R. Matos: Sou eu réu confesso da sua prisão, do...

Sou eu réu confesso da sua prisão, do seu encanto e violência não consigo fugir
Como um rouxinol na gaiola me sinto em seus braços
Sou eu que tenho a doença da saudade de você
A ilusão da felicidade navega em meu peito em um dia te ter
Se pudesse escolher faria diferente, mas como um ritual estou preso
Não consigo sair, a montanha e muito íngreme para mim
Quero um dia poder voltar e dessa vez fazer diferente e se perde em seus braços só a mim
Sorriso de menina, vontade de mulher me quebrou
Antes que se torne loucura obsessão preciso lutar contra seus vícios e manias
Escravo do amor isso é me tornei, sonhei em ser príncipe um dia
Apaguei meus sonhos atoa, já que você não estava lá
Fui usado por sua felicidade e não para nossa, o peso e grande aguentar sua ausência
A vítima fui eu, a culpada você não chore não seja a santa da história
Por que eu apenas tentei ti amar
Sei que errei não nego, acho quem fez tudo isso no fundo fui eu
A gente e a adultos e uma hora tem que aceitar, que ainda as minhas garotices me destroem
Mais mesmo assim eu querendo fugir sair, me dói ficar longe de você
O que faço as vezes paro e não sei, temos uma situação mal resolvida
Mas não se entregue a alucinação sua de me ter quando você bem quiser
Bem que eu queria poder voltar ao tempo é que poderíamos fazer diferente
Mas cuida e veja que faça, por que a minha vida já sei que vou fazer
A brincadeira mudou o brilho do meu olhar, isso me despertou é como um carão vou zarpar fugir da seca para com o mar me encontrar.

1 compartilhamento
Inserida por rmatos