Coleção pessoal de Lenisil

1 - 20 do total de 807 pensamentos na coleção de Lenisil

⁠Uma pepita de ouro puro do tamanho de uma caixa de fósforos pode ser esmagada e alisada numa fina folha do tamanho de um campo de ténis.»
Em "Curiosidades do Mundo", Editorial Notícias Quarto Minguante.

Pedro de Castro, escritor português

⁠Uma mulher foi a autora da primeira obra literária de todos os tempos. Murasaki Shibiku, uma japonesa da classe nobre, escreveu, no ano 1007, um livro chamado A História de Genji, que contava as aventuras de um príncipe em busca do amor e sabedoria. A pessoa que escreveu o maior número de romances na história da literatura também é uma mulher. Barbara Cartlandé autora de nada menos do que 733, que venderam mais de mil milhões de exemplares em mais de 36 idiomas, fazendo dela também a autora de romances mais vendida do mundo.
Em "Curiosidades do Mundo", Editorial Notícias Quarto Minguante.

Pedro de Castro, escritor português
Tags: murasaki shibiku

⁠A bandeira olímpica foi idealizada pelo barão de Coubertin em 1913 e oficializada em 1914. É toda branca com 5 anéis entrelaçados, que representam os cinco continentes (azul, Europa; amarelo, Ásia; negro, África; verde, Oceânia; e vermelho, América. Com estas cinco cores podem ser compostas todas as bandeiras do mundo.
Em "Curiosidades do Mundo", Editorial Notícias Quarto Minguante.

Pedro de Castro escritor português
Tags: bandeira olímpica

⁠A curiosidade encerra o desejo de saber, de ver, de conhecer. Ela é o princípio da sabedoria, o combustível do desenvolvimento.
"Curiosidades do mundo"; Editorial Notícias Quarto Minguante.

Pedro de Castro escritor português
Tags: curiosidade sabedoria

⁠Se a psique não é obrigada a viver no tempo e no espaço apenas e obviamente não vive, então a psique não está sujeita aquelas leis, o que indica uma continuação prática da vida.

Carl Gustav Jung

⁠"O homem não pode suportar uma vida sem significado."

Carl Gustav Jung
Tags: vida sem-significado

Acredito que alguma parte do Eu ou da alma não está sujeita às leis do espaço e do tempo.

Carl Gustav Jung
14 compartilhamentos

Mas o que acontecerá, se descubro, porventura, que o menor, o mais admirável de todos, o mais pobre dos mendigos, o mais insolente dos meus caluniadores, o meu inimigo, reside dentro de mim, sou eu mesmo, e precisa da esmola da minha bondade, e que eu mesmo sou o inimigo que é necessário amar?

Carl Gustav Jung
88 compartilhamentos

É ilusório imaginar que o homem possa dominar e controlar a natureza, se ele não foi ainda capaz de controlar e enxergar a sua própria natureza.

Carl Gustav Jung
71 compartilhamentos

Só raramente conseguimos que nos amem, mas é sempre possível fazer com que nos estimem.

Bernard Fontenelle

É verdade que não podemos encontrar a pedra filosofal, mas é bom que ela seja procurada; procurando-a, descobrem-se muitos bons segredos que se não procuravam.

Bernard Fontenelle

Todos os homens se enganam, mas só os grandes homens reconhecem que se enganaram.

Bernard Fontenelle
16 compartilhamentos

- Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa.

- As pessoas que querem compartilhar as visões religiosas delas com você, quase nunca querem que você compartilhe as suas com elas.

Dave Barry

De te ver fiquei repeso,
Em vez de ganhar perdi;
Quis prender-te, fiquei preso,
E não sei se te prendi.

António Aleixo
56 compartilhamentos

A vida é aquilo que é desconhecida por toda a humanidade. simplesmente podemos desabafar ou exprimir o que pensamos dela.

Pedro de Castro

⁠Othala. Herança. A runa mais difícil de entender.
[tradução de António Carlos Carvalho]

Rick Riordan

Revelação

Um dia vestido
De saudade viva
Faz ressuscitar
Casas mal vividas
Camas repartidas
Faz se revelar

Quando a gente tenta
De toda maneira
Dele se guardar
Sentimento ilhado
Morto, amordaçado
Volta a incomodar

Clodô e Clésio

Não Dês Esmola a Santinhos

MOTE

Não dês esmola a santinhos,
Se queres ser bom cidadão;
Dá antes aos pobrezinhos
Uma fatia de pão.

GLOSAS

Não dês, porque a padralhada
Pega nas tuas esmolinhas
E compra frangos e galinhas
Para comer de tomatada;
E os santos não provam nada,
Nem o cheiro, coitadinhos...
Os padres bebem bons vinhos
Por taças finas, bonitas...
Se elas são p'ra parasitas,
Não dês esmola a santinhos.

Missas não mandes dizer,
Nem lhes faças mais promessas
E nem mandes armar essas
Se um dia alguém te morrer.
Não dês nada que fazer
Ao padre e ao sacristão,
A ver para onde eles vão...
Trabalhar, não, com certeza.
Dá sempre esmola à pobreza
Se queres ser bom cidadão.

Tu não vês que aquela gente
Chega até a fingir que chora,
Afirmando o que ignora,
Assim descaradamente!?...
Arranjam voz comovente
Para jludir os parvinhos
E fazem-se muito mansinhos,
Que é o seu modo de mamar;
Portanto, o que lhe hás-de dar,
Dá antes aos pobrezinhos.

Lembra-te o que, à sexta-feira,
O sacristão — o mariola! —
Diz, quando pede a esmola:
«Isto é p'rà ajuda da cera»...
Já poucos caem na asneira,
Mas em tempos que lá vão,
Juntavam grande porção
De dinheiro, em prata e cobre,
E não davam a um pobre
Uma fatia de pão.

António Aleixo
2 compartilhamentos
Tags: poeta português

Ser Doido-Alegre, que Maior Ventura!

Ser doido-alegre, que maior ventura!
Morrer vivendo p'ra além da verdade.
É tão feliz quem goza tal loucura
Que nem na morte crê, que felicidade!

Encara, rindo, a vida que o tortura,
Sem ver na esmola, a falsa caridade,
Que bem no fundo é só vaidade pura,
Se acaso houver pureza na vaidade.

Já que não tenho, tal como preciso,
A felicidade que esse doido tem
De ver no purgatório um paraíso...

Direi, ao contemplar o seu sorriso,
Ai quem me dera ser doido também
P'ra suportar melhor quem tem juízo.

António Aleixo
2 compartilhamentos
Tags: poeta português

CINCO QUADRAS DO ANTÓNIO ALEIXO

Acho uma moral ruim
trazer o vulgo enganado:
mandarem fazer assim
e eles fazerem assado.

Sou um dos membros malditos
dessa falsa sociedade
que, baseada nos mitos,
pode roubar à vontade.

Esses por quem não te interessas
produzem quanto consomes:
vivem das tuas promessas
ganhando o pão que tu comes.

Não me deem mais desgostos
porque sei raciocinar...
Só os burros estão dispostos
a sofrer sem protestar!

Esta mascarada enorme
com que o mundo nos aldraba,
dura enquanto o povo dorme,
quando ele acordar, acaba.

«««««««------»»»»»»»

António Aleixo
1 compartilhamento
Tags: poeta português