Claudia de Marchi

1 - 25 do total de 28 pensamentos de Claudia de Marchi

Às vezes a vida quer que caíamos na real, que paremos de supor, de sonhar, de imaginar que nós, nossos planos, sonhos e pessoas que amamos são melhores do que, de fato, são.
A vida só quer que sejamos realistas, mas, quanto mais arrogantes somos, quanto mais nos achamos superiores e “especiais”, maior é a queda e, acredite, o tal do “cair na real” pode ser extremamente dolorido. Uma queda e tanto!

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

De repente
De repente você abre os olhos e vê um novo mundo, você percebe melhor as pessoas e suas intenções, vê com mais clareza quem é admirável e quem é hipócrita, quem merece o seu prezar e quem deve ser ignorado.
De repente tudo fica mais simples, você reconhece aquilo que deve ficar longe de seu coração e aquilo que deve ficar junto dele, de repente você pede desculpas com mais facilidade e reconhece seus erros mesmo que ninguém valorize o seu aprendizado, porque a opinião alheia perdeu a importância para você.
De repente você acorda mais forte, mais convicto, sega as lágrimas e segue adiante, em busca do que deseja. De repente o inconveniente não lhe fere mais e você passa a supervalorizar o excelente, não o ruim.
Você, simplesmente, não se preocupa mais, vive, faz a sua parte e espera os resultados de seus atos sem expectativas ilusórias. Você passa a pensar mais antes de agir e não perde tempo pensando nos efeitos de suas ações, afinal você aprendeu que é o plantio que determina o futuro, não a colheita.
De repente as pessoas ao seu redor mudam, seus relacionamentos mudam, de repente nada lhe faz estagnar ou perder tempo, tudo se torna válido e interessante. Pois então, de repente você percebe que não foi a vida ou o mundo que mudaram, foi você mesmo e, apesar dos pesares, toda dor valeu a pena, porque você se tornou uma pessoa muito melhor do que a que foi outrora, quando achava que o mundo deveria mudar e não você mesmo.

Claudia de Marchi
167 compartilhamentos

Complicada?

Sim, eu sou complicada em alguns aspectos, tenho minhas manias, meus puderes, meu recato, mas, se você não esta disposto a suportar minha complexidade, jamais vai conhecer meu lado magnificamente simples.
Quem não suporta os meus óbices, os meus pontos fracos, quem, enfim, não desvenda os meus mistérios não chega a conhecer o meu melhor, as minhas maiores virtudes, os meus maiores encantos.
Qualquer tipo de relacionamento é constituído de trocas, você só desvenda o melhor do outro quando cede, quando consegue ignorar o que ele não tem de “tão” bom ou, enfim, aquilo que não lhe parece “simples”.
Quando você supera aquilo que não é “fácil” você entra na vida do outro, todavia, quanto mais complicado um homem é, mais raro e belo é aquilo que sua “complicação” esconde, mas nem todos desvendam.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Boa mulher

Mulher, elegância não é a cintura fina, charme não é a bolsa cara e o salto alto, postura não é a coluna ereta, atraente não é apenas o bumbum empinado, caráter não é hipocrisia, não é negar o que você faz, tampouco fazer-se de “santa”, beleza não é o salário alto e a barriga lisinha.
Caráter é boa conduta, caráter são atos adequados as palavras, beleza é humor, dignidade e decência, postura é personalidade forte, é saber o que se deseja e batalhar com altivez e honestidade.
Elegância é a classe nas atitudes, é transparência na forma de viver, é ter os olhos brilhando e as palavras suaves. Atraente é a forma com que vive, com que age, com que fala, atraentes são as palavras gentis, porém sinceras.
Charme é a franqueza sem estupidez, é saber a hora de silenciar e o momento apropriado para falar, charme é saber pedir “desculpas”, é chorar, borrar a maquiagem, mas virar a página sem lastimar, sem estragar o humor, sem pisar em quem não merece.
Postura é atitude firme, é o amor próprio refletido nos atos, na altivez com que se faz opções, na dignidade com que se muda de objetivos e se estabelece novas metas. Ser mulher é uma dádiva, mas ser uma boa mulher não é mérito de todas.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

