O Coração tem Razões

Cerca de 7 frases e pensamentos: O Coração tem Razões

O coração tem razões que a própria razão desconhece.

Blaise Pascal
696 compartilhamentos

Se o coração tem razões que a razão desconhece, isso deve-se ao fato da razão ser menos sensata do que o coração.

Raymond Radiguet
32 compartilhamentos

MEU CORAÇÃO TEM RAZÕES QUE ATÉ EU MESMO DESCONHEÇO.

Fatma
Inserida por fatma

Ja diziam que o coracao tem razoes que a propria razao desconhece...sera?! Uma dificil reflexao...porque exige profundidade de pensamentos...significa despojamento de toda dor da alma...de toda motivacao que nos impulsiona...Mas faz-se necessario a mudanca...AMAR DEMAIS nunca e bom...AMAR DEMAIS faz sofrer.e sofrimento nao implica AMOR! Isto e posse!
O AMAR DEMAIS exclui..desorienta..cega...e aprisiona...quem ama e quem e amado...AMOR de verdade liberta!
Pense nisto!

Berenice Pasin
Inserida por berepasin

"O meu coração tem razões que o meu cérebro desconhece..."

☆Haredita Angel

Haredita Angel
Inserida por HareditaAngel

Concordo que "o coração tem razões que a propria razão desconhece",
mas convenhamos, existem coisas do coração que extrapolam...
e não dá pra entender... mas, pra que entender?


COISAS DO CORAÇÃO
Marcial Salaverry

São coisas do coração,
que nos deixam sem ação...
Mexem com os sentimentos,
dão alegrias ou lamentos...
Fazem-nos sorrir, ou chorar...
São essas coisas de amar,
que modificam nossa vida,
fazendo-a boa de ser vivida...
Não se deve ouvir a razão,
se queremos feliz o coração...
Se o amor acontecer,
devemos esse amor viver,
tendo sempre a doce sensação,
que nos embalará o coração.

Marcial Salaverry
Inserida por Marcial1Salaverry

"O coração tem razões que a própria razão desconhece..."
Sábias palavras...
Mas... Quais serão essas razões?
Osculos e amplexos,
Marcial

O CORAÇÃO TEM SUAS RAZÕES
Marcial Salaverry

Existem frases que dizem verdades tão reais que ficam marcadas na memoria, como esta, que ouvi já há muitos anos:
"O coração tem razões que a própria razão desconhece..."

O fato, é que esta frase encerra uma grande verdade, pois o coração costuma pregar peças inesperadas, criando algumas situações meio inusitadas, quando sem mais aquela resolve se apaixonar de maneira, digamos, inadequada, e isso pode acontecer em diversas épocas de nossa vida.

A começar quando estamos nos bancos escolares, e resolvemos nos apaixonar por uma professora (ou professor, claro). Fica aquela situação meio esquerda, com suspiros pra tudo quanto é lado. E quando a professora percebe que aquele moleque está apaixonado por ela, com muita habilidade, tenta explicar para o garoto que as coisas não são bem assim, tenta explicar que em francês, “je t’aime” pode significar “eu gosto de você”, sem ser uma declaração de amor. Mas não é fácil fazer um garoto cheio de idéias de jerico na cabeça entender isso. E é uma baita frustração, podem ter certeza.

Na adolescência, muitas vezes nos julgamos apaixonados. E isso segue pela vida afora. Tanto podemos viver um amor permanente, ou diversos amores ocasionais. Sempre a reação será a mesma. O coração bate mais forte, as pernas tremem, e muitas vezes as palavras não saem como queremos. E é uma delicia quando acertamos na Loteria do Amor, e encontramos um amor em reciprocidade.

Mas, se nos apaixonamos pela pessoa errada, a tal da razão entra em atrito com o coração e tudo se complica, eis que o coração nunca sabe se vai haver reciprocidade no amor. Ele é meio burrinho, e muita vezes deixa-se dominar pelas emoções, nunca escutando a implicante da razão, que tenta mostrar que estamos entrando em fria. E se entramos de cabeça, o resultado será levar um gol no último minuto da prorrogação...

Mas também, muitas vezes a razão se engana, e acabamos por não viver um grande amor porque a ouvimos, e não demos bola para o coração. Eis aí o grande conflito. Se corre o bicho pega, e se para, o bicho come, e assim, o que ouvir? O coração, ou a razão? É hora de tentar usar um negocinho chamado discernimento, e analisar bem a situação, nunca esquecendo que não existem parâmetros a serem seguidos, pois cada caso é um caso, e não é porque um amor não deu certo, que nunca mais nenhum outro dará.

Nas questões de amor, temos que usar o meio termo. Seguir o coração, mas com a sintonia ligada na razão, para contrabalançar os efeitos, vivendo o amor, sem contudo, se entregar às loucuras da paixão. Sabendo observar os limites que poderão nos fazer sair fora da racionalidade, nunca esquecendo que para um amor ser vivido em plenitude, é preciso que haja reciprocidade. Um amor unilateral nunca dá certo. E é justamente para entender essa diferença, que temos que ouvir a razão....

E dessa maneira, para digerir melhor esse problema, nada melhor do que viver UM LINDO DIA, sabendo entender as tais das razões do coração...

Marcial Salaverry
Inserida por Marcial1Salaverry
1 compartilhamento