Coleção pessoal de luisrtr

1 - 20 do total de 69 pensamentos na coleção de luisrtr

⁠A vida é a protagonista do tempo.

Luis Ricardo Teiga Ramalho

Você pode dizer que vai tentar, talvez você consiga, mas quando diz que vai lutar, você já começa escolhendo a palavra certa! Não tente! Lute!

Luis Ricardo Teiga Ramalho
Tags: motivação sucesso

Amo tanto meu filho que não quero tê-lo para não dar-lhe a dor de deixa-lo.

Luis Ricardo Teiga Ramalho

O som da sua voz chama o sorriso da minha boca.

Luis Ricardo Teiga Ramalho

Entendo que pessoas e profissionais devem desempenhar um papel importante na sociedade, seja empreendendo e gerando empregos, ou entregando resultados consistentes para uma empresa, o papel de quem planeja, cria, patrocina é tão importante quanto o de quem executa e viabiliza, porém, antes de tais definições e posicionamentos vale uma reflexão referente aos caminhos trilhados para obtenção de êxito e "Suce$$o" na jornada escolhida.

Depois de certa experiência e relutância conclui que todo caminho deve ser respeitado, pois por trás do mesmo existem decisões que nada mais são que um emaranhado de crenças, intelecto, oportunidades bem ou mal aproveitadas, possibilidades de expansão, e limitações, mas geralmente identificamos a capacidade de orquestrar esses atributos no senso de urgência de pessoas quanto à necessidade de mudança, capacidade de priorizar o que de fato é importante para o momento, inquietação diante à ignorância, em pequenos detalhes, acertos, e principalmente erros!

É cientificamente comprovado que nossos atos falhos por mais que pareçam um mero pingo em meio ao deserto na verdade são um imenso oceano que diz muito sobre nós, sempre tive o hábito de observar esses meus atos falhos e implementar em minha vida um ciclo de melhoria que viabilizasse a criação de recursos que permitissem um crescimento gradativo em que constantemente refletisse sobre meus erros, minhas prioridades, comportamentos e os colocasse sempre em descrédito quando necessário em prol de um processo de evolução, por isso, com o mínimo de percepção não é difícil identificar em nós e no outro comportamentos equivocados e incoerentes diante de certo contexto/cenário, é pura questão de lógica.

Depois de muito falhar e acertar, creio que descobri uma pequena parte desse caminho, e procurei replicar parte dessa "fórmula" com aqueles que gosto e também aprender suas "fórmulas" pois acredito que a evolução só faz sentido quando compartilhada, afinal nenhuma individualidade, identidade ou habilidade pode ser desenvolvida através de um sistema fechado, mas sim aberto e desprendido, por mais que o ser humano creia ser individualista tudo que fazemos é em prol do outro, tudo que fazemos é para entregar para o outro, seja um produto, serviço ou até mesmo sentimento, entretanto essa entrega/troca demanda esforço, tempo, e isso TAMBÉM deve ser priorizado e calculado com carinho,!

Pérolas não devem ser jogadas aos porcos, não se ensina quem não quer aprender, não se diz para quem escuta, mas não sabe ouvir, planos não são traçados somente com base em potencial, mas sim em ação e reação, saliento que isso nada tem a ver de desistir diante da dificuldade de se ensinar e de se fazer compreendido, mas está relacionado ao fato de que não existe troca entre movimento/inquietação com inércia/apatia, o único resultado disso é uma colisão na qual a parede repleta de crenças limitantes e sólidas permanecem intactas assumindo que a colisão gerou alguns arranhões e deformações, pra "parede" somente a deterioração e dor que o tempo/vida trás vai trazer a real necessidade de mudança, alguns infelizmente criam muros/raízes, mas não pensam em criar asas.

Luis Ricardo Teiga Ramalho
Tags: sucesso insucesso

Quando o coração cala
É o silêncio que fala
Quando a alma arrebenta
No olhar
Fragmenta
E assim
Na falha declarada
Na confiança então depositada
Repousa a lembrança do velho
Mas doente
E inconsistente
Amor

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: remorso impossível

E Tom Jobim lá precisa de letras para se expressar?
Dentre poucos compositores, mestres e artistas
Tom Jobim está dentre poucos que sem uma palavra ou frase
É capaz, de, através da música, dizer o que muitos corações tristes ,felizes, amargurados ou entusiasmados raramente são capazes de fazer
Pois música provoca sensação, ação, sentimento
Música não apenas "fala" e declara
Mas expressas sentimentos harmoniosos
E compromete-se com os bons ouvintes
Assim como um coração apaixonado é apenas um coração sem amor
Músicas não são atemporais sem boas intenções
É Tom Jobim brincando de ensinar a amar
Em que palavras são descartáveis
Mas atitudes genuínas são indispensáveis

