Rodriggo Souza: Doi em mim Morte, deusa de todos medos,...

Doi em mim Morte, deusa de todos medos, a religião Reza por nós Encantadora ilusão mortal Do fim irreal. -E eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos Ganhei um... Frase de Rodriggo Souza.

Doi em mim

Morte, deusa de todos medos, a religião
Reza por nós
Encantadora ilusão mortal
Do fim irreal.
-E eu pensei que tinha o mundo em minhas mãos
Ganhei uma certeza de validade
Como uma data preestabelecida
Daqui para frente nada é realidade
Nada nem minha própria vida.
Vida, argumento contra a morte e a seu favor
Atraí porque conhece o avesso.
O que faz da existência seu édipo eficácia
Da cultura prisão, onírico
E da morte filigrana
A arte do infortúnio.
E eu que aprendi de uma outra quina, uma nova estima.
A morte não há acesso
Não atravesso.
Que a vida é eterna e terna, lugar onde desenho, enfeito o meu ninho a
Arquiteto meu ninho.
Mas não me basto
A mim e a mim
A morte ainda respira leucócito
E dói em mim!

1 compartilhamento
Inserida por RodrigoJesus