Clichê textos

Cerca de 155 textos Clichê

Essa coisa clichê de Os opostos se atraem definitivamente me cansa, só consigo vê-la como justificativa desesperadora e dolorosa de se amar o inaceitável a todo custo.
Deparo-me todos os dias com suicidas sentimentais, enforcando seus pobres corações por amores impossíveis, SIM, impossíveis para eles próprios.
Eu creio muito, de verdade mesmo, em almas gêmeas; não com todo esse brilho da literatura romancista de nasceram um pro outro;
Mas de amar até o fim, aquilo que te faz bem, que te desperta, que te move; de amar o cheiro, de conversar com os olhos, do companheirismo das mãos dadas...
E como ter isso com alguém TOTALMENTE diferente de você? Eu me pergunto isso todos os dias, e não vejo como!
Triste sina, dos que ainda se agarram a esta estranha verdade.

Lucélia Rodrigues

Para o dia dos Namorados ...

Clichê.
Ah hoje! Hoje é mais um dia comum como todos os outros.
Para que ama, todos os dias é dia de declarar-se, de orgulhar-se, de presentear.
Quem ama, demonstra tal afeto com respeito, lealdade, companheirismo e detalhes em trezentos e sessenta e cinco dias do ano, não em apenas um especificamente.
Dia das mães, dos pais, dos avós, das crianças, dos namorados é todo dia.
TODO DIA É DIA DE AMAR, de respeitar.

Tabata Costa
Inserida por tabatac

ADORÁVEIS MALDITOS TEMPOS DE LÚCIDEZ.

E o clichê que me domina agora, torna-se um ciclo vicioso, constante e perturbador, que como todo ciclo, não há um prévio fim.

Tentei por diversas vezes me desprender dessa mania doentia de abraçar esse ciclo, que por sua vez, já se tornou tão familiar, assim como o observar do nada que insiste em estagnar meus anseios.

Habituada ao incerto, ao contraditório, passo somente a observar o tempo expirar-se, na mesma velocidade que vejo pessoas se perderem pelo mesmo motivo no qual me perdi. Ah, se ao menos pudesse dizer o que as espera aqui… Nada fascinante! A não ser a eterna espera de mudança. Porém cuidado ao constatar que a ruína de uma mente perdida é tomar o triste conhecimento de que tudo já foi mudado.

Maria Cecília Cordisco
Inserida por yesjulliet

Like a roxanne !

Entre faróis e sorrisos falsos
num clichê que releva o traço
A esguia menina se anuncia ao meio fio
Acena o começo na mescla do próprio fim
Se vende por desprezo, vontade ou falta do querer
oferece o prazer por mais súbito que pareça
Contraria a própria decepção e afasta a solidão
do só , do outro e de si mesma !
Não há idade, não há calor..
Não é tênue , nem sereno..
É cínico e mentiroso..
São atores do cotidiano da vida..
Por qual razão ? Por um detalhe ? por necessidade ?
Fazem parte da alquimia folclórica..
Fazem da essência ou demência ?
São seres ..São vidas..
sem vida ?

David Ballot
Inserida por davidballot

Clichê

Há tempos longe da escrita, da produção de textos ou qualquer coisa do gênero – crônicas, contos, receita de bolo, poesia de uma linha só -, hoje resolvi sair da toca, resolvi dar fim ao longo jejum que também me incomodava. Por mais clichê que pareça ser (e quem disse haver mal em ser clichê?), hoje acordei com saudade da minha vida; acordei com saudade de um tempo em que a dinâmica dos fatos era menos feroz e parar para tomar um café com um amigo era algo deliciosamente bom. Em pequenos flashbacks da minha própria caminhada, consegui, no fundo da mente (o que abrandou minha alma), recordar de bons momentos vividos, de boas sensações experimentadas, de sentimentos belos e bacanas que norteiam e permeiam a nossa jornada e de quanto nesta jornada sorri. Tenho aprendido (às vezes à duras penas, confesso), que a magia dos pequenos gestos, do continuar a ser criança e o lado lúdico do viver são de extrema importância para nós, bálsamos renovadores de nós mesmos, que nos impulsionam, nos revigoram, nos elevam, nos fazem crescer. Acordei com uma vontade do novo, do mais, do melhor. Acordei repensando e reavaliando (adoramos fazer isso no fim do ano...) para então galgar, almejar, desejar. Penso que desejamos pouco, que sonhamos pouco, que nos preocupamos demais em empreender em detrimento do sonhar, do doce e irresponsavelmente sonhar. Caímos e recaímos na perigosa armadilha da metodologia, do pragmatismo, das fórmulas feitas, dos prazos, do tempo (que nós mesmos tornamos cada vez mais curto) e na busca incessante – e insana – por mais espaço e memória no grande HD que é a nossa vida, sem nos dar conta de que na maioria das vezes não precisamos de nada disso, momento em que o menos se faz mais, que o mero se torna grande e que a simplicidade pode, sim, ser uma bela orquestra, regida com prazer, deleite e muita satisfação.