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento

"O Poema das músicas, músicos e ouvintes"
Costumo dizer que música tem um poder devastador
Pode fazer você reviver o passado
Refletir sobre o presente
Pensar sobre o futuro
Pode te entristecer
Te deixar imensamente feliz
Entusiasmado, reflexivo
Passam poder, energia e força
Ou fraqueza, angústia e dor
Músicas que em raros momentos
Com o insight certo
São capazes de conectar novamente a alma com o corpo
O antigo eu, com o eu do presente, e o eu do futuro
Tão doce, genuíno, meigo, e atemporal
Embebedam a alma
Mergulham em corações e mentes
E revelam toda simplicidade complexa, porém oculta
Que podem te anestesiar e acalmar
Ou perfurar e catalisar a dor
Honesto...
Remédio sincero provindo da arte genuina
Arte em sua mais verdadeira personificação
Em poesia, poema, verso, estrofe e melodia
Músicas que tem sabor, cheiro
Possuem traços
Alternâncias, variações, oscilações
Forma, rosto, cor, vida!
Harmonia e significado
Quer saber sobre os efeitos da procrastinação?
Ouça TIME do Pink Floyd
Quer sentir uma energia pular em seu coração?
Ouça Shine on You Crazy Diamond do Pink Floyd
Quer saber o que é dedicação em recuperar um coração perdido?
Ouça The Man Who Can't be Moved do The Script
Quer aprender sobre amor verdadeiro?
Ouça Have you ever loved a woman do Bryam Adams
Ou Wave do Mestre Tom Jobim !
Quer amar ?
Ouça Wicked Games do Chris Isack!
Quer refletir? Se acalmar?
Ouça qualquer música do Chat Baker
Quer vulgarizar?
Ai entra uma opinião pessoal sobre gêneros que eu "infelizmente" não posso sugestionar
Quer saber como palavras podem simplesmente não ter nenhum significado se não acompanhadas de gestos ?
Ouça Enjoy The Silence do Depeche Mode!
Músicas para amor, desgosto, dor
Decepção, vingança, ódio, amor idealizado
Esperança! Bonança
Nesse vai e vem entre músicas e sons
Apenas lembre o seguinte....
É você quem escolhe qual música ouvir
É você quem da o play! E deixa o som rolar
Você pode tatuar aquele que idealiza sua forma de pensar
Para que não se esqueça de suas buscas
Também pode não ter bons ouvidos para uma linda música
Ou de repente gosto duvidoso
Trata-se de compreensão de arte mutável, porém atemporal
Música, sem sentimento
Não é música
E um ouvinte sem verdadeiras convicções
É eclético, não de gêneros
Mas de sentimentos que alternam-se, mas não se estabelecem....

Luis Ricardo Teiga Ramalho
2 compartilhamentos
Tags: música músico

Não vejo ali um jardim
São uma porção de plantas
De matos e gramas!
Todos espalhados, e jogados pelo campo
Pois não diga isso!
Isso que diz, não é o que eu vejo!
Vejo ali belas e formosas plantas
Lindas e raras flores
Cresceram algumas sem proporção
Mas são repletas de intenção
Com alguns espinhos, eu sei
Eu sei
Mas ainda são flores
E para ser sincero, flores das quais nunca vi igual
Veja como és rico e fértil este solo!
Tudo nele floresce!
Floresce a vontade de crescer e despontar até o sol
São apenas folhas cansadas de ventos turbulentos
Mas veja como elas estão de pé e ainda florescem!
Preciso apenas adentrar este jardim
Destrancar esta porta que parece enferrujada
Arrancar as mudas que inibem o crescimento dos frutos!
E Regar, regar todos os dias
Até mesmo nos de chuva!
Ei! Não deves tu ir até lá jardineiro!
Veja suas mão!
Cansadas, machucadas
Não, pois para este jardim, minhas mãos serão repleto trabalho
Repleta dedicação
Nunca vi tamanha riqueza e vontade destas plantas em atingir o sol
Nunca tive tanta vontade em colher os frutos, como me imagino colhendo os desta árvore!
Mas e suas mãos?
E as mudas? Os espinhos?
Estas são as consequências ao adentrar o jardim
De cada planta que aparo
Posso criar uma bela paisagem
Ou uma imagem desconexa
Posso sangrar um pouco
Mas posso ver as flores desabrocharem
E isso
É apenas no começo......
Essa é a relação de regador x jardim
Em que regando
Hora sou regador
Hora sou jardim....
Em que no fim
Encosto-me na mais bela árvore
E de lá assistirei ao pôr do sol
Todos os dias da minha vida.