O novo

Às vezes você não deixa de amar, você muda de prioridades, você passa a se amar mais. Nem sempre é preciso deixar de amar ao outro, basta amar mais a si mesmo, é isso que faz a diferença!
Quando você prioriza a si mesmo muitas coisas mudam, a sua vida muda, os seus anseios mudam, as suas atitudes mudam e, principalmente, a forma com que você gosta dos outros muda.
Basta que você mude seu foco, mude seus planos, suas metas, seus ideais para, assim, colocar quem, outrora você chamava de “amor”, em outro local. Não precisa dá-lo ao esquecimento, não precisa menosprezá-lo, tampouco malbaratá-lo, basta colocá-lo em um local diferente em seu coração, onde, provavelmente, ele não vai ser priorizado, onde, enfim, não haverá a necessidade de lembrá-lo a todo instante.
Você pode não ter conquistado tudo o que deseja, pode não estar aonde deseja, se consegue priorizar a si mesmo e as suas metas, você esta maduro o suficiente para viver e, quiçá, conhecer um novo amor. Os antigos? Não é preciso esquecê-los, afinal, o que foi bom é inesquecível, basta priorizar o novo, aquilo que “vem”, de acordo com suas novas perspectivas.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Amores bandidos.

Dê um tempo para as paixões bandidas da sua vida, vire a página. Chega de romances “afasta e volta”, “vai e vem”, daqueles que são ótimos na saudade e péssimos na realidade. Amadureça afetivamente.
Claro que todo amor bandido tem um toque de excitação, afinal, de regra é na cama que ele eclode. O amor bandido tem desafios, diferenças que o homem teimoso acha que pode superar. Nas paixões bandidas um e outro querem “vencer” as diferenças, aquilo que vêem de ruim no outro.
Amores bandidos são prisões, calvários afetivos e não libertação, rejubilo e alegria que são as bases de uma relação afetiva saudável e feliz. Amor bom é aquele que não precisa da saudade para se fortificar, é aquele que não precisa se tornar um vácuo para ser valorizado.
Ama bem, quem se ama bem. Ama bem quem tem maturidade e quem consegue estabelecer um relacionamento saudável e harmonioso no dia a dia. Pessoas assim só sentem saudade quando o outro viaja, quando o outro está ausente e não quando o outro,infeliz e magoado, foge mundo afora.
Assim como existem os doentes da mente, os doentes fisicamente existem os doentes afetivamente: Pessoas que não conseguem estabelecer um relacionamento forte e maduro, pessoas que precisam da briga, que precisam da desarmonia e da plena ausência do outro para valorizá-lo. Existem pessoas que só sabem amar bandidamente, isso é um fato lamentável.
Fuja desse tipo de pessoa pelo bem de seu próprio coração. Quando você tiver se tornado saudade, quando ele sentir o vazio de sua falta ele vai acreditar que lhe ama e que você é tudo para ele, mas quando, enfim, ele conseguir lhe trazer para a prisão de seus braços vai lhe judiar e maltratar novamente. E assim você irá embora, e assim ele vai a sua caça e este jogo continua indefinidamente até terminar em tragédia, ou, quiçá nunca findar.

Claudia de Marchi
71 compartilhamentos

A vida muda.

Não sei o que aconteceu, mas eu não choro mais. Ou melhor, não choro mais como eu já chorei. Posso falar algo, lembrar-me de algo, de alguma das tantas decepções que tive e chorar, mas as lágrimas caem e logo páram, a tristeza não dói mais como já doeu.
Não sei se eu fiquei mais forte ou se, simplesmente, não sinto mais como eu já senti, não lamento mais o que já lamentei e nem minha tristeza é tão triste como já foi.
Aos poucos vamos tendo a certeza de que não vale a pena derrubar uma lágrima por nada que tenhamos deixado para trás. A maturidade nos revoluciona a mente e nos deixa realmente lucidos, com o passar dos dias a vida nos mostra quem é quem, quem merece nossa consideração e quem não merece nada, absolutamente nada que venha de nós.
Aos poucos temos a certeza de que aqueles que realmente nos importam jamais serão por nós abandonados e, principalmente, jamais vão nos fazer chorar ou nos decepcionar a ponto de nos entristescer.
As decepções nos ensinam, a vida nos ensina, os acontecimentos tristes ou não nos ensinam e nos revelam um mundo novo, um mundo real onde o que já passou deixa de ser importante, onde o que esta por vir passa a ser, realmente, interessante.
Podemos ter algumas lágrimas ainda para chorar, mas temos muitas metas e muitas novidades para desvelarmos. Algumas coisas na verdade, deixam de ter importância a ponto de em segundos recompormos nossa face e seguirmos adiante sem pensar no que outrora nos causava grande tristeza e do que já nos magoou demais. A vida muda e isso é o que realmente faz sentido no mundo.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Preciso ficar só.