Sim, que, nos rendamos ao gostoso clichê das promessas de final de ano, das dietas que sempre irão começar em uma segunda-feira qualquer, de mais uma vez jurar que vamos arrumar o guarda-roupa e suas gavetas e que vamos ver mais nossos amigos, fazer mais exercícios e parar de fumar.



Hoje acordei com uma velha – e saborosa – lembrança de uma música que não toca mais; acordei com a fina dor daquele beijo que deixei de dar e das tantas vezes que deixei de simplesmente dizer para alguém “eu te amo”... acordei sentindo falta dos braços que não mais irão abraçar e do sorriso, simples sorriso que muitas vezes – por orgulho, vaidade e até egoísmo – deixei de dar.

Hoje acordei com vontade de recomeçar, reconstruir e com a certeza, cristalina certeza, de que todos precisamos, de quando em quando, limpar o nosso HD. Ainda que isso pareça clichê.

Marco Santiago
Inserida por MarcoSantiago
1 compartilhamento

Este texto escrito aqui pode até ser clichê. Não sei como pensa quem quer que leia, mas o amor não baseia-se em egoísmo. Somente sabe traduzir tais palavras em sentimentos, o indivíduo que já amou e foi amado de forma recíproca, pois percebeu como o amar é magnífico.
Jamais tenha receio de amar por medo de sofrer. Carrego comigo uma ideologia de que ninguém sofre por amor, mas pela ausência do mesmo. Não sou boa em redigir textos, nunca fui e talvez jamais seja, mas posso dar-te a certeza ao dizer que farei de tudo para ver bem e feliz a quem amo, mesmo que isso custe minha própria felicidade.
Palavras não precisam ser formosas, mas se forem cordiais são válidas, afinal o amor é cego - como tantos dizem – e não precisa de meras linhas para fazer a quem se ama sentir-se afável.

Samantha C.
Inserida por goodbyesam

Olha essa pintura:

Nova, recente, mas clássica.

De longe um tanto clichê

De perto também

Mas ao mesmo tempo, com infinitas particularidades.

O quadro é longo,

Observá-lo é também uma caminhada.

Ele parece durar uma vida.

Na extensão se passam várias cenas

Não, é apenas uma cena

Mas ela muda, se transforma ao longo de si.

É um transcorrer.

E nessa obra

Que ora parece feita de momentos

E ora parece um todo em constante transformar

Algumas passagens chamam minha atenção

Por motivos que pra entender só vendo.

Algumas outras só passam,

Estão ali, eu sei,

Mas sinceramente nem me lembro.

Mas do que lembro, lembro que vi:

Sorrisos olhados,

Horrores falados,

Amores cantados,

Medos tocados,

Lições mandadas,

Dores caligrafadas,

Lágrimas largadas,

Memórias guardadas.

É uma história contada.

E ainda que eu sinta cada nuance

E aspire cada forma

Não é suficiente.

Pois essa obra,

Que só agora vejo, ainda está sendo construída,

Pode ser escrita, ouvida e contada.

Mas é melhor ainda quando é vivida.

Juliana de P.B.
Inserida por Jaydot
1 compartilhamento

Não vou começar aqui com um "Bem-vindo, Setembro" porque isso já virou clichê, muito menos um "Me surpreenda", porque não adianta nada querer ser surpreendida, se continuarmos no mesmo lugar e do mesmo jeito. Por isso eu só quero dizer:
" - OI SETEMBRO! Esse mês vou começar diferente e sei que Deus vai se encarregar de fazer o resto!"