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: restaurar coração

De forma despretensiosa me encostei na parede
Um antigo hábito de parar para fumar, e então começar a observar
Olhando para frente vejo aquela movimentada avenida
Tantas pessoas, tanta diversidade cultural, tantas vidas
Em cada rosto uma história, em cada caminhar um jeito
Em cada rosto, um artista à sua forma
Semblantes sérios, pessoas conversando, outras sorrindo
Em cada momento observado, é como se fosse uma pintura, uma tela
Uma obra de arte de momentos rotineiros, mas que nunca serão iguais
Poderão ser similares, mas nunca iguais....
Pessoas que amanhã ou depois poderão não estar ali, ou passar por ali
Na esquina um senhor com o seu violão que parecia mais a extensão do seu próprio corpo
Para minha felicidade ele tocava uma doce música do Tom Jobim
Ali estavam algumas pessoas a sua volta, já outras nem o notavam
Mas por alguns minutos quando parei para observa-lo, percebia que não conseguia mais ouvir o som da avenida
Incrível como nossos olhos e sentimentos são capazes de desviar-nos da rotina quando conseguimos ver algo que nos faz bem
Anestesiado por aquela melodia, pensei em tantas coisas
Pensei no como uma simples música é capaz de extrair nossos melhores sentimentos
Música pura, sem declarações falsas ou de sentimentos negativos
Um presente de um compositor de coração puro para um artista de rua
E um presente do artista de rua para os ouvidos que ali estavam
Pensei em como uma música ouvida no presente nos conecta com o passado, e faz pensarmos no futuro
Pensei em como a variação das notas faziam com que meus sentimentos variassem
Pensei em como momentos simples como aquele tornam nossos dias especiais
Como se não bastasse o efeito daquela linda música
Olhei para minha frente, e observei uma linda moça
Ela lia uma revista em frente à banca
Da minha altura, cabelos lisos e escuros, pele branca, olhos claros
Olhei atentamente, por um breve momento aquela linda moça notou
E então a olhei novamente, e ela também me olhou
Sem reação me sobrou um sorriso que foi docemente devolvido
Seguido de um oi, que de forma singela veio acompanhado de um oi por um sorriso ainda mais lindo...... que doce moça.....
O que fiz? Me tomei por uma timidez que não era minha
Virei meu rosto...
E voltei a observar aquele senhor tocando aquelas tão lindas músicas
Neste mesmo dia, tive um dia pesado, cheio de trabalho, desafios, demorei para conseguir um táxi, tive conversas difíceis, resolvi problemas
E normalmente eu teria me lembrado deste dia como sendo um dia difícil!
Me lembraria deste dia como sendo um dia que eu não gostaria que os outros fossem iguais...
Mas porque não me lembrar daquele senhor tocando violão ?
Porque não me lembrar daquele dia como sendo o dia do sorriso da moça?
Talvez tenham sido essas as recompensas por um dia difícil
Ou talvez uma doce lição de que o ruim, nunca é 100% ruim
Somos tão vulneráveis com as coisas ruins que acontecem
Somos sempre tão vulneráveis para aquilo que fazem de mal para nós
E nesse medo de se machucar
Ponderamos nossas decisões por algo que nos fizeram de mal
E poucas vezes por algo que nos fizeram de bem
E nessa vulnerabilidade humana, nos apegamos em defeitos
E menosprezamos virtudes, qualidades
Olhos clinicamente treinados para evitar dor
Mas pouco treinados para em gestos reconhecer o amor
Desejamos viver em um conto de fadas que não existe
Desejamos viver apenas a parte boa de um relacionamento
Abraçamos a saudade pelo tempo sem se ver
As risadas, os sorrisos
As partes boas
E fugimos da parte ruim
Menosprezamos a rotina em que se prova, e se estabelece um casal
Menosprezamos caminhos que já foram percorridos e sonhos que foram imaginados
Menosprezamos o perdão que já nos foi concedido
Menosprezamos quem perdoamos
Pois parece doloroso viver com as mágoas do passado, e tentar construir e consolidar um futuro
E nesta falta de fibra, nesta falta de impeto, verdadeiros casais se desfazem
E ai você procura em outro(a) o contrário daquilo que você não suportou e conseguiu prosseguir
E você só deseja a parte boa
Mas é ai que mora o perigo
O outro, ou a outra pessoa que você encontrou também!
E nisso são "amores" de semanas, o mais duradouro de alguns meses
De promessas vazias, e de possibilidades remotas
Acaba por "entregar" seu coração para qualquer um(a)
E nisso você sente falta de fibra, sente a falta daquele(a) que lutava
E então bate aquele desejo de voltar, acompanhado de uma confusão
De gestos e ações contraditórias
E você pelo efeito de uma dúzia de bebidas, drinks e conversas
Acaba por pensar em voltar para aquele ser porto seguro, voltar talvez para o verdadeiro amor
Consegue ver sinceridade naquele(a) que sempre foi mentiroso
Consegue ver sentimento naquele(a) que foi sempre tão egoísta
Aprende a dar valor na verdadeira atenção
Na mensagem respondida e correspondida
No desejo reciproco, na vontade de se estar perto
Na ausência de jogos, na ausência de orgulho....
Consegue ver o amor
Consegue ter os olhos que você nunca teve, e que reluta em ter
E você de sua forma tenta observar se aquele amor existe
E assim como observei aquela avenida como sendo uma tela, uma obra
Você então percebe que não está olhando mais para aquela tela viva, cheia de sentimento
Para aquele(a) que com pincéis e cores vivas queria desenhar e percorrer um longo caminho da vida única e exclusivamente do seu lado
Não está mais olhando para aquele alguém que tanto te queria
Para aquele(a) que tanto te desejava
A música que aquele senhor tocou, poderá ser tocadas outras vezes
Mas os sentimentos ao ouvi-la, não serão sempre iguais
Talvez, eu nunca mais veja aquela moça do lindo sorriso
Mas ao menos aprendi que a dura rotina pode nos trazer surpresas
E na "dor" podemos identificar o amor
Aprendi que corações batem em diferentes frequências
E que quando batem de forma diferente, mas simultaneamente uma bela tela pode ser pintada
E que por trás de um coração existe uma pessoa
Que erra, aprende, erra, aprende, tolera, perdoa, é perdoado(a), releva
E que com gestos como estes AMA
Uma pessoa que é como aquele senhor com o violão
Tenta executar a música da forma correta
Mas que um dia ou outro pode desafinar
Mas ainda assim ser capaz de TOCAR/LEVAR uma música.....
E aprendemos que viver com a diferença e a imperfeição revela o verdadeiro amor em que desafinar não é feio, e sim natural...
Pensar que foi só agora que fui capaz de entender essa música do Tom Jobim que sempre custei tanto a entender
"Se você disser que eu desafino, amor
Saiba que isto em mim provoca imensa dor
Só privilegiados têm o ouvido igual ao seu
Eu possuo apenas o que Deus me deu"
"O que você não sabe nem sequer pressente
É que os desafinados também têm um coração"