Eu preciso ficar só no momento. Quero ficar em silêncio, curtir a voz alentadora de minha alma. Não quero ser definida, nem julgada. Não quero me tornar posse de ninguém. Complicada? Não sou nunca fui. No momento, não minto, eu estou um pouco mais complexa.
Eu dispenso analista ou pessoas que me amando querem me analisar. Se você desejar, me abrace e sorria junto comigo (sim, porque eu amo sorrir), mas o faça sem segundas intenções. Não me elogie, não tente me envaidecer, não preciso disso, eu sei quem eu sou, mas, por favor, hoje eu quero ficar sozinha comigo mesma porque eu estou muito bem assim.
Estou bem com minha alma, não quero ter que ser educada e agradável, não quero me preocupar com nada nem ninguém e é assim que estou me curando. Há poucos meses atrás um psicanalista dos melhores que conheço disse para minha mãe que eu corri para uma floresta pegando fogo e que me fizeram tanto mal que eu precisaria de dois anos de análise e medicação para me recuperar. Eu o dispensei, embora não duvide de sua competência.
Passei por dias estranhos, dias nublados. Passei por momentos ruins, agitados. Sai de uma relação quase sem sanidade psíquica alguma. Perguntaram-me se eu apanhei no passado. Quanta ignorância! Desde quando violência física é pior que tundas emocionais, pior do que espancamento psicológico? Na surra física as pessoas olham para teu rosto ferido e te entendem, quando a tunda é psíquica ninguém capta tua dor, e a mentira do outro vem contra você e sua fragilidade interior.
Apesar de ter passado por esses dias nublados eu consegui fazer o sol brilhar novamente no jardim da minha alma, sem drogas psiquiátricas e sem psicanálise alguma. Demorou um pouco, mas eu mesma me entendi e, o que é melhor, perdoei minha ingenuidade e atos frutos de uma paixão bandida da qual ninguém esta livre de enfrentar na vida.
Agora, pois, eu só quero um tempinho para curtir eu mesma. Um pouquinho de tempo para gargalhar sozinha, para rir do que antes me fazia chorar, para viver um pouco minha vida monástica, mas cheia de graça. Nada contra você, mas tudo em meu favor. Complicada? Não, no momento: “Fechada para balanço”. (“Quem tem um sonho não dança, Bete Balanço por favor...”).

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Os que falam de si.

