Poemas de Jaak Bosmans

Cerca de 143 poemas de Jaak Bosmans

Capas

Mais que os presentes
A mim encanta seus embrulhos.
Caixas e papéis me divertem muito mais.
Seus brilhos, cordinhas e fitas têm sempre seus encantos.
Nem se importam se é festa.
Os adultos ali nem mexem.
Com eles sempre podemos brincar!
Rasgar, amassar, depois jogar fora.
Faz parte da brincadeira.
São apenas capas.
Como nós.

Jaak Bosmans 26-12-08

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Perpétuo

Caminho por lugares vastos
Onde ouço apenas o arfar dos rochedos
Ali, onde a liberdade se fixa
Porque qualquer movimento é prisão.

As cadeias fortes das cordilheiras.
Algemam no seu ventre qualquer neblina.
Apenas a presença forte de qualquer sol,
Derrete e a liberta antes da condenação.

E do sêmen deste calor e liberdade
Rompe-se em nova aurora
Do fecundo e perpétuo grito
Um movimento, ainda que foragido.

Quietude da escravidão dos ventos.
Retorna aos mares a porção líquida e menor
Que se fez liberto de toda essa corrente:
A criatura, o criador e muita dor!

Jaak Bosmans 31-12-08

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Desaparecer do dia

Foi no primeiro desaparecer do dia
Que com ternura e sonhos de aventura
Te abracei nas matizes que se fizeram em cores.

Olhei sereno o tempo e o espaço que se fundiram,
Num silêncio perfeito para a criação de um Éden.
Te criei em tanta beleza, que somente ali me permiti sorrir.

Correste ao encontro do mais perfeito jardim.
Colorindo as flores, fazendo cantar os pássaros, atrasando o tempo.
E no suave tocar de tuas mãos me fizeste sentir os teus desejos.

A todos satisfiz, porque a todos te pertenci.
E, em retorno pelo tempo e no espaço,
Ficaste ainda, no último desaparecer do dia.

Jaak Bosmans 1-1-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Cupido errante

Vou por melodias e ritmos me perder
Em teus encantos, que não percebem
Cada compasso, circundando toda a sinfonia.
São flautas, violinos, harpas e percussão,
Que se encontram na ponta de uma batuta.

Seu olhar disfarça a dissonância
Que existe entre o meu acorde e sua voz
Ali no lugar do nosso encontro
A cortina sempre se fecha mais cedo.
Pelas mãos inocentes do cupido errante.

E o último acorde fica sempre no ar,
Onde lembra a despedida nos ecos do coração
E em moto contínuo, te espero no próximo compasso.
O compasso da espera, sem notas, só pausa.
Silêncio perdido entre as notas que se foram!


Jaak Bosmans 2-1-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Por onde me procuras?

Por onde me procuras?
Entre as flores e as nuvens?
Não! Muito longe delas estou
Em paisagens campestres e silêncios?
Porque me procuras?
Acaso me queres?
Guardar-me?
Aprisionar-me em tão pequeno espaço?
Só posso existir na liberdade de ser.
Por onde me procuras?

Jaak bosmans 21-12-08

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Pedido
(poemeu a Millôr)


Não me abandones no início dos teus versos.
Termina o poema... Vai!

Jaak Bosmans 3-1-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Desagravo de mim

Hoje mergulhei no mar dos meus sonhos inacabados
Subi as montanhas dos meus sucessos inacessíveis
Corri ao tempo passado que levou as mais puras esperanças
Lutei sem armas contra as barreiras de toda as intolerâncias.

Hoje me matei com saudades
Contorcendo sem do e sem dor,
De toda amargura, de todo abandono.
Derramei em gritos todas as agonias, tristezas e mágoas.

Teci novos horizontes com fios novos e fortes
Apertei os lábios num último desagravo ao que vivi
E no pequeno jardim da minha antiga prisão
Cantei a primeira canção, desacorrentado e livre!

Jaak Bosmans 11-1-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Iguais.

Que bom ser assim
Exatamente como todas as pessoas não são
Ser igual a todos com todas as diferenças
Ter tudo, que os outros têm e saber
Que nada tenho!
Eu divirto em sorrisos e gargalhadas,
Enquanto choram pelo sorvete derretido.
Roubo goiabas, cigarros e amores,
Durante o tempo em que eles se roubam.
Toco ainda as mesmas músicas e canto desafinado,
Para o aplauso ébrio das mesmas pessoas.
Tenho tanto pra fazer que, prefiro descansar primeiro,
Vendo saltos altos, gravatas e paletós,
Prontos para um encontro tosco.
Luz de velas, champanhe ou vinho,
A grande farsa que ainda é galanteio.
Na mesa ao lado, converso em versos,
Batatas fritas e como foi seu dia.
E aí sim, vem o melhor: saímos a passear!
Que bom ser tão igual.

Jaak Bosmans 12-01-2008

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Vapor do adeus

Te via partindo
Da vidraça em gotas de chuva
Enquanto ainda escutava
“Ne me quitte pas”

Rua deserta sombria e calma
Nada mudava na sua passagem
Gotas solenes marcavam mais dor
Lavava o passado, levava você.

