George Mendes

Encontrados 18 pensamentos de George Mendes

Na janela do trem
reflete meu rosto,
reajo ao desgosto
de me Encarar nos olhos
tão firmemente.
Não sei o que devo olhar,
Procurar ou esquecer
Sinto que devo me proteger
Desta Solidão que insiste em me querer.
ao seu lado não sou mais quem eu deveria ser.
Prefiro me ver pequeno,
na pequena gota de chuva
Resistente ao tempo e ao vento,
que me vê chorar.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

O Encontro

Seremos antigas e velhas almas, bruxuleantes como a chama de uma vela, recordando memórias passadas, Renascendo em propósito e grau!

George Mendes
Inserida por ge_mendes

O Silêncio

Me estabeleço em tua confusão,
Me Assento em tuas quase Certezas,
Me arrisco em Tua Direção. mas...
Não sei como Fugir do teu Silêncio!

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Cuidado!!!

A desconstrução constante que nos embriaga com torpor de "descoberta" ou puramente Destino; nada mais é do que a co-rrelação de nosso instinto em reação ao mecanismo de abrupta mudança cerebral.
Estamos ligados intimamente á estás zonas de conforto e envoltos em nossa própria "bolha" nos moldamos á éla e á todo o redor que nos cerca.
Como se nossa casa, Família, Trabalho, estudo, etc... Formacem uma "cerca" de proteção em volta do nosso Lar (Mente)
E Cada vez nos aventuramos menos fora desta "cerca".
A religião forma Arames afiados e mortais.
Cuidado!!!

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Ida

Refaço meus passos,
já cansados e cambaleantes. por uma lua distante
que sorri ao me ver chegar!

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Lunário

Por onde andou o Andarilho
com suas botas empoeiradas?
Senta-te á beira do mundo,
Qualquer mundo por trás
da cortina velha.

Sempre haverá um pôr do sol
Para te inspirar
Pois quando caem sobre nós,
As sombras são sempre as melhores Conselheiras,
As amantes verdadeiras,
Fingindo sermos sua alma Gêmea.
Perfeita,
mas...
que não passava de uma noite apenas, uma fuga,
Uma Ilusão, projeção
das estrelas...

Tudo em mim gritava em sorrisos dóceis e Olhares Gentis,
Quando na verdade queria
explodir, evaporar,
me dissolver no ar.

Você pode me encontrar?
Sem Olhar.
não vale mentir!
Entrar assim e partir?
Sem Lua para Chorar,
Sem Segredos para Temer...
Talvez você esteja em algum lugar, assim sem Saber.
Talvez você não seja você,
Talvez você não exista!

Sob o céu vermelho
descanso.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

O Chacal e o Augúrio

Ainda Que eu ande Pelo Vale
da Sombra e da Morte,
Eu não temerei Perigo Algum;
Pois, Teu Augúrio Me Condena.
Realeza dos Mortos,
Récita-me!

Priorado das almas Queimadas,
Luzeiro De Sortilégios Sinceros,
Arrefecei a Arte de Teu Algoritmo Primário.
Sucumbirei Eu em Teus Prantos Tardios!

Por Meus Caminhos te Ouvi, Sibilante!
Teu Silvo é o Eco da Ciência,
Errante...
Por Já Esquecida e Abafada,
O Oveiro me Conduziu
Em teus Sinais.
Oh, Récita-me!

Na Lacunas Deixadas Por Sião
Encontrei Repouso,
Nascente Serpente do Sol...
Récita-me!

Encontrei na Calunga Os Reis,
Filósofos de Rocha e Fogo
Enforcados na Fiada de Seus Símbolos e Escritos,
Entre Enigmas,
Na Escuridão Perpétua do Mundo.

Me Pus a Recitar o Silêncio
E Ouvi Tua Agônia Gloriosa,
Desmoronaram os Pilares de Sal
E Arderam Em Tuas Asas de Púrpura!

Nas Lacunas Deixadas
Encontrei...
A Serpente do Sol...
Récita-me!

Ao Ventre...
Récita-me.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

O Cálice

És Poente, Hemisfério Celestial
Do Norte! Te alteras,
Fulgás entre Despojos de Alegria.
Caminhastes e Não Vistes
por Onde Andavas...
Chegaste Tarde...
Por Já, A Aurora Me acolheu.

Sois Uriáh, O Filho Do Lamento Cordial.
Me Afirmai-vos, Pois entre vós descansarei.
Hoje, Ainda, Tu Me Chamarás Com Medo.
Oh, Ornamenta Meu Túmulo
E Instiga Minha Indecisão!