É preciso muita maturidade para viver em interação com o mundo sem se deixar influenciar pelas opiniões alheias. Todavia, é certo que ouve mais opiniões e palpites aquele que expõe suas idéias, forma de pensar e viver na intimidade com menos ponderação, com mais freqüência, todavia certo é que se é preciso ter coragem para expor situações pessoais e intimas é preciso o dobro para ouvir os palpites alheios sem se irritar ou se "afetar" por eles.
Bom seria se as pessoas pudessem se abrir com aqueles em quem confiam e que estes limitassem sua intervenção e lhes respeitassem vez que quem compartilha vivências e experiências é porque possui a alma inocente e confia no ouvinte, logo merece ser respeitado. O fato de falar, de expor o que pensa e o que faz não significa que a pessoa esteja pedindo conselhos, muito menos que ela esteja se sujeitando a críticas e deboche.
O problema é que o mundo se acostumou a ser hipócrita: A maioria se esconde por trás de máscaras de pessoas "corretas e justas", de pessoas "muitíssimo discretas" e acima de "qualquer suspeita" para evitarem criar contato com o outro e, principalmente, por medo de serem julgadas. As pessoas aprenderam a não confiar no outro principalmente porque mal confiam em si mesmas e em sua capacidade de sustentar sua forma de pensar e de ser diversa e única.
Os indivíduos se acostumaram a viver imersos em medos e receios sendo que o pior de todos é o de assumir ser quem são e, além das atitudes é através da expressão verbal que o ser humano se expõe ao mundo, assim o homem tem medo de falar, de contar como vive intimamente porque sabe que a maioria vive fechada, silenciosa, mas sempre apta a criticar e tripudiar sendo que o seu silêncio é perigoso: Silenciam a respeito de sua intimidade mas adoram julgar, falar mal da vida alheia, se colocarem em posição superior e fornecer conselhos como se fossem velhos sábios.
Se uma pessoa tem uma forma de ser mais extrovertida, se ela fala o que a maioria hesita em dizer ou contar sobre si mesmo ela merece respeito, merece ser ouvida e não aconselhada ou criticada. Dar uma opinião diversa é saudável, todavia criticar, sarcastizar, zombar ou, o que é pior, ousar dar conselhos é desnecessário, em especial porque quem quer ser aconselhado pede a opinião do outro e não manifesta a sua aliás, geralmente, quem pede conselhos é quem se garante menos a ponto de falar muito pouco de si, só o fazendo quando precisa de uma "força moral" e, realmente de um bom conselho.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Caseira, seletiva e solitária.

Eu amo poucas pessoas nesta vida, portanto eu cuido muito bem delas. Mais raro do que conhecer pessoas amáveis é conseguir amá-las, apesar das diferenças, logo, quando isso acontece precisamos zelar e cultivar.
Quando viajo com as pessoas que amo constato quão “caseira”, seletiva e solitária eu me tornei: é o meu gato que me suscita saudades, é dele e da minha casa, que eu sinto falta e lamento a distância.
Passei da fase em que precisava me cercar de amigos, de muitas pessoas, enfim, afinal, aprendi que a palavra “amigo” não é adjetivo que deva ser atribuído a pessoas invejosas, dissimuladas e falsas. Amigos são bênçãos e, portanto são raros.
Posso conhecer muitas pessoas, mas de pouquíssimas me mantenho perto, me aproximo e me relaciono, não gosto de meio termo, só fico ao lado de quem me cativa e me conquista por ser puro, sincero e autêntico.
Não preciso sair de casa, ver gente, distribuir sorrisos para desconhecidos ou beber em cadeira de bar para me sentir alegre. Ficar só no conforto do meu lar me dá mais prazer, fazer o que gosto sem que ninguém veja me dá mais paz.
A solidão não me importuna, me alegra, me faz bem. É bom saber que, apesar de poder contar com poucas pessoas, elas tem minha confiança e uma parte de meu coração, afinal, não me relaciono mais com quem simpatizo, mas, unicamente, com quem eu gosto muito.