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: aproveitar amor

Eu realmente espero
Do fundo do meu coração
Para cada momento em que com tristeza me lembro de ti
Que estejas tu caminhando e sorrindo
Para cada sorriso que tenho dificuldade de oferecer
Que tenhas tu facilidade de entregar seus melhores
Para cada vez que abaixo minha cabeça por sentir dor
Que tu estejas sentindo alegria, felicidade e prazer
Para cada vez que te procuro e nunca te encontro
Que tu nunca me procure
Para cada vez que meu semblante pese por não tê-la por perto
Que tu estejas leve e plena
Para cada vez que tento te odiar
Que tu nem se lembre de mim
Para cada lágrima que derrubo por ti
Que tu estejas tranquila e serena
Pois só assim
Apenas assim
Sei que podes tu
Ser você sem mim
Mas se estiveres triste
É neste momento
Bem neste momento
Que mora o meu fim
Pois jamais serias tu pessoa triste
Estando junto a mim.......

Luis Ricardo Teiga Ramalho
2 compartilhamentos

As vezes penso que seria bom dar ouvidos para a razão
Mas outras horas percebo como é justo e implacável este meu coração
Mas na verdade, como é injusto comigo este meu coração!
Maldito! Porque tu não andas junto com a minha razão ?
Como é duro e árduo o caminho do controle das emoções
E como é frio, gélido, sem vida e sem sentimento o caminho da razão
Razão que nos aponta o "ideal"
Boa parte das vezes o contrário ao coração
O racional
O menos doloroso
O "aparentemente" mais prazeroso
Seguir a opinião dele, dela, deles, delas
Caminhos de poucos esforços
De pequenas mudanças
De conforto
Sem frustrações, sem mágoas
Sem desilusões
Sem histórias para superar, sem rancores para trabalhar
Caminho que encontra escolhas que podem trazer prazer momentâneo
Mas algumas vezes não o amor
"Parabenizo" quem consegue optar por este caminho
Mas minhas limitações para com a minha alma e minhas vontades não permitem que eu siga tais anseios
Não sei fazer cálculos de "custo-beneficio" envolvendo pessoas ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE QUANDO TRATA-SE do meu coração
Não sei ter ouvidos para qualquer outra coisa que não seja meu coração
Minha alma
Minhas vontades
Minhas lembranças e minhas esperanças
E muito menos consigo ter espaço para ter mais de uma em meu coração..
Não é certo, não é correto..
Eu que prometi que não faria isso mais
Mas ai pela segunda vez na vida
Não ouvi meu coração
Diante do "fracasso" deveria dar espaço para o descanso
Mas não
Acabei alimentando o caminho da razão
Tentei este caminho com a ilusão de em você encontrar outro amor
Mas amor não se fabrica
Não se constrói
Se tem
Se sente
Mesmo as vezes não tendo motivos para sentir
Talvez este seja o amor puro e verdadeiro
Já por ti, infelizmente, foi bom, mas senti apenas carinho
E por querer seguir minha razão, acabei por me tornar um vilão
Machuquei seu coração
Não se cura um amor com um outro coração
Mas sim com outro amor
Não o seu por mim
Mas o meu por você
Foi o que faltou
Espero que me desculpe e me perdoe
É que o bobo aqui não sabe ouvir a razão
Mas apenas este meu bobo e tolo coração
Coração que aos olhos de muitos sofre sem razão
Pois como pode este coração sangrar por algo que não o merece?
Que não faz por merecer ?
Mas este coração não desejou te machucar
Pois de coração machucado já basta o meu
Não quero isso para o seu...
Mas não se pode manter uma ilusão
Te encontrei em meio a um furacão interno
Inteiro meu, e que nada tem de seu
Talvez não tenha te encontrado no momento certo
Mas na verdade creio que não existe o momento certo para o amor
Por simplesmente ser amor
É apenas ver e sentir
E da mesma forma que esse amor já aconteceu comigo
Vai acontecer com você
Quanto ao caminho do coração
Este nada tem razão
Nada de ouvir ele, eles, ela, elas
Tem muito de ação, demonstração
Tem muito de luta, de entrega
Nada de orgulho e muito de paixão
Não faz cálculos
Não se embriaga em possibilidades
Não faz escolhas
NADA tem de escolhas
Pois escolhas na verdade nunca existiram
Pois a escolha foi sempre uma só
Este coração nada tem de razão
Este coração tem muito de alma
E percorre caminhos, palavras, promessas, momentos
E anseia
Não vive de possibilidades de vidas futuras
Não se sustenta em vidas passadas
Não espera que um dia algo apague mágoas e lembranças como em um filme
Ele apenas espera que dê certo
E muitas vezes vive todo o amor, toda a reciprocidade, toda a entrega
Mas outras vezes isso não acontece, e ai machuca
Como é bobo, chorão e irracional este meu coração que ainda bate por ti
Que esperava por ti
Mas todo coração pulsa
Hora forte, intenso, jovial e viril
Hora fraco, machucado e angustiado
Quando forte, anseia em manter o ritmo
Quando fraco, anseia pelo resgate
Pelo choque cardíaco
Pela surpresa, pelo amor, e não mais pela dor
Coração fraco
Fraco por ter andado e percorrido tudo que poderia percorrer
Fraco por ter dito tudo que a razão jamais ousaria dizer
Fraco por ter visto e ver tudo o que não queria ver
Fraco por estar cansado
E nisso o tempo vai passando
E o que este coração mais encontra, é dor e dor
E nessa "espera" feridas vão cicatrizando
Certezas vão se consolidando
A verdade vai se revelando
E o coração aos poucos vai morrendo
E assim você vai deixando ele morrer
E assim eu vou deixando ele morrer
E com ele morre o amor e a dor
E é só quando vai chegando neste momento
Apenas neste momento
Tão demorado
Que vamos deixando a razão tomar conta
E o amor ir embora
E assim sou capaz de me perdoar
Te perdoar
E seguir
Mas seguir sem ti
Pois.....
" O que foi prometido, "ninguém" prometeu"

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento

Eu amava os sorrisos dela, eu sempre amei, e eu continuo amando, mas desta vez, preferi os meus.

