Coleção pessoal de junger

1 - 20 do total de 30 pensamentos na coleção de junger

O saudoso passado...
Durante muito tempo ouvi, como um mantra enfático, a afirmativa: “Saudade do passado! No meu tempo era muito melhor...”. Repetidas vezes isso me provocou a revolta adolescente de quem gostaria de convencer que o meu presente também era bom, seja pelas tecnologias, avanços, mudanças histórias, conquistas, .... e até pela minha presença. Por mais que o desafio de mudar esta frase motivasse, era uma realidade irredutível. Contudo, como o bêbado que retoma a sobriedade, a maturidade trouxe uma capacidade analítica de enxergar os problemas da minha época, admirar elementos do passado e repensar certos conceitos. Apesar da “minha tecnologia” ser surpreendente, de fato no meu presente faltava muita coisa, que não justificavam mudar esta frase. As minhas críticas foram revistas, ganharam novos pontos de vista, interpretações, ... e só me restou tentar mitigar as lacunas do meu tempo. Até que um dia, as lapidações da vida, como em um ciclo previsível, me fizeram repetir o mesmo discurso de meus antepassados. Penso que ...

Talvez, com o tempo as luzes naturalmente se apaguem, como as estrelas no céu que perdem o brilho te deixando em um vazio sem orientação ...

Ademais, é provável que a inversão dos polos magnéticos esteja de fato ocorrendo, pois, o Norte não está mais evidente. Todos os elemos norteadores da vida começaram a desaparecer fazendo com que precise caminhar sem referenciais, como em um quarto escuro ....

Talvez as cores percam a intensidade e naturalmente o mundo pareça monocromático, como os clássicos do cinema mudo, que apesar de antigos trazem felicidade para a vida ...

Os meus exemplos, formadores de caráter, retidão, honestidade, hombridade, .... os meus inspiradores não estão mais aqui para me aconselhar ...

E por mais mórbido que pareça, lápides trazem de volta um passado de lembranças, plenitude, alegrias legítimas, conselhos, aconchego, orientação, sinceridade ... . E para quem não tinha arrependimentos, o maior passou a ser a vontade de ter construído mais lembranças ...

As memórias viraram o melhor destino de boas viagens ....

Os atos criticados, por quem queria mudar o mundo, passam a ser repetidos como uma herança de família ...

Os diálogos que traziam serenidade e paz, desapareceram. O “olho no olho”, os sorrisos com volume e intensidade, tranquilidade, ... deram lugar a figuras que tentam representar emoções, de alguma forma, na tela de um smartfone. Talvez por isso tanta depressão ...

Os elementos que tinham função de retroalimentar a vontade de andar, desapareceram e ninguém reparou, pois somos carregados pelo fluxo ...

Os nomes dos meus grandes mestres já não estão mais nas grades horários de aulas, em apresentações de congressos, .... os que não posso mais visitar, encontro nos velhos livros e artigos amarelados ....

A leitura de um livro deixou de ter o som das folhas, o cheiro característico, o peso do conteúdo e a criatividade de improvisar marcadores ...

O museu que influenciou sua vida foi queimado, as salas de cinema enormes deram lugar a espaços pequenos com uma pipoca de gosto estranho, os lugares que gostava de visitar já não existem mais, ...até a pizza que marcou a infância virou um gosto exclusivo da memória ....

Não existem mais “renascentistas” dotados de visão holística e integradora. Na saúde, deu-se lugar aos tratamentos específicos, segregados e especializados a ponto de não existir mais correlações; agravado por alguns profissionais que podem nem entender a fundo suas especializações ...

As músicas não ofereçam mais a mesma carga de emoção arrebatadora, falam em uma linguagem diferente e seus cantores prediletos não tem mais como gravar álbuns inéditos ...
O amor não é mais o mesmo da época onde o simples “cheek to cheek” conseguia prover fortes emoções como impulsionar ao paraíso...

Perdeu-se a magia de cantar na chuva para fazê-lo em chuveiros apertados ...

Os heróis, não eram personagens com superpoderes, mas mortais com atitudes que qualquer um poderia ter. Não viviam em cavernas ou esconderijos mirabolantes, estavam em seu convívio, família, ...

As pessoas não tinham medo de se comunicar, nem estavam demasiadamente ocupadas com seus celulares.... Elas davam bom dia sem nem mesmo conhecer e assim funcionavam as “redes sociais”, ... “like” era um sorriso, as notícias eram “compartilhadas” com boas conversas nas portas das casas ou na mesa do bar ...

Os pais se tornaram filhos, a ponto de passar a ver suas “malcriações” ...

Era possível ter aula de história pelos livros, com um professor, ou ouvindo o relato de quem viveu aqueles momentos ...

O telejornal não se assemelhava a apresentação de um catálogo criminal ...

A textura do papel do jornal era suave e a tinta soltava nas mãos ...

O GPS eram as paradas sequenciais para pedir informação, deixando a viagem mais longa e divertida, conhecendo lugares pelo caminho, com mais expectativa ...

