade pelo pranto
cobriu a sensação de doce encanto
musicando o sentimento no coração
Assim, o suave momento, emoção
fiz da satisfação um terno acalanto
suavizando a alma em um recanto:
de paz, bem, e momento de paixão

Das lágrimas escondidas na solidão
a ventura de ter-te na alegria, união
o olhar, mãos enlaçadas, o cuidado
Como é bom ter ao lado o lirismo
aquele que tira da gente o abismo
da divisão, esquecendo o passado!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
Maio, 17/2022, 15’31” – Araguari, MG

Tags: eterna sedução

⁠SONETO INDIGENTE

Na entranha dos poemas tenebrosos
O silêncio parece ter palpitante vida
E a solidão, sobre a poética refletida
Traz ocos e sentimentos impetuosos
Pela sofrência, em salmos lamuriosos
Sussurra a prosa em uma rima sentida
E a versificação senti tão enternecida
Os cânticos rumorejantes e vultuosos

Em odes sombrias, a privação, o pesar
Ah! soneto indigente, deixai-me livrar
Da situação importuna que tempestua
Priva-me do verso esfolado, crucificado
A aflição, as matinadas, de um passado
Que suspiram na poesia sibilante e nua!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
Maio, 16/2022, 18’16” – Araguari, MG

Tags: indigente soneto

⁠CÁRCERE

De que vale gracejar se nas entranhas
tens verso triste de inarráveis dores?
Se na prosa outras e diversas manhas
todas disfarçadas de coloridas flores
De que vale a sedução dos amadores
pra se tutorar das escarpadas sanhas
quando no versar, versos sofredores
de poética com sensações estranhas

No cárcere da dita, a força incontida
da cizânia, tendo a emoção repartida
sem o amor, tirando o afeto da gente
O que me punge é ser um diletante
sonhador, e que vive por ser amante
do querer, com sentimento torrente...

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
Maio, 15/2022, 19’29” – Araguari, MG

Tags: cárcere amor

⁠APELO III

Ajude-me, poética, a sempre ser
Emotivo, amoroso, tanto atento
De mim tira a sina de então ter
Um versar ausente de fomento
Ajude-me no agrado de conter
Na prosa aquele tal sentimento
Que enche de magia, de prazer
O leitor, e ao poeta o momento

E, em cada imaginação, encanto
Trazendo a sensação dum canto
Doce, do mais belo, o que fascina
Zele sempre em prol da sedução
Daquela terna inspiração divina
Acordando o amor com emoção!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
Maio, 14/2022, 15’59” – Araguari, MG

Tags: apelo luciano

⁠EU VOU SER BREVE

Eu vou ser breve por estar saudoso
De tanto que a tua falta me é sofrer
De tanto que me fiz um aturado ser
Eu vou ser breve, neste ato fragoso
Nos meus versos fui um desejoso
Poetando afeto, mimo, podes crer!
E, na minha poética o doce querer
Dos beijos, aquele mais formoso

O olhar você já tem, é só me olhar
E a prosa é sedutora, vai sustentar
Uma poesia com amor é sentimento
Então, qual o porquê da provação?
Em nós o alvor é de tanta sensação
Te quero! ... mais a cada momento!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
13 de maio, 2022, 19’19” – Araguari, MG

⁠ALGUÉM

Por muito tempo procurei pela tal poesia
falando de amor, mas, sempre esquivou
cheguei a achar que a inspiração acabou
sequer iria ter a textura, a incomum magia
E, de tanto procurá-la, na poética aportou
os encontros, os desencontros, uma folia
que nem bem surge e foge da companhia
deixando o vazio, tentando um novo voo

O tempo passa, passou, e vai passando
que leva o verso sempre a ficar buscando
quem nunca, por um amor não escreveu?
Pois, na tentativa da prosa sussurrante
cruzei com o olhar em distinto instante
e o alguém, hoje, contém no verso meu!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
10 de maio, 2022, 19’19” – Araguari, MG

