Coleção pessoal de CikaParolin

141 - 160 do total de 1622 pensamentos na coleção de CikaParolin

Pedaços de nós,
fragmentos da nossa história
que permanecem no tempo e no espaço!
Perdidos, irrecuperáveis,
mas para sempre na memória!
Cika Parolin

Cika Parolin 23 de julho de 2018.

De que menina falam esses versos?
Que rua da infância eles citam?
Desbotadas pelo tempo,
que lembranças eles evocam?
Talvez existam apenas para colorir
e trazer luz à tudo que um dia foi cinzento.
Cika Parolin

Cika Parolin 23 de julho de 2018.

"Contrariando todas as expectativas"
nos enganamos sim! Somos surpreendidos positivamente
e, com muito mais frequência, negativamente por pessoas
que tínhamos em alta conta. Não vai nisso a menor lamentação,
mas a constatação de que nossa amizade nem sempre encontra eco em todos os corações.
Cika Parolin

Cika Parolin 08 de fevereiro de 2018

Quando finalmente compreendemos que a vida é bem mais do que a luta pela sobrevivência, bem mais que os pequenos e grandes contratempos, bem mais que a realidade nem sempre agradável... então estaremos efetivamente aptos para assimilar as lições que ela tem para nos ministrar.
Cika Parolin

Cika Parolin 20 de julho de 2018

Estávamos em um pequeno hotel na periferia de Roma.
Era uma noite tranquila como outra qualquer. Exaustos das andanças do dia, decidimos jantar pão, queijos e vinho, no quarto mesmo. Depois disso nos recostamos na cama para planejarmos onde iríamos no dia seguinte.
De repente notamos que o velho e sujo lustre começara a balançar,
o colchão vibrava; tudo balançava ao redor e, em seguida, o mais assustador e inimaginável som fez-nos pensar que as tropas da cavalaria italiana estavam entrando no ambiente. Ficamos lá segurando as mãos, à espera do pior.
Tão rapidamente quanto chegara, a coisa cessou.
O lustre foi lentamente parando e um silêncio absoluto se instalou. Levantamos em direção a uma pequena sacada e lá fora nenhuma folha se agitava, nenhuma voz, o céu estrelado
e tudo parecia normal como nos outros dias.
Passamos a noite acordados, com o coração aos pulos sob o impacto de algo tão estranho. Cedo, no café da manhã, perguntamos o que tinha sido aquilo. Ao que a dona da estalagem nos disse: "Abalo sismico ad Assissi".
Ficamos horrorizados e jamais poderíamos imaginar que, a praticamente 100 quilômetros de distância, era possível sentir os reflexos do terrível terremoto que acabara de ocorrer em Assis.
Cika Parolin

Cika Parolin 18 de julho de 2018
1 compartilhamento

Era uma caixa de madeira envernizada,
com detalhes florais em machetaria.
À menor distração de mamãe, embrenhava-me no seu quarto,
onde, no fundo do guarda-roupas, estava aquela maravilha.
Dentro dela, em séphia, muitas fotos antigas.
Retratavam mulheres, homens e crianças
elegantemente vestidos à moda dos anos vinte, trinta, quarenta...
Coques imensos, sedas, ternos, bebês arrumadinhos.
O sorriso contido das mulheres, como convinha à época!
Homens carrancudos, com bengala e bigode elaborado.
Intrigavam-me especialmente algumas fotos milimetricamente
cortadas que sonegavam, aos meus olhos ávidos de criança,
personagens misteriosos, histórias desconhecidas,
dramas e segredos desbotados.
Ali ficava durante horas a observá-las. Identificando traços familiares, perguntando-me quem eram aquelas pessoas, o que tinham vivido, de onde vieram, o que delas ficara em mim?
Algumas respostas foram dadas, mais tarde. Outras jamais!
Das minhas furtivas incursões ao armário de mamãe,
restou-me a certeza de que o tempo apaga
resquícios de vidas que geraram as nossas.
Preservadas e silenciosas
numa simples caixa de fotografias.
Cika Parolin