Havia mais honestidade que Interesse, a ponto de até o vendedor do mercado aceitar a “pendurar a conta”, esperar ir buscar o dinheiro em casa ...

Os alimentos não faziam mal, tinham mais sabor ...

O tempo das coisas era mais devagar que da geração “fast”; até as células não tinham tanta pressa em se dividir ...

Os políticos pareciam mais honestos ...

As novas piadas, mesmo com todo seu conteúdo apelativo, não têm mais a mesma graça ...

O ar não tem mais o mesmo cheiro, assim como a água o sabor e ...

Não existem mais palmeiras, primores e sabiá, ... e talvez por isso, os “mais velhos”, se sentissem no exílio do tempo novo ...

... mas posso afirmar categoricamente que no meu tempo era muito melhor, porque existiram pessoas insubstituíveis que deixam uma saudade irreparável. Aqueles que sentiram um amor legítimo, hoje ocupam um espaço inabalável, como em um relicário junto ao peito onde posso visitá-los nas melhores memórias.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: saudade lembranças

A verdadeira compaixão não consiste em sofrer pelo outro. Se ajudamos uma pessoa que sofre e nos deixamos invadir por seu sofrimento, é que somos ineficazes e estamos tão somente reforçando nosso ego.

Dalai Lama
777 compartilhamentos

Como não sou adepto à misticismos, crendices e simpatias, uma virada de ano simboliza apenas um marco na gestão do “projeto vida”, no qual se faz análise do que passou, das lições aprendidas, ... e estabelece novos planos para o ciclo que se inicia. O benefício desta reflexão está na reavaliação de conceitos, acúmulo de conhecimentos, consolidação de experiencias e na promoção da maturidade. Quando se está disposto a mudar, inicialmente o processo é intenso e transformador, mas com o passar dos anos passamos apenas por refinamento. Fazendo uma analogia, uma criança concentra suas energias vocalizando vogais até conseguir construir as primeiras palavras, mas depois de ter o domínio da fala, apenas enriquece o vocabulário. Das minhas percepções, conclusões e outras mazelas, posso dizer que....

PARTE IV

Não gaste tempo em ambientes que não se sente bem, pois irá se arrepender do tempo perdido. Desperdiçar momentos especiais com aqueles que realmente importam é irreversível. Perder alguém especial, que não terás mais, remete a revolta com os desperdícios com quem não merecia ...

Se alguém te pede para que afastar-se de um amigo, comece pelo pedinte. Não abra mão de amizades verdadeiras por ninguém, pois todos são factíveis de ir embora, principalmente nos momentos difíceis, mas dificilmente será amigo legítimo. Desperdiçar amizades é como rasgar dinheiro. Em tempos de redes sociais, prova de amor não é dada com “exclusões de facebook”, se alguém te pede isso é porque mantém apenas sentimentos doentios de domínio ....

Falando um pouco mais sobre pessoas...

... como minha mão dizia, aqueles que não tem empatia por animais, idosos e criança boa coisa não é. Do universo amostral que pude observar, a afirmação demonstrou-se verídica...

... penso que se tem o dom da paciência para ouvir, torne-se um psicólogo pois esta profissão tem um mercado que ainda não foi devidamente explorado. Existem milhões de pessoas insanas, descontroladas, com problemas sérios a serem resolvido, chegando a graus severos de psicose. Diferente dos “malucos beleza”, estas são bastante convincentes, sabem cativar, manipular, convencer, apresentam similaridades após te “estudar” com perguntas “despretensiosas”, ... e andam por aí ensaiando personagens na sociedade (diversos setores, chegando até mesmo à política). Evite-as, pois os dados podem ser severos ...

... reitero que as “vítimas do mundo” são insalubres, te sugam ou demonstram atitudes inconsistentes. Muitas vezes se apropriam da dor do outro para encenar seu “eterno martírio”, mas não perdem a oportunidade de se livrar do problema. Em contraposição, as pessoas marcadas pelos legítimos “intemperismos da vida”, que realmente poderiam reclamar demasiadamente, são fantásticas (positivas, determinadas, tomadas pelo sentimento de esperança, felizes mesmo em meio a um furacão). Quando perguntar a alguém se está tudo bem e a resposta não for positiva, tenha atenção, evite absorver a negatividade dos insalubres. Devemos ter empatia, mas pelas pessoas que são dignas deste sentimento. Quem gosta de viver na lama pode te sujar. Consolar o inconsolável é “bater palma para maluco dançar” (que por sinal é mais interessante que ouvir vitimização ...).

... leia Maquiavel, Sun Tzu, Nietzsche, ... e outros autores que ensinam um pouco a convivência em sociedade. Abra os olhos para as “boas intensões”, fala mansa, aconchego, falsa preocupação, ..., podem ser apenas a “pele de cordeiro” que mimetiza o lobo motivado por interesses exclusos. Gosto de me fazer de bobo para assistir de camarote como estas pessoas atuam, soltam indiretas, ... tudo previsível. Se torna quase um objeto de estudo ...

... nos piores momentos as máscaras caem. Esteja atento pois ainda tem aqueles que esperam para “raspar o tacho”. Existem pessoas que visualizam suas dificuldades e continuam agindo com egoísmo....

