Telmo Cordeiro: _Carmines_ Quando deste-me...

_Carmines_

Quando deste-me "branco", eu, escrevi "mente"; porque no
momento e que mais precisei da minha mente tive um branco;

Quando deste-me "preto", eu escrevi "amor"; porque a força
da escuridão amorosa, vive em um vazio que preenche o meu
coração;

Em seguida, deste-me "azul", e eu escrevi "sonho"; porque os
meus sonhos são tão altos que nem os céus azuis que cobrem
o mar azul;

Deste-me "rosa" e eu escrevi "cravos"; porque é o que há mais
no meu jardim, cravos;

Depois, deste-me "verde", então eu escrevi "Palassa"; porque
hoje eu me sinto bem mais amadurecido para alimentar a minha
Palassa, faminta;

Quando deste-me "vermelho", eu escrevi "música", porque Ela
faz-me completamente refém, eu encontrei nela o melhor abrigo
para os pensamentos, para meus sonhos, desejos, tristezas e
alegrias, Ela tem poder, Ela fez-me de mente aberta...

Quando deste-me "laranja", eu escrevi "silêncio", porque, quando
alguém nos deixa e parte para longe perdemos a comunicação e
nos tornamos mudos e o ano que foi desejado próspero em um
segundo converte-se em miséria, converte-se em penúria...

Deste-me "amarelo", eu escrevi "felicidade", felicidade porque eu
carrego em mim todas as nossas lembranças, às vezes sinto as
suas mãos em meus ombros, fecho os olhos e vejo nós juntos a
correr sem motivos por aí, ouço sempre a voz dele e continuo no
silêncio então, eu prefiro sorrir, porque sorrir é bem melhor;

Mas, quando deste-me "lilás", eu nem as minhas mãos consegui
mover; porque a minha mente lembrou de coisas mais remotas,
bem mais duras do que a rocha;

1 compartilhamento
Inserida por telmocordeiro1