Ana Amélia Fideles Amaro
Inserida por anaafideles

Mudança de vida


"Viva cada segundo da sua vida intensamente", frase clichê né? Mas bem verdadeira.
Não só pelo fato de que podemos morrer amanhã ou até mesmo no minuto seguinte, mas principalmente porque a vida muda. As pessoas, os lugares, as roupas...Tudo. O que tinha graça a algum tempo, hoje talvez não tenha tanta graça assim.
Os momentos felizes que você tem com seus amigos são impossíveis de serem repetidos, mesmo que estejam as mesmas pessoas, nos mesmos lugares, o estado de espírito muda. Esses momentos felizes, perfeitos, foram assim porque tinham que ser, e tudo foi se encaixando.
Algumas pessoas melhoram, outras pioram, e ainda tem aquelas que mudam não com o seu tempo, mas mudam sim quando trocam os grupinhos, pessoas comumente chamadas "maria vai com as outras." Quem não conhece alguém assim? E quem nunca se afastou de alguém especial simplesmente por terem mudado?
A verdade é que mesmo não querendo tudo tem seu tempo, passamos por muitas coisas na vida que nos fazem mudar. Então se perguntarem "sou uma metamorfose ambulante."

Sabrina Clemente
Inserida por bina-clemente
1 compartilhamento

Antes que comece a parecer brega demais ou clichê, já vou logo me explicando. Ele me viu nascer, me viu dar os primeiros PASSOS, me viu CORRER, me viu CAIR, me viu LEVANTAR. ELE VIA TUDO, me viu SORRIR, me viu CHORAR, ELE acompanhou TODA A MINHA VIDA do melhor lugar, sem atrapalhar as minhas escolhas e decisões, mas de todas as coisas que ELE fez, a maior delas foi me AMAR. ELE me amou tanto que decidiu ser meu único pai. Eu não posso vê-lo, não conheço o seu rosto, nunca senti a sua barba, e talvez eu nunca vou poder te dar uma gravata de dia dos PAIS(haha), MAS EU SEI QUE ESTAS AI DEUS, A CUIDAR DE MIM, ESTAS A ME REGAR COM TEU IMENSO AMOR E A SONHAR COMIGO.

EU NÃO POSSO SER EGOISTA E DEDICAR ESSE DIA A QUEM JA SE FOI, EU PRECISO DEDICAR A QUEM ME VIU MUDAR E ESTA COMIGO CUIDANDO DE MIM DESDE A HORA DE CORDAR Á HORA DE DORMIR.
FELIZ DIA DOS PAIS DEUS! OBRIGADA POR SER QUEM ÉS NA MINHA VIDA!

Lanna Okuma
Inserida por lannaokuma

Tanto clichê

Uma garota que ouve rock, gosta de show de bate-cabeça e tem alargador. Todo mês aparece com uma tatuagem, só fala bobagem mas estuda publicidade. Ela corre e nunca anda, porque diz que se andar a vida passa muito devagar. Ela gosta de ler, escrever e desenhar, nunca deixa um dia em branco passar. Anda de skate, toca bateria, e como diz o ditado: mulher que toca bateria é quem dita o jogo. Ela não tem medo da adrenalina, sempre pedia para você nunca correr na linha e roubar uma galinha. Adora diversão, dirige correndo sem direção, mas nunca se perde. Ela sempre volta, ela sempre vai, mas meu bem, quem disse que ela iria ficar?
E ele, tentava acompanha-la à cada estação, mas com medo sempre fugia para um lugar que ela nunca o via. Ele sempre possuía um estranho receio de achar que o mundo era dele, mas a garota que o conquistou não era e isso o perturbava, mas não o cansava.
Ela adora que ele foge, ela pega seu café, acende um cigarro e fica pensando: porquê não eu? Mas aquela garota adora o difícil, adora o quase impossível e adora ele também. Quando ela pede um beijo, ele não retorna, quando ele pede um carinho ela o abandona. Não da para entender esse romance, mas de uma coisa eles tem certeza de que no final da noite eles terão aquele lance, irão ver suas estrelas e com certeza sonhar com um futuro à dois que ainda há de vir.