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento

Não foi por falta de amor que me afastei de ti
Muito menos por falta de vontade de minha parte
Não foi por falta de tentar
Não foi por falta de acreditar
Muito menos foi por falta de me doar
Te confesso que me entreguei de corpo e alma para ti
E você fez o mais improvável acontecer
Fez com que novamente eu desistisse de ti

Talvez tenha sido por causa do seu pouco caso
Talvez tenha sido por causa de algumas mentiras
Talvez por coisas que deixou de fazer por nós
E principalmente por coisas que deixou de fazer por ti
As coisas que deixa de fazer por ti
São as que mais me machucam
Pois é parte da minha forma de te amar
De todas as formas procurei te resgatar
De todas as formas procurei te amar
De todas as formas procurei te reencontrar
Que amor é este em que tanto se procura e nada se encontra?
Nunca foi amor
Nunca foi respeito
Um hábito seu
Um costume
Um alguém
Mas para mim
Você era aquele alguém
Era

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: amor desilusão

Uma vez li que amor é dor
Outra vez li que o amor enobrece nossa alma
Também já li que o amor é aquilo que nos traz calma
Outros dizem que sem sofrer o amor não é amor
Dizem que o sofrimento é a prova do amor
Outros chamam isso de paixão
Diante de tantos textos, e tantas visões, o que seria esse amor?
Já cheguei a pensar que amor é um descompromisso compromissado
Outrora penso que amor é um compromisso informal
Na informalidade que tem muito de formal
A informalidade mais linda dentre todas
Em que dois seres de livre e espontânea vontade entregam suas vidas um para o outro
Em que dois seres partilham sonhos, brigas, medos, vontades
Em que dois serem partilham um corpo
E comprometem-se com a felicidade mutua
Um sentimento tão lindo, e aparentemente simples
Mas tão complexo
Repleto de poetas e escritores que incansavelmente tentam compreendo-lo
Será que cada um sente de uma forma ?
Será que cada um tem sua forma de expressar? Sua forma de sentir?
As vezes penso que sim
Pois em gestos doces vejo muito de amor
E andando pela rua vejo estes gestos por ai
E passo a me perguntar se não é este um sentimento universal
Mas se fosse assim não seriam necessários tantos poetas e escritores para contextualiza-lo
Não existiriam tantas músicas para expressar este sentimento
E é nesse momento em que entra aquele amor que custo a entender
O amor do ego, o amor do orgulho, o amor do jogo
O amor que é dor
Mas que mesmo na dor encontra o amor
Na dor de ter e não ter
Ou na dor de não ter e ter
Na saudade podendo ter
Ou no possuir e ter saudade
Ou pior, na dor de ser uma ilusão
Um palavra tão pequena, mas de tantos tipos
Segundo as leis de Deus são esses: Amor Ágape, Amor Philos, Amor Eros
Tão diferentes
Mas tão completos
Entretanto entre eles existe algo em comum
A necessidade de se ter por perto
A necessidade do toque
A necessidade do olhar
A necessidade da presença
Da Ternura e do respeito
Do perdão
No amor que pode ter muito de dor e medo
Mas quem tem muito de esperança e fé
Tipo diferentes de amor
Mas com sintomas universais, com diferentes formas de se demonstrar
Muitas vezes sentimento que fica por meses, ou anos adormecido
Que acorda e recupera a virilidade em um olhar, em um sorriso
Mas que também pode adormecer e deixar de ser
Impressionante a forma do amor revelar-se
Em uma separação joga na sua face que é amor
Sinto que o amor não reconhece sua intensidade até a hora da separação
Até a hora do reencontro
E felizmente ou infelizmente prova-se amor na hora da "RETOMADA"
Que sentimento louco este, tão claro, mas tão confuso
Hora herói, hora vilão
As vezes um turbilhão
E neste entre sermos amados e não amarmos
E amarmos e não sermos amados
Aprende-se um pouquinho do que é amor
E revela-se muito do que é reciprocidade e vontade
Pensando nisso, fico feliz por perceber que muito amei
Fico feliz por perceber que por muitas fui amado
Mas fico triste por perceber que algumas não amei
E mais triste ainda quando reconheço o verdadeiro amor em mim
E o demonstro
O entrego
Espero
E observo
Até que percebo tristemente em meu âmago estes universais sintomas de amor partirem de mim um a um
Impossibilitando possibilidades
Impossibilitando esperanças
Impossibilitando recomeços
Impossibilitando esperança e fé
Começam a partir um a um
Um para cada entrega
Uma para cada ausência
E assim todos sintomas vão embora
O amor vira dor
E a dor vira renuncia
E a renuncia representa a desistência e falta de vontade
Aquela vontade que antes me transbordava
E que hoje me transborda de incapacidades
Incapacidade de querer,
incapacidade de lutar
Incapacidade de acreditar
E o cansaço toma posse
E assim renuncio aquele doce "amor"
E dou espaço para o bom senso
E por fim, um tipo diferente de amor toma posse de mim
O amor próprio.....

