Coleção pessoal de Christinnyolivier

1 - 20 do total de 80 pensamentos na coleção de Christinnyolivier

É o sopro de Oyá...

É poesia, verso e prosa!
É Bethânia, é Mangueira...
É amor em verde e Rosa!

Christinny Olivier
1 compartilhamento
Tags: mangueira campeã

PONTUANDO OS FATOS

Quando pontos de interrogação
não encontram
um ponto de equilíbrio,
meu ponto de vista
destaca o ponto final.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Qual o mistério desta flor?
Perfumou minhas mãos
Com o dom do amor!

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Ignora o tempo...
Um raio de sol reinando
na flor da idade.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Tão impreciso...
Mundano, sem nitidez.
Paisagem morta.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Olha amor... A lua
cheia de inveja do molejo
em nossas curvas.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Só desejo ser o eco do teu corpo
no calor de um abraço!...
Reflexo do amor em teus braços.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Que o vento carregue
na infinitude do silêncio,
toda promessa de amor fajuta.

Christinny Olivier

Viaja no tempo
livre, um grão de pólen
nas mãos do acaso.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

Flores e frutos
de inspiração... Ornatos
de um pé de poesia.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

MEIAS VERDADES

A habilidade da mentira
aquecida em meias verdades
calça falsos argumentos...
Perfaz pegadas astutas
em marcas da traição
no sentimento pisoteado
de quem manteve os pés descalços
em passos de ilusão.

Christinny Olivier

Que seja eternizado na boca da alma
o sabor do fruto de um amor concreto,
e exterminado todo aquele
que limitou-se a meras palavras.

Christinny Olivier

O sol derrete
Na onda fugaz da Sereia...
Ela é carioca!

Christinny Olivier

"Rio Quarenta Graus"
Cantou a cigarra.
Ela é profeta!

Christinny Olivier

Bruma nostálgica...
Força estranha, rege entranhas
Da noite mística.

Christinny Olivier

NOTURNO

Perfil agudo, dissecando
O pêndulo da meia-noite
Na ventura da neblina dissipada
Em voz rebenta.
Sombra adversa, inquietante
Na palavra desvendada.
Fio da navalha
Pólvora do filho da noite
Ofício do verso oculto
Desmistificado.
O verbo se inteirou açoite
Flexas abortaram na espada.

Ele estava lá!...
Ainda posso ouvir o tambor
Sentir o tremor das palmas.

Christinny Olivier

ACORDES DA ALMA

Uma música corre solta
No ar, nos lábios, nos poros
Magnetizados...
No enigma intrínseco
Da alma enlevada.

Notas do perfume
De liberdade no campo
Espraiam-se
Nos acordes da aurora
Em comunhão
Com a transparência peculiar
Do olhar carregado de emoções.

Na balsa de sentimentos distintos
Vagueiam cores da essência
De um céu particular.
A memória devota um rosto
Desperto na menina dos olhos
De uma mulher pronta pra amar.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

ENCONTRO

O brilho da minha procura
Encontra em teu olhar
Nuances da alma
Em complexidade
Com o tempero inerente.

Adere a cor vital
Em sublime simplicidade
No brilho natural da gotícula
D'água cintilante
Que transpassa o raio de sol
Na folha denominada vida.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

COMPLEXO INDÔMITO

Não reconheço mais a ponte...
Nem a dimensão dos sinais
Translocados no frio
Permeado em meus ossos,
Instalado no estalo
Dos dedos, dos passos
Trôpegos nas ruas anuviadas.

A razão estoura seus desígnios
Em poça d'água lamacenta,
Resvalando a placa de saída
Que insinua-se descaradamente...

Mas você não vê!
Não entende!
Não crê!

Desfaz asas de papel
Em chuva de sentenças
Inexistentes.
Tua carranca imersa
Em teimosia,
Prefere ladrar em campo abstruso,
Ignorando anseios
Em minhas mãos estendidas.

O lago congelou...
Travas enferrujaram
Tantas flores secaram...
A árvore renegou o fruto!
Um borrão consolidou o nada...
O silêncio castiga os isolados.

Pessoas temerosas se encondem
Do bicho homem,
Em suas cadeias residenciais.
Somente os lobos avançam...
Tomam de assalto a cidade,
Buscando sangue para
Grafar heresias em muros calcificados.
E você...
Preso a insistência de morar no escuro,
Tropeçando em musgos e raízes
Remotas da natureza esquecida.

No vórtice de palavras,
Tudo que sinto é exposto,
Como se pudesse abarcar
Teu inextricável oculto.
Sentimentos enclausurados
Nos cacos da noite,
Transitórios em teus olhos duros
Relutam - lutam - relutam!

Todos os augúrios da língua,
Sumida a sombra
De demônios despertos,
Agigantados ao som da meia-noite,
Tentam me afugentar
Diuturnamente.

Eu não temo!...
Não vou recuar!

Conheço bem a essência
Embutida as defesas
De tua casca dura,
Posso ler as entrelinhas doridas
Nos lábios sombrios, confusos
No riso forçado, intermitente.

Enxergo perfeitamente
A flor branda no esmalte
Dos teus dentes.

Christinny Olivier
1 compartilhamento

PÁGINA SOLTA DE UM DIÁRIO


Corujas cansadas da vigília, soltam meu sono e batem suas asas... A noite que calou meu mundo passou antes do último gole de chá, mas esqueceu de devolver as vozes do dia.
Os anos espreitam meu sorriso claustrofóbico na espreguiçadeira da varanda tediosa... Apontam meu destino com ares inquisitórios, acoando os solfejos d'uma prece em construção.

O despertador emudeceu prematuramente a pressa matutina, não há mais brinquedos ou toalhas espalhadas pela casa; a mesa tornou-se figuração esquecida de uma novela que teve o fim antecipado. O café perdeu seu gosto, as torradinhas perderam a graça, o forno se aposentou e as tradições hibernam nos armários da copa. Agora virou rotina engasgar-me com a transparência infinda na piscina impenetrável.

O relógio avança, algo em mim parte, logo dissolve. Pétalas do livro da vida somem naturalmente a cada segundo... Vou perdendo centelhas mudas a cada hora que passa!
Rostos disformes contam fatos inéditos, avivam ilusões inauditas nas fotografias desgastadas por gotas de arrependimento e amargura.

Poemas e cartas que nunca serão enviados acumulam na gaveta sentimental, com travas e trancas desnecessárias...

Quebro todos os espelhos!... Mas o tempo ainda me acusa a cada tropeço no tapete da sala.

Christinny Olivier
1 compartilhamento