Claudia de Marchi
2 compartilhamentos

Sim, os meus erros do passado, o meu hábito de confiar demais, de confiar uma, duas ou três vezes na mesma pessoa me tornou esta pessoa que quase nunca confia em alguém.
Uma pessoa sozinha, mas feliz consigo mesma, porque tenho plena certeza de que não irei dar confiança demais para quem não merece o mínimo do meu prezar. Novos erros talvez eu cometa, os mesmos de ontem, eu não pretendo cometer.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Antinomias da vida
É impossível querer que os outros interpretem seus sentimentos e os fatos de sua vida com o mesmo realismo de você que os vivencia e vivenciou, então aprenda a falar menos a respeito de sua vida pessoal.
Quando você se expõe, quando você conta seus infortúnios e dores, quando você fala demais sobre seus atos, por mais insignificantes que eles lhe pareçam, se torna vulnerável as criticas e julgamento alheio. Saliente-se que os outros lhe julgam como querem.
É impossível para eles saber exatamente tudo o que você passou, sentiu ou sofreu. As pessoas são frias quando julgam a vida alheia, embora elas queiram a sua indulgência, a sua compreensão, o calor de seu coração e a mansuetude da sua alma para serem julgadas.
É, porém com uma objetividade desproporcionalmente fria com que analisam os atos dos tolos que falam demais, que, confiando, expõem as suas vidas e histórias. A maioria das pessoas não lhe ama o suficiente para lhe compreender.
Quem lhe ama, na verdade, vive com você, sabe do que você passou e consegue sim, ser compreensivo e indulgente, os demais, de regra, exigem de você a perfeição nas atitudes e na mente que eles mesmos não possuem. Quem lhe ama não coloca palavras na sua boca e sentimentos em seu coração, eles sabem o que você pensa e sente, eles acompanharam a sua trajetória.
A vida é realmente antinômica: as pessoas astutas, frias e, realmente maldosas, falam pouco de suas experiências pretéritas, porque se revestem de falso equilíbrio psíquico e, por isso, são admiradas, são bem quistas e não são mal julgadas. Elas mais calam do que falam, aprenda isso com elas, afinal, a sua maldade astuta, de regra, funciona.
As pessoas são tolas, elas julgam os sinceros, os que nada têm a esconder e, por isso, se abrem, mas defendem os que são tão vis que fantasiam sua frieza “psicopática” de equilíbrio emocional demasiado. Jovens ou velhos, experientes ou não, quase todos caem nos truques destes indivíduos. É meu amigo, é muita antinomia nesta vida.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Quando a pessoa esta dentro e não fora, ela age de forma tosca, tão ou mais tola do que a daqueles que critica quando esta do lado de fora.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Viver, seguidamente é ter que enfrentar a dor e superá-la, não lhe resta outra opção: ou você a supera ou ela lhe vence. Viver intensamente é atitude para pessoas fortes.
Os fracos, no entanto, preferem a falsa felicidade gerada pelo engodo alheio ao sofrimento causado por sua sinceridade. Isso, realmente me intriga e me faz pensar que a hipocrisia e a falsidade existem, porque existem aqueles que delas precisam.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Tudo passa na vida, a dor da paixão frustrada, a dor do amor mal cuidado, a dor da traição de confiança. Nenhum sentimento pode matar um homem realmente maduro.
Decepções machucam, frustrações amorosas doem e você pensa que vai morrer, que seu mundo vai acabar, que seu coração vai sair pela boca e tudo perderá a razão de existir. Mas, não morre e nada deixa de existir no mundo.
Pelo contrário, é nas quedas que você amadurece, que você cresce e se fortifica. Paixão é como gripe: dá, incomoda, mas passa. Nada que lhe maltrate é eterno, a menos que você seja burro o suficiente para acreditar nisso.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Realismo, meu caro, faz bem pra pele e para seu coração, adquira-o urgentemente!

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Correm atrás do amor, do dinheiro, do equilíbrio, do prazer e, enfim, da felicidade. Correm atrás porque desconhecem o que ela é. Ela é, pura e simplesmente, o ato de ser contente com a vida e com quem se é nela. Quem corre atrás da felicidade esta desperdiçando cada minuto, porque enquanto há demasiada busca o descontentamento se instala, do contrário não se estaria buscando, se estaria aproveitando-a.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Quem sabe, um dia!
Eu nunca acreditei que um relacionamento pudesse ser eterno, eu sempre acreditei que o "pra sempre, sempre acaba", por isso eu sempre terminei meus relacionamentos. Por que esperar o tempo passar se eu sabia que o castelo ia cair?
Eu me adiantava ao tempo, me adiantava ao outro e a tudo que pudesse acontecer, então eu me tornei uma espécie de mestra em terminar relacionamentos antes que a paixão morresse por completo. Se há algo de errado comigo? Talvez. Falta de fé no amor? Falta de romantismo? Não sei.
O que me importa, realmente é que eu sempre soube amar e cuidar de quem eu escolhi para ficar ao meu lado, de falta de carinho, respeito e parceria nunca ninguém irá reclamar.
Se eu fui complexa e fria demais no romper? Talvez, mas relacionamentos que não terminam pelo passar do tempo, pelo falecimento dos amantes, terminam pela morte de algum sentimento, na verdade qualquer espécie de fim impinge dor às pessoas, eu só fui estúpida a ponto de me antecipar ao decorrer das circunstâncias.
Mas, quem sabe um dia eu passe a crer que as afinidades podem fazer uma relação durar muito, muito tempo? Quem sabe um dia eu volte a acreditar em "almas gêmeas"? Quem sabe? Quem sabe, um dia!