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: desistir grande

Que droga de amor é esse?
Amor em que se doa
Amor em que se mantém
Amor em que se perdoa
Mas é aquele amor
Amor em que se destrói
Amor em que se descarta
Amor sem ternura
Amor que corrói
Amor que maltrata
Amor que é egoísta
Amor que não é Amor
Tem pouco de amor e muito de dor
Se sinônimo de amor é sofrer
Prefiro eu passar por essa vida sem saber o que é amor

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento

Excesso de impeto
Fidelidade com causas
Fidelidade com sorrisos que já se foram com o vento
Fidelidade com o tempo
Fidelidade com momentos e "expectativas" de futuro
Que geram aquele senso de urgência em estancar aquele sangue que jorra ou a ferida que não cicatrizou
O coração quando repleto de aborrecimento, mas de sentimento
Atenta-se a fidelidade e confiança de palavras pronunciadas
Por mais que indícios, históricos e desvios demonstrem suspeitas em tais palavras
Entretanto o coração é vazio de orgulho e imenso de perdão
E espera ação, demonstração
Mas ainda assim tem um pouquinho de razão, e ainda tem uma visão
Muitas vezes é tolo por amar
Mas ainda sim possui um portador com olhos, ouvidos, visão
E principalmente PERCEPÇÃO
As vezes reconhece o perigo e ouvi a razão
Outrora reconhece o perigo e esquece da razão
A grande verdade é:
O verdadeiro coração não tem objeção de dizer o que sente
Não tem medo
Não é confuso
Não tem opções
E não tem medo
Mas por não ter medo tem muita dor
Pois sabe que a entrega e exposição pode gerar infortúnio
Mas vive sempre na entrega que pode gerar reciprocidade
Reciprocidade que quando reciproca é doce e adoça
E quando é mentira, é azeda ou REVELA
Mas muitas vezes ainda na dor espera o amor
Pois é amor
E na pequena parcela de razão que existe nesse coração
Ele apenas almeja gestos, atitudes
Pois todo coração tem uma razão de ser, sentir, existir e amar
Não são textos, músicas, ou visões de terceiros que constituem um coração São suas ações
Quem rege o coração é seu portador, com sua visão do certo, com sua visão do errado
E principalmente seu caráter,
E capacidade de amar
É um encontro entre coração e portador
É o desencontro constante com a contradição
Um coração e um portador, duas palavras que consolidam o amor
Em que muito tem de chegada, em que a chegada é o reencontro
Em que muito tem de partida, em que a partida gera perdão ou conformismo
Em que entende circunstancias, razões e por isso cultiva
Em que muito tem de dia, para os momentos bons
Em que muito tem de noite, para os momentos ruins
Em que realmente não é montanha russa
Pois não é CONTRADIÇÃO, não é insegurança
Não é orgulho, não é posse
É nudez, é cristalino, é transparente
É um amor
É um amor entre dois corações, e dois portadores
Mas isso é apenas para aqueles que possuem um coração
E que entendem que todo coração possui um portador
Que antes de ser um portador
É um ser humano....

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: amor palavras

Para onde essa linha vai dar ?
Muitas vezes eu saberia dizer exatamente o nome da "estação"
Exatamente para onde eu gostaria de ir
Geralmente sempre para frente
Para os lugares que eu me sentisse melhor
Saberia descrever até mesmo os passageiros dessa linha
Mas ir para frente ou para trás é uma questão de ponto de vista
Assim são nossas escolhas
Assim são nossos sentimentos
Quando pensamos que estamos indo
Na verdade estamos voltando
E quando pensamos que estamos voltando
Na verdade estamos avançando
Na vida não existe uma bússola que aponta o caminho
Mas sim um coração que rege uma alma
A mesma coisa funciona com seus passageiros
Sempre os mesmos
Muito dos mesmos
Alguns diferentes
Mas todos buscando "estações"
Com ou sem passageiros
Uns descem aqui, outros ali
Outros ali permanecem
Já outros olham em sua direção, mas estão indo para outra direção
Já outros olham em sua direção, e estão indo para a mesma direção
Já outros, sem direção
Outros vagam por ai em vagões sem passageiros
Cabe única e exclusivamente a você nota-los e ter algumas escolhas
Pode sentir-se estimulado e mudar sua direção
Ou ter a "sorte" de nota-los e permanecer em sua direção
É uma questão de escolha
Uma questão de visão
Afinal
São muitas direções
Muitas estações
Muitas subidas
Muitas descidas
E principalmente
Muitos sentimentos
Muitos hábitos
Muito ego
Muito orgulho
Muita lógica
Que assim como nós passageiros também possuem direção
No meio de tanto vai e vem
No meio de tantos passageiros
E no meio de tantos hábitos e sentimentos
Por fim "aprendemos" que tais viagens e momentos
Ou são relento e tristeza
Ou são alegria e sorriso
Mas são momentos
Momentos de inicio meio e fim
Mas existem passageiros bons e passageiros ruins
Passageiros de boa viagem que querem da viagem apenas o bom
Mas também existem passageiros de boa e MÁ viagem
Que sabe que o "permanecer na viagem" pode privar
Pode machucar
Mas quando compartilhada
Leva para uma direção
E até mesmo para uma resolução
Tantas viagens feitas
Tantos caminhos percorridos
Tanto amor
E tanta desilusão
Estações abandonadas
Sentimentos abandonados
Quanta desculpa
Quanta fibra declarada, mas quanta "covardia executada"
E assim deixamos aquela estação
Deixamos a viagem
Os passageiros
E descemos ali por um tempo
Esquecemos os passageiros, esquecemos aquelas estações
E nos recordamos de sentimentos
Nos recordamos de hábitos
E ai, partimos para uma direção contrária ao ideal
Pois não parece algo diante e além
Entretanto o diante e o além não existe
Existe apenas viagens que levam para outras viagens
E assim partimos para aquele velho e bom sentimento
Não o sentimento por alguém ou algo
Mas o sentimento por si mesmo
E então, RESGATAMOS o que deixamos de nós
Nos reestruturamos
E ai sim! Voltamos para as estações
Tornando-nos incapazes de ver a direção alheia
E incapazes de discutir direções
Pois depois do primeiro olhar
E do primeiro entrelaçar das almas
Os olhos passam a ser os mesmos
A mesma preocupação
A mesma cautela
O mesmo interesse
E literalmente...
O mesmo coração
Sem medos descabidos
Sem a falta a de calor
Sem a falta de palavras
Sem a falta de gestos
Sem ouvidos para terceiros
Sem a espera de declarações
Sem a espera de demonstrações
Sem orgulho
Pois amor é isso
A entrega mutua em que estações são apenas estações
Viagens são apenas viagens
Uma realidade em que não existe o plural de passageiro
Mas apenas o singular
Em que uma consoante é dispensada
Para por fim dar lugar para apenas uma palavra que não falamos no plural
Mas sim no singular
E assim como é escrita
Também é singular
Que não é vivida apenas por um
Mas sim por dois...