Perdia um sonho que apenas sonhei
Presença cruel da maior ausência
A música parou, e tudo acabou.
Só na vidraça ficou meu vapor!

Jaak Bosmans 7-1-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

SONHOS

Sonhos não se diluem em ácidos beijos
Não se desintegram em falsos abraços
Sonhos são resistentes.
Mesmo não sonhados.

Sonhos são fortalezas da utopia.
São guardiões da próxima realidade.
Sonhos pertencem apenas à liberdade.
Mesmo aprisionados em tantos corações.

Aos sonhos não pertence o medo.
Apenas aos sonhos é dada a licença de
“querer é poder”.
Sem torturas, violências, ou limites.

E no grito de apenas uma dor
Me liberto do sofrimento de ser real.

Jaak Bosmans 12 -12 -2008

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Alma cruel

para M. A.

Olho bem nos teus olhos
Apesar das mãos já trêmulas
Com pequeno esforço, ainda me sento na velha cadeira de rodas
Sem jamais deixar de olhar bem nos teus olhos
Assim posso te ver a alma.
E não consigo imaginar de onde viestes,
Alma cruel e má!

Jaak Bosmans 2008

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Todo pudor será castigado

Descalça-me os pés lentamente
Pendura o vestido em cuidados
A blusa jogue-a pela janela!
Do resto me castigo eu.

Jaak Bosmans 9 -01-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Amante e amado

Na penumbra um corpo doente
Separado por espaços e tempos
Espera ainda ser amante e ser amado.
Ainda há marcas de desencantos
E o pequeno sorrir de uma esperança.

Vê pela janela sombras que desenham
Os corpos de seus desejos.
Percebe toda sua vida ainda a ser vivida
Com brilho nos olhos e coração parando.
Em gritos majestosos, choro e alegria,

Conquistou para sempre,
O seu ser amante e o seu ser amado.
Com os remendos feitos e costurados entre os dois,
Num só corpo dormente, estendido em nuvens,
Que passam e se desmancham.

Jaak Bosmans 13-01-09

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Até..."

Atrevi a um pequeno brilho em noite de estrelas
Me perdi em cantigas como em criança brinquei
Procurei no esconde-esconde minha namorada
Mesmo a vendo não queria apontá-la.
Procurei pelo melhor amigo
Que em criança eu sabia existir
Escondido correu e me fez
outra vez esconder o rosto.
Contar até dez continua sendo meu trabalho
Deixando de ver a namorada
Acreditando que ainda existem amigos
Mas sempre escondendo meu rosto!
A noite acabou!
Não me lembro das cantigas
A namorada foi embora,
Com o amigo que correu na frente!
Vou tentar ainda
Contar de novo até ...

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Amargo recheio"

Descubro-te desnuda
E debruço,
No escuro pra te embalar
Como em noite de luar,
Em toques de ternura.
Te escuto o silêncio.
Te falo calado.
Sem enfado me descubro desnudo,
E rebusco nestes dois corpos
Aquele que é um só.
Me recubro de lembranças,
Mas recuso voltar no tempo.
Me envolvo em travessuras,
Travesseiros, mas sem teus seios.
De culpas recheado, já percebo
Apenas dormências.
Reminiscências de um gostar de você,
Na permanência da sua ausência.

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Gestalt"

Mesmo aqui encontrei a saída!
Em escadas não calculadas,
Em degraus que se tornam planos.
Onde você começa.
Lugar de nunca terminar!
Espaço reservado!

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Flores" (título bem bobinho mesmo)

Gotejei cada pedaço de mim
Em refrescar apenas a dor
Que a cada momento se desfazia em nuvens
No rasgar entre o brilho que me tinham flores
Não por razão perdida, louca, ou falta de razão
Desci pelas escadas laterais da minha amargura
De onde podia gritar o lamento do que não existiu
Em jogos de cartas ou dados, sempre perdi meu horizonte
Joguei até o último pedaço de mim
Refrescando toda a minha dor
Que nas flores tinham gotas!

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Último canto"

Te procurava em finais de arco-íris
Percorrendo estradas de puras nuvens
Corria através de túneis sem fim
Voava por sobre desertos e oásis

Em bosques, florestas e matas te buscava
Nas montanhas, em ecos te gritava

Num lago em sol a se por
Chorei quando te vi

Eras cisne e me chamavas.

Num esforço real, irreal e surreal
Me transformei em cisne pra te abraçar!

E como cisne apenas cantei!


(Ouro Preto-MG 01/12/2007)

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

"Os três lados da mesma moeda"

Poesia é fácil fazer, na verdade todo mundo faz.
Poesia é difícil de escrever, é manejar letra por letra construindo palavras que podem se tornar poesia.
Poesia é impossível de ser lida, como a mesma.
Porque poesia contém também o lado espesso.

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans

Ai! Cai! Balão
Ai! Cai! Balão
Aqui não,aqui não;
Aqui nãããããão!!
É melhor continuar a subir
EXPLODE!!!!!!!!!!!!!!!!!

Jaak Bosmans
Inserida por JaakBosmans