R. Matos: Vois que habitais lá nas alturas, na...

Vois que habitais lá nas alturas, na companhia de nuvens puras
De tempos em tempos a fera a voar pelos céus atrás do escolhido a buscar
O mestre do vale ela serve sem sentir, por uma recompensa assistir
Treinados para expandi no vale e apenas as ordens do mestre cumprir
Desde de pequeno praticar a arte dos pulos por esse fantástico lugar
O garoto da tatuagem cercado por borboletas fluorescente, o que foi estabelecido
Vai ajudar por rochas, montês e sítios antigos iremos superar para na torre mais alta chegar
Runas na composição de grifos espelhados na torre desguarnecidas
Para cima contra os olhos nessa estrutura vamos ao combate
Mistério e compaixão em seu olhar me encantaram, um amor familiar
Sinto saudades do tempo que voei pelas rochas
Me chocar sua simplicidade a me ajudar grande fera alada
Alcançamos o último guardião, chegamos por aqui nossa jornada se absteve
Chegamos ao cume aonde deveria, para o vale liberar
Decifrando sua arquitetura e mazelas, vai velho amigo um dia quero tiver de volta
Retorne a sua família pois um dia chegarei a lhe reencontrar
Deixe o vale os trovões vão começar a relampejar
Por aqui pelo céu entrarás e pelos céus sairás.

1 compartilhamento
Inserida por rmatos