Andressa Meirelles: Bom dia, hoje eu poderia detalhar a...

Bom dia, hoje eu poderia detalhar a chuva que cai sobre nós esta manhã, ou poderia ainda retratar a imensa melancolia que nos atinge.
Mas não, prefiro relembrar aqueles olhos cansados, desestimulados. Prefiro pensar na coragem daquele povo, na bravura que se tem dia após dia, quero contar-lhe do suor que percorre, fazendo linhas de passagem pela testa. Conto-lhe também daqueles olhos que se fecham no final do dia, entregando os pontos, simplesmente deixando a desejar. E naquele momento o que mais se deseja é descansar.
Dizem por aí, e olha que a fama corre muito longe, que baianos só fazem descansar, vivem em águas tranqüilas, a sombra de coqueiros. Não é bem por aí...
Não alterando a parte de águas tranqüilas e de muitos coqueiros, a Bahia realmente oferece este grande espetáculo da natureza, só que poucos podem desfrutar.
A maioria da população que vive na própria cidade, os originais soteropolitanos, aqueles que vivem na loucura do comércio, aqueles que tentam ganhar o pão de cada dia, seja vendendo objetos em ônibus, seja atrás de suas tendas, seja trabalhando em o que quer que seja. Você não pára, é difícil parar. Precisam voltar para casa com a sorte de poderem comprar pelo menos o café da noite.
Existem crianças que estudam história nas escolas, mas não sabe que estão inseridas no berço dela, não se vêem cercada de história. Vejo a Bahia como uma religião, você precisa viver a Bahia para entende-la.
Só assim você entenderá como tudo isso pode ser superado, o baiano não é preguiçoso, é corajoso. Corajoso sim, por que são criativos. E criatividade meus queridos são para poucos.
Você passa entender melhor quando está cercada de tanta miséria, mas seu coração enche-se de alegria ao ver brotar um sorriso naquele molequinho deixando a crer que nasce sempre um novo dia.

1 compartilhamento
Inserida por Andressameirelles