Cika Parolin 17 de julho de 2018
1 compartilhamento

Que as asperezas do mundo não nos abalem a ponto de
confundirmos o que somos com o que esperam que sejamos.
Cika Parolin

Cika Parolin 16 de julho de 2018

E o que foi
de vez em quando volta!
Algo esquecido no tempo
bate à porta da alma
e fica lá esperando que se abra uma fresta!
E chama e grita
e monta guarda.
Cika Parolin

Cika Parolin 16 de julho de 2018

Longe de ser um lugar de beleza extrema,
daqueles que cabem entre os limites de um cartão postal,
era um pedaço do paraíso
onde havia tudo do eu precisava.
Amor, família, amigos, rostos, sorrisos, cheiros e sons...
Era onde eu me sentia em casa.
Cika Parolin

Cika Parolin 15 de junhode 2018

Mãos enlaçadas.
O silêncio falava mais alto!
Nada mais seria preciso
se o tempo tivesse parado exatamente ali.
Cika Parolin

Cika Parolin 15 de julho de 2018

A mola mestra dos relacionamentos sempre me pareceu a reciprocidade.
O respeito e o afeto que dedico ao outro sempre serão do tamanho do respeito e do afeto que recebo.
Cika Parolin

Cika Parolin 08 de Julho de 2018

Nessa manhã, igual a tantas outras,
vieram-me à lembrança os nossos dias.
Não olhamos mais as mesmas paisagens,
nem nossos caminhos tornarão a se cruzar!
Estás em outra dimensão, porém existes dentro de mim,
mais vivo do que nunca, meu irmão,
nos laços perenes que nos unem.
Cika Parolin

Cika Parolin 06 de Julho de 2018

Quem me olha no espelho,
agora percebo,
é o avesso da moça
que ainda habita em mim.
Cika Parolin

Cika Parolin 06 de Julho de 2018

Se exercêssemos um pouquinho mais a tolerância,
certamente aceitaríamos melhor o sagrado direito de cada um ser, simplesmente, o que é. Cika Parolin

Cika Parolin, 4 de julho de 2018

Sou gêmea!
Já no útero materno tive que aprender a dividir espaço.
Cada um, para mamar, teve que entender a espera.
Mais tarde, nunca senti que um brinquedo fosse apenas meu.
Creio que isso tenha sido a minha melhor escola!
Foi o que forjou em mim a certeza
de que viemos ao mundo para partilhar,
para ceder espaço, para respeitar e zelar pelo outro.
Essa é a razão que me faz achar incompreensíveis certas disputas por ninharias; pelo "honroso" lugar de destaque,
pela necessidade de ser o primeiro em tudo.
Cika Parolin

Cika Parolin 2 de Julho de 2018.

A dureza das adversidades não a abateu.
Tempos do "pão com banha"
e quando tudo o que restava era lutar ou lutar, ficaram para trás
e lhe amalgamaram um temperamento positivo
e um profundo sentimento de gratidão pelas lições recebidas.
CikaParolin

Cika Parolin 01 de julho de 2018

Temperados com mais emoção que deveres,
os dias passam depressa demais.
Vez ou outra o tempo parece cobrar coisas e mais coisas,
mas não! Quero o luxo de fazer apenas o que o coração ditar.
Cika Parolin

Cika Parolin 28 de Julho de 2018

Nada de prisões, nada de sentimentos engessados!
Apenas a liberdade da alma.
Cika Parolin

Cika Parolin 26 de junho de 2018

Não sou daqueles seres que andam com uma "balança de ouro" embaixo do braço para "pesar" o tamanho do afeto que me dedicam. Apenas usufruo do carinho que eventualmente recebo e permito a todos a liberdade de demonstrarem, ou não, seus sentimentos.
Cika Parolin

Cika Parolin 26 de junho de 2018

É fato que os afetos precisam ser alimentados!
Porém as palavras, as promessas e as juras
não podem assumir papel maior
que a grandiosidade do sentir.
É o diálogo dos corações que nos traz
a certeza do amor.
Cika Parolin

Cika Parolin 26 de junho de 2018