Martinho da Vila

Encontrados 5 pensamentos de Martinho da Vila

Ex-amor

Gostaria que tu soubesses
O quanto que eu sofri
Ao ter que me afastar de ti

Não chorei
Como um louco até sorri
Mas no fundo só eu sei
As angústias que senti

Sempre sonhamos com o mais eterno amor
Infelizmente, eu lamento, mas não deu
Nos desgastamos, transformando tudo em dor
Mas mesmo assim, eu acredito que valeu

Quando a saudade bate forte é envolvente
Eu me possuo e é na sua intenção
Com a minha cuca naqueles momentos quentes
Em que se acelerava o meu coração

SIMONE

Martinho da Vila
Inserida por MERCYA

Ai que saudade da beleza democrática
Ai que saudade do sorriso progressista
Ai que saudade de ouvir certas verdades
Que a burguesia sempre pensa mais não diz

Ela era crooner de uma orquestra sistemática
Feita de loucos de poetas e porristas
Era a estátua nacional da liberdade
Ditando a lei do ventre livre no país

Aquelas noites eram feias, eram trágicas
Mais sua luz anunciava o diretriz
Comportamentos mais abertos transparentes
Pra nossa gente ser mais gente e mais feliz

Hoje a saudade escreve os versos neste samba
Que é um dos sambas mais sentidos que eu já fiz
Esta saudade tem um nome
E um sobrenome
Esta saudade é uma mulher
Leila Diniz

Martinho da Vila

Me deixe hipnotizado prá acabar de vez com essa disritmia

Martinho da Vila
Inserida por lucijordan

Não fala muito quem sabe falar
Não bebe muito quem sabe beber
Não compra tudo quem sabe comprar
Não come de tudo quem sabe comer
Mas ama muito quem tem só um amor
E tu és a minha única flor

Martinho da Vila
Inserida por straussnasar

FILOSOFIA D VIDA

"Meu destino eu moldei
Qualquer um pode moldar
Deixo o mundo meu rumar
Para onde eu quero ir
Dor passada me dói
E nem curto nostalgia
Eu só quero o que preciso
Pra viver meu dia a dia
Pra que reclamar de algo que não mereço
A minha razão é a fé que me guia
Nenhuma inveja me causa tropeço
Creio em Deus e na Virgem Maria
Encaro sem medo os problemas da vida
Não fico sentado de pernas pro ar
Não há contratempo sem uma saída
Pra quem leva a vida devagar
Que o supérfluo
Nunca nos falte
Básico para
Quem tem carestia
Não quero mais do que necessito
pra transmitir minha"

Martinho da Vila
Inserida por DUFA