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento
Tags: amor estações

Corra atrás
Mas corra atrás de ti mesmo
E quando correr por alguém
Corra atrás de alguém que também corre até você
Seja assim
Eterno companheiro da proatividade
Amigo da paixão
Da declaração
Do impeto
Mas eterno inimigo da ausência
Da falta
Da passividade

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento

Ninguém ao certo entendia o porque de estarem juntos
Tão desconexos, mundos tão diferentes, vidas tão diferentes
Ela parece tão para frente e cheia de alegria
Ela foi da turma do fundão
Por onde passa encanta com seu carisma
Ela tem poucos preconceitos
Inimiga de planos
E amiga do espontâneo
Ela parece como uma semente levada pelo vento
Em alguns solos floresce, já em outros não
Mas ela não se preocupa com isso, pois ela ama o vento
Semente pesada para alguns solos, para outros leve
Ama falar, ama sonhar
A maior preocupação dela é se um dia esse vento parar de soprar
Pois ela ama voar
Já ele
Tão centrado e autossuficiente
Conquista o mundo com sua lógica, sua inteligência, seus resultados
Não são todos que gostam dele, mas por onde ele passa ele ensina
Ele tem alguns preconceitos, algumas ideia formadas
É amigo do Planejamento, e inimigo do vento
Porque ele não gosta de ser conduzido, ele gosta de conduzir, odeia esperar
Ama realizar, ama demonstrar
Ele também gosta de voar, e se apaixona por quem voa
Ela o conheceu e o achou "quadrado" não fazia o tipo malandrão
Ele a conheceu e a achou muito inconsequente
Mas ele olhava para ela com tom de curiosidade
E ela também
O tempo passou, e ela, como sempre, voou
O tempo passou, e ele, como sempre estudou
Mas que engraçado, o tempo passou
E aquele vento que ele não gosta jogou aquela semente naquele solo tão exigente
Era óbvio que aquela semente jamais poderia florescer
Mas ela floresceu, não só floresceu, como aquele solo ficou mais bonito
Aquele solo ficou mais vivo, e aquela flor ficou mais forte
Ela falava, e ele não concordava
Ele dizia, e ela retrucava
Mas aquele solo era tão lindo que ambos olhavam a volta e sorriam
Dançaram no escuro ao som de rock dos anos 80
Ela que até então nunca tinha feito isso, resolveu sentar no colo dele
Ele tão imbatível
Ela tão charmosa
O Casal mais incomum
Mas O CASAL MENOS COMUM
E ele passou a ter menos preconceitos
Ela passou a ser mais lógica, somou o carisma com a inteligência
Ele começou a ficar mais despreocupado, e nossa como isso o afetou
Mas ele não ligou, pelo contrário, ele amou
Já ela ficou mais ambiciosa e não se contentava mais com um vento
E sim com um vendaval
E assim um somou ao outro
Ele se eternizou nela de uma forma com que nenhum outro o fez
E ela se eternizou nele da forma com que nenhuma outra o fez
Eram os "perfeitos imperfeitos" juntos
Bonito de olhar e feio de olhar
Mas difícil de aceitar separados
O tempo passou
E ela sentia falta de voar
E isso era gritante nela
E ele acostumado a ter o controle não conseguia conduzir
Ele sequer conseguia conduzir o próprio coração
Afinal, ele teve outras
Mas foi este, o seu primeiro grande amor
E nesse querer voar, e nesse querer conduzir.....
Aquela briga aconteceu
Aquele desentendimento aconteceu
Ela jogou as coisas
Ele esbravejou
A pegou forte pelos braços
Como as coisas são...
Anos atrás tantas juras de amor
Folhas em papel sulfite demonstrando dizeres
E uma música mal cantada, mas cheia de declarações
Tanta amizade
E agora tantas ofensas, tantas brigas, tanta dor
Depois de tanto dele nela, e dela nele....
Tanto de dois em um e tanto de um em dois...
Foi quando veio o vento e a levou
Para ela foi fácil, pois estava acostumada a voar sem muitos avisos
Ele não, ele já tinha se acostumado na ideia de voar com ela
E o vento que soprou foi forte, e destrutivo
Quebrou as árvores dele, azedou parte daquele solo
Foi imbatível e A arremessou para longe dele
Ela permitiu
E achou melhor assim, pois era o jeito que tinha que ser para ela
Independente do que fosse destruído..
