Gustave Flaubert

51 - 75 do total de 80 pensamentos de Gustave Flaubert

Entretanto, as chamas abrandaram-se, seja porque a provisão se esgotasse, seja porque a acumulação fosse muita. Extinguiu-se o amor, pouco a pouco, pela ausência; à saudade sucedeu o hábito; e aquele clarão de incêndio que lhe ruborizava o céu desmaiado se descobriu de mais sombra e desapareceu gradativamente.

Gustave Flaubert
9 compartilhamentos

Há no mundo uma conjura geral e permanente contra duas coisas, a poesia e a liberdade; as pessoas de gosto encarregam-se de exterminar uma, tal como os agentes da ordem de perseguir a outra.

Gustave Flaubert
2 compartilhamentos

Por que nos conhecemos? Por que o acaso o quis? Foi porque através da distância, sem dúvida, como dois rios que correm a unir-se, nossas inclinações particulares nos impeliram um para o outro.

Gustave Flaubert
725 compartilhamentos

... se logo no primeiro dia ela me amou, deve amar-me mais agora, com a impaciência de rever-me.

Gustave Flaubert
7 compartilhamentos

Então, seguro dêsse amor, deixou de se constranger e, insensivelmente, suas maneiras mudaram. Não tinha mais, como antes, aquelas palavras tão doces que a faziam chorar, nem aquelas carícias ardentes que a tornavam doida; de modo que o seu grande amor, em que ela vivia imersa, pareceu diminiur sob ela, como a água de um rio, absorvida pelo seu leito.

Gustave Flaubert
13 compartilhamentos

...tinha essa inexprimível beleza que resulta da alegria, do entusiasmo, do êxito, e que nada mais é que a harmonia do temperamento com as circunstâncias. Os desejos, as tristezas, as experiências do prazer e as ilusões sempre novas, à maneira do que às flôres fazem o adubo, a chuva, os ventos e o sol, tinham-na desenvolvido gradativamente, e ela se desabrochava enfim em tôda a punjança de sua natureza.

Gustave Flaubert
8 compartilhamentos

Chegaram a ponto de falar muitas vêzes de coisas indiferentes ao seu amor; e nas cartas (...) tratava de flôres, de versos, da lua e das estrêlas, recursos ingênuos de uma paixão enfraquecida, que procurava avivar-se com todos os recursos exteriores.

Gustave Flaubert
2 compartilhamentos

De onde vinha, pois, aquela insuficiência da vida, aquêle apodrecimento instantâneo das coisas em que se apoiava?... Mas se existia, fôsse onde fôsse, um belo e forte, uma natureza valorosa, cheia ao mesmo tempo de exaltação e de requintes, um coração de poeta com forma de anjo, lira com cordas de bronze, desferindo para o céu epitalâmos elegíacos, por que acaso não encontraria ela? Que impossibilidade! Nada, afinal, valia a pena procurar-se; tudo mentia! Cada sorriso ocultava um bocejo de enfado, cada alegria uma maldição, todo prazer o seu desgôsto, e os melhores de todos os beijos não deixavam nos lábios senão uma irrealizável ânsia de voluptuosidades mais intensas.

Gustave Flaubert
4 compartilhamentos

Mas o denegrirmos os que amamos sempre no desliga dêles um pouco. Não é bom tocar nos ídolos; o dourado pode sair nas nossas mãos.

Gustave Flaubert
4 compartilhamentos

Já não odiava ninguém: uma confusão de crepúsculo empenava-lhe o pensamento e, de todos os ruídos da terra, não ouvia senão o intermitente lamento de seu pobre coração, meigo e indistinto, como o último eco de uma sinfonia longínqua.

Gustave Flaubert
7 compartilhamentos

Pensando continuamente (...), ia-se esquecendo dela e desesperava-se vendo como a imagem se lhe apagava da memória, apesar dos esforços que fazia para a reter.

Gustave Flaubert
3 compartilhamentos

De todas as mentiras, a arte é ainda a menos falsa.

Gustave Flaubert
37 compartilhamentos

Tenha cuidado com a tristeza. É um vício.

Gustave Flaubert
96 compartilhamentos

As recordações não povoam nossa solidão,como dizem ,ao contrário,faze-na mais profunda!

Gustave Flaubert
73 compartilhamentos

"O padre ergueu-se para pegar no crucifixo; então ela estendeu o pescoço, como quem tem sede, e, colando os lábios ao corpo do Homem-Deus, depôs nele, com toda a sua força expirante, o maior beijo de amor que jamais dera. Depois o padre recitou o Miseratur e o Indulgentiam, molhou o polegar direito no óleo e começou a unção; primeiro sobre os olhos, que tanto tinham cobiçado todas as suntuosidades mundanas; depois sobre as narinas, gulosas de brisas tépidas e de perfumes amorosos; depois sobre a boca, que tanto se abrira para a mentira, que tanto gemera de orgulho e gritara de luxúria; depois sobre as mãos, que se deleitavam com os contatos suaves, e, finalmente, na planta dos pés, outrora tão velozes quando corriam a saciar os desejos e que agora nunca mais tornariam a caminhar."

Madame Bovary

Gustave Flaubert
2 compartilhamentos

O sucesso deve ser uma conseqüencia, nunca um objetivo.

Gustave Flaubert
12 compartilhamentos

"Emma Bovary c'est moi"

Gustave Flaubert
Inserida por billiearnt

A fraternidade é uma das mais belas invenções da hipocrisia social.

Gustave Flaubert
114 compartilhamentos

Que grande necrópole é o nosso coração humano!

Gustave Flaubert
2 compartilhamentos

...se estamos com pouco tempo para cuidar da vida, menos ainda nos sobra para cuidar da morte.

Gustave Flaubert

Para ter talento, é preciso estar convencido de que se possui.

Gustave Flaubert
Inserida por anonnymus

"Por que nos conhecemos? Por que o acaso o quis? Foi porque através da distância, sem dúvida, como dois rios que correm a unir-se, nossas inclinações particulares nos impeliram um para o outro."

Gustave Flaubert
Inserida por andys2

FRASE MARCANTE “Os momentos mais esplêndidos da vida não são os chamados dias de êxito, mas sim aqueles dias em que, saindo de desânimo e do desespero, sentimo-nos erguer-se dentro de nós um desafio: a vida e a promessa de futuras realizações”.

Gustave Flaubert
11 compartilhamentos

Quantas loucuras há num homem! Oh! não há a menor dúvida de que os matizes de um trajo de arlequim não são mais variados do que as loucuras do espírito humano, e ambos chegam ao mesmo resultado: ficarem coçados e fazerem rir durante algum tempo, o público em troca do seu dinheiro, o filósofo em troca da sua ciência.

Gustave Flaubert
Inserida por Marialins

- "A mulher é um animal vulgar do qual o homem formou um ideal belo demais".

Gustave Flaubert
Inserida por vitorfoton