Isabel Morais Ribeiro Fonseca: ANDO Ando enquanto durmo Nos recantos...

ANDO Ando enquanto durmo Nos recantos escondidos de mim Onde a neve nunca esteve Para não derreter entre os dedos No silêncio agreste da minha alma Esquecendo o... Frase de Isabel Morais Ribeiro Fonseca.

ANDO

Ando enquanto durmo
Nos recantos escondidos de mim
Onde a neve nunca esteve
Para não derreter entre os dedos
No silêncio agreste da minha alma
Esquecendo o sal que dá a vida
Numa poesia levada pelo vento
Num tempo que o sangue não se sentia
Entre o beijo de fogo num sonho
Nas palavras que se soltavam
Como uma flor que nascia dentro de mim
Onde tu regavas com tanta ternura em silêncio.

1 compartilhamento