Fernando Luiz de Souza Silva

Encontrados 13 pensamentos de Fernando Luiz de Souza Silva

A imperfeição é o que diferencia o homem de Deus.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Da areia.
Contemplo o mar apagando o sol
lentamente, sem sofrimento.
E a lua observando o arrebol,
acendendo as estrelas no firmamento.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Mundo sofrido

Quase jaz... O mundo está por um fio.
Sendo destruído por bombas de intolerância, minas de covardia,
mísseis anti – amor, tiros de discórdia e outras desgraças produzidas pelo homem.

Agonizando...
Continua girando, girando
Esperando ansioso pelo retorno da pomba da paz.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Sem inspiração

Passei horas,
perdi tempo tentando escrever coisas significantes.

Algo que toque fundo os corações
daqueles que não sabem de mim
e surpreenda aqueles que me conhecem.

Mas nada sai,
não consigo fazer com que a mão obedeça
as ordens geradas pelo cérebro.

Já rasguei papéis, rabisquei palavras
mudei a posição das frases. E nada.

O início virou meio,
o fim virou o início
e o meio quase virou o fim.

Mas nunca chega o tal ponto final.

Confundi-me todo,
perdi o sentido do que estava escrevendo.

Então parei um momento...
Guardei o papel e a caneta.

Talvez amanhã, eu consiga alguma inspiração
para continuar escrevendo o que nem comecei.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

O entardecer

Cai a tarde,
sinto a brisa suave
que emana dela.
Acompanho com o olhar atento,
O balé ingênuo das borboletas
sobrevoando as flores no jardim.
Distraio-me,
ouvindo a orquestra dos pássaros
no alto das palmeiras ao meu redor.
Sentado na areia,
contemplo o mar apagando o sol
lentamente no horizonte
e o céu acendendo
as estrelas azuis iluminadas
pela lua cheia.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Sentado à beira-mar

Sentado à beira-mar,
Com o corpo levemente curvado
Braços apoiados em suas pernas
Com o livro da vida nas mãos
Olhar perdido por trás das lentes
Alheio ao vai e vem dos pedestres
Que vez ou outra param para fitá-lo.

Sentado à beira-mar,
Alheio ao vai e vem das ondas em sua retaguarda,
A aurora e o arrebol,
A noite enluarada acendendo as estrelas,
O orvalho e a chuva,
A brisa suave e a ventania.

Sentado à beira-mar,
Inerte, dia após dia, integrado ao seu silêncio
Divagando em sua própria quietude
Sem preocupação com o tempo
Seu tempo agora é eterno.

E agora Carlos?
Que não há mais pedra em teu caminho...

Drummond e agora?
E agora que você se foi
Poesia não escreve mais...

Carlos... E agora?

E agora você?

(homenagem póstuma ao grande poeta Carlos Drummond de Andrade)

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Há dias não escrevo

Há dias não escrevo uma linha sequer,
para contar estória.
parece que fui tomado
por um surto repentino de amnésia.

Até aquele ”eu” invisível
que me confiava seus segredos,
seus delírios absurdos
sumiu, literalmente sumiu.

E o eu, eu,
neste momento emocionado,
coração acelerado,
com a mão trêmula tatuando
essas palavras em forma de desabafo,
num pedaço de papel amarelado.

Com os olhos úmidos
parecendo uma janela de vidro
exposta à chuva, vendo tudo embaçado.

Já imaginando o dia
em que minhas poesias
sem nexo, mal escritas e sem rimas
ganharão o mundo.

Ganharão o mundo,
como um filho fugindo de casa
para habitar, as estantes distantes de bibliotecas famosas
ou de sebos empoeirados das cidades.

É...
talvez seja esse o motivo
pelo qual,
há dias não escrevo
uma linha sequer pra contar estória.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Fotografar é a arte de:

eternizar o momento
paralizar o movimento
compartilhar um sentimento
registrar um acontecimento

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Sem palavras

E eu que não sou de falar muito,
resolvi escrever aquilo que penso e não falo,
porém não sei se aquilo que penso e não falo,
seja algo relevante a ponto de ser escrito.
Vou deixar minha mudez falar mais alto.
Vou ficar escondido atrás da cortina invisível do anonimato,
com a minha visível quietude, sem infringir a lei do silêncio.
Porque se fosse para eu falar mais e ouvir menos,
Deus me daria duas bocas e um ouvido.
E para não deixar o dito pelo não dito,
vou recorrer a um velho dito popular:
“Quem diz o que quer, ouve o que não quer”
Ou como diria um poeta amigo meu:
“É melhor ficar quieto, para não falar nada”
Tem certas coisas que não sei dizer
e como não sou de falar muito, fiquei...
Sem palavras.

02/04/2013

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

O pensamento positivo é a voz de Deus nos falando em silêncio,
por isso que ele faz milagres.

23/12/2012

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

Da janela

Jesus vem 1, do alto da colina
Observava atenta e imóvel
Com sua face cega da neblina
No seu silêncio imemoriável
Um grande lençol branco gaivota
Que Cobria a mata virgem 2
Com sua proteção devota.

Bem cedo, o sol penetra seu sossego selvagem
Espalhando seu calor
Secando o orvalho da folhagem
Iluminando e aquecendo seu interior.

É o nascimento do dia,
As borboletas bailam ao sabor do vento
Os pássaros cantam de alegria
A cigarra e seu sinal barulhento

Abelhas fazendo mel com amor
Formigas trabalhando sem parar
Colibris de flor em flor
Que dia lindo! Todos a saudar.

Eu contemplo essa linda geografia
Da casa dos meus pais, da janela,
Talvez a perpetue numa fotografia
Ou pinte numa grande tela.


Fernando Luiz Silva
14/03/2005

*1- Pedra situada no morro do Barata em Realengo.
*2- Mata situada no morro do Barata em Realengo.( que não é tão virgem assim.)

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

A bondade é o antídoto contra o veneno da maldade.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105

O pensamento positivo, é um imã que atrai coisas boas.

Fernando Luiz de Souza Silva
Inserida por fernandoluiz0105