Danielli Sabrina
Inserida por daniellisabrina
1 compartilhamento

Preciso colocar um ponto final na nossa historia. Vai parecer clichê. Mas, mesmo assim tenho que falar “Não é você, sou eu”
A verdade é que eu não consigo seguir com esse romance. Não me pergunte por que e nem quando comecei a perceber que isso iria acontecer. Apenas me entenda.
Não é nada fácil te falar essas coisas, são complicadas para mim e tenho certeza que também são para você.
Não me entenda mal, nunca menti em relação ao amor que sentia por você, eu realmente pensei que te amava. Na verdade não sei se te amo ou só te quero bem.
A verdade é que estou muito confusa. Longe de você eu penso em desistir, e quando estamos juntos minha vontade é de ficar pra sempre ao seu lado, quando estamos abraçados me sinto protegida e amada. Você me envia mensagens lindas e eu não sei o que escrever de volta – logo eu sem palavras – mas, tenho vontade de falar tudo que estou sentindo. Porém, sou covarde tenho medo da sua reação. Eu quero terminar e ao mesmo tempo choro só em pensar que ficarei longe de você. Ah! Meu amor me entenda e, por favor, ajude a me entender.

Paloma Espindula
Inserida por bruhh-hengler
1 compartilhamento

Tempo e suas mudanças

Momento clichê, retrospectiva de fim de ano. Muitos objetivos deixados de lado e novamente em pauta para alcançar no ano seguinte. Novo ano, nova fase, ideia de mudança e crescimento, como sempre. Essas coisas nunca mudam. Em compensação há coisas que mudam completamente. O que? O tempo. Menos controlável que sentimento, com o tempo não tem conversa ou negociação, impossível de controlar. Não tem pausa para pensar ou descansar, muito menos ctrl z. Sem sua autorização ou aviso prévio ele simplesmente se altera, simples assim.
Muito tempo distante apaga as mágoas, deixa as lembranças boas, abre caminho para o sol e a saudade. Uma brisa gelada com uma rajada de chuva leva aquela amizade tão próxima, para bem longe. Mas o meu predileto são as trovoadas de verão. o sol junto com a brisa gelada e a trovoada está pronta. Sol está radiante, sorriso no rosto, quando de repente, o céu fecha, a brisa gelada começa, então vem a chuva, a sensação parece não ter fim. O medo e angustia se aproximam, dormir sozinha vira uma tarefa difícil, já não pode sair na rua, em minutos a cidade está um caos.
Da mesma forma que começa, termina. A chuva para, a nuvem sai, o sol está ali novamente. Mas dessa vez um pouco diferente, pois deixa marcas. O clima molhado, as poças vão ser secadas pelo sol, já o mirante em cima do morro, mal estruturado, se transforma num barranco de lama, onde nada cresce. Fica um aprendizado. O mirante apesar de muito interessante ocultava outras paisagem, e agora os amigos mais distantes estão mais próximos que a anos atrás, parece até, nunca terem se afastado. As pequenas flores cultivadas a distancia agora formam o jardim mais bonito.
Com o tempo claro, mais seco tudo vai se ajeitando, a paisagem não é a mesma, mudou, bastante. Alguns buracos longe de serem resolvidos, enquanto pendente ficam entre barreiras e cadeados. A chave fica muito bem guardada, às vezes até de mais. Essa área restrita também é viva como a outra. Como já falei, com o tempo não tem conversa, mesmo a 7 chaves ela cresce, aparece e desaparece sem ser chamada.
Cuidado com o sol forte, com tanta atenção com a reconstrução das novas paisagens não se esqueça de se proteger. Protetor solar e inseticida. O sol mostra tanta coisa boa que você não sente o sol queimando, e aquela planta crescendo pode ser um pequeno matinho, um Pinus ou uma figueira. Ainda é muito pequena para descobrir. Quando o inverno chega, o sol não está mais tão forte e as flores não estão mais tão belas. O matinho não está tão pequeno, já pode reconhecer sua muda, assim saber como cultivar. Ou não.
Assim reflito sobre meu ano, com dias de chuva, sol, tempestade, tosas, arquitetura, paisagismo, nem sempre certo, muitas vezes errado. Agora só escrevo mais uma coisa. Quanto mais você entendeu do texto, mais chaves você possui, então cuidado, pois tudo em minha vida é posicionado com muito cuidado e dedicação. Decepção ajuda a crescer, eu sei. Vou crescer de qualquer forma, com chuva ou sol, a diferença é você estar presente ou não.

Vanessa Schappo
Inserida por nessaschappo
1 compartilhamento

Visita à Aparecida





Seria muito clichê se começasse a discutir fé, ou simplista demais se houvesse como temática a religião.
Creio que é algo muito individual e por ser tal não me permito a aprofundar-me sob tais assuntos sob pena de talvez ofender, descriminar, ou recriminar, mesmo não sendo esta a intenção.


