Janete Sales (Dany): Ai, meus ais! Ai que tédio! Todos os...

Ai, meus ais! Ai que tédio!


Todos os dias são iguais, ai que tédio!

O pensamento me diz que isto não tem remédio

A noite eu vou descansar na minha cama,

de manhã tomar o meu cafezinho

Se o dia vai ser bom eu não sei,

pois eu não sou adivinho!


Ao chegar ao serviço à mesma rotina!

Na hora do almoço eu vou comer

num restaurante da esquina

Quando acabar o expediente

lá vou eu enfrentar o transito

E o nervoso que eu vou passar

não está escrito!


Chegando em casa eu vou tomar um banho demorado

Quem sabe a água quente vai aliviar este meu cansaço?

Então eu vou jantar e me enfastiar de comida

Ai meus ais! Como é chata a minha vida!


Só que eu me esqueço que a noite

alguém sempre dorme no chão!

No café da manhã talvez um pedaço de pão!

E quem sabe este alguém consiga um trabalho?

Qualquer coisa serve para quebrar o galho!


Pois sem dinheiro na hora do almoço,

quer dizer adeus refeição!

À noite o de costume, o chão!

Mas pode acreditar, eu vou falar sério!

O engraçado é que este alguém

não sente tédio!


Ele(a) reclama de fome,

e do lugar aonde ele(a) dorme!

E nesta hora ele(a) gostaria de tomar

um mero cafézinho!

Isto vai mudar? Eu não sei!

Eu não sou adivinho!

1 compartilhamento
Inserida por JaneteSales