Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

1 - 25 do total de 285 pensamentos de Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

Inclusão é o processo de trazer para o nosso mundo pessoas que, de alguma maneira, foram retiradas dele.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

Cinco sentidos, eu e você

A leitura.
A visão:
o olhar, a sensação.
A audição:
as palavras, a melodia.
O tato:
o toque, o contato.
O paladar:
o beijo, o sabor do beijo.
O olfato:
o aroma, o cheiro,
e que cheiro! E que aroma!
Eu e você:
A emoção, o prazer.
Você e eu,
um caso que no acaso se perdeu.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

Riscos constantes tornam a vida excitante! mas até quanto é necessário arriscar?
Ostentar momentos de prazer, de sedução e de fantasias
Transformam nossa forma de ver a vida, sem dúvidas, e léva-nos a crer que
Indispensável é que tudo isso aconteça. aí... chega a calmaria, o equilíbrio, a compensação da alma e aquela
Nostalgia inicial cede lugar para a realização plena do espírito, e o coração, enfim, se acalma. a isso dá-se o nome de rotina? não. a isso dá-se o nome de
Amor. amor puro e verdadeiro. amor que eu quero.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

SOU EU UM POUCO DE MIM

Ser diferente dos outros
não me torna de mim diferente.
Eu gosto do que me alegra
e aceito bem o que me convém,
mas mudar por alguém eu não sei,
pois deixar de ser eu não me faz bem,
se sem mim eu não sei me encontrar
e, não me achando, não encontro ninguém.

Não sou bonita, não sou feia,
não tenho talento algum,
mas no pouco de mim que eu sou,
do tudo que de pouco estou,
encontro um muito de mim.
Feliz, alegre ou triste,
não sou bem o que você procurou,
mas sou o melhor do que de mim existe.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

não há nada mais Destruidor e Usurpador da alegria de viver do que alguém por em dúvida aquilo que dizemos. a nossa Verdade torna-se Insuportável para nós mesmos, deixando Desolado o nosso mais íntimo ser, não pela dúvida, mas pela Autoridade que perdemos em não sermos dignos de crença.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Mais um retrato da vida

Já passava das 22 horas e eles ainda estavam lá, sujos, maltrapilhos. Um, mais esperto que o outro, devia ser o mais velho. Uns dois anos de diferença, possivelmente. O outro, mais cansado, entretanto não com menos necessidade, buscava encontrar forças naquele a quem tinha como protetor. Com eles, só a esperança de concluir o trabalho: vender os latões vazios de margarina ou manteiga que ainda restavam sobre a carroça velha, puxada por um animal não menos faminto e cansado.

Podia-se perceber entre eles uma cumplicidade familiar. Aquele, o primeiro, protegia o menor como que se o quisesse livrar das amarguras do pesado serviço. Fez um sinal para que se deitasse em seu colo, mas teve seu pedido negado. Seria menos forte aquele que primeiro se entregasse ao cansaço.

Eram eles, duas crianças apenas, um com dez, aproximadamente, e outro com possíveis oito anos. Vinham famintos pela avenida, sendo constantemente ameaçados pela estupidez dos motoristas que por ali passavam, fervorosos por chegarem em suas casas e se deitarem nos lençóis macios e quentes, desejo esse que os impedia talvez de ver essa discreta crueldade pueril. Os pais? Não foram flagrados. Deviam estar em casa cuidando ainda da dúzia de filhos que tentavam colocar para dormir. Não tinham tempo. Precisavam dessa ajuda.

Eles iriam dormir? Sim, é certo que iriam, tão certo quanto não daria tempo de chegar em casa para relaxar. Mas... Já estão acostumados, afinal, a dormir num lugar amplo e livre - inseguro e desconfortável, é verdade -, que acolhe qualquer um que precise, sem distinção. Se já tiveram, em várias noites, o frio por companhia, nessa noite não haveriam de estranhar. Afinal, para que servem também os jornais? Melhor, porque amanhã não precisaram, ainda, vestir-se para o trabalho. Acordaram prontos, arrumados.

O interessante nisso tudo é que entre esses dois jovens trabalhadores, negros e pobres, havia algo de mágico, algo capaz de mover céus e terra e tornar a todos mais humanos e fraternos. Entre eles podia-se ver cumplicidade. Entre eles podia-se ver amor.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
2 compartilhamentos

Às vezes vezes eu penso que TER AMIGOS é melhor do que SER AMIGO, porque cada amigo que temos traz um pouco dele pra gente:
Há amigos que falam feito loucos e nos ensinam a ouvir; há outros que quase não falam, e nos ensinam a falar;
Há amigos que reclamam de tudo, e nos ensinam a aceitar as coisas do jeito que são; há outros que não reclamam de nada, e nos ensinam o quão importante é lutar;
Há amigos que estão longe, muito longe, e nos ensinam a sentir saudade; há outros que estão bem perto, e nos ensinam a desejar que eles nunca vão embora;
Há amigos inteligentes, que nos fazem querer ser como eles; há outros não tão dotados assim, que despertam em nós o desejo de ser diferentes.
Há amigos jovens que nos deixam mais ousados; há os amigos velhos, que nos ensinam a ser cautelosos;
Há amigos que não gostam de sair de casa, e aprendemos a compartilhar com eles os pequenos prazeres caseiros da vida; há outros que não param em casa, e ficamos felizes em conhecer tantos lugares diferentes com a mesma pessoa que amamos;
Há amigos que comem muito, e nos ensinam a ser comedidos; há os que não comem quase nada, e nos mostram como é importante cuidar da alimentação.
Há amigos que nos fazem chorar, de tanto rir, e outros que nos fazem rir, de tanto chorar.

É muito bom TER AMIGOS!