... não exponha seus pontos fracos pois isso também pode ser usado contra você. Suas preferencias, admirações, anseios, ... podem ser a porta de entrada para a usurpação. Por trás de uma criança inocente pode ter um adulto mal-intencionado ....

... existem pessoas “tóxicas” que naturalmente trazem reclamação e infelicidade. Você pode estar em um lugar que adora e sentir-se vazio, em contraposição, sob boas companhias, constrói lembranças especiais nos ambientes mais inóspitos...

... quando identificar uma atitude negativa pense antes de agir. Existem pessoas com a capacidade de reverter o pior dos crimes. Antecipe os passos, colete evidências e então tome atitudes de cabeça fria. De fato, existem pessoas mal-intencionadas que naturalmente caem com os seus atos, basta não anunciar “as pedras do caminho” ...

... mesmo em meio a situações “brandas” seja honesto e integro, para que um dia não sofra retaliações ao criticar uma grade criminoso. Quando se banaliza os princípios, o “furto pequeno” (a impressão no trabalho, um insumo da empresa, a fila furada, os favoritismos nas repartições públicas, a propina para tirar a multa...) tem a mesma característica do superfaturamento, desvio de dinheiro público, ... cuidado para não se tornar um hipócrita. Os fins não justificam os meios...

... ao criticar alguém mantenha a coerência. Existem pessoas que buscam todos os aspectos negativos de quem não lhe agrada, mas atenua os mesmos defeitos nos que tem afeição. Incoerência no julgamento demonstra incapacidade de se fazer análises imparciais e justas....

... impulsos constantes são admissíveis durante a adolescência. Quando alguém mantém estas atitudes na vida adulta, esteja preparado para lidar da mesma forma que faz com uma criança....

... cuidado com os controladores existem pessoas que adoram manipular o outro seja em pedidos sutis e constantes, ou com cara feia e indiferença quando não faz o que te pede ou através de ordens expressas. Este comportamento pode se manifestar em relacionamentos, mas também em relações familiares. Não seja um “animal adestrado”, livre-se da escravidão sentimental e escreva a sua história...

... até os caridosos podem ser motivados por interesses pessoais. Quem de fato está comprometido em fazer o bem não anuncia os seus atos. Marketing de “bom moço” é uma das tendências ... Ajuda mesmo quem se compromete a mudar realidades, porque até a manutenção da assistência promove biografias e encobrem o “bon vivant”.

Mas principalmente .... mantenha a esperança no futuro, e busque melhorias, mas não crie expectativas, diga o que tem vontade pois amanhã pode ser tarde demais, priorize o que te faz bem e quem te faz bem, pense antes de agir, livre-se de tudo e todos que te fazem mal, estabeleça sua paz, não discuta política, religião ou futebol, medite nem que seja falando consigo mesmo, aja com retidão e honestidade, não faça com os outros o que não deseja para ti e os seus, dose a ganancia, equilibre a determinação com a saúde, ... perceberás que coisas fantásticas acontecem.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: pensamentos reflexões

Como não sou adepto à misticismos, crendices e simpatias, uma virada de ano simboliza apenas um marco na gestão do “projeto vida”, no qual se faz análise do que passou, das lições aprendidas, ... e estabelece novos planos para o ciclo que se inicia. O benefício desta reflexão está na reavaliação de conceitos, acúmulo de conhecimentos, consolidação de experiencias e na promoção da maturidade. Quando se está disposto a mudar, inicialmente o processo é intenso e transformador, mas com o passar dos anos passamos apenas por refinamento. Fazendo uma analogia, uma criança concentra suas energias vocalizando vogais até conseguir construir as primeiras palavras, mas depois de ter o domínio da fala, apenas enriquece o vocabulário. Das minhas percepções, conclusões e outras mazelas, posso dizer que....

PARTE III

Seu maior e principal amor deve ser o próprio. Você pode amar intensamente alguém e esperar o mínimo até perceber que está sendo apenas uma “peça”. Existem pessoas que querem muito, apenas, ter alguém. Quando conseguem, iniciam o processo de transformação na figura idealizada por elas (insustentável a longo prazo). Lembre-se que estes indivíduos não gostam de você, mas sim do status que desempenha. Amor ... só ao projeto utópico que tem em mente. Existe uma linha tênue entre contribuições para sua melhoria e mudança do “eu”. Não se transforme em alguém que você não é só para agradar o outro. Mantenha sua autenticidade ....

... mergulhando em um intenso sentimento pode se anular, fazendo de tudo para ver a felicidade do outro: reavalia suas ações, muda coisas que o outro não gosta em você, admite erros que não são seus em prol da harmonia, abre mão de seus bens (emocionais, amigos, sentimentais, financeiros ...), desenvolve a compaixão mais que o normal pela figura amada, incentiva o outro a andar ou até serve de patinete para promover o movimento, faz surpresa, respeita, abre mão dos seus princípios para conviver com perfis incompatíveis, atura pessoas insuportáveis, perde momentos especiais com quem realmente importa, ... e no final percebe que você faz muito e a pessoa sempre quer mais. Este perfil não dá valor a nada, não pratica reciprocidade, cai muitas vezes em um comportamento de manipulação (bons momentos condicionados) ....

