Clarice Lispector poemas sobre a Vida

Cerca de 118 poemas Clarice Lispector sobre a Vida

Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

Clarice Lispector

Nota: Adaptação de trecho do livro "Um Sopro de Vida (Pulsações)", de Clarice Lispector.

Viver em sociedade é um desafio porque às vezes ficamos presos a determinadas normas que nos obrigam a seguir regras limitadoras do nosso ser ou do nosso não ser...
Quero dizer com isso que nós temos, no mínimo, duas personalidades: a objetiva, que todos ao nosso redor conhece; e a subjetiva... Em alguns momentos, esta se mostra tão misteriosa que se perguntarmos - Quem somos? Não saberemos dizer ao certo!
Agora de uma coisa eu tenho certeza: sempre devemos ser autênticos, as pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser... Aqui reside o eterno conflito da aparência x essência. E você... O que pensa disso?

Que desafio, hein?
"Nunca sofra por não ser uma coisa ou por sê-la."
(Perto do Coração Selvagem, p. 55)

Clarice Lispector

Nota: Autoria não confirmada. A última frase pertence, de fato, à obra "Perto do Coração Selvagem", de Clarice Lispector. Link

Estou atrás do que fica atrás do pensamento. Inútil querer me classificar: eu simplesmente escapulo não deixando, gênero não me pega mais.

E a vida é curta demais para eu ler todo o grosso dicionário a fim de por acaso descobrir a palavra salvadora.

Entender é sempre limitado.

As coisas não precisam mais fazer sentido. Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada.

Porque no fundo a gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro.

Clarice Lispector

Nota: Há 5 pensamentos de diferentes obras da escritora: 1: "Água viva"; 2: "Esboço para um possível retrato", de Olga Borelli; 3:"A descoberta do mundo", trecho da crônica Não entender; 4: "Água viva"; 5: Trecho de entrevista com Júlio Lerner para a TV Cultura, em 1977.

Não sei qual é a minha culpa, mas peço perdão.
A luz do farol revelou-os tão rapidamente que não se puderam ver.
Peço perdão por não ser uma "estrela" ou o "mar",
ou por não ser alegre, mas coisa que se dá.
Peço perdão por não saber me dar nem a mim mesma.
Para me dar desse modo eu perderia a minha vida se fosse preciso
mas peço de novo perdão...
não sei perder minha vida.

Clarice Lispector

Nota: Autoria não confirmada.

Eu disse a uma amiga:
— A vida sempre superexigiu de mim.
Ela disse:
— Mas lembre-se de que você também superexige da vida.
Sim.

Abro o jogo!
Só não conto os fatos de minha vida:
sou secreta por natureza.

Há verdades que nem a Deus eu
contei. E nem a mim mesma. Sou
um segredo fechado a sete chaves.
Por favor me poupem.

Clarice Lispector

Nota: Os pensamentos costumam aparecer unidos na internet, mas pertencem a obras diferentes. O primeiro é de "Água Viva" (1998) e o segundo é um trecho do conto Brasília, e está presente no livro "Todos os Contos" (2016).

O tempo passa depressa demais e
a vida é tão curta. Então — para que eu não seja engolido pela voracidade
das horas e pelas novidades que fazem o tempo passar depressa — eu
cultivo um certo tédio. Degusto assim cada detestável minuto. E cultivo
também o vazio silêncio da eternidade da espécie. Quero viver muitos
minutos num só minuto.

in Um Sopro de Vida

... E descobri que não tenho um dia-a-dia.
É uma vida-a-vida. E que a vida é
sobrenatural.

"...se em um instante se nasce, e se morre em um instante, um instante é bastante para a vida inteira."

In: A maçã no escuro

"... fica sempre a certeza de que se dormiu e se sonhou."

Um Sopro de Vida

Apesar de sagaz, não compreendo realmente o que está me acontecendo.

Um Sopro de Vida

"Quando eu digo te amo, estou me amando em você."

in: Um sopro de vida.

Desabrocho em coragem, embora na vida diária continue tímida. Aliás sou tímida em determinados momentos, pois fora destes tenho apenas o recato que também faz parte de mim. Sou uma ousada-emcabulada: depois da grande ousadia é que me encabulo.
- Você conhece os seus maiores defeitos?
Os maiores não conto porque eu mesma me ofendo. Mas posso falar naqueles que mais prejudicam a minha vida. Por exemplo, a grande fome de tudo, de onde decorre uma impaciência insuportável que também me prejudica.

... A nossa vida é truculenta:
nasce-se com sangue
e com sangue corta-se a união
que é o cordão umbilical.
E quantos morrem com sangue.
É preciso acreditar no sangue
como parte de nossa vida.
A truculência.
É amor também. (Nossa truculência)

''Viver é perigoso?
Então com sua licença!
Não tenho medo.
Nasci assim, encantada pela vida..."

Talvez eu agora soubesse que eu mesma jamais estaria à altura da vida, mas que minha vida estava à altura da vida. Eu não alcançaria jamais a minha raiz, mas minha raiz existia.

in A Paixão Segundo GH. pág 178

Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.

Clarice Lispector MONTERO, Teresa (org.). Correspondências. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

Nota: Trecho de carta escrita a Tania Kaufmann, em 6 de janeiro de 1948.

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

Nota: Trecho citado por Anna Maria Knobel em "Moreno Em Ato", atribuído a Clarice Lispector.

Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.

Clarice Lispector A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho.

Clarice Lispector Livro A Hora da Estrela