Arcise Câmara: Discutindo um ideal Cada pessoa é dona...

Discutindo um ideal

Cada pessoa é dona da própria sorte, sem pânico e com coração acelerado após sofrer terríveis ataques de ansiedade, consegui rechaçar sentimentos ruins que me acachapavam.
Não me fiz ouvir, mas era uma questão de tempo mudar o foco das tristezas. Tornei-me o que sou, conquistei a liberdade, fui rabugenta o suficiente para espantar brutamontes, uma loucura sábia.
Coloquei o uniforme de combate, nele não tinha egoísmo, era um amor à Pátria, dentre tantos ideais eu sempre fui patriota. Também tinha cravado na cabeça a vontade de educar bem os 4 filhos que tive, nunca gostei que meus filhos dormissem na casa dos outros, por mais amigos e íntimos que fossem.
Cada pessoa deve ter seu próprio espaço, quem não consegue tomar decisões não tem confiança em si próprio, eu fui uma mocinha traumatizada! Pelo amor de Deus! Aquilo eu não queria para meus filhos, filhos são pátrias que deixamos de legado para o mundo.
A alegria muda a vida para sempre, a alegria fala direito ao meu coração, o dia de hoje não importa amanhã. Faça tudo hoje para que não tenha arrependimentos. Receber a notícia da morte de um filho prematuramente te faz desacreditar de tudo que um dia você acreditou.
Gabriel sempre povoará meus doces pensamentos, nunca perdi tempo com ele, fomos preenchidos por tudo que a vida nos coube contemplar, seus pertences não eram seus e eu não tive dificuldade em jogar fora ou doar, tudo que ele representava foi com ele para o cemitério.
A partida dele me fez refletir sobre nunca mais ter a vida bagunçada, precisava viver num espaço limpo e bem arrumado, melhora minha autoimagem automaticamente, eu precisava dar orgulho aos céus.
Meu outro ideal de vida era não permitir que a saudade se apagasse, mas isso era fácil, eu pensava nele de forma espontânea todo santo dia, minha vida ainda está fora dos trilhos, mas ainda tenho um coração cheio de ideais, mas o principal é a minha evolução como ser humano.

1 compartilhamento
Inserida por Arcise