Não sei se tenho tantos amigos assim, mas os que tenho são extremamente especiais para mim: tenho amigas bem resolvidas, amigas super poderosas e amigas decididas; tenho amigos de infância e de profissão; tenho amigos-família e amigos-irmãos; Cada um deles, ao seu modo, ao seu tempo, tem me mostrado o quanto é bom tê-los perto - ainda que longe - de mim.

Realmente estou vivendo um felicíssimo Dia do amigo, porque sou a pessoa mais felizarda do mundo por ter a amizade de todos vocês.

Feliz Dia do Amigo pra nossa turma!

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino
1 compartilhamento

Passei os dias a tentar definir o que é Direito e concluí:
Direito é aceitar o que somos, querer o que temos e lutar pelo que amamos.
Direito é não desistir de sonhar nem de viver.
Direito é ter liberdade de amar quem escolhemos; é dizer "sim" ou dizer "não", mas dizer com o coração.
Direito é errar e se arrepender e voltar atrás e dizer "perdoa" e perdoar.
Direito é ser o que somos, quando estamos felizes, do jeito mesmo que estamos.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

... e no calor dos teus braços é que às vezes sinto frio, porque neles receio que a verdade me tome de repente;
... e no molhar dos teus beijos é que às vezes me sinto seca, porque deles temo que a verdade me liberte;
... e na fortaleza do teu abraço é que às vezes me sinto fraca, porque neles enxergo a fragilidade do meu sonho que se perde;
... e no perfume do teu hálito é que às vezes sinto o odor intragável da insípida realidade, porque nele me desespera sentir a fragrância amarga da solidão;
... e no claro brilho dos teus olhos é que me apavora a escuridão de tua ausência, porque nele sinto o apagar das luzes que insistem em a mim iluminar.
... e
... e
... e
... e nos sentidos do corpo teu é que estão impregnadas as sensações dos desejos meus, porque em ti desafogo a mim e porque, em mim, sobrevivo de ti.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Uma parte do céu é azul; outra, esverdeada; outra, vermelha e outra, ainda, acinzentada.
Cada cor do céu, contudo, tem um tom de amor: amor por quem chora ou por quem faz chorar; amor por quem ri e por quem desespera; amor por quem não faz nada e por quem esbraveja.
Cada parte do céu tem uma cor, porque cada cor representa uma parte de DEUS, e é em cada uma dessas partes que cada um de nós, seus filhos, seremos acolhidos por ELE.
Pintemos o nosso céu de acordo com as cores disponibilizadas por ELE. Escolhamos as tonalidades certas.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Esperar é o que cabe ao homem, quando dele se apodera o destino

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Posso não ser o amor que você quer, mas sei que sou o bem de que você precisa

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

A grande vantagem do fim é que ele nos oferece um novo começo

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

Não criemos expectativas. Melhor ser surpreendido do que frustrado.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

... e a vida segue seu curso... e desvia e segue... e desvia e segue... até um dia encontrar o seu ponto de chegada e de equilíbrio.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Quando as pessoas se calam para as injustiças da vida, DEUS se cala para os sofrimentos da alma.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino

Até quanto um "amor de mentira" pode ser baseado em verdades, e até quanto um "amor de verdade" pode suportar algumas mentiras?!
Quem ama... mente?!
E quem mente... não ama?!
Por que um?
Para que o outro?

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

A-mar você é a
M-elhor inspiração que me
A-comete o coração e a
R-azão lógica do amor.

T-er-te junto a mim é um
desejo tão
E-spiritual quanto carnal.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Viver é isso: é não ter pressa pelo amanhã, mas acreditar que ele vai chegar; é não depositar todas as fichas nas pessoas, mas delas não duvidar; é não repousar no passado, que acabou, mas dele não esquecer.
Viver é, antes de tudo, saber. É saber que as coisas sempre dão certo, de uma maneira ou de outra, porque a vida oferece a cada um de nós exatamente aquilo que deve oferecer.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Negar que eu te amo é não admitir quem eu me tornei.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

O verdadeiro amor não é imbuído de posse, mas da necessidade que o ser que ama tem do ser amado.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Há pessoas que estão de passagem, e há outras que vêm para ficar;

Há pessoas que nos fazem sorrir, e há outras que, felizmente, nos fazem chorar;

Há pessoas que chegam, e as achamos belas, enquanto há outras que, após chegarem, perdem a beleza que traziam;

Há pessoas que nos completam, e há outras que nos dividem;

Há pessoas que somam, mas há as que diminuem;

Há pessoas boas, e há pessoas más.

Altas ou baixas; loiras ou morenas; alegres ou tristes. Cada pessoa é única, ao seu modo, ao seu estilo.

Amando um pouco a um e decepcionando-se um pouco com o outro, o que realmente importa é que por um louvado processo de transformação nós passamos... e crescemos.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Fotos são imagens incapazes de reproduzir o que de fato foi real.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

O som do silêncio

Às vezes penso que o silêncio de quem para nós se cala tem som, um som agudo que incomoda a alma e o espírito nosso, que sentimos saudade. Se assim não fosse, dormiríamos tranquilos, logo no chegar da noite, e amanheceríamos relaxados, depois de brilhar os primeiros raios do dia.

O silêncio de quem para nós se cala incomoda.

O silêncio de quem para nós se cala não nos permite o sossego, a tranquilidade nem a paz interior, sensações que não são sentidas apenas mediante o som agudo de melodias gritantes.

O silêncio de quem para nós se cala tem som. Sim! É certo!

O silêncio de quem para nós se cala tem o som agudo de uma melodia sem notas.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino

Ter vergonha do passado é renegar a própria essência.

Nara Juscely Minervino de Carvalho Marcelino
Inserida por NaraMinervino