Santiago Pontes Freire Figueiredo

Encontrados 11 pensamentos de Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"Madrugada...
Onde os segredos se revelam
A inspiração bate na porta
Deixe-a entrar.
Madrugada...
Um convite muda tudo
Da cama para o bar
E novamente para a cama
Nunca sozinho.
Madrugada...
Sentado na calçada
E um violão a tocar
Dormir nem pensar.
Madrugada...
Quando os casados se embrulham
Tornando-se literalmente um só
Gozando a vida e os lençóis
Fazendo da noite o mais belo dia.
Madrugada, pra onde vai?
Não me deixe aqui sozinho sem paz
Me traga o teu frio e me consola
Me cega com a mais bela dama
Afunda-me nos mais profundos sonhos
Só pr'eu nunca mais acordar
Madrugada"
(Homem do Mar, p. 13)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"Sou homem do mar
Quando sinto a brisa
Não tenho hora para voltar
Esqueço-me das horas
Vivo!"
(Homem do mar, p. 11)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"Não sou capaz de olhar-te
E não lhe imaginar ao meu lado
Caminhando na areia
E o vento batendo no cabelo
Não sou capaz de ouvir-te
Sem me derreter por inteiro
Com o doce sussurro da sua voz
Que clama por carinho
Não sou capaz de tocar-lhe
E não estremecer o meu corpo
Suar frio e o coração acelerar
Sou incapaz de tê-la pela metade
Não quero ser subterfúgio
Das noites mais terríveis 
De solidão
Sou capaz de ser exatamente o que sou
De te olhar exatamente como te olho
E me apaixonar todos os dias pela sua voz
Sou capaz de encarar o desconhecido
Mover céus e terra
Estar preparado na paz ou na guerra
Mas sou incapaz de esperar
Por aquilo que insiste em nunca chegar"
(Homem do mar, p. 16)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"[...] Sou capaz de ser exatamente o que sou
De te olhar exatamente como te olho
E me apaixonar todos os dias pela sua voz
[...] Mas sou incapaz de esperar
Por aquilo que insiste em nunca chegar"
(Homem do mar, p. 16)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"A criticidade dos jovens diante dos saberes filosóficos se constrói pelo fato de observarem, principalmente, diferentes teorias sobre os mesmos conceitos".

(Filosofia da Educação: Marxismo, Teoria Crítica e Realidade Social, p.260)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"Num ensino engessado pela técnica e burocracia, a Filosofia tem o seu papel criador, revelador, crítico e emocional".


(Filosofia da Educação: Marxismo, Teoria Crítica e Realidade Social, p. 262)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠⁠"[...] Madrugada...
Quando os casados se embrulham
Tornando-se literalmente um só
Gozando a vida e os lençóis
Fazendo da noite o mais belo dia.
Madrugada, pra onde vai? [...]
Afunda-me nos mais profundos sonhos
Só pr'eu nunca mais acordar
Madrugada..."

(Homem do mar, p. 13)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"E quando a sua cegueira passar
Estarei eu aqui para te salvar?
Enfrenta, de hoje, esse teu medo
Percebo no olhar, não é mais segredo".

(Homem do mar, p. 24)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠"[...] Pra quem de muito, entende um pouco
E de nada, entende coisa alguma
Até que esta vida oportuna
De vez em quando
Entre o riso e o pranto
Te faz suspirar"

(Homem do mar, p. 62)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

"Decepção tem nome e sobrenome
É ausência do que não foi vivido
Visto, sentido, ouvido, tocado...
Recitado, lambido ou acarici⁠ado.
Enfim...
É lembrança ruim do que não se teve
E, no campo da eternidade,
Nunca mais retornará"

(Homem do mar, p. 55)

Santiago Pontes Freire Figueiredo

⁠Não... o celular não vibrou
Nem o sol nasceu
O herói morreu
O poeta não se inspirou
A menina não sorriu
O ponteiro não andou
Não estamos em abril
Nem acredito no amor
Não? Não!
Eu nego a negação.

Homem do mar, pág. 58

Santiago Pontes Freire Figueiredo