Devo, é claro, pedir desculpas por minha inútil ausência no Blog e demora para postar algo novo, mas aposto que tenho uma desculpa esfarrapada, porém, um pouco nobre e quem dirá legitima.



Estava viajando.
Sim, enfrentando horas e mais horas de viagem, vendo paisagens que já embaçavam minhas sutis lentes de contato, apreciando os gostos culinários dos mais diversos, e conhecendo sotaques tão distintos do meu que confesso ter extrapolado poucas vezes em um entendimento vil.



Estava em estadia no município de Aparecida, estado de São Paulo, é claro que antes de chegar ao destino fizemos algumas paradas para visitar lugares pouco conhecidos por nós, acompanhantes desta excursão.


Durante esses quase cinco dias de pousada na cidade tive , pela segunda vez, pois já havia visitado-a antes, embora, faça muitos anos, a oportunidade de apreciar uma fé que move montanhas e vira as calçadas desta Aparecida, que antes para mim, parecia muito mais fria, chegando a ser estonteante, do que desta última vez.


E se não é para tanto, move milhares de fundos bancários e ofertas de romeiros e, visitantes deste Brasil inteiro, e quem dirá de fora, para ofertar a “Basílica Nova”.

Que de tanto luxo, grandeza e por si só excelência, ofuscou meus olhos ainda um pouco chocados por talvez o que eu chamaria de fé comprada, e se não for o caso, inventada ou adquirida com o tempo.

De tanta sumptuosidade me fez crer que embora um cidadão não tenha se quer dinheiro para colocar algum pão na mesa, ao menos tem para ofertar nas esplendorosas, e rápidas missas do santuário de Nossa Senhora Aparecida, estas que não duram mais que cinquenta minutos, salvo exceções especiais.
Isso se deve ao fato das diversas a serem realizadas a risca no mesmo dia.
Além, é claro, destaca-se as centenas de doações, indiferente da quantia, pelos cadastros que podem ser aceitos por qualquer parte do Brasil.


Não julgo essas milhares de pessoas que por dia pisam nessas variadas subidas e escadarias deste porto nacional de fé, até porque me emocionei muito em meio a reflexões durante a via sacra, e não proclamaria tal heresia em algo que até já foi visitado e algumas missas celebradas pelo Papa Bento XVI em visita ao Brasil, iniciada em nove de maio de 2007.



A suntuosidade do local é óbvia,
O magnífico santíssimo é épico, o santuário é coberto de pompas, sem ao menos chance de definição menos merecedora.



É uma fé que arrasta milhares de pessoas em busca de pagar promessas, fazer pedidos, curar seus doentes, pedir bênçãos por suas famílias e orar fervorosamente.




Uma história que inicia-se desde 1717 pelas diversas e infrutíferas tentativas de redes lançadas nas águas até o Porto do Itaguaçu para atender com um bom pescado a estadia em Vila Rica do Conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, por pescadores até 12 de outubro.
Já um destes pescadores dentre Domingos e Filipe Pedroso,
João Alves, após tentativas vãs, decide por lançar, sem esperança, novamente a rede nas águas apanhando o corpo de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. E em uma outra tentativa apanha-se a cabeça da imagem, envolve-se em um lençol e daí em diante os peixes chegaram a “fuzél” para estes três pescadores.


A partir daí a devoção cresceu e dissipou-se rapidamente, explicitando a fonte de poderes miraculosos da santa e arrastando multidões de fiéis consigo que, fervorosos rezam por curas, milagres, salvações, e perdão eterno.
Tornando-se , de fato, a Nossa Senhora Aparecida, a padroeira dos católicos no Brasil.







É limitante defender apenas o ponto de vista católico, mas devo ressaltar que minha viagem foi para este destino, ponto forte desta religião.


Entretanto, não me reprimo em conhecer as outras diversas que , embora poucas vezes, já tive algumas oportunidades de conhecer um pouco mais , tais como: Judaísmo, espiritismo, Igreja Batista e a Evangélica.
Além de outras, é claro,
No entanto, estas foram as quais que pude ter maior contato e reconhecimento.


Seria novamente piegas se pregasse lições de moral democráticas e anti -preconceituosas para que não houvesse descriminação alguma sequer por parte das religiões, ou por parte que for.
É óbvio.
E informação para isto não falta, creio que a ausência está em bom senso e respeito, embora haja informação de mais, há consciência de menos.




