Fábio Rocha Pina: Retiremos de nós tudo que há um do...

Retiremos de nós tudo que há um do outro.
Não deixemos nenhum resquício, nenhuma lembrança.
Esvazie as gavetas, rasgue todas as fotos, farei o mesmo.
Apaguemos as memórias, os detalhes, os méritos e os vícios.

Não repita minhas palavras,
Não use meu métodos,
Não siga meus exemplos, pois eu farei mesmo.

Arranque na raiz toda a influência que tenho sobre você,
E eu apagarei suas palavras, seus atos,
Que influenciam minhas decisões e escolhas.

Jogue fora os discos e as letras que lhe apresentei,
Esqueça as receitas,
As fórmulas,
Os conceitos,
A minha filosofia,
Pois eu farei o mesmo.

Quando comer, beber, vestir, trabalhar, criar, não permita que eu esteja em você.
Pois você não me vestirá, e meus hábitos, assim como a minha arte, estarão livres de você.

Lembremo-nos de como pensávamos e como evoluiríamos um sem o outro
Como seriamos em família, quais seriam nossos amigos, quem seriam nossos amores
Como seria nossa poesia, nossa rotina, manias, diversões, passatempos
Pensemos de que forma o outro interferiu na nossa trajetória, e neguemos tudo isto.
Sejamos nós mesmos, sem a influência um do outro

Neguemos tudo o que o outro disse ou fez nestes anos
Não aceitemos nenhum poder sobre nossos pensamentos
Não permitamos que o outro continue vivendo em nós

E assim, despidos,
Que cada um olhe profundamente para si.
E não vendo nada que nos lembre do outro,
Então poderemos questiona-lo,
Sem condenarmos à nós mesmos...

1 compartilhamento
Inserida por Sapiencial