Ele ficou ali, juntou os cacos, juntou o que sobrou e aprendeu a conviver com a dor, até que um dia ela sumisse
Ela deixou tudo para trás, ela queria esquecer e tentar em outro solo
A diferença dos dois foi no fato de que ela via tudo que deixou de longe
E ele de perto
As lembranças estavam ali
E naquele momento elas tomaram forma e voz e diziam para ele
"ENCARE OU ENCARE"
Estas lembranças também entraram em contato com ela e de longe foram fantasmas inseparáveis
O tempo passou para ele, os cacos foram todos coletados
Limpou a sujeira do chão, reavaliou pensamentos e crenças
E seguiu a vida e conseguiu ver o que ela deixou de bom para ele
Tanto a vida, quanto ela
E assim ele seguiu com o que "sobrava" dele que ela tinha levado
E dessa vez fez ele foi diferente
Por saber agora o que era amor, e o que isso fazia com ele
Procurou ser cauteloso, pisou em ovos
Não se permitiu machucar
Não se machucou! Continuou seu caminho
Conseguiu restaurar paz e esperança....
Ela, assim como ele, também levou o pouco que sobrou dela, e também o que ficou de bom dele
Mas por amar vento acima de tudo acabou por cair em qualquer lugar
E dali nada nasceu
E ela lembrou muito dele, e entendeu que o vento nem sempre nos leva onde é melhor para nós
Foi doloroso admitir, mas necessário
Onde ainda tinham sementes infrutíferas ela finalmente resolveu varrer
Ambos longe, mas ainda assim vivendo em gestos um no outro
Ela sendo presente na cautela dele
E ele sendo presente em ALGUMAS escolhas dela
Como é possível?
Mas o tempo é mesmo imbatível
Não aquele vento, mas o vento da vida , o vento inevitável
Este vento soprou e fez Ele e Ela se olharem mais uma vez
E assim foi:
Ela: Ventos já não são capazes de me levar para outro lugar sem ser do seu lado...
Ele: Eu não consegui mais fazer meu solo florescer por medo, e assim não me machuquei
Ela: É porque só eu floresço e pertenço a este solo
Ele: Então vem logo!
Tudo perfeito, tudo combinado, TUDO RÁPIDO
E nisso ele claramente vê a diferença dela para as outras
Isso o irrita, o incomoda!
Mas é um fato
Pois com as outras ele pensa, com ela não!
Tudo poderia ser integro, singelo, calmo, maduro e sereno
Mas um vento qualquer novamente bateu
Novamente a levou
Ela voou
Ela Voltou
Ele aceitou
E "AMBOS" se amaram, se deleitaram
Mas e depois ?
Novamente ela Voou
E ela ainda assim Voltou
E ele mesmo assim novamente a aceitou
Mas não adianta, é um ciclo, e amantes de "ventanias"
Assim sempre serão
E novamente ela voou
E voltou sem voltar e a ele disse:
"Não tens paciência"
E disse ele: "Cabe paciência?"
"Cabe confiança"
E nisso ele se machucou
Mas desta vez mais preparado para se machucar
E com tudo isso, ele não mais voltou
NISSO E LITERALMENTE NISSO ele não vai mais voltar
E ai, ele finalmente a sepultou
Pois relacionamentos que são compostos por seres que amam um ao outro
Se preocupam unica e exclusivamente em se amar
Se amam na dor
Na alegria
No dia
Na noite
Por 10 minutos
Por DUAS HORAS
Ou por uma vida inteira
Uma vontade que deve ser louca no inicio
E insana em um recomeço
Sintoma de amor é assim
Universal
Todos sentimos e todos falamos
Mas principalmente, todos AGIMOS
Ela diz amar
Ele já não tem mais como acreditar
Pois não viu nem sequer um botão de rosa florir
Não viu nenhuma recusa perante as ventanias
Ou o desabrochar de uma rosa
Ele aprendeu que é impossível acreditar em amantes de pequenas ventanias..
Mas ironicamente, assim como ela
Dessa vez
E unicamente desta vez
Ele permitiu que algo o atingisse
Não uma brisa
Não um vento ou ventania
Não um vendaval
Mas sim um tufão! Um tornado!
Desde que o mesmo cumprisse a promessa de leva-lo para longe dela
Diferente da outra vez que ele levou coisas dela junto dele
Hoje
Ele nada leva
Pois ele que sempre esteve ali, não está mais
E o que ele tinha guardado morreu
Já ela, que leve tudo dele
Tudo que ele tinha e que ele deu nesses dias
Esta lá, com ela
Este "peso" não mais pertence a ele
Este peso chamado amor
Este peso assim como você
Voou.......
E o Tufão e o Tornado, são você

Luis Ricardo Teiga Ramalho
1 compartilhamento