Alexander Pushkin

Encontrados 17 pensamentos de Alexander Pushkin

Amar? Para quê? Por um tempo, não vale a pena. / E, para sempre, é impossível.

Alexander Pushkin
655 compartilhamentos

Perder a razão é uma coisa terrível. Antes morrer. A um morto consideramos com respeito, rezamos por ele. A morte fá-lo igual a todos. Enquanto um homem privado da sua razão deixou de ser homem.

Alexander Pushkin
16 compartilhamentos

Genialidade e maldade não combinam.

Alexander Pushkin

O respeito pelo passado - eis o traço que distingue a instrução da barbárie; as tribos nómadas não possuem nem história, nem nobreza.

Alexander Pushkin

A subtileza ainda não é inteligência. Às vezes os tolos e os loucos também são extraordinariamente subtis.

Alexander Pushkin
13 compartilhamentos

Nunca encontrareis a poesia se não a tiverdes dentro de vós.

Alexander Pushkin
30 compartilhamentos

Gosto mais do engano que nos eleva / do que das verdades obscuras e baixas.

Alexander Pushkin
31 compartilhamentos

O céu deu-nos o hábito, / bom substituto da felicidade.

Alexander Pushkin

A melhor universidade é a felicidade de viver.

Alexander Pushkin
10 compartilhamentos

A palavra de um poeta é a essência do seu ser.

Alexander Pushkin

ELEGIA

Dos anos loucos a alegria extinta
Ressaca vaga, faz que eu mal me sinta.
Mas, como o vinho, é o remorso meu
Que mais forte ficou, se envelheceu.

É triste minha estrada. E me anuncia
O mar ruim do porvir dor e agonia.
Mas não desejo, amigos meus, morrer;
Quero ser para pensar e sofrer.

E sei que há gozos para mim guardados
Entre aflições, desgostos e cuidados:
Inda a concórdia poderei cantar,
Sobre prantos fingidos triunfar,

E talvez com sorrir de despedida
Brilhe o amor no sol-pôr de minha vida.

Alexander Pushkin

AOS MEUS AMIGOS

Os deuses ainda vos dão
Dias e noites de alegria,
E amáveis moças vos estão
A examinar com simpatia.

Folgai, cantai, ficai a fruir
A noite, amigos, passageira,
E a vosso prazer sem canseira
Hei-de, entre lágrimas, sorrir.

Alexander Pushkin
Inserida por DouglasLemos

A FLOR

Vejo uma flor seca, sem ar
Cá esquecida em um caderno,
E meu espírito prosterno
Num esquisito meditar:
Floriu quando? Onde? Em que estação?
E postergou-se? E é estranha
Ou amiga a mão que a apanha?
E a pôs aqui por que razão?
Pra recordar um encontro amável
Ou uma separação funesta,
Ou um passeio solitário
Num sítio, à sombra da floresta?
E ele está vivo, ela também?
E a que refúgio se retêm?
Ou eles ambos já mirraram
Como esta flor que aqui deixaram?

Alexander Pushkin
Inserida por DouglasLemos

A ilusão que nos exalta é mais querida a nós que dez mil verdades.

Alexander Pushkin
Inserida por pensador

Todos dizem: 'Não há justiça na terra.' Mas também não há justiça lá no alto!

Alexander Pushkin

Queima o sangue um fogo de desejo,
De desejo a alma é ferida,
Dá-me os teus lábios: o teu beijo
É o meu vinho e minha mirra.
Reclina para mim a cabeça
Ternamente, faz que eu durma
Sereno até que sopre um dia alegre
E se dissipe a névoa noturna.

Alexander Pushkin
Inserida por pensador

Eu amei-te; mesmo agora devo confessar,
Algumas brasas desse amor estão ainda a arder;
Mas não deixes que isso te faça sofrer,
Não quero que nada te possa inquietar.
O meu amor por ti era um amor desesperado,
Tímido, por vezes, e ciumento por fim.
Tão terna, tão sinceramente te amei,
Que peço a Deus que outro te ame assim.

Alexander Pushkin