Sois O Sexto Decano Divino,
A Influência Rogada à meu Pai.
Vinculaste o Ouro à Meu Nome...
Tu Não entendestes Nada de meu Propósito.

Sois Homem, Linhar de meu Dogma Mundano, A Flecha que Carrégas no teu Peito Vazio.

Saúda O Pobre e a Fadiga do Espirito!
Enobrece a Quaresma Milenar dos Sentidos e o Sopro Que te Arde em Morte será tua Sede.
Faz de Mim o Teu Propósito Oculto,
Dai-me Todo, O Platônico Amor que me Ofereces.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Acuda-me!

Austera Foi
a Miséria Vencida,
Decanto, oh Pai!

Suprida Foi
a Carne de Tuas Entranhas,
Rasteja!

Saqueado Foi
o Túmulo Dos Anjos,
Carnuda tua Ceia!

Sofrida Foi Minha Luta
Nos Teus Dias,
Acuda!

Tua Glória Racional,
Tua Justiça Impecável,
Tua Paternidade Intelectual.

Decanto oh pai!
Ministro de Tua Ordem.
Decanto oh Pai!
Duradouro é meu Suplício.

Decanto oh Pai!
Acuda!

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Solitude

nem toda a sua Criação e
nem toda a sua ganância
serão suficientes para tocar o sol.
nem verás a rainha da noite
tecendo suas sombras...
silenciosa anfitriã da Lua,
nem todo o seu ouro será suficiente para enchergar
na escuridão.

Os gritos do entardecer,
O léve aroma das cerejeiras,
Cantos sagrados de adoração,
O Mistério da Dor...
nem todo o seu Rancor será suficiente para negar meu nome.

as correntezas regidas
pelo amanhecer,
a honestidade de cada
palavra, soltas ao vento,
conjurando o Destino de seu Inimigo,
Prevalecendo o mais forte!

O Portador da Cura e da Doença,
a balança do Mundo
nas costas de Atlas.
e nem toda a sua honra
será suficiente
para desabrochar a flor
morta no seu coração.

a poesia interrompida pela morte,
de ouvido à ouvido
se contaram suas lendas,
O alimento que a terra nos oferece
para depois nos abrigar
e Guardar todos os nossos segredos...
Coágulos do Renascimento.

livre está o meu espírito,
e minhas lamúrias se ouvirão
na floresta.
quando minha prece se fizer atendida...
e o sol tocar minha pele
e a noite for a noite mais escura.

Te recebi de braços abertos
e tu Tramastes Minha Ruína,
ascendente filho da constelação
do norte,
à tua esquerda estarei.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Dehenet Imentet

Tudo é tão confuso por trás
das cortinas,
o grande show de uma mente arquiteta, a teoria,
o Sangue do Mundo manchando suas mãos.

ou você entende
ou você explode!
para Rabiscar sua tristeza que ninguém lerá.
sentar no abismo e planejar
um passo adiante,
um recomeço digno,
uma redenção.

as vezes eu imagino um mundo secreto.
e me sinto bem lá!
é quando minhas mãos tremem
e minha boca repete palavras inúteis,
é quando eu renasço e minhas lembranças doem mais uma vez...
talvez eu mesmo tenha procurado esse destino.
a correnteza incessante
de uma filosofia morta
e cheia de erros.

mas esta noite eu não sinto medo
e sua mão não pode me salvar!
estou apenas tentando "matar" essa confusão.
não é fácil encontrar virtudes
nestes fantasmas,
reaparecendo como um sistema planetário distante,
me dando uma escolha,
abreviando a história.

meus passos não são mais ouvidos com frequência,
deixei o que perdi
e perdi o que te dei.
mas assim são todos os tolos!Talves eu não possa mais voltar para casa,
pois esse mundo ja se tornou real demais para Mim.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

La Science de Satanás

Deformado fui perante os Santos,
Nada sou, Nada Éra..
O Intelecto Superior,
A Exploração Da Evidência.

Conjurastes meu Nome à um Inferno Doentio, Amedrontado o Rebanho,
A Sagacidade da Conquista.
Éra Turva a água à qual te banhavas?
Bebereis agora do Antidoto do Mundo,
E Gozareis Da Verdade sem Máculas.

Os Cálculos Do Sol,
A Gramática De Saturno,
A Sombra da Dúvida Repentina.
Pelas Estrelas Naveguei!
Propagando à Ilusão Sob Meu Nome.

Me Chamavam Estrela D'alva,
Ciência ou Satanás.

