Poema Adolescência

Cerca de 229 poema Adolescência

A vida do homem divide-se em cinco períodos: infância, adolescência, mocidade, virilidade e velhice. No primeiro período o homem ama a mulher como mãe; no segundo, como irmã; no terceiro, como amante; no quarto, como esposa; no quinto, como filha.

Pierre-Joseph Proudhon
321 compartilhamentos

Afeto, amor, compreensão - eis os alicerces da vida.
Escrevemos com amor o poema da adolescência.
Com a música do amor, orquestramos a grande canção da existência.

E tu, cético diante da ternura,
impermeável ao sentimento,
aprende esta verdade:
A vida é Amor, e nada mais!
(Rubáiyát)

Omar Khayyám
116 compartilhamentos

Marge e Homer na adolescencia..
Homer: vamos dar uma volta gatinha...
Marge: Ó Homer eu não posso tenho prova de matematica
Homer: A unica matematica que eu conheço é; eu + você = para sempre.

Homer Simpson
140 compartilhamentos

Na adolescência me disseram que opostos se atraem, só
Que na adultescência descobri que os dispostos é que se
Atraem, e que os opostos se distraem e depois se traem!
Guria da Poesia Gaúcha

Guria da Poesia Gaúcha

quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta minha adolescência

vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência

vou fazer o que meu pai quer
começar a vida com passo perfeito

vou fazer o que minha mãe deseja
aproveitar as oportunidades
de virar um pilar da sociedade
e terminar meu curso de direito

então ver tudo em sã consciência
quando acabar esta adolescência

Paulo Leminski
140 compartilhamentos

Conquistar

No começo da adolescência, lendo um catálogo de livros, fiquei encantado com um título: Como conquistar mulheres sem fazer força.

Com certeza não resisti e comprei: Poderia haver coisa melhor, eu pensava, à época? Se “dar” bem com um monte de mulheres.

Evidente que era uma “bobagem só”. Algo equivalente poderia ser: como aprender a dirigir lendo um livro apenas e sem aula prática nenhuma. Bastaria lê-lo, e “tchan”, como que por magia você sairia dirigindo.

Acho que a gente precisa de tempos assim...Ingênuos e simplórios.

Mas passam se algumas tantas estações, e quando a gente se lembra de fatos assim, percebe o quão superficiais eram as idéias da época.

O que pode haver de melhor que encontrar alguém que efetivamente atende, ou até transborda às nossas expectativas? Alguém que não é só uma conquista de uma noite ou duas.

É uma pessoa assim que faz valer o dia, os meses e os anos que passam. Que é amiga, companheira, cúmplice, amada. Alguém que dá conselhos, afagos, broncas e carinhos.

No entanto é preciso ter “olhos” para ver, e coração pra sentir. Consciência e percepção para se perceber o que de fato se precisa, e o que se tem diante de si.

É fácil hoje encontrar pessoas que “não crescem”. Ficam paralisadas naquela visão imatura. Presas na superficialidade, focadas na exterioridade, no consumismo e na individualidade, no ciúme e na falta de cumplicidade.

Incapazes de perceber o verdadeiro valor de si e dos outros. Incapazes de serem felizes e de fazerem alguém feliz também.

Não apenas aquela felicidade fugaz e passageira do sexo casual. Mas aquele encontro que “sacia” mais do que a carne e atinge a plenitude da alma e do espírito. Aquilo que completa.

Por que só conquistar, se eu posso amar?

Portanto, um brinde, a quem ama e outro a quem sabe valorizar um grande amor.

PEDRO MAGO
24 compartilhamentos

Às vezes eu tenho vontade de ter outra vez um amigo como aqueles que a gente tinha na adolescência. Aqueles pra quem você contava tudo.