... saiba “jogar a toalha”, pois, por mais que tenha pedido, conversado, anunciado, lutado, desenhado, ... se não há um real comprometimento em viver uma história (por desinteresse, indagações, interferência externa, ....) no final tudo que você fez se resume a nada. Não vale a pena gastar energia, tempo, ... com quem não está comprometido ou não te faz bem. Pratique a lei do esforço mínimo. Remar o bote sozinho é inviável nas corredeiras, melhor pular e nadar enquanto ainda há tempo, ...

... vejo pessoas que amaram de verdade e lutam para dar certo, assumem a “culpa” do que para o outro foi uma desculpinha esfarrapada para se livrar, pois já não lhes é interessante continuar naquela história. Quem gosta, pelo sentimento, ainda tenta corrigir, reverter ... em vão. Não importa seu esforço, o quanto amou, demonstrou, os “sapos amargos que engoliu”, existem pessoas que como peixes de aquário só “decoram” os últimos segundos e contam a história que lhes convém, para quem não as indagará com a verdade. Teste com maturidade e verás a verdade... Nestes casos aprenda a desapegar pois essa pessoa não te faz bem; esteja atento aos sinais e saiba abrir mão! Assim como os eletrodomésticos, o que consome muita energia não se justifica manter...

... só é enganado quem se permite ficar embriagado pelos encantos do início e a vontade de dar certo. Com o tempo aprende a ter serenidade, dosar sentimentos, ter calma e identificar os sinais mais sutis de falta de sinergia. Geralmente logo no início fica evidente quando se quer ver. Pela sua dignidade aprenda a não mais se sujeitar a condições que não te façam bem. Mantenha em mente que não precisa de nada a não ser do seu bem-estar, o restante é complemento. Cuidado com os perfis psicóticos pois conseguem ser bastante convincentes ....

... identificar grandes incompatibilidades e insistir, é o mesmo que querer sofrer. Ninguém muda ninguém e nem deve. Não dá para calçar o sapato que não cabe, dificilmente conseguirá andar e quando consegue acaba em dor. Cuidado também com quem demonstra alta rotatividade sequenciais, pois não consegue se deparar com a realidade e a autoanálise. O segredo está em vivenciar momentos, estabelecer diálogos, construir amizades, conhecer a pessoa e experimentar compatibilidades ...

... um dia, vai perceber que, com amor próprio estabelecido, encontrarás a pessoa com sinergia tão boa, que a permanência não é um esforço, mas sim uma consequência da harmonia que se vive. Não haverá grandes concessões para dar certo, pois convivo sadio é a fundação do que se constrói. Não precisa mudar, viver situações desagradáveis, aturar coisas ruins, ser controlado ... pois o sentimento vem da afeição pelo que você é.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: pensamentos reflexões

Como não sou adepto à misticismos, crendices e simpatias, uma virada de ano simboliza apenas um marco na gestão do “projeto vida”, no qual se faz análise do que passou, das lições aprendidas, ... e estabelece novos planos para o ciclo que se inicia. O benefício desta reflexão está na reavaliação de conceitos, acúmulo de conhecimentos, consolidação de experiencias e na promoção da maturidade. Quando se está disposto a mudar, inicialmente o processo é intenso e transformador, mas com o passar dos anos passamos apenas por refinamento. Fazendo uma analogia, uma criança concentra suas energias vocalizando vogais até conseguir construir as primeiras palavras, mas depois de ter o domínio da fala, apenas enriquece o vocabulário. Das minhas percepções, conclusões e outras mazelas, posso dizer que....

PARTE II

Você é o grande promotor de sua vida, responsável pelos sucessos, conquistas, mas também pelas derrotas, quedas ... por isso comemore quando acertar, vislumbrando a melhoria contínua, e reflita quando errar (insistir no erro é loucura!). Culpar uma entidade mirabolante como promotor de castigos ou transferir a culpa para o outro, só te coloca na posição de um mero fantoche insano. Da mesma forma, são insuportáveis as pessoas que sempre se colocam como vítima de tudo, para não reconhecer os próprios erros. É mais cômodo ser sempre vítima e continuar errando, do que assumir os próprios erros. Muitas crianças agem assim, mas este comportamento em um adulto demonstra que nunca foi corrigido, logo infantil, mimado e imaturo (combinação insuportável) ...

... reflita se de fato está errando, se coloque na posição do outro, tente entender porque as coisas chegaram a tal ponto, então exponha suas conclusões, ponderações, mas de direito à resposta e saiba ouvir, reconheça os seus erros, ... mas, se a reação do outro for vitimização, manipulação dos fatos, amnésia seletiva, insistência nos mesmos atos, ameaça a própria vida ... afaste-se! As “eternas vítimas do mundo” adoram uma historinha triste para serem consoladas, depois de exaurir os “tapinhas nas costas”, fazem tudo de novo se justificando no cenário construído anteriormente, de sofrimento. Espere, pois, com o tempo a máscara cairá, todos os passos serão previsíveis ....