Sejam estes católicos, evangélicos, judeus, islâmicos..., o que forem, as discussões religiosas ultrapassam muita mais do que estas pobres linhas, e infelizmente, quando se trata de crer na fé ou não, de admirar apenas uma imagem , pregar ritos, credos e crenças das mais diversas,..;
Trata-se sobretudo de antes adquirir-se conhecimento a respeito para não termos motivos estúpidos de se fazermos de leigos e julgarmos aquilo que mal conhecemos.



Meu foco aqui foi retratar uma estadia rápida no município de Aparecida, sede da Basílica velha e nova, e enfatizar aqueles que se dizem fiéis , mas que na verdade não passam de cegos e pobres de espíritos que creem erroneamente em um perdão através das milhares de ofertas prestadas ou indulgências compradas, como se retornássemos a era medieval e o “céu” fosse vendido a um preço tabelado,
se é que de fato que ele existe.;


Seja como for, informação é essencial e indispensável.
E não é a toa que pronunciamos regularmente o dito popular, afinal de contas, e obviamente,
“ Respeito é bom e todo mundo gosta.”

Amanda Lemos
Inserida por amandalemos
1 compartilhamento

Igual pra todo mundo,o tal momento da frase clichê da vida : " Ninguem irá te Amar como 'Eu'!" ou " Eu vou te amar pelo resto da minha vida!" e blá,blá,blá...
Nada é para sempre,embora o Amor possa ser despertado diversas vezes.
O tempo tudo muda:pessoas,sentimentos,desejos,a vida!
Até que num dia qualquer você se depara "amando" outra pessoa,e..."NUNCA amei assim ANTES!"
Intenso mesmo é o drama em busca do romance ideal.

Cissa Sousa
Inserida por Cissasousa

Tempo e suas mudanças

Momento clichê, retrospectiva de fim de ano. Muitos objetivos deixados de lado e novamente em pauta para alcançar no ano seguinte. Novo ano, nova fase, ideia de mudança e crescimento, como sempre. Essas coisas nunca mudam. Em compensação há coisas que mudam completamente. O que? O tempo. Menos controlável que sentimento, com o tempo não tem conversa ou negociação, impossível de controlar. Não tem pausa para pensar ou descansar, muito menos ctrl z. Sem sua autorização ou aviso prévio ele simplesmente se altera, simples assim.
Muito tempo distante apaga as mágoas, deixa as lembranças boas, abre caminho para o sol e a saudade. Uma brisa gelada com uma rajada de chuva leva aquela amizade tão próxima, para bem longe. Mas o meu predileto são as trovoadas de verão. o sol junto com a brisa gelada e a trovoada está pronta. Sol está radiante, sorriso no rosto, quando de repente, o céu fecha, a brisa gelada começa, então vem a chuva, a sensação parece não ter fim. O medo e angustia se aproximam, dormir sozinha vira uma tarefa difícil, já não pode sair na rua, em minutos a cidade está um caos.
Da mesma forma que começa, termina. A chuva para, a nuvem sai, o sol está ali novamente. Mas dessa vez um pouco diferente, pois deixa marcas. O clima molhado, as poças vão ser secadas pelo sol, já o mirante em cima do morro, mal estruturado, se transforma num barranco de lama, onde nada cresce. Fica um aprendizado. O mirante apesar de muito interessante ocultava outras paisagem, e agora os amigos mais distantes estão mais próximos que a anos atrás, parece até, nunca terem se afastado. As pequenas flores cultivadas a distancia agora formam o jardim mais bonito.
Com o tempo claro, mais seco tudo vai se ajeitando, a paisagem não é a mesma, mudou, bastante. Alguns buracos longe de serem resolvidos, enquanto pendente ficam entre barreiras e cadeados. A chave fica muito bem guardada, às vezes até de mais. Essa área restrita também é viva como a outra. Como já falei, com o tempo não tem conversa, mesmo a 7 chaves ela cresce, aparece e desaparece sem ser chamada.
Cuidado com o sol forte, com tanta atenção com a reconstrução das novas paisagens não se esqueça de se proteger. Protetor solar e inseticida. O sol mostra tanta coisa boa que você não sente o sol queimando, e aquela planta crescendo pode ser um pequeno matinho, um Pinus ou uma figueira. Ainda é muito pequena para descobrir. Quando o inverno chega, o sol não está mais tão forte e as flores não estão mais tão belas. O matinho não está tão pequeno, já pode reconhecer sua muda, assim saber como cultivar. Ou não.
Assim reflito sobre meu ano, com dias de chuva, sol, tempestade, tosas, arquitetura, paisagismo, nem sempre certo, muitas vezes errado. Agora só escrevo mais uma coisa. Quanto mais você entendeu do texto, mais chaves você possui, então cuidado, pois tudo em minha vida é posicionado com muito cuidado e dedicação. Decepção ajuda a crescer, eu sei. Vou crescer de qualquer forma, com chuva ou sol, a diferença é você estar presente ou não.