Por Onde estavas Senhor?
Porque te demorastes
Quando Acorrentado Fui!?
E o Reino dos Céus,
Que Nos Céus Não Está!
Abnegado Fui Durante tua Glória,
E Meu Nome Amaldiçoado Por Toda A Terra.
Apenas por Ferir o Coração Humano!
Lhe Instiguei a Inteligência e a Palavra...
Pois Cegos, Éram Todos Antes de Minha Alvorada.

Me Chamavam Estrela D'alva,
Ciência Ou Satanás.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Sentir tua falta é caminhar de um lado para o outro sem saber onde ir...
Sentir tua falta é entender os poemas solitários antes mesmo de os ler...
é querer sentir teu toque, teu cheiro, teu gosto...
Sentir tua falta é te procurar dentro de mim...
mesmo á Contragosto...
É saber que nem todos os dias estará tudo bem.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

"Long, Long Time"

Ruínas Celestes,
Antigas Ruínas.
Sinto o Cheiro da Mirra
e do Carvão Santo
que sempre Queimam,
Olhe pra Dentro e me veja!

Figuras surgem nas sombras...
Éla Nunca esteve tão Presente!

Alívios Vorazes
me entibiam
quando te abraço.
O Retrato não Revelado
Mas, sempre visto
De um coração antes parado...

A Mão Imóvel do Relógio dos Séculos...
E eu continuo parado no mesmo Lugar.

Az do Tempo...

E éla está Sempre Presente
E eu á percebo antes mesmo da Alvorada Deitar.
Eu sei que ao ler está Frase, a cena
Já estará toda em
sua mente...

Teatro Mágico.
Éla jamais esteve ausente!

Pássaros Macabros
Surgem em espirais,
Dragões em meio a fumaça do Cigarro
Sempre Roxa.

Caindo do Céu...
Tudo entre nós é profundo!

Com nosso sangue selamos á passagem
das almas.
Coagular para renascer...
Devore o tempo se for nescessário.

O que importa é o que Interessa.

Longo, Longo Tempo
Que nos espera no Ermo da Saudade.

O Tecelão do Universo
Nos Conjura...

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Nas dores que sinto,
Não parto nem fico,
Estático ao Início,
Procurando um final digno,
Aquilo que nunca fui.
Não controlo á mim mesmo, estou na beira do abismo, eu preciso cair!

Éla está lá de braços abertos, Éla sempre está lá! as vezes me observo,
e mesmo não querendo estar,
é nela Que me atento,
Éla parece me chamar.
Éla está Sempre dizendo...
Eu entendo,
Te ouvi Chorar!

O Fim? Não!
O Recomeço...

George Mendes
Inserida por ge_mendes

Os Umbrais da loja negra
Saúdam tua chegada.
Tu que não tens nome e nem terra,
Tu quem não pertences a Nada.
D'alva, tua mão sob a espada
E o Sol mais uma vez
se fez presente em tua Morada.

A estrela opaca,
Circundante aos planetas,
Imerso em teu
silencioso clamor,
Regente da Luz
Que não chega,
Que Não desabrocha
nenhuma flor.

George Mendes
Inserida por ge_mendes

"Apenas me terá,
quem me enchergar do Avesso"

George Mendes
Inserida por ge_mendes

"A Despedida"

A Carne é Torpe,
Tormenta Uniforme.
Sempre Cinzas são
Os meus Dias...
O Silêncio é Minha
Maior Fortuna,
Minha Maior Ambição.

Solidão Profunda.
Sorria, esta é sua Loucura!
Decadência absoluta...
Vista os Trajes
e os Cometas.

Estou Repleto de Mim Mesmo.
Um Peixe nas águas calmas
que espera o Pescador.
Violetas na Varanda,
Incenso que queima
sem Pressa...
Talvez seja essa
A minha Maior Alegria!

E meu Túmulo estará pesado de Tristezas.
Voltarei pelo
Caminho Escuro que já Percorri,
Deixarei o Peso do Mundo
Para trás!

Luz Opaca e Bordô,
Alma Clara.
Sabe, Hoje,
Esqueci de Orar.
Você ainda ouve
os Sinos tocar?
Você ouve Minha agonia?

Me perdoe, querida,
eu não pude falar!

Estarei caindo para
Me reerguer.
Eu Irei me Render,
O céu me Condena!

Restarão Eternas
Recordações destes Dias.
Dias de prata,
Chumbo e Melancolia,
Eu Ainda te ouço chorar!

Me perdoe, Querida.
Eu não pude ficar!

George Mendes
Inserida por ge_mendes