Não seja alguém que espere consolos e aprovações a todo momento. Anunciar para o mundo o que está vivendo te coloca em posição de vulnerabilidade, abrindo portas para os aproveitadores. Nem sempre quem te dá acalento de fato quer o seu melhor. Até mesmo no que seria o “porto seguro” legítimo pode encontrar desalento. Seja você a sua própria fortaleza e a mola propulsora que te joga para cima ...

Mantenha sua sanidade, estude, leia, pense, só não desperdice as milhões de sinapses ativas que ainda tem ... conhecimento, seja ele qual for, nunca deve ser dispensado, a não ser que seja um ignorante desinteressado. Estudo apontam que metes pensantes são mais resistentes ao Alzheimer. “Não pense que a cabeça aguenta se você parar” ...

Tenha determinação e persiga suas metas, não deixe que nada, nem ninguém interfira. Percalços devem ser totalmente evitados, mas se acontecer supere. Tenha por perto quem te incentiva e afaste aqueles que “sugam” o seu ânimo com palavras negativas.... Cuidado com as pessoas acomodadas, por mais que estimule elas não querem andar. Além do desgaste com expectativas e frustrações, possíveis brigas, ... isso pode te consumir. Existem pedras que são demasiadamente pesadas para serem carregadas, deixe no caminho que as “trombas d’água” se encarregarão de move-las ...

As músicas quase sempre são uma ótima companhia, pois falam de sentimentos universais. Se não trazem alegria, servem de acalento ou auxiliam no reestabelecimento da resiliência. Com certeza algum autor, em algum momento, já sentiu o mesmo que você. Ouça a letra com atenção, veja o desfecho, ... a vida continua, não existem “dores” exclusivas ... assim como boas coisas acontecem...

Não exponha sua vida em redes sociais. A autopromoção é inerente aos demagogos, fúteis, egocêntricos, limitados, imaturos, vaidosos, ... . Críticas, difamação, inveja a tudo que expõe são atitudes promovidas por aqueles que não querem o seu bem (mesmo alguns “amigos” que se rebelarão no futuro), evite estas pessoas e na dúvida ... não poste os momentos felizes (eles cabem melhor nos álbuns de fotografias e nas boas recordações). Em ambientes de personagens eu escolho a vida real...

Olhe para o passado com saudosismo das boas lembranças, superações, conquistas, faça análises críticas, autoavaliações, .... mas viva no presente! Andar para trás pode provocar tombos, assim como anunciar o que já passou só é interessante para quem se propõe a ler o livro daquela história. Contadores de histórias podem facilmente se tornar chatos quando não tem um público interessado ...

Extravase o que sufoca. Não guarde raiva, rancor, ódio, .... primeiro se coloque no lugar do outro, tente entender e se continuar com a mesma opinião exploda para sentir-se mais leve. Por maior que seja sua educação, existem momentos que soltar um palavrão é quase um “exorcismo”. Existem pessoas que devem ser mandadas ao seu lugar de direito ou ao ato merecido. Depois, caso se arrependa, justifique e peça desculpas, mas não tenha um infarto precoce.

Não reclame dos problemas, eles são desafios da vida a serem superados, como em uma corrida com obstáculos. Além de trazer maturidade te fazem mais forte.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: pensamentos reflexões

Como não sou adepto à misticismos, crendices e simpatias, uma virada de ano simboliza apenas um marco na gestão do “projeto vida”, no qual se faz análise do que passou, das lições aprendidas, ... e estabelece novos planos para o ciclo que se inicia. O benefício desta reflexão está na reavaliação de conceitos, acúmulo de conhecimentos, consolidação de experiencias e na promoção da maturidade. Quando se está disposto a mudar, inicialmente o processo é intenso e transformador, mas com o passar dos anos passamos apenas por refinamento. Fazendo uma analogia, uma criança concentra suas energias vocalizando vogais até conseguir construir as primeiras palavras, mas depois de ter o domínio da fala, apenas enriquece o vocabulário. Das minhas percepções, conclusões e outras mazelas, posso dizer que....

PARTE I

Viva cada dia sem antecipações, mas viva e faça o que tem vontade de fazer, mesmo que seja nada (mas não exagera nisso). Não dá para antecipar as coisas, nem sofrer pelo imprevisível. Faça planos, crie metas e coloque em prática, mas não se martirize por algo que ainda vai acontecer. De fato, o “ovo veio antes da galinha” ...

Cuidado com os sonhos, persiga aqueles que depende exclusivamente de você. Os outros, simplesmente deixe acontecer; geralmente se concretizam, do contrário, um dia vai entender porque não eram para você. A busca incessante por ideal pode te colocar nas maiores roubadas do mundo e a longo prazo tendem a erodir um sonho viável. É melhor ser surpreendido com uma ave rara no caminho do que comprar um pássaro e manter em uma gaiola....

