Geraldo Neto - Uiraúna PB

Encontrados 11 pensamentos de Geraldo Neto - Uiraúna PB

Medo da noite

tive medo da noite
por sozinho escurecer
mas as estrelas com seu aboio
tange o sol pra amanhecer

e esse medo da madrugada
é um consolo por falta de um abraço
e o receio dessa lua amedrontada
me escurece, e me enloquece no gosto amargo

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

Além da dor

muito além da dor
se esconde uma alegria
que sorrir o amor
em cânticos de melancolia

mais que remédio tomar
que receita seguir
pro nosso medo enfrentar
e nossas mazelas engolir?

que falta faz
que saudade infeliz
os sons de paz
com eco, e bis, bis

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

Talvez

Talvez o sol não saia
o mar não se altere
o mal não caia
uma dor que não fere

O medo do medo
talvez não espante
e as cores do desejo
talvez não encante

Mais sempre no fundo
no amargo horizonte
ache o mundo
que o talvez não encontre

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

Sabiá

voa sabiá, esse céu é seu
e traga no seu canto
o encanto do amor meu

e quando em mim pousar
ponhe-se a cantar
e me faça chorar
meu sabiá

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

Ser estranho

as horas profanam
as minha dores reclamam
as alegrias em coma
faz-me um ser estranho

do agradável ao inatingível
um ponto fraco em mim procuram
mas minha força tão ilegível
é a força que em mim encontram

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

O perdão
o perdão é uma nova chance de ficarmos acuados em nós, e sorrir para o próximo, lava e purifica a existência

Geraldo Neto - Uiraúna PB

Não posso dizer te amo

Não sei se o que sinto é verdadeiro
Apesar de todo nosso encanto
Pode ser um sentimento passageiro
Não posso dizer te amo

Estou hipnotizado com sua beleza
E vejo agora meu desencanto
Ignoro toda sua delicadeza
Não posso dizer te amo

Apesar de que teu corpo incendeia meu ser
mas arde o sabor dos teus lábios estranhos
mesmo sem saber como viver
não posso dizer te amo

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

Reformulando
A si, as suas coisas
Aprender errando
E o mundo mudando

Geraldo Neto - Uiraúna PB

20 de janeiro de 1992

No ano que o presidente Fernando Collor de Melo renuncia à presidência do Brasil após o processo impeachment, e Galileu Galilei foi perdoado pelo Papa João Paulo II,

nasce o estudante universitário, escritor e poeta geraldo rocha dantas neto ou simplesmente geraldo neto, ao amanhecer do dia 20 de janeiro em Uiraúna alto sertão do Estado da Paraiba no nordeste brasileiro...

19 anos de vida,

"Não vou pressionar essa vida
não vou esquentar meu intento
pois nela resguardo bons momentos
e o prazer que ela exista" - Geraldo Neto - blog

E 04 anos de poesia,

" Sem a poesia não posso ver, sem ela não vou amadurecer, longe dela ninguém vou ser, sem a poesia não posso viver" - Geraldo Neto - blog

Parabéns pela oportunidade de viver mais um ano, e de ter um irmão anjo:

" Mas eu tenho um irmão que quando chego em casa e o chamo ele sem querer vim, me diz: irmão não esquece que sou anjo " - geraldo neto , blog

blog: geraldonetocaminhodasletras.blogspot.com

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia
1 compartilhamento

3º ano CCF GEO - 2009

Se uma manhã durase uma vida
se a dança nunca acabasse com os seus passos
o tempo que não permite a manhã e a dança
são as saudades de um tempo
um tempo que nunca volta mais

as lembranças que restaram
lembranças em um carbono antigo
não reproduz a mesma imagem
as faces de cada amigo

o tempo reverteu nossa ilusão
criou a realidade do passageiro
e fica preso no passado
cada sonho verdadeiro
estudando um espetáculo
vergando os aplausos
durando um ano inteiro

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia

1968, o ano que não terminou
morreu um pensador
quando do céu caiu uma estrela;

morre um escritor
quando o Ai-5 causou tristeza;

morre um inventor
quando o mundo perdia sua grandeza;

morre um sonhador
o escritor Manuel Bandeira

* Homenagem ao escritor Manuel Bandeira falecido no ano de 1968, tal ano conhecido como " O ano que não terminou" pelos sucessivos acontecimentos que arrolou.

Geraldo Neto - Uiraúna PB
Inserida por gnpoesia