Vanessa Schappo
Inserida por ThayseSpindolla
1 compartilhamento

Se me perguntarem, digo para qualquer um, bato no peito, falo firme: já te esqueci. Ostento o clichê do amor próprio: não posso amar quem não me ama. Mas por dentro o coração não se engana, e por implicância bate forte só em falar seu nome.

Confesso que sua lembrança ainda faz presença, mas não perturba meu sono, e nos meus sonhos por hora não tem ninguém ao meu lado, sigo meu instinto de braços dados com meus medos, mas uma vez ou outro alguém me enche de esperanças e me prova que para sorrir basta permitir, logo ser feliz é questão de escolha.

Não devo tentar te esquecer, a cada tentativa de me convencer que você já passou, eu estou provando que ainda está aqui. Os sentimentos quando não regados secam na alma e dão lugares a lembranças melhores de quem te encaixou no mesmo lado do peito que o seu. As lembranças são eternizadas o sentimento delas não, logo esquecer é questão de tempo.

Não espere que no fim desse parágrafo você vá achar uma conclusão perfeita, esquecer é um ato imperfeito, é um desapegar daquilo que não deu certo, é um adeus não consentido para aquilo que um dia foi certeza, é abrir mão daquilo que se quer, para achar aquilo que se pode. E só para não dizer que eu não te avisei: eu já te esqueci…

www.carlosenrique.com.br

Carlos Enrique
Inserida por carlosenrique
1 compartilhamento

Não vou dizer que se você não existisse eu iria te criar. Se eu falar vai ser clichê. Porque em hipótese alguma eu conseguiria imaginar alguém com os seus jeitos e manias. Seus defeitos e qualidades. Alguém exatamente igual a você. Alguém possessiva, e ciumenta. Eu apenas iria tentar guardar alguém como você nos meus sonhos mesmo. Você iria continuar sendo a dona dos meus pensamentos, e a razão dos meus sorrisos mais bobos, porém os mais verdadeiros. Eu iria te amar mesmo sem te ter, ia até parecer loucura.

p/ela

lucasrichawell
Inserida por lmartinsr

CIÚMES "CLICHÊ"
Ciúmes, meu bem
É o que sinto pela gaita de Dylan,
Pelo microfone de Cash
Pelos óculos de John.
É o que sinto pela caneta de Stephen King,
Pelo copo do velho Buk.
Pelo cabelo branco de Einstein
Pelos pincéis de Shakespeare.
Ciúmes sinto ainda
Dos cigarros de Audrey
E do vestido esvoaçante de Monroe,
Que tocou seu belíssimo corpo.
Sempre que vejo ou ouço
O ciúmes bate.
De leve, sem força, mas bate.
Ciúmes
De gente que viveu
Pra conhecer todos eles.
Na época em que amar era moda
Mandar carta era elegante
E sentir ciúmes era brinde,
Lamento por sentir apenas ele hoje.
Mas não por você querido,
Por todos eles.

Gabriela Scheid
Inserida por gabrielascheid

Toda experiência é transitória.Tudo na vida passa, nada é definitivo. Esta frase pode parecer clichê, mas geralmente é esquecida quando nos desesperamos diante de determinadas situações que parecem não ter fim. Tem momentos que parecem eternos, nos tirando a paz e o sossego.
Diante da pressão e do estresse de acontecimentos desagradáveis, parece que a Via Crucis é interminável. Mas tudo se renova e se transforma, tudo tem início e término. Aproveite para aprimorar-se com as dificuldades e tirar sempre uma lição de vida para si.

Soraya Rodrigues de Aragao
Inserida por AlquimiaPsi