O ritmo que se leva a vida deve ser constante; uma vez estabelecidos exageros será forçado a retomar a serenidade, seja por uma doença, depressão, exaustão ou simplesmente pelo “game is over”. Trabalhar, por exemplo, é muito bom, principalmente quando se faz o que gosta, mas cuidado com a demasia. O equilíbrio dinâmico rege praticamente tudo, depois do caos sempre vem a calmaria...

Da mesma forma é a felicidade. Oscilações entre momentos intensos despencando à abismos de tristeza só levam ao desgaste. Procure sempre a linha tênue do equilíbrio, busque harmonia, uma vida “leve” tende a ser duradoura ...

Permita-se a introspecção, meditação, ... as vezes, momentos sozinhos, auxiliam a elucidar rumos, tomar decisões, definir prioridades. Muitas pessoas te cobram presença, vida social, ... , por companhia, status ou pelos benefícios que possa trazer (uma carona, uma segurança ao grupo, ...). Ceder sempre é sinônimo de anulação, coloque-se como prioridade e faça aquilo que te deixa bem. Respeite seus momentos de calmaria ...

Priorize a sua paz, este talvez seja um dos maiores conselhos, pois sem ela não é possível pensar, andar, estudar ... nem mesmo ser feliz plenamente. Afaste quem te rouba a paz; existem pessoas com o incrível dom de transferir todo seu ranço e maldição. Da mesma forma afaste-se daquelas “sob o domínio do mal” (ex. manipuladas por alguém infeliz), pois também têm o poder de trazer sentimentos ruins mesmo em momentos especiais. Um bom medidor é a comparação quando está com a pessoa e sozinho; se sua própria companhia está se tornando mais agradável, afaste-se. Se todos os pontos negativos foram anunciados, não é abandono, mas sim autopreservação. Ninguém tem o direito de roubar sua paz....

Seja sincero, mesmo que precise usar “palavras amenizadoras”, mas priorize a verdade. Existirão momentos em que pode precisar reavaliar, voltar atrás e pedir desculpas, mas pelo menos ninguém poderá te chamar de mentiroso. Geralmente pessoas sinceras não agem por atos de interesse, falsidade, ... pois não conseguem manter personagens.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: pensamentos reflexões

Pessoas negativas me despertam repulsa e indiferença. Quem realmente precisa de apoio não anuncia sua dor, demonstra apenas força e perseverança em superar os problemas. Existem os extremos desde aqueles que adoram problemas para viver uma constante campanha de vitimização, tirando proveito das migalhas que lhes são oferecidas, mas fadadas a eterna trajetória da desgraça. Para estas pessoas não importa quem lhes “dá afeto”, se o “tapinha nas costas” vem da mão de um interesseiro, de um malicioso ... e simplesmente não lhe conduza a lugar algum, isso já lhes basta, pois é ali que elas querem permanecer. Por isso não sabem reconhecer ou não valorizam as reais contribuições. Também existem aqueles que não se abalam por nada, mas vivem a estranha felicidade inabalável, muitas vezes infantilizada de quem ri de tudo, a ponto de assemelhar-se a insanidade. Como em tudo, existem as pessoas moderadas que se abalam pelas “açoitadas da vida”, mas não as usam como um slogan em uma propaganda de marketing. Por mais que as pessoas vivam um eterno concurso de quem tem “a maior dor do mundo”, músicas, poemas, filmes e todas as formas de expressão de arte tendem a aproximar sentimentos compartilhando-os. Conselhos não servem para quem quer sofrer, geralmente estas pessoas discursam por horas seu monólogo, repleto de interpretações próprias e muitas vezes deturpadas, até cansar-se. Mas existem os raros resilientes que internalizam a dor, passam por momentos de reflexão, interpretam, aprendem e continuam sua trajetória. Este é um objetivo ....

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: resiliência sofrimento

Não são os passos que me definem, mas a vontade de continuar andando. Títulos, experiencias, conhecimentos, ... representam a minha trajetória, mas não definem onde quero e posso chegar.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: trajetória caminhos

