Desconhecido: Somos mesmo incríveis, apesar de todos...

Somos mesmo incríveis, apesar de todos os erros. O desejo pela sobrevivência que fez pessoas se unirem e a procriação da espécie que fez casais foi além da coisa natural, a engrenagem virou a máquina em si. E na ilusão de sermos queridos e especiais, às vezes cometemos o erro inocente de ocultarmos nossa natureza real de quem tanto desejamos o reciproco sentimento. É desse jeito que acabamos esquecendo que amor só funciona com aceitação. E nós, meu velho, só queremos um pouco de carinho. Só muda o jeito como cada um o busca.

Não se trata exatamente do chavão "seja você mesmo", mas de "aceitar você mesmo... e o outro." Só dá certo se você for capaz disso, se não for, é porque essa pessoa não é A pessoa... ao menos por enquanto. E também não é como se tivesse só uma "A" pessoa. Existem várias ao longo da jornada e todas elas acabam contribuindo e te transformando de alguma forma, como se você fosse gesso e sua família, seus amigos e relacionamentos, canetinhas.

A grande ironia é que, no fim, ceder a própria essência para que alguém se sinta bem ao seu lado - ainda que seja para que você se sinta bem no fim - é um dos atos mais altruístas que alguém seria capaz de fazer, ao contrário da aparência (ou proteção?) arrogante do "amar a si mesmo", mas que parece ser o único jeito de se guiar a própria existência.

Mas quer mais uma ironia? Muitos que amam a si mesmos profundamente acabam fazendo isso para que possam amar outro. No fim, por mais que você se sinta completo e o copo esteja meio cheio, você ainda deseja aquela presença ao seu lado, a mão que caça a sua e um "ei, eu gosto de te ver". A gente só esconde, o que faz com que um monte de gente pense que estão sentindo sozinhas.

1 compartilhamento
Inserida por rebecaalmeid