Frases de Flora Figueiredo

Cerca de 21 frases de Flora Figueiredo

Quanto desafeto!
A palvra se deprava
frente ao alfabeto.

Grito se agiganta,
embrutece, se enfurece,
morre na garganta...

Não deixe portas entreabertas
Escancare-as
Ou bata-as de vez.
Pelos vãos, brechas e fendas
Passam apenas semiventos,
Meias verdades
E muita insensatez.

Flora Figueiredo
, Calçada de Verão, Editora Nova Fronteira Rio de Janeiro, 1989

Nota: A autoria do texto tem vindo a ser erroneamente atribuída a Cecília Meireles.

...Mais

Pois que viver
não é entrar no mar onde dá pé,
mas mergulhar com fé no maremoto.

Não deixe portas entreabertas.
Escancare-as ou as bata de uma vez.
Porque por meias entradas entram meias felicidades.

Retirada


Respeite o silêncio
a omissão,
a ausência.
É meu movimento de deserção.
Abandonei o posto,
rompi a corda,
desacreditei de tudo.
Cansei de esperar que finalmente um dia,
minha fotografia
fizesse jus ao seu criado-mudo.

Aprendi a esperar...Se ventos são capazes de levar embora, a qualquer hora, também, são capazes de fazer voltar.

O canteiro assiste:
a antúrio, falso perjúrio,
pões o dedo em riste.

Ouviu-se um estrondo
Baleia presa na teia?
Não! é marimbondo.

A estrela cadente
teima, se enrosca, se queima.
Quer o sol nascente.

Linha de combate:
as granadas e os petardos
são de chocolate.

Festa chega ao fim.
Beijos sobram na bandeja.
Todos de amendoim!...

O sol envelhece.
pavio queima por um fio.
Verão que apodrece.

Tempo destinado
a esfregar e descorar
nódoas do passado.

Urge a maritaca.
Desafia a paz do dia
a golpes de faca.

Numa pressa isana,
o jato divide em quatro
o azul-porcelana.

Paisagem urbana

Num ponto qualquer da cidade
trêfego
trôpego
sôfrego
bêbado.
Ele tem medo da sobriedade.


Roda mundo, roda vida, roda vento.
Passa tudo, passa tanto, passa tempo.
Rodopiam as cores
na eterna reticência do momento.
Entre uma volta e outra do destino,
continuo apenas um menino
a soprar meu gira-sonho como um cata-vento.

Agarre o desaponto pelo avesso, apare as pontas,corte o excesso. Mude a covardia de endereço, ponha a escavadeira em retrocesso até que o mundo,esse réu confesso, lhe devolva seu mel e seu apreço.

Lugar Marcado

Sempre no mesmo lugar,
as cadeiras vazias questionam seu enrdo.
Estão vazias dos que saíram cedo
ou daqueles que resistem em chegar?