Grandes soluções, inventos, alternativas mirabolantes... perdem todo o seu ar de ineditismo quando vistas do ponto de vista real: são meras observações de fluxos, ciclos, processos, ... naturais. Para cada ação existe uma reação, para cada estímulo existe uma resposta, ... e tudo isso é regido por ciclos mapeáveis e reproduzíveis. Como um rio que tende ao equilíbrio dinâmico após um distúrbio, como a proliferação de bactérias que reagem em um vazamento de óleo, como o crescimento demográfico em resposta a melhores condições de vida, como a insatisfação de uma população e queda de uma representação frente a deliberações que ferem os objetivos do povo,.... É incrível como em uma aula sobre revolução francesa, por exemplo, os alunos se identificaram semelhanças com momentos de contestação da forma de poder, até mesmo nos dias atuais e estabeleceram paralelismos e projeções, ou como em uma aula sobre “wetlands” os alunos mais atentos viam o que parecia óbvio: sua aplicação em tratamento de efluentes, ... Conheça a fundo os processos, busque na história fenômenos semelhantes, tenha sensibilidade de observar os as tendências naturais de resposta e conhecerás as melhores soluções. Mas nunca se considere um inventor, porque antes de ti alguém pode ter pensado a mesma coisa. Existe uma diferença grotesca entre inventar e descrever algo que observa, ou uma ferramenta que adaptou para solucionar um problema, otimizar, ... Invenção é uma palavra muito mais ligada ao ego que à sua real aplicação.
Por fim gostaria de me manifestar contrário à tendência atual de especialização, segmentação e limitação do saber. Grandes pensadores não estudavam, inovavam e faziam importantes descrições e constatações apenas em uma ciência, mas em praticamente todas. Isto porque não se limitavam a ser especialistas do sub segmento de uma parte de uma divisão de uma ciência. Eles tentavam entender o todo, as inter relações, ... e estas visões multidisciplinares lhes garantia uma visão mais clara de como realizar um teste, ou uma maior riqueza de argumentos, ou permitia uma ferramenta mais funcional... Filósofos eram engenheiros, matemáticos, cientistas naturais, ... é como o reger de uma orquestra, tiram o melhor de cada instrumento (ciência) para desenvolver sua canção (pensamento). Hoje se você se propõe interagir com diferentes ciências, se você explica algo sob diferentes pontos de vista ou fundamentado por diversos argumentos, provavelmente é prolixo, criticado pelos limitados (quem não acompanha tem aversão), ou vai ser um gestor, ou.... Quando tento juntar as áreas biológicas com exatas e humanas o resultado é o susto e as críticas dos ignorantes e a afeição de um futuro colega de trabalho. Uma vez ao termino de uma aula um aluno cabisbaixo me apresentou seu trabalho de conclusão de curso da primeira graduação. Abriu o arquivo aparentemente apreensivo e cabisbaixo aguardando criticas (o que seria bom se elas fossem legitimas e construtivas), mas ao final só consegui elogiar; foi então que ele me revelou o posicionamento da banca. Ele se propôs a desenvolver uma cadeira em um curso de designer, mas seu projeto com mais de 100 páginas, falava sobre a disposição dos órgãos humanos e que uma postura inadequada poderia, por exemplo, comprimir o diafragma limitando a respiração, a oxigenação do cérebro e consequentemente a capacidade produtiva; ele também falou sobre os custos de diferentes materiais e as possibilidades de aquisição do produto/público; falou sobre segurança/risco de tombo e como o seu modelo mitigava isso; sobre designer em si; sobre como desenvolveu um protótipo; ângulo de visão frente a uma TV ou tela de PC; sobre mudanças e adaptações para diferentes ambientes; ... e segundo ele, a banca criticou. Me veio à mente situações semelhantes onde pessoas que viam o que não lhes era familiar, criticavam para não admitir suas limitações pessoais ...

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento

O ópio da saudade

Muitas vezes em meio a correria, anseios, buscas, idealizações, superações, ...., em suma tudo o que remete a uma projeção do futuro , ficamos imersos nestes pensamentos e esquecemos de todo o resto. Mas às vezes, meio que repentinamente, nos deparamos com coisas sutis que nos chocam como uma batida de carro e nos colocam num estado de transe profundo, com sentimentos e sensações próprios de quem teve um passado e vem construindo uma história.

E em meio a esta viagem acolhedora permanecemos por alguns minutos até que alguém nos interrompa ou até que termine uma música, e quando retornamos à realidade voltamos cheios de si revigorados para continuar.

Mas forte que qualquer composto químico, droga, eletrochoque, manipulação da mente ou outra coisa que possa tirar uma pessoa da realidade, o estopim para esta viagem pode vir de um odor forte e característico de um perfume marcante, uma sensação, um lugar ou ainda mais funcional, uma música. Mas não é algo em que se possa reproduzir a todo o momento como um viciado que manipula droga a todo o momento, porque perderia toda a sua funcionalidade. São momentos únicos e irreprodutíveis que nos acometem meio que repentinamente como, ao abrir um frasco de perfume e remeter a um momento único de quando usava aquele perfume, ou uma pessoa para quem se produzia com aquele odor, ou ainda a uma carta perfumada que recebeu de alguém. E a partir daquele simples odor vem uma recordação e um arcabouço de outros sentimentos que provocam uma reflexão daquele momento até os dias atuais, como uma linha do tempo ou um longa metragem que passa em alguns segundos.

Sentimentos que tiram completamente a atenção como ao entrar em um carro e colocar naquela rádio que seus pais escutavam quando era jovem, e perceber que a música da sua adolescência agora toca lá. E ao se embebedar com uma imersão de sentimentos, passa a refletir sobre as baladas que dançou ao som daquela música, e quanto tempo passou desde então e não é mais aquele jovem; da inocência que tinha naquela época e se perdeu; das magas que fizeram você se tornar uma pessoa mais madura, mas completamente diferente; das pessoas que amou e das que te fizeram sofrer; os amigos que não vê mais bem como aqueles que não poderá encontrar; de como as coisas eram diferentes; da época que pensava em ser astronauta e no que se tornou; da vontade de mudar o mundo até o momento que se tornou apenas mais um; de como seus pais pareciam chatos em alguns momentos e que hoje, talvez, você cometa as mesmas chatices; de todo o que queria fazer e não fez; de quanto cabelo você tinha; das coisas que não precisava se preocupar e hoje te tornam uma pessoa estressada; mas também das superações que teve para chegar até onde está hoje e quem sabe, pensar melhor em para onde quer ir. E no final desta viagem de curta duração fica um bem estar e a retomada a realidade.

