Luana rodrigues: Me salve, Maria... Assim iguais aos...

Me salve, Maria...

Assim iguais aos ventos, me perdoo. Estou sendo mais ligeira, agora, estou prestando linhas, querendo ser a sombra que te acompanha sempre, sempre...Ando tão calma, que até a minha aura pode ser vista por qualquer olhar.
Mas, agora que estamos em mudança, tu e eu, Maria, vamos nos abrigar nas ideias plantadas... Somos inteiramente ligadas à noite, quando sentes que o sol se deita...e então, a minha tranquilidade do dia, vira danças à noite, e me acordo toda vazia...
Escute a minha voz, gritando baixinho em qualquer canto, nem com reza poderosa, nem com sambas, nem com bambas, nem com Boi de Mamão...Nem a Mãe nem o Pai, nem com Bernunça...sem a ternura da Ilha, e suas tradições tolas, me vejo ligada a ti, como nunca me liguei a outrem...quantas reticencias pregarei, nos poemas de manhã, serei mais alguém perdida, ou voltarei a ser o que sou agora, tenho tantas estórias e desastres que prefiro perder a memória, do que lembrar de como foi errado, dizer ser o que não era, e convencer que a minha passagem por aqui não é contornada de erros, viagens e desapegos...

1 compartilhamento
Inserida por LuanaRodrigues