Tags: amor alguém

⁠ÁGUA

Oh... afortunada água que sacia
a matéria sedenta, tão sequiosa
e que pro desejo é doce poesia:
de prazer, alegria, ó fonte ditosa!
Da natureza aquela boa cortesia
que depura, alivia, vida fabulosa
de fundamento para o nosso dia
que a todos é a razão venturosa

Louvado seja, água pura e sadia
que seja sempre boa companhia
cuidada, e pra cada um presente
Oh, afortunada água que abebera
impera, e a secura freia, pondera
pois, afinal, é vida na vida da gente!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
9 de maio, 2022, 19’57” – Araguari, MG

Tags: água luciano

⁠A VELHA RUA

Passou o tempo, ligeiro, distante
e a lembrança ainda uma guria
guardou aonde brinquei bastante
aquela velha rua... terna poesia!
Então, encanecido e inquietante
saudoso quis revê-la. Tão vazia
suas calçadas. Estreito instante
velhos momentos, velha alegria

Achei, por ali, tudo tão desigual
outrora garrida, agora com danos
avelhada, cansada, quase casual
Casas idosas, calçamento mordaz
iguais a mim, se foram os anos
e a velha rua, por fim, contumaz!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
08 de maio, 2022, 16’34” – Araguari, MG

⁠INQUILINA

Perpassa o vento no torto cerrado
em sonata de sofrência e agonia
sussurrando um vazio tão lotado
de recordação e sombria poesia
Sobre a solidão, à tarde, quando
vem a sensação do fim do dia
o vão, a lembrança, em bando
que avida a dor, gasta, erradia

E, do teu olhar o fascínio ainda:
suave, impar, sujeito, presente
cravando o falto em árdua sina
Tudo, versos de tristura infinda
que aperta o coração indigente
e que faz a saudade sua inquilina...

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
5 de maio, 2022, 20’00” – Araguari, MG

Tags: inquilina saudade

⁠QUE PERDI...

Não te peço a inspiração apaixonada
nem as paixões que dantes me deste
nem o singular acaso que me avieste
ó soneto! Dá-me a pacatez, mais nada!
Os versos de amor que, então, fizeste
outrora, não te peço! Seja reservada
a doce sensação. E não seja jornada
a saudade viscosa, duma dor agreste

A uma prosa carinhosa inteiramente
não te peço! E nem a glória engaste
na trova dum pranto que versa aqui
Velado, pouco peço! Tão unicamente
tão somente, o encanto que furtaste...
Volta-me, ó gozo, da poética que perdi!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
4 de maio, 2022, 20’43” – Araguari, MG

Tags: perder luciano

⁠MEU NOME É LUCAS

Meu nome é Lucas, iluminado
me vejo de coração virtuoso
e já no ventre me sinto amado
ansioso, sentimento amoroso
meu nome é Lucas, desejado
intuitivo, inspirador, caloroso
um Lucas na vida, tem ao lado,
um amigo, prestativo, vigoroso

sou, e não paro um segundo
curioso, muito perguntador
sou Lucas, de olhar profundo
são os significados: de valor:
de ser Lucas, ser do mundo
de todos nós, Lucas, amor!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
01 de maio de 2022 – Araguari, MG
chegada o sobrinho neto, Lucas Naves Abraham

Tags: lucas naves

⁠vem, maio,
achegue
com o M das Mães,
de Maria
do amor guardiães...
seja gentil com a gente,
abundantemente...
traga sonhos, dias contentes
que seja sereno...
pleno
com novos ventos
pensamentos novos
novos sentimentos...
que o tempo passe na medida certa
em um muito mais, mais oferta...
outras descobertas...
amor sempre! lindo!
convindo!
maio, bem-vindo!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
30 de abril, 2022, 15’03” – Araguari, MG

⁠ABANDONO

Talvez, tudo, já ti tenhas esquecido
A saudade já não é mais frondosa
Em uma parte do passado, a rosa
E os ternos suspiros já sem sentido
Perdeu-se aquela forma carinhosa
Pois, agora, um vazio enternecido
Aquele palavreado a nós divertido
Se calou, o que já foi a boa prosa