Rafael Junger de Castro Medeiros
1 compartilhamento
Tags: saudade passado

Quase sempre a miséria é mantida para gerar benefícios próprios de poucos. Afinal, entre os miseráveis está o voto fácil, a oportunidade de autopromoção, de captar recursos sob justificativa de bons atos, manipulação... Também existem aqueles que se mimetizam como miseráveis para como integrante do grupo, desfrutar destes benefícios, justificados por uma ascensão “justa”. De que adianta curar a ferida de um doente, apenas para obter a imagem do eterno caridoso e após o reconhecimento de todos desfrutar lucros vertiginosos e esquecer os “ideais”.

Rafael Junger de Castro Medeiros

Existem atos que poderiam ser bons, mas tendem a maldade. Não existe caridade quando associada à promoção pessoal, adoção sem educação, amor sem liberdade, carinho sem respeito... Pois do contrario, o ato pode ser drástico; o vento pode refrescar em um dia de calor, mas também pode machucar quando associado à areia.

Rafael Junger de Castro Medeiros

Podemos nos reportar ao maior dos luxos para buscar satisfação, mas encontrar realmente a paz na simplicidade. Assim também são as pessoas, muitas vezes traçamos perfis padrões para o convívio, mas encontramos bons sentimentos naqueles que fogem aos requisitos.

Rafael Junger de Castro Medeiros

Muitas vezes, aqueles que se apresentam com as melhores intenções, bondade,... são os que escondem toda a maldade. Começa te oferecendo um sorriso, bondade, carinho, e um dia se depara desgraça e destruição.

Rafael Junger de Castro Medeiros

Ainda que me derrubem por meio de decepções, traições, inveja,... eu sempre vou encontrar forças nos momentos menos oportunos; e estas serão a mola propulsora para me reerguer. Agradeço aos que um dia me proporcionaram a possibilidade de constatar minha capacidade de superação, a eles resta apenas o tempo e o questionamento se farão o mesmo.

Rafael Junger de Castro Medeiros
163 compartilhamentos

Muitos se acham espertos por passar uma vida inteira sendo apenas levado pela correnteza, espertos por ganhar sem trabalhar, por enrolar um dia inteiro em seus empregos públicos, por roubar algo que ninguém vai dar falta, em aplicar golpes, ou seja os verdadeiros parasitas. Mas existe uma pequena minoria que luta por alcançar algo novo, que não se limita em ver um problema e pensar “um dia alguém conserta” mas busca inovações, que anda no fluxo mas para e tem discernimento de observar a massa indo e ver o alem, podendo escolher o seu caminho; esses são aqueles que deixam as suas marcas em pedras, o seu nome em livros, que são ícones na historia, são aqueles que fizeram alguma coisa notável

Rafael Junger de Castro Medeiros

O domínio passivo, não se usa armas nem violência, apenas o poder da palavra. Na historia sempre existiram os dominados e os detentores do poder e, em todas as relações humanas se faz presente. Estar no poder realmente são poucos, é uma seleção natural; em um grande contingente de pessoas apenas um pequeno grupo se destaca, a grande maioria opta em ficar na inércia, ou simplesmente não tem capacidade de se destacar. Isso independe de poder,... Um idiota que herda uma fortuna pode ter estudado nas melhores escolas, mas é fato que pelo simples fato de ser um idiota por natureza irá destruir o patrimônio. Entretanto uma mente brilhante pode morar nas ruas, estudar nas bibliotecas publicas e passar em um concurso. Essa é uma hierarquia imutável

Rafael Junger de Castro Medeiros

A grande tolice das massas idiotas e desprezíveis é esquecer-se do que é importante facilmente, basta existir uma festa, um evento, um “pão e circo” que todos os problemas passam, os corruptos são esquecidos, os erros apagados, ... não existe memória mas sim a esperança de um novo evento. Por isso desisti de lutar contra isso, vejo que é melhor mesmo serem enganados, roubados, ... controlados por mentes superiores, existem verdades que quando ditas podem chocar, mas é uma simples observação da realidade imutavel.

Rafael Junger de Castro Medeiros

Na grande maioria das civilizações humanas, o processo de reabilitação dos que não conseguem viver em sociedade é a prisão. O que me parece obvio é que esse sistema não cumpre o seu papel apenas aprimora o delinqüente em suas atitudes desviadas. O homem só respeitas regras com punições mais severas, um pouco de opressão é fundamental em uma sociedade que protege seus desertores

Rafael Junger de Castro Medeiros

Vivemos em um mundo de muralhas que construímos para nos defender dos próximos; À medida que envelhecemos tornamo-nos melhores construtores.

Rafael Junger de Castro Medeiros