Caio Fernando Abreu

E ela me conhece, completa, como um amigo de infância, um amor da adolescência...
É como se soubesse todos os meus medos, segredos e sonhos.
Ela lê minha alma, e eu vejo tanta doçura naquele olhar...
E que a paixão, seja amor.
Que o amor torne-se amizade...
E a vida... e Deus, se for da Sua vontade unir essas almas,
Torne amizade amor.

Desconhecido
30 compartilhamentos

"Recordo-me das lembranças ingênuas da infância e adolescência e não há dúvidas, foram as fases mais marcantes. Crescer, amadurecer e ter outras responsabilidades não é abandonar o que foi bom para tomar uma caminhada com pesos e perturbações. Dê à sua vida o toque leve de ser simples, brincar, sorrir e ser feliz."

-Aline Lopes

Aline Lopes - Pensamentos (Aline Lopes)
21 compartilhamentos

Infância: Risadas, diversão, brincadeiras, festas, alegria, e só felicidade.
Adolescência: Risadas, lágrimas, e coração partido.
Infância: Brinquedos.
Adolescência: Brincadeira.
Infância: Eu. (Com o meu coração de menina).
Adolescência: Você. (Com o manual de me fazer sofrer).

Eleen M.
11 compartilhamentos

Quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta adolescência
vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência

Paulo Leminski
13 compartilhamentos

Uma vida atormentada
Uma adolescência interrompida
Uma atitude tomada
Uma menina perdida
Uma ação precipitada
Uma infância esquecida
Um destino estraçalhado
Uma morte escolhida

Sabrina Eisele

FASES DA VIDA

"PULEI A ADOLESCÊNCIA,
AMADURECI COM O VALOR
DA MINHA INFÂNCIA".

Ivete Henrique

Sou louca, impaciente, mandona e impulsiva
Chego até ter sintomas de uma maníaco-depressiva
Já chorei de tanto rir
Mas já rir de tanto chorar
Tenho emoções a flor da pele
Antes mesmo da TPM chegar
Sou lovática, vampire, fallenática e tributo
(Esse último verso não será compreendido pelos adultos)
Por que eles não são como eu
Não ficam no facebook/twitter até altas horas da noite
Não têm conta no instagram
Nem ficam #revolt’s
Não conversam no zap zap
No privado ou em grupo
Apenas querem dialogar... Conversar sobre quase tudo
O pior é quando eles tentam virar meus amiguinhos
Perguntando sobre a escola e os namoradinhos
Já fui iludida e enganada por causa da paixão
Coitado do meu coração
Apanhou mais que os escravos, antes da abolição
Mas apesar de tudo
Até que eu sou legal
Olhando bem lá no fundo
Pareço uma pessoa normal
Sou a geração Z e vim pra ficar na memória
Afinal não quero ser uma flopada
Pois pretendo fazer história

Laila Machado

A adolescência é o período da vida em que os jovens se recusam a acreditar que um dia virão a ser tão estúpidos como os pais.

Alex Gabriel Madrigal
110 compartilhamentos

Poema: O tempo

O tempo levou a infância,
a adolescência e a resistência...
Levou consigo a esperança e o recomeçar
trouxe de volta pessoas e outras ele simplesmente ignorou.
Esqueceu do passado mas fez lembrar como nostalgia tudo outra vez tudo que passou..
Vidas e encontros proporcionou como jóias a esperança das lembrar de novo o que o tempo levou sobre seus ombros e o ar com seu cheiro de terra molhada sobre a chuva que passa.
Ouça o som do vento que vem com o tempo e trazendo o cheiro de vida nova já que o tempo levou consigo também o sofrimento.
Os pecados passados foram perdoados e as mágoas esquecidas porque o tempo apagou com suas investidas atrasou e adiantou fatos bons e ruins pois sem tempo não podemos seguir...

Autor: Jefferson Allmeida​

Jefferson Helton da Silva Almeida
Inserida por JeffersonAlmeidaSilv

Jogo de Bola: Infância e Adolescência -

Numa tarde como esta,
há alguns anos,
eu era feliz.