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

A vida é sua, as respostas estão dentro de você, não coloque ninguém em meio ao turbilhão de pensamentos e ansiedade que habitam em seu interior. Pense a respeito e decida sozinho, esta é a melhor forma de tomar decisões certas.

Claudia de Marchi
2 compartilhamentos

Conselhos

Pessoas covardes se aconselham com outras pessoas, homens nobres se aconselham com seu coração, alma, desejos e intuição. Ninguém sabe o que se passa em seu espírito, então não seja tolo: aconselhe-se consigo mesmo.
Por mais que alguém lhe conheça bem ou lhe ame, ele não sofre, não sorri e nem chora em seu lugar, não vale a pena seguir as opiniões alheias quando elas contrariam os ditames de seu coração e da sua mente.
Pode ser que, com o passar do tempo, você ache que o outro tinha razão, todavia, pessoas fortes aprendem sozinhas, experimentam, ousam, não deixam de tentar por terem medo.
Deixar de fazer algo porque alguém lhe disse para não fazê-lo é desperdiçar vida, momentos de felicidade e instantes que só você pode aferir o valor e a graça. Aprender a seguir os próprios sentimentos e coração é um ato de coragem, uma demonstração de maturidade.
As respostas que seu coração não sabe interpretar, a sua intuição irá lhe apontar, não menospreze tudo o que você já viveu: ter experiências aumenta a sua capacidade de antever os resultados de seus atos, então confie mais em si mesmo.
Sendo assim, porque depender e precisar de conselhos para fazer o que só você sabe que lhe faz bem, para fazer o que apenas você pode fazer, para sorrir, para ter prazer, para ser feliz? Aconselhe-se consigo mesmo, depois de uma fase da vida as respostas estão ao seu alcance, você pode ter medo de ouvi-las, mas elas estão ai, dentro de você.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Solidão e relacionamentos

Quando você se acostuma a viver só, quando você se acostuma a viver em companhia do próprio silencio, a dormir e acordar sozinho, não é qualquer companhia que lhe faz bem, que lhe faz feliz.
Quando você amadurece e se torna emocionalmente independente, quando você entende que, por mais que alguém lhe ame, o seu destino só pode ser regido por você, a sua visão acerca do mundo e do amor muda: não é “qualquer pessoa” que fará você sair da sua “zona de conforto” intima.
Você sabe que consegue passar por seus piores momentos sem que ninguém lhe estenda a mão, você sabe quantas vezes chorou a noite sem ter ninguém para lhe consolar, você sabe quantas decepções enfrentou sem receber apoio algum.
Então você vê que a vida não é cruel, mas a sua realidade é prática: você nasce sozinho e morre sozinho, é preciso se acostumar a ser só. Não digo que não existam pessoas boas ao seu redor, do nascimento à morte, eu falo da sua alma, daqueles segredos e anseios íntimos que apenas você conhece e não compartilha com ninguém. Falo da solidão da essência do ser humano.
Pois bem, então você compreende-se e não se contenta com qualquer companhia, você se habitua à sua rotina e pessoas diferentes de você podem lhe irritar, enfim, você não se apaixona fácil, se torna mais duro, mais frio, mais decidido e ciente do que deseja.
Ter uma companhia e um relacionamento simplesmente para “ter” é algo demasiado tosco para quem amadureceu e aprendeu a viver sozinho. Você quer completude, afinidades, o máximo e não o mediano ou o mínimo. E, veja que redundância: quanto maior a sua maturidade, mais difícil fica de você entabular um relacionamento, afinal, a maioria é medíocre demais.

