R. Matos: De um império distante e olvidado,...

De um império distante e olvidado, treinado na ordem de ferro com vigor
Defender donzel as terras do seu dono com fervor, servidor criado destemido
Comandante das ordens, opressor da fúria seus subordinados ajoelham-se em sua presença
Lhe saúdam pelos seus feitos na guerra unido com o seu cavalo de casco de ferro, cavalga e marcha como um só
Como um verdadeiro fuçador do medo, sentia de longe o cheiro da carne
Como um cão de guarda, zelava pelas sentinelas, botando medo nós mais habilidosos cavaleiros
Chuva e tempestades torrenciais despencavam ao redor da fortificação o desespero dos titãs era excruciante diante da adaga
O clima negro não ajudava os inimigos, como um fantasma eram atingidos por cissuras espectrais
Navios desembarcavam guerreiros como loucos, mas a besta continuava a combater e defender seu reino
Pelo seu elmo observava apavorados, os que sobreviviam assustado e torcendo para o terror acabar
Colossal de estampas com gravuras no peito e em outras partes do manto, no qual não sabia o significado
Era conhecido por seus desenhos e selvageria em combate
Aprisionados na lanterna da dor, o rei assim ficara orgulhado sua tropa pessoal faz um trabalho inimaginável
A proteção dos vales profundos e praias desertas foi impecável
Cavalgar para os montes onde outros reinos famintos e devorados pelo ceifador sombrio esperam
O seu rei já teve a nossa proteção, como escravos das batalhas a ordem irá subir aonde os corações estão presos e afugentados em busca de mais ímpeto.

1 compartilhamento
Inserida por rmatos