A brisa no rosto,
alguns amigos,
um campinho de terra batida
e uma quase bola
eram o suficiente.

Sílvio Fagno
Inserida por SilvioFagno

POESIA DA MINHA VIDA

conheci as drogas na minha adolescência
Durante alguns anos me drogava com frequência
Um dia, analisando minha vida, vi que era um viciado
Não podia continuar, eu estava no caminho errado
No caminho das drogas, o destino é muito incerto
Na melhor das hipóteses, a morte está sempre por perto
Para me livrar dos vícios, comecei um grande conflito
Mas eu tinha que vencer e não me dar por vencido
Com fé, apoio e muita força de vontade
Venci a batalha e alcancei minha liberdade
Apesar doa vícios eu tinha o meu valor
Exercia um papel de músico e compositor
No alge da minha carreira vi tudo desmoronar
Com a síndrome do pânico não pude me controlar
Uma nova guerra então havia começado
Mas eu já era vencedor, Deus estava do meu lado
Jesus me transformou, a felicidade alcancei
Mas me entristece ver um jovem passando o que passei
Não escondo o meu passado, não minto o meu presente
Quero um futuro melhor caminhando com Deus na frente.

Salmista Gil

Últimos Versos -

Tenho te carregado (no peito) desde os primeiros dias em que nos conhecemos.
Tenho saudades dos velhos motivos: a brisa, os livros, as tardes da tua rua.
Saudades da tua risada, da espera na calçada, dos riscos, do céu, da lua.
A saudade ficou um pouco nas frestas da varanda, por onde eu (ansioso), olhava à tua espera. Ficou no cheiro jovem e delicado do nosso namoro aprendiz - adolescente - a quem eu (suspeito), dedico esse sentimento sincero, lírico e nostálgico.
A saudade ficou também nas conversas virtuais – presentes distantes - e nos papos a centímetros da pupila dilatada e respiração ofegante (pensamentos navegavam nas redes da comunicação abertas à alma).
Haviam horários e eu os perdi.
(Lembranças... saudades).
Sem explicação, ainda te olho com olhos de adolescente apaixonado: intensos e devotos.
Ainda te olho como a garota de treze anos, de dentes e pernas salientes, e olhos tristes cor da tarde. A garota birrenta, cheia de manias e erros de português, que carregava meus olhos – sempre seus olhos –, por onde fosse.
A garota que me ensinou a beber água antes de sair de casa.
Aquela garota que, apesar de homem feito, me provocava frio na barriga quando estava por perto e, estranhamente, ainda sinto como se estivesse aqui pertinho ou, na verdade, nunca tivesse saído.
As fotos estão aí para quem quiser ver, mas algumas pequenas coisas, alguns pequenos gestos e detalhes - fragmentos do ontem –, nosso amor adolescente (como o teu cheiro de menina, a timidez aprendiz dos teus lábios e a rebeldia dos teus cabelos imaculados confundindo minha sorte), somente eu sei o que representa em minha vida.
Mas já não há mais tempo para voltar.
Agora o continuar é um sem sentido peito cheio de traumas e amarguras, um sentimento grandioso e inútil de onde eu, sangrando, escrevo esses últimos versos.

P.S.: Não vá embora antes de falar comigo.
(...)
Era uma festa, agora o último adeus!

Sílvio Fagno Moura
Inserida por SilvioFagno

mas é que tem dias em que a gente inventa de se investigar, de lembrar dos sonhos da adolescência, de questionar nossas escolhas, e descobre que muitas coisas deu certo, e outras não. Resolve pesar na balança o que foi privilegiado e o que foi descartado, e sente saudades do que descartou. Normal, normalíssimo. São aqueles momentos em que estamos nublados, um pouco mais sensíveis do que gostaríamos, constatando a passagem do tempo. Então a gente se pergunta: o que é que estou fazendo da minha vida?

Martha Medeiros