Do olhar, apenas, breve recordar
Da rizada, dos gracejos, um dia
Cá na ilusão, o apesar, contudo
Só, errante, a poesia a murmurar
Sob o céu do cerrado, penosa via
Passado, deves ter esquecido tudo!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
30 de abril, 2022, 11’38” – Araguari, MG

Tags: abandono amor

⁠SONETO

Primai, ó soneto, rimas e refrões
Incendiai de estro o pensamento
Exulte a sensação com fomento
E tenhas fluência nas emoções
Vós, poética, rolai vosso intento
Bardo, cantai as doces canções
Vossas, vindas d’alma, e ilusões
De amor, cheio de encanamento

Num dilúvio de validade, o infinito
Tito, amoroso e de leve calmaria
Ao som do carinho que é bendito
E, então, nestes sonidos divinos
Ter em si as premissas da poesia
Autêntica e hábil, de puros hinos!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
29 de abril, 2022, 21’56” – Araguari, MG

Tags: soento inspiração

⁠POSSA EU...

Possa eu na poética assim: tu, comigo ao lado
e, ao sentimento, as sensações resplandecendo
aquele olhar tão sedutor no toque rescendendo
em versos de carinho, dum poetar apaixonado
No mimo me espalhar inteiramente, e aí vendo
os teus gestos, os cuidados, em mim pousado
o teu sussurro baixinho ao ouvido, e eu, calado
sentimental, encantado, alegre, do amor sendo

Que em cada trova, um trovar contigo repartido
e num valioso sentido a terna emoção prosada
a alma, o pensamento, para sempre, sucumbido
Então, o meu destino no canto fosse conteúdo
e cada verso: um detalhe, um sentir, mais nada
e nas entrelinhas, que possa eu, dizer-te tudo!

© Luciano Spagnol - poeta do cerrado
29 de abril, 2022, 11’31” – Araguari, MG

Tags: amor possa

⁠A DOR DE MARIA

A dor de Maria, por seu filho, árdua a feria
na cruz, Jesus jazia, em pleno sofrimento
suspiros, sussurros, tal a um punhal lento
agudo, amolado, rasgando com vil tirania
E nos céus, um vendaval, então, anuncia
todo o seu sofrer, um sofrer tão violento
a dor de Maria, o soluço do firmamento
pois, seu filho amado, ali, então, morria

E a dor de Maria, imaculada, em pranto
de mãos postas, coração com dor doída
tem nos olhos úmidos, teu pesar, tanto!
Mãe Dolorosa, de sina amargurada e forte
de Deus, Pai, recebe o filho, Cristo, a vida!
Do homem, traição, que Lhe deu a morte!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
28 de abril, 2022, 15’00” – Araguari, MG

⁠POEMA, SONHADOR

E vamos assim: olhos cerrados, inspiração
em um sonho poético, encantado e gentio
prosas com asas, desatando a imaginação
e, na ilusão: a sensação e a criação no cio
Por entre as mãos, um versar apaixonado
sussurrante de amor, a muitas horas a fio
onde há de ter uma trova de terno agrado
e supremo aparato com um doce arrepio

Que feliz role o sonho, no poema sonhador
tal qual nas noites românticas com luares
resguardando o verso em um largo sorriso
E que nada altere a este talante sedutor
que seja sentimental apesar dos pesares
pois, sonho, pro poeta, é sempre preciso!

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
27 de abril, 2022, 19’36” – Araguari, MG

Tags: poema sonhador

⁠ELA

Todo dia ela sussurra, informal
do profundo, a sensação escoa
com a sua sedução tão virginal
e asas ao vento a ilusão povoa
Literária de matizado de vitral
da caligrafia e, de olência boa
dando cheiro pro sentimental
na graça poética que a coroa

É ela, a poesia, versos que cria
o amor, essência, nada em vão
e que ao poeta o ego acaricia
E, assim, tão emocional e bela
percorre no feito da permissão
varia, e o acaso prosa com ela...

© Luciano Spagnol – poeta do cerrado
26 de abril, 2022, 19’40” – Araguari, MG