Alessandro Lo-Bianco: E se algum dia você pressentisse a...

E se algum dia você pressentisse a chegada de uma notícia que modificaria a sua vida inteira? E se você soubesse que essa mudança mexeria com todas as pessoas e abalaria todas as estruturas da sua vida? E se você soubesse que, mesmo com todas essas mudanças, era extremamente necessário, naquele momento, uma mudança? E se a vida o levasse para caminhos que você achava que nunca precisaria percorrer? E se chegasse no meio do caminho e você caísse no meio de uma bifurcação? E se, de repente, vem uma avalanche de acontecimentos e tumultua a sua vida ainda mais? O que você faria? Mudar é difícil, mas, assim como viajar, é uma necessidade. Só quem muda sai do lugar. Quem não muda, mofa. E quem muda nunca sabe aonde vai chegar. Mas já sente a mudança quando se depara com o novo horizonte e apenas olha o caminho nunca visto antes, o desconhecido, o novo, o "a ser descoberto". A mudança causa circulação sanguínea. A mudança oferece possibilidade de independência. É a possibilidade de mudar que salva as pessoas, salva o mundo. Mudar, transitar. Escolher seu destino, e não esperar que ele mostre algo a você, porque pode não ser bom o que ele tenha a mostrar. Pode não ser muito bom quando "a vida te levar". Então, leve a vida! Dê uma braçada, duas braçadas... Passe a arrebentação. Repouse um tempo no local certo para pegar a onda perfeita. Ela pode chegar a qualquer momento depois que você furar a arrebentação. Ainda dará tempo para você observar o mar. E se as primeiras ondas que vierem não forem boas, deixe-as passar e espere pelas próximas. Assim, você evitará subir em ondas erradas, que não valem à pena. E também não precisará furar a arrebentação novamente, resistindo aos agravos causados pelas ilusões. E quando vier a onda boa, só entre seguro. Afinal, você já está no ponto das ondulações. É onde elas chegam, mas não arrebentam. Se a onda perfeita chegar e você não estiver seguro para entrar, deixe-a passar e observe atentamente como ela se move. É necessário observar. Virá outra perfeita, e outra, outra... E na certa, você vai remar e olhar, da crista dela, o lençol do mar. Aí o caminho é um só e sem volta. Você passa a caminhar com a arrebentação, a fazer parte daquela onda. Vai surfando, surfando, até chegar na areia. E é lá que as pessoas estarão lhe observando, te esperando.

1 compartilhamento
Inserida por AlessandroLoBianco