Arcise Câmara: Você acolhe alguém em casa, esta...

Você acolhe alguém em casa, esta pessoa sofre maus tratos e precisa respirar em outro lar. No entanto, essa pessoa tem pouco $$ para se manter sozinha além dos traumas emocionais e físicos.
Então você toda complacente com os acontecimentos da pobre menina sofrida, a acolhe em seu lar e percebe algumas folgas como por exemplo, não come qualquer comida, tem apetite fresquinho e quer comer algo diferenciado do preparado pela dona da casa, dorme e acorda a hora que quer, não ajuda nas atividades domésticas, come e empurra o prato.
Como colocar nos eixos sem magoar, sem dar chicotadas?
Eu sempre associo muitas atitudes a falta de gratidão ou gratidão adormecida, anestesiada, morta ou falida, ter alguém que te acolheu, te ajudou, te fez fugir dos maus tratos e ainda por cima não se esforçar para se ajustar as regras da família é no mínimo desrespeitoso, isso falando no mínimo. Tem gente que acha que nasceu para ser servido, para exigir e para impor.
Tem gente que acha que o outro tem obrigações com ele, me apavora gente assim. Sou livre para ajudar ou não, sou livre para acolher ou não, a casa é minha e as minhas regras devem ser respeitadas.
Uma maneira de ajudar é colocando regras desde o início, partir para o diálogo imediato, outra coisa é ser sincera quanto as expectativas esperadas, tipo: eu espero que você ajude na louça, eu espero que você acorde mais cedo, mas não é fácil, não se muda mentalidade sem grandes esforços, sem alguns estresses, sem suor e calafrio. As mudanças se parecem com reformas, tudo fica um caos, mas depois tudo fica bonito e harmonioso, as mudanças exigem que eu saia da meu eu e faça uma análise das minhas atitudes. As mudanças exige uma "morte do velho e o nascer novo".
Acho que tudo é falta de compreensão. Eu não compreendo que cansa o outro eu ter que lavar a louça, eu não compreendo que por trás de filhos folgados existem pais sufocados, eu não compreendo o egoísmo de receber sem dar, eu não compreendo quando exijo, quando escravizo. Falta boa vontade, falta maturidade, falta humildade, falta tantas coisas só não falta o do meu jeito, assim que eu quero, assim que eu gosto.
Mas tem um remedinho ótimo para cura de todos esses males, morar só, independência, pagar suas contas e cair na real, mas para cair na real é preciso ralar muito o joelho. Tem gente que só aprende "apanhando" da vida, triste isso não!

1 compartilhamento
Inserida por Arcise