Claudia de Marchi
76 compartilhamentos

Dentro de mim
Tem um não sei o que dentro de mim fazendo falta, tem algo doendo na minha alma. Eu não sei se é saudade, não sei se é medo de nada mudar, se é medo das mudanças ou se é tristeza pelo que já mudou.
Tem algo dentro de mim arranhando, ardendo. Aquela dorzinha que queima, que arde, por mais que o corte não seja tão grande. Existe algo dentro de mim sentindo falta do que nem sabe o que!
Há alguma coisa fora de ordem, deslocada, algo que não se encontra, que não se acha, algo que se agita, que se tortura, algo que busca, mas não encontra, algo que quer, mas não realiza.
Existe algo dentro de mim que esta perdido e não se encontra, algo que me fere e, de vez em quando, me tira a paz e no seu lugar coloca certa dose de saudade e outra, embriagante, de melancolia.
Um misto de querer tudo com não querer mais nada, um misto de acreditar e descrer, um misto de gritar e silenciar, um misto de sorrir e chorar, uma variação tola entre o são e o insano.
É algo que dói, é algo desencontrado, algo que se perde entre a extrema segurança e uma grande fragilidade, algo que se perde entre a independência e a carência, entre a necessidade de amar e de receber amor, algo que me faz ser várias numa só.
Existe algo de desequilíbrio, algo que ora sorri, ora chora, ora tem esperança, ora não, ora aceita os fardos da vida, ora se revolta e se sente fraco. É, existe algo dentro de mim que eu mesma não entendo!

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

A sua vida muda completamente quando você consegue mudar, leva tempo, dói e arde, afinal você vai errar, vai dar murro em ponta de facas, vai seguir caminhos errados, vai se iludir, vai querer voltar atrás, mas se você tiver amor no coração e fé, cedo ou tarde, você se encontra, então consegue se tornar um ser apto a ser feliz novamente. O tempo resolve tudo, desde que você não fuja da vida e das experiências que ela lhe apresenta, o que inclui toda forma de sofrimento.

Claudia de Marchi
Inserida por Ebonyworld
1 compartilhamento

Todavia, se você não quiser enlouquecer ou ser mais uma pessoa que vive de forma antinômica, é preciso se posicionar na vida e a minha posição é a de crer apenas em atos.
Palavras podem ser bonitas e encantadoras, podem despertar, em minha alma, uma imensa vontade de dar-lhes credibilidade, mas as marcas que eu trago nela me dizem: pare, pense, espere e avalie as atitudes. É a vida! Somos o resultado do que vivemos, às vezes menos sãos, às vezes menos crentes, às vezes, inclusive, menos felizes, mas, quase sempre, mais fortes.

Claudia de Marchi
2 compartilhamentos

Cresça

Não deixe de ser decente, honesto e bondoso porque alguém lhe desapontou, porque alguém lhe decepcionou e lhe feriu. Cresça e evolua com as suas experiências, não regrida, não se torne um ser humano bruto, frio e cruel.
Toda a dor passada e todo o sofrimento vivido só valerão a pena se deles advierem sabedoria, paciência e força, se, enfim, você conseguir se tornar uma pessoa melhor, mais esperta, mais justa e, principalmente, mais calma.
“Calma? Mas calma para que?”, você me pergunta. Calma para não colocar a carroça na frente dos bois, calma para não ceder aos estímulos do coração sem antes pensar bem, calma para enfrentar a si mesmo e as suas dificuldades com mais serenidade.
Calma para superar a dor e transformando-la em sabedoria, calma para pensar (sempre) antes de agir e, ao menos, tentar cometer menos erros, ou, se possível, não os mesmos de outrora.
Aprenda com suas experiências tristes a usar a maturidade a seu favor, não faça com quem suas lágrimas tenham sido em vão. Aprenda a confiar, mas não a perder a razão por bem querer a alguém, aprenda a se apaixonar sem nunca se esquecer de si mesmo.
Cresça, evolua e, com as benesses que a dor lhe trouxe, comece a ver com mais nitidez quem merece o seu prezar, quem merece a sua admiração e quem não merece sequer o seu sorriso, seja como um bom ourives: aprenda a olhar e distinguir jóias de bijuterias.

Claudia de Marchi
2 compartilhamentos