R. Matos: Na nossa nobreza o protetor das armas, a...

Na nossa nobreza o protetor das armas, a guarda seus cavalos e sua honra
Contemporâneo assessor defensor meu verdadeiro escudeiro
Montador do fiel galopante no reinado um peão, um celebrado cavalheiro
Por medalhas de ouro ordenados e cercado de fitas e adereços de elegância em seu avistar baronete amantes das donzelas de olhar de mel
Cavaleiro comandante de todas as ordens seus fiéis subordinados irão realizar o senhor
Latifúndio rural e no centro comandante da política aos seus serviços grande barão
Dignidade passada para o feudo, capitaneie por trás de sua capa vermelha o visconde
Seus castelos erguidos, servindo e progredindo brotou como rosa vermelha meu conde
Província está que atacar levantador do meu escudo e paladino responsável pela baliza és o justiceiro em forma de marquês
Confraria nossa por nessas terras, céus e mar subir e descer por certo fazer trovejar e a tudo acometer ilustre duque
Na lua Europa conduz em seu pequeno reinado o grão-duque
Aristocracia lhe carregou lhe trouxe em busca da fama e luxuria arquiduque das bandeiras
Filho dos maiores, carregam menores láureas hierárquicos de poder será seu destino indomável infante
Real seu trono se torna próximo jovem coroado seu principado e realidade cativante príncipe
No cetro possuidor rei, com proposito e ancião guardião da coroa
Permita-me recusar todo presente ruim que me der, pois eles no fundo morrerão com você
Permita-me impera, ser o imperador de toda a sua cor minha flor.

1 compartilhamento
Inserida por rmatos